Garotas! escrita por Callie Potter


Capítulo 2
01. Barraca do Beijo


Notas iniciais do capítulo

Heeeey cupcakes do meu s2 Como vão? Fiquei suuuper feliz com as reviews que recebi, juro que não esperava por isso, então muuuuito obrigada mesmo s2
Bem, esse capítulo saiu rápido até, não é mesmo? Aham!
Como disse no trailer, a fic terá três capítulos, mas estou pensando em um bônus depois desse, mas falamos disso nas notas finais okay? Espero que sim.
Apenas adicionando: Os capítulos tem passagens de tempo diferente, é quase como se cada um deles fosse uma oneshot, por isso uso datas no inicio das cenas.
Mais uma vez: Marotos no tempo atual, não estranhem ^^
PS: O narrador é onisciente.
Tomara que gostem, boa leitura!



12 de Setembro, 21:36hs - Dormitório Feminino da Grifinória:

– Vocês não vão acreditar! - Dorcas entrou no dormitório totalmente estabanada, chacoalhando os braços no ar como uma louca varrida.

– James Potter foi assassinado? Emmeline Vance está grávida? Dumbledore é gay? - Lily perguntou pulando de sua cama.

– Não, não e... Não... Eu acho. - Dorcas riu. - Eu tenho uma novidade e vocês vão surtar! - Enfatizou o ‘vocês’ para chamar a atenção de Marlene que olhava para o nada.

– Nós?! - Perguntou rapidamente tomando foco da conversa. – Então diga logo.

– Vocês estão sentadas?

– Não, não, Dorcas... Estou flutuando. - Lene revirou os olhos.

– Você me entendeu. - Falou fazendo bico.

– Anda logo com isso, Doe! - Exclamou Lily sentando-se ao lado de Marlene na cama da mesma.

– Tudo bem, lá vai: As Esquisitonas acabaram de marcar um show, totalmente de última hora, e adivinham aonde vai ser? Em Hogsmead! - Exclamou animada fazendo as outras duas pularem da cama gritando freneticamente.

Vamos deixar algumas coisas bem claras antes de tudo:

1. Lily Evans, Marlene McKinnon e Dorcas Meadowes, são melhores amigas.

2. Elas são bruxas.

3. E além disso, são as maiores fãs de As Esquisitonas que já pisaram em Hogwarts.

– Você tá de brincadeira?! - Exclamou Marlene ainda gritando.

– Não! Santo Merlin, nós precisamos mesmo ir nesse show! - Falou animadamente.

– É quase que uma necessidade básica, do tipo comer e... Outras coisas ai. - Lily disse parando de pular e respirando fundo.

– Isso é melhor do que ser aprovada em Poções! - Lene disse rindo.

– Exatamente! - Dorcas concordou.

– Dá para vocês fazerem silêncio? Tem gente querendo dormir. - Alguém falou de uma das camas chamando a atenção de todas as meninas que se viraram para lá.

– Ai, Merlim! Nos desculpe, Alice... Não fizemos por mal. - Lily falou envergonhada.

Alice Pierce, aluna do sétimo ano assim como as garotas, companheira de quarto das mesmas e atualmente uma vítima dos ‘ataques de fã’ das três meninas.

– Okay, mas agora... Quietas! - Resmungou virando-se para o outro lado.

– Vocês têm ideia do quão incrível isso é? - Lily sussurrou. - Tipo: Uau.

– Faz mais de um ano que As Esquisitonas não fazem shows por aqui. Quando custam os ingressos? - Marlene perguntou ansiosa, falando o mais baixo que pôde.

– Essa é a má notícia. - Suspirou, Dorcas. - Os melhores lugares custam oitocentos galeões.

– Oitocentos galeões? Isso um absurdo... Quer dizer, são As Esquisitonas, mas eu não tenho tudo isso! - Lily disse.

– Nem eu, e olha que ganho uma ótima mesada. - Comentou Lene. - E os lugares mais baratos, quanto custam?

– Duzentos galeões, mas você provavelmente terá que aguentar os vendedores de sapos de chocolate gritando na sua orelha, os fantasmas te atravessando a cada dois segundos e uma dúzia de velhas remelentas e mães irritantes que foram acompanhar seus netos e filhos, reclamando que o som está muito alto quando ele nem mesmo chega até onde você está.

– Isso é um absurdo. - Lils falou jogando-se na cama e resmungando como um bebe.

– Eu sei. - Doe suspirou desanimada.

– Por que, mesmo sabendo desse preço terrível, você nos contou sobre o show, Dorcas?

– Vocês sempre têm ótimas ideias, achei que fossem pensar em algo para conseguirmos esse dinheiro.

