Destination escrita por Sah, Mary Kazuto


Capítulo 11
Aventuras no shopping paquerando o whisky


Notas iniciais do capítulo

OIEEEEEE!! gente aqui é may-cha e eu voltei com o próximo capitulo tutts tuts tuts tuts kkkkkkkkkkkkkkkkkk
esse aqui seria um especial só que a gente pensou bem e resolveu fazer assim pois é
eu fiz essa primeira parte escutando adele ( só pra vocês terem ideia de como ta dramático porque tipo adele-oi?)
rsrsrsrsrs, não é obrigatória ouvir por isso que não tem o link pois realmente não é obrigatório.
Quem tem conta no A.S e está achando estranho o fato de que lá só tem até o cap 7 é porque eu estou sem tempo para ficar indo daqui pra lá mas eu vou postar os outros prometo!
sem mais delongas VAMOS LEEER
P.S eu não coloquei a kat criança porque a primeira pessoa a comentar pediu o matt pequeno, fazer o que né?



Em um quarto no internato half moon school uma garota de cabelos estranhamente vermelhos e olhos violetas que eram motivo de estudos frequentes com cientistas (que acabaram chegado a conclusão que eram anomalias genéticas) se encontrava deitada de bruços na cama toda enrolada e com expressão de... bem, nada.

– KAT, ABRA A PORCARIA DESSA PORTA SE NÃO QUISER QUE EU A ARROMBE!

– ...

– KATERYNI LENIOR ABRA A-G-O-R-A!

– ...

– humph, é assim que você trata seu melhor amigo é? O que aconteceu....hein?

– ...

– tudo bem então.

Matt entra no quarto ao lado do de kat a garota nem protesta quando ele diz que precisava entrar lá urgentemente apenas fica o olhando enquanto o mesmo escalava sua janela com cara de como kat diria “ CNC, cadelas no cio”. Matt pula da janela do quarto da menina pra janela do quarto de sua amiga ruiva, à abre e entra.

– vai me dizer agora o que aconteceu pra você faltar todos os períodos de manhã?

Em resposta a sua pergunta kat apenas põe o travesseiro em cima de sua cabeça. Matt revira os olhos e se joga na cama dela a abraçando pela cintura, ela se aconchega em seu peito que era uma mania que tinha desde criança quando ele a abraçava.

– vamos lá ruivinha conte pra mim vai?!

Kat tira o travesseio do rosto e o encara, os olhos violetas começando a ficar encharcados junto das bochechas já coradas e o nariz vermelho, ela abra a boca pra falar mas o que sai é um soluço e em seguida as lagrimas começam a deslizar pelo rosto. Matt suspira e a abraça mais apertado e ela enterra seu rosto em seu pescoço. Já acalmada se deita pra cima as lágrimas ainda descendo, matt não é louco de olhar dentro do olhos dela, kat sempre transmitiu todas suas emoções mais pelos olhos do que com palavras e era tortura pra qualquer ser humano que se prese olhar dentro de seus olhos onde só havia sofrimento.

– F-f-foi hoj-je, -funga secando o rosto e controlando a voz- foi nesse dia que minha mãe desapareceu/sumiu/morreu embora eu prefiro pensar que ela apenas sumiu...

– há, então foi por isso que você faltou?- pergunta a aconchegando mais em seu peito-

–ahan, mas também porque eu estava desesperada.

– por quê?

Ela o encara pela segunda vez desde que entrou e ele desvia os olhos, kat sorri melancolicamente e inconscientemente sua mão vai ate seu colar que repousava em seu pescoço. Começa a falar

– matt, você tem pais assim como Dylan, eu? não tenho ninguém, só uma madrasta desgraçada que parece que tem como objetivo na vida fazer da minha vida um inferno, esse colar é a única coisa que eu tenho, que posso afirmar que já tive momentos felizes na vida, e ele, aquele energúmeno se achou no direito de tirar isso de mim, isso é a única, a única coisa que eu tenho que posso dizer que já tive uma mãe e um pai, a única coisa que posso dizer que já tive uma família, a única lembrança deles, não tenho fotos porque Vivian as queimou, muito menos os cartões de natal que eu tinha guardado de minha infância, ela os destruiu, apenas esse colar, é o que eu tenho , o colar é a única coisa que eu posso me agarrar, ele me faz pensar que minha mãe ainda está com migo e quando eu saí do banheiro e não o vi, não achei...

