If not us, who? If not now, when? escrita por KaahLerman


Capítulo 32
In health and disease...


Notas iniciais do capítulo

O fato deste capítulo sair somente depois de mais de três meses foi um bloqueio criativo por parte desta autora, que por algum tempo, perdeu a fé e a esperança de ver comentários nesta história. Mas não poderia deixar de finalizar, portanto, aqui vai o penúltimo capítulo dessa história.
Enjoy!



Gambiarra

Ernesto - Eu não acredito nisso! É sério Davi? - Perguntou chocado.

Davi - Qual é o espanto? Vocês sabem que um dia aconteceria.

Vicente - Mais não tão rápido, né cara. Achávamos que seria, sei lá, daqui a alguns anos. Quando você ficasse menos nerd e ela menos patricinha.

Ernesto - Não atormenta o nosso menino, Vicente. Não vê que ele já está um pilha de nervos? - Disse rindo.

Davi - Isso! Vão rindo! Eu vou rir também quando vocês não forem convidados para cerimônia.

Vicente - A Megan está te ensinando a ser vingativo assim? - Riu.

Davi - Vocês vão me ajudar ou não?

Ernesto - Tá cara, fala aí. Do que você precisa?

Davi - Para começar... Quantas pessoas vocês conhecem?

Mansãos dos Marra

Pamela - Jonas, honey. Podemos falar? - Perguntou entrando no escritório.

Jonas - Claro que sim, Pam. O que foi?

Pamela - Davi quer a nossa ajuda com algo.

Jonas - O Davi?

Pamela - Yeah. Acho que é algo que vai gostar muito.

Jonas - Bem, vamos lá, o que é?

Pamela - Quantos aparelhos eletrônicos você pode hackear por minuto?

Gambiarra

Rita - Davi, essa é a ideia mais louca que eu já ouvi de você em toda vida.

Dante - Ir para impressionar, hein? - Riu.

Davi - Vai dizer que não gostaram da notícia. - Perguntou sorrindo.

Rita - Não gostei nada... Eu amei! Ah, Davi, você é um homem explêndido. Megan deve ser a mulher mais feliz do mundo!

Davi - Então?

Dante - Não se preocupa, menino. A gente vai te ajudar. Só precisa nos dizer como.

Davi - Bem... Quantos músicos vocês conhecem?

Marra Brasil

Tatiana - Essa ideia do Davi é coisa de gênio. - Disse rindo.

Arthur - Ele pretende mesmo fazer isso? - Perguntou incrédulo.

Vicente - Com certeza! Eu já disse que ele está meio maluco, mas ninguém me ouve. - Ernesto entra.

Ernesto - Acabei de falar com a polícia rodoviária. Nós só teremos uma hora.

Vicente - Me deixa adivinhar! Você falou em nome de Jonas Marra?

Ernesto - Não. Eu liguei e fiz o Murphy se passar por ele. - Todos riram.

Arhur - O Murphy com aquele sotaque indiano conseguiu enganar a polícia?

Ernesto - Ele sabe imitar muito bem. Fiquei até assustado. Devem ser de anos ouvindo seu boss.

Vicente - Ei, vamos para o Regenera. Geral está esperando a gente por lá e não tem quase mais ninguém na Marra.

Tatiana - Vamos ao plano infalível!

Mansão dos Marra

Pamela - Megan, sweetie, saia do banheiro. Eu preciso falar com você.

Megan - Mom, eu vou sair esta noite. Preciso me arrumar.

Pamela ­- I agree. Mas não para uma festa qualquer. Vai vestir o que tem nessa sacola e sem perguntar ou reclamar. - Entregou a sacola.

Megan - O que está acontecendo?

Pamela - No questions!

Megan - Mom!

Pamela - It is Prom Night, sweetie. Não se atrase! - Saiu do quarto.

Megan - What?

Regenera Brasil

Dorothy - Oh, essa ideia é simplesmente fabulous! Eu posso me imaginar no lugar da Megan!

Brian - Mommy não exagere, a homenageada aqui é a Megan. E faremos de tudo para que seja perfeito.

Jonas - Ah, dude! Nunca pensei que este dia iria chegar.

Brian - Relax Jonas, a pior parte ainda está por vir. - Riram. - E você não é o mais tenso por aqui. Davi parece estar temendo pela destruição da humanidade.

Jonas - Como se a Megan fosse dizer não para qualquer pedido dele.