– Nós três juntas gastaríamos dois mil e quatrocentos galeões, só iríamos conseguir isso em uma semana se roubássemos o Gringotes, o que é humanamente impossível.

Dorcas e Marlene sentaram-se ao lado de Lily.

– Então já era, né? Não tive nem mesmo tempo para esfregar na cara da minha prima metida que eu iria ao show das Esquisitonas e ela não. - Lene fez bico. - A não ser que...

– A não ser que... - Lily sentou-se incentivando a garota a falar.

– Não acho que vocês vão gostar muito do que eu acabei de pensar.

– Fale logo! - Dorcas praticamente implorou.

– Bem, nós precisamos arrecadar dinheiro...

– Certo. - Doe assentiu.

– E estamos solteiras...

– Eu não vou me prostituir! - Lily exclamou alto demais.

– Hey! - Alice resmungou da sua cama.

– Nos desculpe de novo, Lice. - Lily pediu envergonhada enquanto a outra se revirava e soltava um resmungo inaudível antes de voltar a dormir.

– Voltando... Eu não vou me prostituir! - Exclamou novamente, abaixando o tom de sua voz.

– Eu não ia sugerir isso... Nunca. Mas eu estava pensando em uma coisa... Digamos assim que seria uma: Barraca do Beijo.

– Barraca do Beijo? - Lily perguntou.

– É, você sabe muito bem, os trouxas fazem...

– Eu sei, eu sei... Mas não vou me sujeitar a beijar não sei quantos garotos, mesmo que seja para ir ao show de As Esquisitonas.

– Mas, Lils...

– É Lily, o que tem de mal? - Dorcas perguntou.

– Doe, amiga querida... Você não entendeu o que é uma barraca do beijo?

– Não exatamente.

– Você fica lá e recebe dinheiro dos meninos para beijá-los, independente de quem sejam eles.

– Isso é sério?

– É?!

– Então eu não concordo. - Dorcas falou.

– Eu dou um jeito do Remus entrar na sua fila. - Marlene tentou suborná-la.

– Eu topo! - Disse imediatamente.

– Mas...

– Nada de "mas" dona Lily, a maioria sempre vence. - Lene disse animadamente.

– Certo, mas eu juro que um dia isso vai ter volta.

13 de Setembro, 15:45hs - Corredor Vazio... Quer dizer, agora nem tão vazio assim.

Uma barraca montada, um cartaz gigante escrito "Barraca do Beijo!" e três belas garotas... Não seria algo tão engraçado se elas não fossem Lily, Marlene e Dorcas – principalmente a parte de Lily e Dorcas, porque de Lene se esperava quase tudo –, mas ao menos aquele plano maluco estava dando certo.

– Daqui a pouco Dumbledore aparece aqui para acabar essa coisa toda. - Lily falou dispensando o menino que estava parado bem na sua frente.

– Eu sei, mas até lá já devemos ter consigo todo o dinheiro necessário. - Marlene falou.

– Também, estamos cobrando de doze a dezessete galeões por garoto. - Dorcas comentou.

– Não reclamem, logo estaremos no show de As Esquisitonas.

– Mas até lá, Lene, eu ficarei sem meus lábios. - Lily revirou os olhos enquanto continuava o seu nada interessante "trabalho". - Próximo. - Chamou suspirando. - Ah não!

– Olá, Lírio. - James Potter falou dando o seu melhor sorriso.

– Lene... - Lily virou para a esquerda e viu Marlene definitivamente agarrando Sirius Black. - Droga! Doe... - Do lado direito, Dorcas se escondia debaixo da bancada esperando que Petter Pettigrew desistisse de ficar na fila. - Argh! Olha Potter, se você puder parar de brincadeira e sair da fila, eu agradeceria muito.

– Nada disso Lírio, eu li muito bem a placa onde vocês dizem que atendem qualquer um.

– Você entendeu completamente errado, Marlene "Corajosa" McKinnon beija qualquer um, eu beijo quem eu achar que devo.

– Mas se isso é uma barraca do beijo, não deveria ser desse jeito, você não concorda?!

– Só saia da fila. - Lily revirou os olhos.

– Acho que não. - Ele ficou ali parado sorrindo maliciosamente para a ruiva.

– Marlene, tem como resolver isso aqui? - Pediu para a amiga.

– Resolver o que? - Perguntou finalmente largando Sirius.

– O Potter não quer sair da fila.

– Você já beijou ele?

– Não, e nem vou.

– Lily!

– Dorcas estava fugindo do Pettigrew!

– Isso é totalmente diferente. - Marlene disse rindo. - Coitadinha dela.

– Não é diferente, não.

– Claro que é, agora vai logo com isso, ainda precisamos de mais...

