The Curse (One-Shot) escrita por Anna


Capítulo 1
Capítulo 1 - Capítulo Único


Notas iniciais do capítulo

Bem, essa é minha primeira Fanfic, espero que tenham paciência,

Boa Leitura ^^



Um encontro tão inevitável em um local nunca imaginado. A floresta estava silenciosa, apenas os rápidos passos da pequena garota eram ouvidos. Tentava andar com a cabeça erguida, mostrando-se confiante, mas a verdade era que era apenas uma covarde assustada com as sombras que as grandes folhas das árvores proporcionavam acima de sua cabeça.

Olhava ao redor o menor sinal de perigo. E foi assim que o encontrou. Foi avistada primeiro; aquela roupa vermelha era bastante chamativa, ainda mais no meio de uma floresta. Ele a seguia de longe com o olhar, estava apenas curioso, não tinha nenhuma segunda intensão.

Mas foi então que ela se virou abruptamente, surpreendendo-o completamente. Os enormes olhos inocentes encontraram os esguios olhos frios. Ele nada fez, apenas continuo parado encarando-a de volta, mas pareceu assustá-la, pois ela logo se virou rapidamente e aumentou a velocidade de seus passos.

E ele apenas pôde vê-la partir.

Com um primeiro “encontro” muitos outros vieram. Eles já aguardavam um ao outro todo dia e a garota de capuz vermelho já não apressava seus passos na floresta, pelo contrário, buscava demorar-se o máximo que conseguia, lançando olhares rápidos àquela sombra misteriosa que estava sempre atrás das árvores. E ele apenas a seguia durante todo o caminho, não a perdia de vista uma única vez.

Não tinha coragem de ir além, nem ela e nem ele, tinham medo das consequências. Suas vozes não alcançavam um ao outro, apenas seus suspiros coincidiam no vazio.

Ela era uma frágil garota que se vestia de vermelho e ele, um bruto lobo de garras afiadas e orelhas peludas.

Ao final da floresta, ela se sentava atrás da árvore mais próxima e segurava a cabeça entre as mãos. O capuz tampava lhe completamente o rosto, deixando apenas algumas mexas do cabelo loiro para fora. Ele sentia vontade de se aproximar, de levantar o capuz delicadamente e olhá-la no fundo dos belos olhos azuis da cor do céu. Mas não podia.

Ao longe ele a via soluçar. Estaria chorando? Por que estaria enchendo aqueles belos olhos com lágrimas? Aproximou-se sorrateiramente até uma árvore que estava a sua frente. Nunca estivera tão próximo dela, nunca poderá notar os detalhes de sua roupa ou a delicadeza de suas mãos que buscavam limpar as lágrimas.

Tudo nela era tão delicado, tão amável. Era por isso que não poderia se aproximar. Ele era nada mais que um selvagem.

Ela estava chorando e ele queria confortá-la, queria abraçá-la e dizer que tudo ficaria bem. Mas o braço que estendeu estava tremendo. Não adiantava, não poderia fazer nada para que suas garras e presas desaparecessem. Ele nunca deixaria de ser o lobo e ela nunca deixaria de ser a Chapeuzinho Vermelho.

— Não importa quantas vezes eu reze! Isso nunca mudará – ele se assustou ao ouvir a voz dela, mas não parecia que falava com ele, nem mesmo parecia ter sentido sua presença ali. Mas sabia que estava pensando o mesmo que ele.

Passara todo esse tempo numa prece silenciosa que pudesse retirar a maldição. Mas de nada adiantaria, estavam sob uma história que sempre teria o mesmo desfecho. Ele não podia confortá-la, não podia abraça-la, apenas sentava-se ali esperando que suas lágrimas parassem.

Se aquilo que sentia não era amor, ele não saberia mais como nomeá-lo.

— Eu te amo – ele sussurrou o mais baixo que conseguia. Ela não pareceu ouvir e, se ouviu estava ocupada demais com seu choro para reagir. Mas era assim que queria: apenas descarregar aquele sentimento que travava seu peito.

Por mais que o destino dos dois nunca pudesse mudar, ele estaria para sempre atrás daquela árvore, sempre esperando por ela e a amando.



Notas finais do capítulo

Obrigada por ler , não se esqueçam de comentar , Beijos !



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Curse (One-Shot)" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.