Brian - Todos nós passamos por isso na vida, alguns até várias vezes. Nosso dever é orientá-lo e tentar deixá-lo confortável.

Jonas - Na minha língua, isso quer dizer, deixá-lo o mais desesperado o possível e aterrorizá-lo com vários cenários onde minha filha o deixa plantado no meio da rua. - Os dois riram.

Brian - Foi assim conosco, ele precisa dar continuidade a tradição do clã.

Jonas - Vamos lá aterrorizar o garoto. - Seguiram para o lado de Davi.

Pamela - This two kids... - Ela sorriu. - Jonas e Brian nunca param mesmo. Olhem lá, estão aterrorizando Davi.

Rita - Eu sinto pena do meu filho, mas é tão engraçado. Nunca o vi tão nervoso quanto hoje.

Dorothy - Os garotos tem que se divertir. E depois de tudo que ele e Megan passaram no último ano, me parece uma ideia sensata. Agora que não tem mais a nerdestina para atrapalhá-los, tudo será perfeito.

Pamela - É o que espero, Dorothy. - O celular de Pamela tocou. - É uma mensagem de Edmilson. Ele está levando Megan para o local combinado. Acabaram de sair da mansão.

Dorothy - Atenção todos! - Disse alto, chamando a atenção de todos os presentes. - It's show time! Megan is coming.

Vicente - Ai, galera! 'Bora começar o show!

Megan vinha dentro do carro, totalmente impaciente. Não entendera o que a mom queria dizer com "Prom Night". Tinha planos de sair aquela noite para dançar e depois encontrar Davi em casa, mas não teve muita escolha depois que o furacão Pamela esteve em seu quarto. Ainda havia o fato de que não fazia ideia de para onde Edmilson a estava levando, o que só contribuía para sua impaciência. E a cereja do bolo, definitivamente, era que Davi não atendia o celular de modo algum.

Megan - Oh, shit! Where are you, Davi? - Resmungou pela milésima vez nos últimos dez minutos. - Edmilson, onde está me levando?

Edmilson - Apenas para onde dona Pamela mandou, senhorita Megan.

Megan - E onde é?

Edmilson - Eu sinto muito, senhorita Megan. Mas não estou autorizado a dizer. Terá que esperar para ver.

Quando a mesma já estava prestes a saltar do carro em movimento, finalmente Edmilson resolvera parar.

Megan - What is this? Um protesto?

Edmilson - Não acredito que seja. E acho melhor a senhorita sair do carro.

E ela o fez. E nunca se arrependeu de ter feito. A sua frente, uma multidão desconhecida vinha em sua direção por toda uma avenida movimentada. Os rostos não eram familiares, muito pelo contrário, pareciam desconhecidos vindos de todo canto. Mas, principalmente, não entendia o que estava se passando ali. Eles cantavam alguma melodia qualquer em um inglês longo e arrastado, com vários cartazes na mão, que até então, não havia reparado. Diziam "Megan Lily & Davi Reis 4Ever". E isso lhe arrancou uma risada nervosa. O que era aquilo?

Então, o helicóptero que estava pairando sobre a multidão, que ela não tinha visto antes, desceu uma chuva de letras M & D sobre toda rua. E assim, ela finalmente os viu. Liderando o flash mob, Davi, Pamela, Jonas, Dorothy, Brian, funcionários da Marra e toda Gambiarra em peso. Mas principalmente, Davi. Ele carregava um lindo buquê de flores vermelhas e tinha um sorriso contagiante em seu rosto. A multidão foi ficando para trás, enquanto o mesmo caminhava rapidamente em sua direção. E cada vez mais perto, era possível ver sua alegria palpável.

Megan - Davi, what is this? - Questionou, emocionada.

Davi - Apenas uma surpresa para a mulher que eu amo.

Megan - Oh, God! This is so beautiful! Só, que eu não entendo...

Davi - Acho que isso vai te ajudar a entender um pouco mais.

Ele depositou as flores nas mãos da loira e virou-se novamente para multidão de pessoas ali reunidas. Fez um gesto rápido para Jonas que imediatamente cumpriu sua parte. De repente, todo centro comercial da avenida pareceu entrar em colapso por um instante e depois dois enormes telões acenderam com um só questionamento.

"Casa comigo?"

Davi - Então, bad girl... - Ele sorriu amplamente. - Casa comigo?



Notas finais do capítulo

O que posso dizer? Se ainda existe alguém aqui, deixe seu recado.