– Cento e vinte galeões. - Falou Dorcas que acabara de se levantar para ver se a barra estava limpa.

– Exatamente! E a monitora da Corvinal acabou de passar ali no fundo com uma cara não muito feliz, o que provavelmente quer dizer que ela foi atrás do Dumbledore.

– Que droga! Quem mandou você beijar o namorado dele? - Lily repreendeu-a.

– Tecnicamente nós não estávamos namorando. - Sirius se defendeu.

– Calado! Pode me dar esse dinheiro aqui Potter.

– E quem me garante que você não vai fugir com o meu dinheiro assim que eu te entregar ele?

– Então você não confia em mim, James Potter?

– Não quanto a isso. - Ele riu.

– Vamos lá, James. - Ela implorou fazendo bico.

– Você me chamou de James?

– De veado é que não foi. - Revirou os olhos.

– Seu amor me deixa comovido, Lírio. - Falou lhe entregando o dinheiro.

– Tudo bem. - Ela ergueu-se nas pontas do pé, segurando o rosto do garoto e dando um selinho rápido do mesmo.

– Você chama isso de beijo, Lily Evans?

– De abraço que não chamo, não é mesmo?! - Sorriu vencedora.

James então resolveu reverter o jogo, afinal, um maroto nunca é enganado. Ele inclinou-se levemente para frente como se fosse sussurrar algo e lentamente levou sua mão até o rosto de Lily puxando-a repentinamente para si.

E bem... James Potter definitivamente beijou Lily Evans. E que beijo, heim produção! Ela precisava admitir que todas as garotas iludidas com as quais ele já havia ficado não estavam mentindo quando diziam que ele tinha... Bem... Pegada?!

“Qual é o meu nome mesmo?”, a ruiva pensou por alguns segundos, um tanto quanto desnorteada.

– E eu apresento para Hogwarts, o primeiro e inédito beijo Jily! - Marlene gritou rindo e chamando a atenção de todos para o beijo do casal.

O que ela recebeu em troca? Um gesto um tanto quanto indecente de Lily.

– Também te amo, querida. – Falou o mais alto que pôde para se sobressair aos assovios dos outros alunos.

Lily se separou de James tomando fôlego e com uma vontade imensa de gritar, meio que para si mesma, ou algo assim: “Quem mandou vocês virem voar bem no meu estômago, borboletas idiotas? Ai não é lugar para malditos insetos do amor!”, o que significava que ela definitivamente estava surtando.

– Isso, foi um beijo. - Ele falou encarando-a a espera de um belo tapa.

– Percebi... Ér... Então...

– Você quer ir à Hogsmead comigo esse fim de semana? – O rapaz perguntou aproveitando o momento de confusão da garota.

“Não aceite!”, uma vozinha dizia dentro da cabeça da menina.

– É, pode ser... Mas vai ter que ser depois do show das Esquisitonas. - A ruiva falou finalmente sorrindo.

“Para de sorrir!”, a voz interior disse, sendo mais uma vez ignorada por Lily Evans.

– Então nos vemos lá.

E bem, se Lily já estava ferrada mesmo, iria completar o pacote.

– Até lá, James. – Ela disse puxando-o para um beijo rápido e deixando assim, James Potter,sem reação pela primeira vez em todos aqueles anos.

– Lindos! - Marlene e Dorcas gritaram simultaneamente.

– As Srtas poderiam me explicar o que está acontecendo aqui?

As três viraram dando de cara com Dumbledore, que não parecia tão feliz quanto a ruiva.

– Droga. – Lily sussurrou sem ainda conseguir tirar o sorriso de seu rosto.

“O que deu em mim? Paralisia facial?!”, pensou revirando os olhos.

Mas no final de tudo, parece que a ideia da barraca do beijo não havia sido tão ruim assim, afinal, elas conseguiram dinheiro para o show, Lily arrumou um encontro e as três acabaram com... Uma detenção, mais isso não vem ao caso agora.

Inimigas: Lutam para roubar o seu quase namorado, ou algo assim.

Colegas: Parabenizam ou ignoram o seu novo e maluco relacionamento.

Melhores amigas: Cantam "James e Lily sentados debaixo de uma árvore se B - E - I - J - A - N - D - O..." enquanto vocês vão sendo levadas para a sala do diretor, e é claro, durante todas as horas seguintes.



Notas finais do capítulo

LEIAM AQUI POR FAVOR!
Antes de perguntar se gostaram, eu queria saber, o que acham de um bônus com o encontro da Lily e do Jay? Se quiserem, posso encaixar depois desse, antes do cap. Blackinnon. Me digam o que acharam dessa ideia e do capítulo, okay? Okay.
Beijoos, Scar.