If not us, who? If not now, when? escrita por KaahLerman


Capítulo 9
Feelings


Notas iniciais do capítulo

Desculpem pela demora. Aqui vai mais um capítulo especial para vocês, espero que curtam :)



Mansão dos Marra - San Francisco

Jack - Megan, sweetie, por que não me avisou que vinha logo cedo. Poderia ter ido buscá-la.

Megan - Não quis incomodar. Embarquei um pouco mais cedo e cheguei aqui umas dez da manhã e peguei no sono. Não consegui dormir bem com as turbulências durante o voo.

Jack - Ontem foi o grande dia para seu pai. Ele está bem?

Megan - Grandpa, don't talk about this with me! Estou tentando esquecer que esse reality existiu.

Jack - Qual o problema, little girl?

Megan - Davi is the problem! Ou melhor, ele existir é o problema!

Jack - Oh, não me diga que está apaixonada por esse boy?

Megan - Yeah, eu já briguei, lutei, discuti, mas nada! Nada! Davi é perfeito demais para uma garota problemática como eu.

Jack - E desde quando Megan Marra desiste tão facilmente?

Megan - I don't know! Estava disposta a lutar por ele. Mas do que adianta amar e não ser correspondida? Nós somos incompatíveis, grandpa.

Jack - Sweetie, nunca te vi tão triste em toda a vida. Nem mesmo por causa de Robert.

Megan - Oh, no, forget Robert! Deixe ele com aquela vampira. Além do mais meu problema não é o Davi não saber, ele sabe muito bem que eu amo ele.

Jack - Só posso dizer que qualquer homem que não caía as seus pés é muito tolo. Você é linda, sweetie, outros ainda virão.

Megan - Não tenho certeza disso... - Abraçou o avô.

Marra Brasil

Pamela - I'm sorry honey, Davi, everybody. Não consigo me concentrar.

Jonas - Algum problema, Pam?

Pamela - Yes, Megan longe de mim! Já fazem duas semanas que ela está na Califórnia e se quer atende ao telefone, muito menos ao MarraTablet. Sempre que falo com dad, ela não está.

Jonas - Ela deve estar gastando fortunas em compras como sempre.

Murphy - Boss, pelos saldos bancários a miss Megan se quer usou o cartão de crédito nestas duas semanas.

Jonas - Isso sim é preocupante... - Disse pensativo.

Davi - Pamela, não deve ser nada. - Tentou aliviar a angustia da loira, mas ele também tinha uma ponta de preocupação e dúvida.

Há duas semanas atrás, depois da festa na mansão, Davi voltou para a Gambiarra com a família. Cumprimentou todos os amigos e foi para casa, onde Herval o esperava. Conversaram bastante, sobre como a vida dele seria dali para a frente. E num momento de silêncio, Herval simplesmente lhe disse que estava recebendo ajuda de Megan Marra. Ele ficou surpreso. Pediu ao mentor que lhe explicasse aquilo. Herval lhe contou sobre as aulas que a garota vinha dando na Plugar e sobre a conferência com Brian Benson a algumas semanas antes. Aquilo com certeza o impressionou. Não tinha ideia de que a herdeira rica pudesse ajudar uma ong como a Plugar, então percebeu que realmente não conhecia Megan. Mas agora ela já estava longe.

Jonas - Vou ligar para o Jack. Ele tem que ter uma explicação para isso. - Disse pegando o MarraTablet e iniciando uma chamada de vídeo. - Jack?

Jack - Hi Jonas! Pam, sweetie!

Pamela - Dad, estou muito preocupada com Megan. Ela não me responde, eu ligo e ela não atende. O que está acontecendo aí na Califórnia?

Jack - Pam, mal tenho visto Megan. Ela chega tarde a saí cedo, tão cedo que eu ainda nem acordei.

Jonas - Não sabe o que ela tem feito? Por que o cartão de crédito dela está surpreendentemente sem nenhuma movimentação.

Jack - No, não tenho nem ideia. Tentarei falar com ela hoje quando ela voltar e retorno a ligação, ok?

Pamela - Bye dad!

Jack - Bye! - Desligaram a chamada.

Pamela - Se dad não descobrir o que está havendo com Megan, vou para Califórnia! - Disse decidida.

Jonas - E o programa que você e Brian estão planejando?

Pamela - Brian não se incomodará de esperar alguns dias. Quero saber o que está se passando com Megan para estar tão ausente.

Jonas - Tente ligar para Megan de novo.

Pamela - Já tentei diversas vezes hoje, ela não atendeu.

Davi - Pamela, se você quiser eu posso tentar falar com ela. Só preciso que me dê o número.

Pamela - Oh, thanks Davi! Quem sabe você, ela responde. Aqui, este é o número do telefone dela e este o e-mail. Tente, por favor, Davi. Estou muito preocupada com Megan.

Davi - Pode deixar Pamela. Farei o melhor para que ela responda.

Quando a noite caiu sobre a Gambiarra, Davi lembrou-se do que havia prometido a Pamela naquela manhã. Depois que terminou o jantar em família foi para a garagem, onde morava, e sentou-se em frente ao seu novo MarraBook. Havia ponderado seriamente sobre ligar para Megan, ouvir a voz dela, sentia que seu mundo poderia desmoronar com um simples "Hi, Davi" como a loira costumava dizer sempre que o via. Então por fim resolveu escrever um e-mail. Talvez ela não visse, mas talvez sim. Era uma incerteza que o incomodava. Afinal, por que parecia estar tão preocupado? Respirou fundo e pôs-se a escrever.

Megan,

Aqui é o Davi. Sua mãe me deu esse e-mail para que tentasse falar com você. Ela está muito preocupada com a falta de notícias suas. Está até pensando em ir para Califórnia verificar se está tudo bem contigo. Talvez você esteja só ocupada, eu não sei, mas por favor responda. Alivie a preocupação da Pamela e do Jonas. Por favor.

Davi Reis.

A tecla enviar foi acionada. Em questão de segundos Megan receberia o e-mail e ele torcia internamente para que ela respondesse. Afinal o que eram todos esses sentimentos em conflito dentro dele?

Na Califórnia Megan estava concentrada digitando um texto no MarraBook, que se quer percebeu a caixa de e-mail piscando no canto inferior da tela. Dividia-se entre twittar respostas a Emma Watson que conversava com ela por mensagens privadas e escrever um texto. Aquele dia havia sido extremamente cansativo, seus olhos imploravam descanso, suas costas doíam, tudo que precisava era de um banho e longas horas dormindo na imensa cama. Um barulhinho irritante soou, havia um novo e-mail. Quase não o abriu. Quase... O remente Davi Reis. Clicou, de repente, animada. Leu, releu, mas não havia nada do que esperava. Talvez um "estou com saudades" ou "volte para o Brasil". Simplesmente um apelo para dar notícias. Bom, era um começo. Resolveu responder logo para que ele pudesse comunicar a todos. Pôs-se a digitar e sorriu durante toda a ação. Aquilo era um sinal!



Notas finais do capítulo

Deixem reviews, please.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "If not us, who? If not now, when?" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.