As lágrimas voltam com força, ela revivendo os momentos de agonia que passou, aperta a camisa de matt com força procurando forças pra voltar a falar, ele não faz nada, apenas deixa ela desabafar

– pensei... aiai, foi como se eu sentisse que meus pais não estavam mais comigo! Então, eu fiz o que Dylan pediu e eu não consigo esquecer-se do que eu passei quando percebi que ele não estava mais lá, eu sequer lembro-me dos rostos dos meus pais, só um sorriso ou uma mecha de cabelo, nada mais, o colar é muito especial pra mim, e-eu...

Ela não termina e desaba a chorar no peito de seu amigo enquanto ele lhe acariciava os cabelos, matt nunca iria poder firmar que entendia completamente os sentimentos de sua amiga com relação aquele colar mas podia dizer que se compadecia e... há, como ele trocaria de vida com kat sem nem pensar só pra ver ela não chorar, tudo era injusto com ela, se perguntava se algum dia as dores e tristezas iriam para na vida de sua pequena, odiava os pais dela com todas as suas forças, odiava porque eles foram embora, sumiram deixaram-na a mercê da própria sorte com aquela infeliz de vivian e o que kat fazia? Os venerava, era por isso que não compreendia mas do pouco que conheceu dos pais dela podia dize que eles a amava e por isso e apenas por isso nunca disse o que achava pois sabia que iria magoa-la então apenas ficou ali, alisando os cabelos dela.

– Eu sempre lhe perturbo não é?

Ela pergunta depois de alguns minutos

– sim , você sempre me perturba.

Fala com uma falsa seriedade, ela ri e ele sorri feliz, uma ideia borbulhava em sua mente. Seu objetivo de hoje seria tirar kat do poço

– desculpe, mas não tenho a quem mais recorrer, pode ir agora estou melhor.

E então se solta dele e se enrola nas cobertas.

– queridinha você por uma acaso acha que eu tenho probleminha é? Eu nunca te deixaria sozinha aqui, você vai sair com migo, nós vamos as compras!

Cantarola a última parte, kat o olha como se ele fosse um ser de outro planeta

– que foi? Eu sei que sou muito gato mas não precisa me olhar assim

Ela revira os olhos e fala

– eu não vou as compras matt

– claro que vai

– não vou

– vai sim

– eu tenho que sentir minha dor!!!!

– a querida ninguém disse isso

– “ a dor tem que ser sentida”

– recitar a culpa é das estrelas/ uma aflição imperial não vai fazer com que eu mude de ideia, nos vamos para as compras e vamos agora!!!! Va se vestir kateryni !

– já disse que eu não vou e pronto!

Kat volta a se esconder atrás do travesseiro, um sorriso diabólico vai surgindo no rosto de matt, ( N.A- ha kat, eu tenho tanta pena de você, muahahahahahahaha)

– tudo bem então

Ela não diz nada e continua em sua posição, matt se vira calmamente e anda em direção ao guarda roupa dela, abra a primeira gaveta e ...

– hum, não sabia que você tinha fio dental, há! – leva a mão a boca fingindo surpresa- é de rendinha... preta, acho que Dylan ficaria feliz em, na verdade bastante feliz em receber isso, hum hum! Realmente bastante feliz

Kat tira o travesseiro do rosto e o encara mortalmente

– você não seria capaz!

Ele arqueia a sobrancelha e a olha com um brilho perigoso nos olhos e com seu sorriso intacto no rosto

– quer apostar mon cher?

–------------------------------------------quebra de tempo---------------------------------------------

– sorria kat, que eu saiba garotas depressivas ficam bem quando vão as compras.

Ela o encara envesada

– sério matt? Serio mesmo? Eu acho qu...

Kat não termina a fala porque seus olhos batem em um urso enorme dourado meio amarelo queimado e super fofo

– o que dizia?

Ela desvia os olhos, não contaria para aquele garoto que chamava de amigo que tinha gostado daquele urso, não mesmo, ele ia se achar dizendo que estava certo.

