Paixão Caipira escrita por Milena Aguiar


Capítulo 21
Capítulo 21


Notas iniciais do capítulo

Oii queridinhas! Voltei mais cedo do que eu esperava rs
Boa leitura!



‘’ Ás vezes, estar em paz, é melhor do que estar certo! ‘’

POV Helen

Sabe eu ainda ficava um pouco intrigada pelo fato do Lucas ter escondido de mim que pertencia a mesma classe social que eu ou talvez até mais alta, porque a fazenda dele era muito maior e mais luxuosa que a minha. Mas tudo bem não posso me deixar a bater por isso, eu amo ele e não vai ser por ele ser rico q vou continuar com ele e sim porque o amo muito.

Voltamos para fazenda dele depois do almoço, ele não quis incomodar muito o amigo e sua mãe e muito menos eu. Quando chegamos o amigo dele o cumprimentou com um forte abraço, eles pareciam ser muito unidos e grandes amigos. O cara era mais ou menos bonito era bem judiado por causa do trabalho bruto que já deve ter trabalhado muito duro na vida.

– Helen esse é meu amigo Juca. – Lucas diz em certo momento me tirando de meus pensamentos.

– Ah, oi! Como vai? – Digo estendendo a mão para ele.

– Vou bem e a senhorita. – Ele diz pegando na minha mão. – Venham vamos entrar, minha mãe está na cozinha.

Ele continua tagarelando até entramos na cozinha e encontramos uma senhorinha, muito bonitinha, bem pequeninha e com os cabelos brancos. Ao nos vê abre um enorme sorriso.

– Essa é minha mãe. Dona Antônia!

Lucas o abraça carinhosamente e eu abraço ela em seguida com muita ternura, ela era muito fofinha.

– Que moça bonita você!

– Obrigada!

– Sua amada certo, criança? – Ela diz passando uma das mãos no rosto de Lucas.

– Tenho certeza absoluta que sim! – Ele diz sorrido.

Ela começa nos observar firmemente, sem deixar escapar nada. Depois de um tempo ela diz contende:

– Vamos comer um pedaço de bolo de milho de com café para conversarmos um pouquinho.

– Vamos sim dona Antônia!

Nos assentamos em uma mesa de madeira ela nos serviu um pedaço de bolo e uma xícara de café, e ela começa a dizer:

– Vocês ainda eram encontrar muitos obstáculos em seu caminho.

– Como assim? – Digo com uma curiosidade fora do normal.

– Existem pessoas que não aceitam vocês juntos!

– Mamãe. – Juca a repreende.

– Continua dona Antônia. – Lucas a incentiva.

– Acho melhor não. Isso você terão que viver e serem muito fortes, para encarar o que está por vir. – Ela diz respirando fundo.

Ela se cala e nos também nos calamos e ficamos nos olhando até acabarmos de comer. Após comermos me levando e vou para o quarto onde eu iria ficar, lá me assento na cama e fico pensando sobre o que a dona Antônia quis dizer sobre tudo aquilo, porque tudo bem eu sabia que uma das pessoas que queriam nos atrapalhar seria a Paulinha mais as outras pessoas eu nem fazia ideia de quem poderia ser. E eu continuo a me perguntar o porque dela dizer que iriamos enfrentar muitas coisas ruins e ser fortes, será que isso era verdade? Meu Deus se fosse eu teria que conseguir ser muito forte para lutar pelo meu amor pelo Lucas, pelo nosso amor.

Me levanto da cama e vou até a pequena bolsa que havia trago e peguei um vestido simples e soltinho. Fui ao banheiro onde peguei uma tolha no armarinho, e abri o chuveiro, a água estava bem fresquinha e eu deixei que ela caísse sobre meu corpo e lavasse toda aquela dúvida que eu estava carregando. Ouço batidas na porta do banheiro e desligo o chuveiro. Me seco com a toalha e depois me enrolo nele, saindo em seguida do banheiro.

– Lucas. Você por aqui!

– Isso! Vim saber se está tudo bem com você, se está precisando de alguma coisa?

– Não. Está tudo bem.

– Então está bom, já vou indo para você se trocar. – Ele diz se levantando da cama para sair do meu quarto.

– Volta aqui. – Digo o puxando pelo ante braço, com isso minha toalha caiu. – OPS... – Digo abrindo um sorriso torto.

Ele percorre os olhos por todo o meu corpo, e abre um sorriso sem graça.

– Melhor eu ir embora. – Ele diz desta vez saindo do meu quarto.

Meu enrolo novamente na toalha novamente e me jogo na cama. Começo a rir muito, eu tinha ficado nua na frente do caipira. Tinha sido realmente sem querer. E ele tinha ficado extremamente sem graça com o que houve. Queria ver a reação dos meus pais e todos os outros quando soubessem que eu não estava em casa.

***

POV Paulinha

Na hora que titia contou para tio Alexandre que a filinha deles havia sumido, assim como uma fumaça, ele quase deu um ataque. Mas quando descobriu que ela havia fugido com o Lucas se despreocupou um pouco, já titia acho aquilo um absurdo, pelo simples fato da filha dela ter fugido com um caipira pé rapado igual o Lucas. Queria mesmo era que ela voltasse para ver o que titia iria fazer. Nem iria mais embora na segunda – feira, iria ficar mais um pouco, como não estava estudando mais, não tinha com o que me preocupar na minha cidade. O que eu mais queria naquele momento era ver aquela pirralha da minha prima se ferrar.



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado!
PS.: Bem queria que você me disse do que acham deu começar a posta uma nova história?
Quando voltar trago sugestões! Não deixem de comentar. Beijinho *-*