Um amor inglês escrita por Marvin


Capítulo 2
Capítulo 2


Notas iniciais do capítulo

Oiee espero que aproveite a leitura.
PS: As traduções estão em Itálico *-*



Ele abriu seus olhos e contemplou o vazio.

Ainda estava vivo, mas seu corpo parecia uma mera casca, não respondia aos comandos de seu cérebro e permanecia inerte. Andrew estava completamente dopado.

Novamente abriu os olhos, dessa vez conseguiu discernir uma figura parada a seu lado. Sua consciência finalmente estava voltando e junto com ela vinha uma dor de cabeça infernal.

– Hey – Um suave cumprimento surgiu por entre a neblina de sua mente proveniente da figura parada – I Just want to say thank you. Can you understand me?

O que? - Andy pensou - Inglês?

Ele então vasculhou por dentro de sua mente até o canto em que estavam suas funções interpretativas. Ele encontrou a área em que estava procurando. Havia feito aulas de inglês por muito tempo, então sabia que podia traduzir facilmente o que o ser misterioso falou. Mas outra parte de sua mente questionou quanto à procedência dessa fala – Afinal, você está no Brasil. Você deveria estar ouvindo PORTUGUÊS.

Com essa confusão ele tentou se situar de onde estava. Tentou virar a cabeça, mas ela pesava como chumbo, teve então apenas um breve relance de uma cortina branca. Girou seus olhos para cima e notou uma bolsa de soro fisiológico com uma pequena mangueira, que apesar dele não conseguir ver seu destino, teve uma leve desconfiança que iria parar em seu braço esquerdo, que estava gelado.

– Hospital? – Ele tentou murmurar, mas apenas saiu um gorgolejo, pois sua garganta estava muito seca. Os olhos da pessoa voltaram a total atenção para ele.

Ele lembrou então que ainda não havia respondido a pergunta da pessoa. Voltou então a seu canto mental que na verdade era uma biblioteca se visto atenciosamente. Ele visualizou novamente a fala - “Eu só gostaria de dizer obrigado”. O que? Por que está me agradecendo? Se eu ainda estou vivo é porque você me resgatou, eu que devo agradecer – Ele pensou.

Mas então parou seus pensamentos. Estava achando que a pessoa o tinha salvado, mas certas cenas do passado voltaram como ondas e ele se lembrou de que havia apanhado por causa dela.

Sim, era uma garota. E por um momento Andy teve muita raiva. A garota o levou para um lugar e fez um cara espanca-lo até quase sua morte e agora ela estava ali, cinicamente agradecendo a ele.

Ele fez menção de xinga-la mas se conteve novamente. Uma nova onda de lembranças invadia a sua mente e percebeu que estava completamente errado. Ele que se jogou na frente dela para poder salvá-la.

Lembrou então da outra coisa que ela falou, se ele conseguia entende-la.

– You´re welcome – Ele respondeu a ela um pouco sem graça e ainda rouco com um, não foi nada.

– Can you speak english? – Ela falou com os olhos arregalados e depois dando um sorriso animado, ainda não acreditando que ele podia falar inglês.

– Yeah , just a little bit – O que era verdade, já que ele não falava muito a língua – Você não fala português?

Ela balançou a cabeça um pouco triste – Só... Um pouco.

Logo ela começou a descrever em inglês o que havia acontecido depois que ele desmaiou. Pelo visto ela ficou gritando por algum tempo até que os outros pedreiros, que estavam ocupados contendo o colega agressor, chegaram a seu socorro. Eles decidiram leva-lo para o hospital mais próximo e a garota, apesar de não ter entendido nada do que estavam falando seguiu com ele e ficou ao seu lado até esse momento em que ele acordasse.

Seus pais não devem estar preocupados? – Ela perguntara. Mas a resposta era um grande e totalmente redondo não.

Seus pais seriam as pessoas que provavelmente mais o ignorassem na vida.

Desde que não haviam conseguido uma menina como filha, que era o desejado, eles simplesmente lhes deram um cartão de credito ainda criança e o mandaram se virar. Fazer tudo, mas desde que não os incomodassem e nem ao menos falasse com eles. Com isso Andrew, que na verdade se chamaria Andréa se fosse uma garota, passou por uma infância complexada.

Contudo, apesar de ter podido virar um playboizinho mimado e sádico, ele decidiu se trancar em seu quarto e adotou como parentes os grandes físicos e filósofos que mudaram o mundo, tudo isso na esperança de se tornar alguém como eles. Einstein, Newton, Marx e Weber tornaram-se seus pais e Marie Curie, Amelia Earhart e Elizabeth Blackwell tornaram-se suas mães. Passou a ler clássicos como a Ilíada e a Odisseia como historias para dormir e ouvia musicas desde clássica até o rock, sempre que queria se acalmar.

Seu autoexílio dificultou com que houvesse qualquer relação em sua vida, mesmo com seus colegas que não o reconheciam como alguém que valesse a pena a se ter por perto.

O vazio instalado no seu peito pela solidão nunca realmente se esvaiu, mas ele acreditava que podia engana-lo, e assim tentava fazer.

Mas ele não poderia dizer isso tudo a menina que acabara de conhecer, não podia dizer a ninguém. Então respondera – They are traveling.Eles estão viajando.

– Well , it's great talk with someone who can understand me on this country – Ela falou com um sorriso tímido. É ótimo falar com alguém que possa me entender neste país.

– Don’t worry, you’ll learn – Ele respondeu simpaticamente. Com o tempo ela iria aprender, a não ser que...

– Here, I’m Andrew – Ele estendeu o braço ainda meio dolorido para ela, para se apresentar propriamente.

– Eu sou Emilly – Ele apertou a palma de sua mão rindo um pouco, apesar de saber que ele sentia dor.

– Bom Emilly, se você quiser eu posso te ensinar português... – Ele deixou a proposta no ar sorrindo timidamente enquanto tentava se sentar na maca em que estava.

– Be careful – Seja cuidadoso, ela resmungou um pouco preocupada com ele estar fazendo alguma atividade poucas horas depois de ter levado uma surra.

– Mas, ensinar? Serio? Hum... – Ela ponderou, olhando para o garoto todo machucado em sua frente que queria ensina-la. Ela decidiu dar uma chance a ele - Ok.

– Ok? – Ele repetiu ridiculamente, e logo deu um sorriso tão estúpido que obrigou ela a rir.

– Yep – Ela acenou com a cabeça.



Notas finais do capítulo

Olá, primeiro esse Nyah maldito acabou com minhas esperanças,pois as traduções eram pra ser em outra letra e em tamanho diferente,então desculpe.
Tradução completa pra quem não entendeu através da historia:
I Just want to say thank you. Can you understand me? = Eu só quero dizer obrigado. Você pode me entender?
Can you speak english? = Você pode falar em Inglês?
just a little bit = apenas um pouco
Don’t worry, you’ll learn = Não se preocupe, você vai aprender
Mas fala sério gente,dá pra entender com o contexto...
Muito obrigado por ler e deixe um rewiew,mesmo que não fale muito,mas saberei que está acompanhando :) ( sem pressão,é claro)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Um amor inglês" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.