Light Of Darkness escrita por lininhaaa


Capítulo 9
IX - Tempo




Capítulo 9 - Tempo

 

Dois meses depois...

 

 

Há exatos sessenta dias o pesadelo de Sasuke começara. Dia após dia, a culpa lhe pesava nos pensamentos. Naruto perdeu a conta de quantas vezes seu amigo repetiu a frase "A culpa foi minha...” em meio as poucas conversas que tinham.

Sasuke afundou-se no trabalho da Hyuuga’s Company e acabou por conseguir a confiança de Hiashi. Mal sabia o Hyuuga que a dedicação exagerada do Uchiha tinha nome e sobrenome: Haruno Sakura.

Hinata passava mais tempo no hospital do que de costume. Além da tristeza, a agonia em relação à falta de resposta de Sakura, fazia a morena perder pouco a pouco suas esperanças. Se Naruto não estivesse ao seu lado a apoiando e lhe dando forças, já teria se entregado.

Assim como todos, o Uzumaki sofria com tudo aquilo. Era difícil ligar para Hinata e ouvir um “Continua em coma...” quando o assunto se desviava para Sakura.

 

 

~*~


 

Concentrado em seu projeto, Sasuke estava a quase 6 horas trancada na sala de projetos da empresa. Pediu para não ser incomodado por ninguém, exceto por Hiashi.

O cesto de lixo no canto da sala estava cheio e alguns papéis teimavam em cair no chão da sala. Sasuke perdeu a conta de quantas vezes amassou as plantas do Hall da empresa. Nada estava bom e tudo o que fazia parecia não ser o suficiente.

Sasuke desistiu quando todas as folhas de papel da prancheta se esgotaram. Estava exausto mas não queria parar. Precisava manter sua mente distraída, assim seus pensamentos não vagariam para aquele maldito quarto de hospital.

- Sasuke-san, Hiashi-sama disse para o senhor ir almoçar... – murmurou uma senhora no batente da porta da sala. – Já passaram quase duas horas do seu horário de almoço.

- Estou sem fome, Mika... – respondeu com a cabeça apoiada nas mãos.

- Hiashi-sama não vai gostar de ser desobedecido. Ele preza muito pela saúde dos funcionários... se não quer almoçar, pelo menos saia para tomar um ar fresco!

Sasuke fitou a mulher e assentiu. Não estava com um pingo de paciência para ouvir sermões, principalmente de Hiashi.

- Já estou indo... – resmungou.

Assim que a mulher se retirou, Sasuke verificou se estava com a sua carteira e pegou o celular da mesa de projetos. Seguiu até o elevador da empresa e quando menos esperou, encontrava-se no andar térreo da Hyuuga’s Company.

Dirigindo-se para fora do prédio, atravessou a rua e entrou no “Ichikaru Café”. Acomodou-se em uma das mesas do lado de fora do modesto café e quando estava pronto para pedir, sentiu seu celular vibrar.

- Alô?!

- Uchiha Sasuke?! – Uma voz grave perguntou e Sasuke respondeu com um desanimado “Uhum”. – Aqui é Kisame, da Akatsuki Imobiliária...

- Ah sim... o quê deseja!?

- Acho que encontramos o apartamento que procurava! Ele é localizado próximo da Hyuuga’s Company como o senhor desejava... e por incrível que pareça está com um ótimo preço!

- Hum... – resmungou.

- Ainda está interessado?!

- Quando poderei vê-lo?!

- Hoje mesmo! Na verdade, estarei indo lá dentro de meia hora...

Sasuke pensou um pouco. Não estava com um pingo de fome e aproveitaria sua uma hora e meia de almoço para conhecer sua, talvez, nova moradia.

- Estarei aí em quinze minutos! – Respondeu.

 

~*~

 

Como previsto, Sasuke encontrou-se com Kisame na Akatsuki Imobiliária e seguiram para o tal apartamento. Realmente ele ficava bem próximo à empresa de Hiashi, facilitando sua vida. O local era bem agradável e aconchegante. Para algumas pessoas poderia até ser pequeno, mas não para o moreno... Tinha o espaço perfeito para suas coisas!

- A vista também é agradável, Sasuke! – Comentou Kisame de frente para a janela do apartamento.

- Uhum... – murmurou desinteressado, passando seus olhos por toda a sala do apartamento. – Quanto ficará o aluguel?! É um apartamento bem localizado... não deve ser barato!

- Realmente, mas preciso discordar de você Sasuke! Por incrível que pareça, o aluguel está bem barato... apenas cento e cinqüenta dólares mensais!

- Nani?! – questionou incrédulo.

- A moça que colocou-o para alugar disse que era por problemas familiares... Por enquanto será apenas um contrato temporário... – comentou ainda perdendo-se na paisagem. – E então, ficará com o apartamento?!

- É óbvio! Quando posso assinar os papéis e todo o resto?!

- Hoje mesmo! – respondeu Kisame. – Vamos voltar para a imobiliária e podemos acertar toda a situação. Amanhã mesmo poderá se mudar! – sorriu.

- Ótimo!

