Não tenha medo de me amar escrita por Cherry Chan


Capítulo 3
Como você gosta




Cheguei á casa dos Uchihas no mesmo horário de sempre, guardei meus sapatos e minha bolsa. Em seguida á porta do quarto de Sasuke se abriu, saindo de lá uma garota ruiva que andava de forma apressada. Fui ver se ele precisava de algo, abri a porta devagar, o mesmo estava olhando pela janela, nem notou quando entrei.

– Tube bem?

– Sim. Você já fez algo para comer? – sua voz tinha um tom duro como sempre.

– Ainda não, mas não demoro. – Se precisar me chame.

–Hm, ok.

Enquanto preparava seu café da manhã, me perguntei quem era aquela garota, ela sairá tão apressada, será que ela era namorada de Sasuke? Bem não me importa. Desvencilhei-me de meus pensamentos quando ouvi o zumbido baixo da cadeira de rodas motorizada sobre o chão, virei-me e Sasuke estava ali me olhando.

Foi até a mesa, aonde havia um espaço vago para ele, elevou o assento da cadeira para ficar na mesma altura que eu.

Peguei seus remédios, depois puxei uma cadeira ao seu lado. Enquanto o ajudava a comer, o perguntei, porque aquela garota ruiva havia saído tão apressada.

– Hm, é da sua conta por acaso? – Me perguntou em um tom rude, e com um olhar que parecia me dizer ‘’ A única coisa que te diz respeito aqui é fazer seu trabalho, sua idiota’’.

Engoli em seco, essa mania de me deixar levar pela curiosidade, sempre me causa momentos tensos. Sabia que não devia ter perguntado, mas ele não precisava ter sido tão grosso.

– Me desculpe. – respondi sem o olhar nos olhos.

Á tarde coloquei um filme, que ele havia escolhido Depois disto ele disse que queria ficar sozinho, rapidamente fui achar outras coisas pra fazer, fiz tudo o mais devagar que consegui, tentando fazer ás horas passarem mais rápido.

*

Tinha se passado uma semana, Sasuke continuava o mesmo grosso de sempre, em alguns momentos quando lhe perguntava se queria fazer algo, ele era sarcástico, eu apenas saia e procurava algo pra me ocupar. Já estava ficando sem paciência, em algumas vezes quase que devolvi á grosseria dele, mas apenas engolia e seco, respirava fundo e me retirava do local. Isso parecia o irritar mais ainda.

Pensando nisso resolvi que quando ele me tratasse mal, devolveria no mesmo tom. Talvez ele só quisesse que alguém agisse com ele de forma normal, não como estivesse pisando em ovos. Podia dar errado, mas não perderia nada com isso, afinal.

Entrei no quarto de Sasuke com seu almoço, ele estava olhando para o quintal, girou a cadeira e veio até uma poltrona, mantendo uma distância, para que eu pudesse me sentar ali.

Á tarde, perguntei á ele, se queria sair, visitar uns amigos e a reação dele...

– Isso me faria sair desta cadeira, mudaria algo na minha situação? Não, então apenas faça o que tem de fazer e pare de incomodar. – Me olhou, como se me desafiasse á responde-lo da mesma forma.

E resolvi aceitar o desafio.

– Se você não quiser ir tudo bem, mas não precisa me tratar de forma tão rude. – Respirei fundo e continuei – Não precisa agir como um pirralho mimado, todos esses dias eu venho tentando fazer as coisas ficar agradáveis para ambos, eu sei que é difícil pra você, mas isso não te dá nenhum direito de pisar em mim.

Em seguida, ele arregalou os olhos, e seu rosto se tomou por uma expressão de espanto e surpresa. Algouns segundos depois, seu corpo se relaxou e ele deu sorriso torto. Havia funcionado.

– Pode fazer um chá pra mim Haruno? – me pediu com um tom mais relaxado.

– Claro. – assenti e fui em direção á cozinha.

No meio do caminho, sorri satisfeita. Pois ontem mesmo, antes de ter a ideia estava pensando em desistir do emprego, era horrível suportar aquele clima pesado. E agora simplesmente, porque o tratei da mesma forma que faria com outra pessoa, que agisse como ele tinha agido, ele já mudou completamente.

Entrei no quarto de Sasuke, ele olhava uma gaveta atentamente. O chamei e ele pareceu despertar, pus o chá num copo que estava no suporte de sua cadeira, com um canudinho, assim ele conseguia tomar sozinho.

– Sakura, abra aquela gaveta e peque um álbum de fotos que está lá, por favor.

– Ok. – peguei o álbum e olhei de volta para Sasuke – O quer que eu faça?

– Pegue todas as fotos de mim e aquela garota ruiva, e jogue no lixo ou recorte a parte que ela estiver tanto faz.

– Hm, tá bem, precisa de mais alguma coisa?

– Não, obrigado.

Optei por jogar fora apenas á parte que ela aparecia nas fotos.

POV Sasuke

A Haruno finalmente entenderá o que eu queria: ser tratado como uma pessoa qualquer. Talvez agora nós pudéssemos começar á se entender melhor. Já estava cansado do jeito que as pessoas me tratam quando veem falar comigo, e ela irá cuidar de mim, não sei por quanto tempo, então eu não suportaria que ela me tratasse daquele jeito todo dia ‘’ é uma droga’’.

Ela me impressionou quando resolveu devolver á grosseria, pois até achei que ela não ficaria muito tempo aqui...

Fiquei surpreendido quando Sakura me respondeu no mesmo tom, e isso me fez repensar sobre ela. Quando a vi ela pareceu diferente das garotas com que eu dormia ou convivia, naquela hora tive mais certeza, nenhuma daquelas garotas, fariam o mesmo que á Haruno, talvez fossem chorar, ou no mínimo resmungarem.

Naquela hora nasceu um respeito por ela, bem eu admito: agirá errado com ela, mas eu já estava irritado. Depois que ela foi embora, senti até uma curiosidade de como seria amanhã e nos outros dias...

Quando Kakashi chegou, já notou algo diferente em meus olhos. Ele era um dos únicos que me tratou normalmente desde quando veio trabalhar aqui. Por isso tinha um respeito especial por ele, podíamos nos falar da forma que quiséssemos sem eu me sentir desconfortável.

– Boa noite Sasuke. – Parecia que tentava ler algo em meus olhos.

– Boa noite. – respondi.

– Algo de novo? – me perguntou como se já soubesse de tudo.

– A Haruno, devolveu a minha grosseria hoje.

– Céus e o que você fez, á demitiu? Diga que não.

– Claro que não, me surpreendi e me dei por satisfeito. – ele assentiu, e riu em seguida.

– Eu disse que você ia se acostumar com ela, algum dia.

– Ela é diferente, sabe.

– É, acho que sim.