– nada de importante vamos!

Haa, mas matt conhecia aquela menina mais que ela mesma e tinha visto os olhos violetas retornarem o pouco de brilho que tinha quando eles viram o urso e por isso andou calmamente em direção a loja, comprou e mandou entregarem no dormitório feminino quarto 203

– matt- ralha ela irritada- aquele urso era super caro você não precisava comprar ele!!!!! Você sabe que até o fim dos nossos dias eu irei batalhar pra pagar ele não é? Matt escute bem...

E ela continua falando mas ele apenas ria e em sua mente a única coisa que ele ouvia era BLA BLA BLA BLA, mas então ele para de andar e fica encarando um ponto atrás dela, confusa kat pergunta

– porque paramos?

Então se vira e vê o que tanto matt olhava, um vestido lindo com uma fenda na perna, a cor dele começava no azul celeste, azul royal, azul claro e por diante até chegar no preto, tinha um decote em V e uma rosa azul repousava no final dele ( do decote), a partir da rosa uma “explosão de azul escuro se sobrepunha ao azul celeste do busto, o vestido era simplesmente...

– lindo

– é lindo

– quer que eu compre pra você?

Matt pergunta

– não, ele é realmente muito bonito só que eu não tenho onde usar!

– tem certeza? Você não foi convidada para ir a nenhum lugar? Se não foi, essa é uma desculpa perfeita para que eu não fique segurando vela no encontro que Dylan vai ter com a namorada e quer que eu vá, você vira minha acompanhante!

– pensando bem, tenho sim, conheci uma senhora muito simpática que me chamou pra jantar em sua casa amanha, ela ligou pra mim semana passada!

– e como você já esta aqui há quase um mês e não me fala que conheceu uma suposta senhora muito simpática?

Ela revira os olhos e fala

– compre meu vestido e o fato de que você comprou o suposto urso super caro está perdoado.

Matt entra na loja resmungando algo como, garotas estranhas que distorcem informações.

Depois que compram o vestido voltam a andar pelo shopping.

Quando kat lembrou de verônica acabou lembrando de suas amigas que tinha deixado pra trás e lembrou de vivian e depois lembro de seus pais e agora se encontrava novamente com sua áurea triste, matt revira os olhos e diz

– você esta parecendo aquelas mulheres depressivas que são traídas pelos maridos... ei, já sei!

– o que?

– nos vamos comprar vodca!

– nos não vamos comprar vodca!

– vamos sim!

– não

– sim

– não

–sim

– não

– sim

– não

– esta bem então.

–-----------------------------------------------quebra de tempo----------------------------------------

– Eu não acredito que estamos fazendo isso!

– pois acredite!

– eu não vou fazer isso.

– você vai

– eu não vou.

– há sim, você vai!

– eu.não.vou

Matt arqueia a sobrancelha e grita em seguida

– MEU AMOOOOOR! HÁ QUANTO TEMPO- olhando para a garrafa de vodca-eu estava tão deprê que você nem imagina- com a garrafa de vodca na mão- em todos os momentos você esteve com migo! Quando o Josh me traiu quem estava lá para eu chorar no ombro? Você

– Quando eu voltei há ser heterossexual e descobri que minha namora era lésbica e estava comendo minha amiga quem estava lá me ajudando a dar garrafadas em suas cabeças? Você!

– quando eu descobri que reprovei no último ano da faculdade e não ia ganhar diploma quem estava la quem? Você.

Entao matt começa a girar a garrafa no ar e beija-la enquanto kat olhava assustada para os lados onde várias pessoas assistiam a cena

– eu não o conheço, é sério, ele é um completo estranho.

repetia a coitada

– e agora novamente, snif- seca uma lágrima imaginaria- você está aqui e hoje irá celebrar com migo e minha melhor amiga aqui-aponta pra kat- o fato de que finalmente vamos sair da seca UHUUUUUUUUUUUUULLL

Então kat morta de vergonha começa a arrastar um matt com crises de riso segurando uma garrafa de vodca na mão em direção ao balcão

– matt eu juro que nunca mais, nunca mais mesmo irei sair as compras com você, que tipo de ser humano faz uma coisa dessas me diga?!?!?!?!?!?!

– EEUUUUUUUU! HAHAHAHAHAHAHAHA

– idiota! Moça, duas garrafas de vodca, duas de marguerita e um vinho 1900 há e duas latinhas 51.

A moça do caixa nem sequer pede a identidade apenas busca as bebidas pedidas e passa as compras e em seguida fala com voz monótona

– Próximo!!!

– vamos logo seu paspalho! Minha cota de paciência hoje esgotou!!

Ele ri baixinho enquanto guardava as compras e saia do shopping com o carro.

– pelo menos você não está chorando então eu considero minha missão feita!

Ela o fuzila com os olhos enquanto colocava o cinto

– da próxima vez fale pelo menos que preferia uma garrafa de vodca a uma cosplay da Gisele Bündchen na sua cama!

– kkkkkkkkkkkk até seu senso de humor está péssimo kkkkkkkkkkk

– idiota!

– eu nunca trocaria uma Gisele da vida por uma garrafa de vodca!

Kat o encara confusa

– não?

– claro que não, trocaria por duas garrafas mas primeiro tiraria uma casquinha!

Sorri malicioso. Kat o encara de olhos esbugalhados e grita

– HENTAAAAAAAAAAAAI!

Matt começ rir de novo, kat se recompõe e continua.

– humph. Pelo menos eu tenho minha 51 para substituir os cavalheiros falsos de hoje em dia e uma marguerita serviria perfeitamente para substituir os homens tarados !

– de deprimida você passou pra revolts foi?

– Pelo menos não foi eu que a namorada trocou pela melhor amiga.

– touche mon amour!

Diz matt sorrindo enquanto olhava kat pelo retrovisor, o sinal se fecha e os dois se encaram

3

2

1

– KKKKKKKKKKKKKK/KKKKKKKKKKKK



Notas finais do capítulo

Gente o cap ficou com mais 2.000 palavras, foi mal pra quem não gosta é porque tinha muita informação que eu tinha que inserir se não nos próximo vocês não iriam saber como chegou aquilo-wat?
Minnaaaaaaaaaaaa o matt criança é tãããããão fofo! a kat também é mas eu prefiro o mattew!
agora vamos ver o que vocês querem, nos próximo 4 capitulos vocês vão escrver nos comentários as letras que querem, tem que ser nos 4 capitulos seguido, se não colocarem eu não ponho nenhuma foto! quem sai perdendo são vocês! MUAHAHAHAHAHAHA,
mas é sério, vocês tem que colocar o que preferem viu? daí ganha a maioria kkkkkkkkkkkkkk desculpem pela chantagem sério de coração, só que não kkkkkkkkkkk
a)Dylan
b) Matt
c) Kat criança
p.s.s- eu não recomendo bebidas para ninguém!!!! mas é porque foi assim, eu fui visitar a mari la onde ela mora (não magina) dai a mãe dela ia fazer a feira e chamou agente pra ajudar, e tipo tava tudo monótono lá no super mercado dai em algum momento eu e a mari paramos em frente as prateleiras de bebidas, eu fiquei encarando as bebidas enquanto mari pedia pra gente sair de lá ( medrosaaaaa) dai eu peguei aquelas latinha 51 e comecei a falar coisas como " você lembra quando agente bebeu isso? deu vontade de colocar meus rins pra fora" dai depois eu peguei o whisky e falei " isso aqui que é um namorado de valor, sempre esta com você em todos os momentos" ai eu comecei a falar as coisas que matt disse e tipo todo mundo ficou olhando dai a mari ficava gritando " NÃO AGENTE NUNCA BEBEU ISSO, NUNCA MESMO, quer dizer EU NÃO CONHEÇO ESSE SER" e depois ficou toda envergonhada dai muita gente tava passando e a mãe dela chegou e perguntou o que tava acontecendo dai eu falei " estou namorando com o whisky" ela começou a rir e levou agente embora, e enquanto eu e a mari andávamos essa ideia surgiu, eu riu até hoje quando eu lembro da cara dela kkkkkkkkkk
bjs e até o próximo



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Destination" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.