~*~


 

Sendo ignorada por tudo e por todos, Sakura vagara por dias naquele hospital acompanhado de Lyn. A pequena apesar de não entender sua “situação atual” tornou-se sua companheira inseparável.

Porém, quando a menina se viu deitada na cama do hospital, pôs-se a chorar e fazer perguntas para a rosada. Perguntas que ela também tinha e não sabia das respostas.

Sakura era apaixona por medicina, mas ficar naquele hospital estava se tornando um verdadeiro inferno. Era ignorada por todos, exceto por Lyn, e aquilo realmente começava a lhe irritar.

Por diversas vezes, pensou em como seria se tivesse morrido no acidente. Talvez nem sua irmã e nem ela, estariam sofrendo tanto!

- Eu não agüento mais!

~*~


 

Hyuuga’s Company – 19:00

 

 

Sasuke estava trancado na sala desde às 15:30. Seu expediente tinha acabado havia pouco mais de meia hora, o que chamou a atenção de Hiashi.

- Entre... – grunhiu o Uchiha ao escutar duas batidas na porta.

- Uchiha? Por que ainda está aqui? – perguntou o Hyuuga parado na porta. – Seu horário já acabou...

Sasuke apenas suspirou pesarosamente. Nem havia notado que já deveria estar em casa.

- Eu não percebi!

- Você anda bastante distraído, Uchiha! Algum problema?

- Estou de mudança... – mentiu. – Estou morando na casa de um amigo e estava procurando algo mais perto da empresa. Por sorte, achei um apartamento para alugar!

- Aham... – comentou Hiashi desinteressado. – Não vim falar com você sobre isso. Na verdade, percebi que anda bastante empenhado no trabalho, até demais na minha opinião. Não posso negar que está fazendo um excelente trabalho, mas acho que todos precisam de um descanso, inclusive você. Como você está mais que adiantado com o seu trabalho, aproveite esse resto de semana e arrume tudo o quê precisa!

- Tem certeza?!

- Absoluta! – respondeu o chefe confiante.

Sasuke suspirou e levantou-se. Quem dera se todos os seus problemas fossem resolvidos em alguns dias.

Dando um aceno discreto para seu chefe, deixou o recinto e encaminhou-se para o estacionamento para pegar seu carro que comprara há alguns dias. Sabia exatamente onde iria agora...

~*~


 

Sasuke estacionou o carro em frente ao enorme prédio branco e fitou-o. Precisava tomar coragem para entrar ali depois de mais de dois meses, além de contar com a sorte. Talvez se Hinata estivesse de plantão, ela deixasse que Sasuke visitasse Sakura.

Suas pernas mexeram-se por si só e quando menos esperou, encontrava-se em frente à recepcionista do hospital.

- O quê deseja?

- Gostaria de falar com a doutora Hyuuga Hinata.

- Sinto muito, mas ela está de plantão... – respondeu verificando um papel com alguns horários. Provavelmente era ali que ficavam todos os horários dos médicos plantonistas. – Seu plantão acaba às seis da manhã!

Sem dizer nada, Sasuke deixou a recepcionista falando sozinha. Já que ela sequer informara sobre onde Hinata estava de plantão, ele mesmo procuraria.

Sasuke começou a vagar pelos corredores vazios do hospital, procurando por uma médica de cabelos azulados e olhos cor de pérola. Por sorte, viu exatamente a pessoa que procurava sentada numa das cadeiras da recepção quase deserta do hospital.

Hinata parecia completamente distraída enquanto olhava para as próprias mãos e sorria tristemente.

- Hinata! – Com um supetão, Hinata procurou o dono da voz alta que ecoou por toda a recepção. Encontrou Sasuke andando apressadamente ao seu encontro. – Que bom que te encontrei! – Exclamou acomodando-se ao lado da morena.

- Sasuke-san, o quê faz aqui?! – Perguntou surpresa. – Q-quer dizer... Desde que a Saky-chan está em coma... – Hinata tentou procurar as palavras certas, mas não as encontrava. – Desde aquele dia... você entende, não é?!

Ele apenas concordou com um aceno de cabeça e fitou a futura esposa do melhor amigo.

- O Dobe me contou que te pediu em casamento há alguns dias... Fico feliz por vocês!

- Obrigada, Sasuke-san. O Naruto-kun quis tentar me alegrar um pouco com o noivado mas... não é a mesma coisa sem a Saky-chan! – Hinata fitou mais uma vez a mão direita, agora com uma aliança dourada no dedo anelar. – Ela é minha melhor amiga e... – suspirou. – Queria que ela fosse a primeira a saber!

- Entendo... – Respondeu jogando a cabeça para trás e fitando o teto branco. – Posso te pedir um favor?! - Hinata acenou um sim com a cabeça. - Posso vê-la?!

- Eu sinto muito mas o horário de visitas já terminou, Sasuke-san...

- Apenas por alguns minutos, Hinata! – A voz de Sasuke soou como uma súplica, fazendo a morena se espantar. – Por favor...

- Eu não sei... – murmurou para si mesma. Ela sabia que se meteria em problemas e naquele momento, era o que menos queria. Porém, não deixou de notar a agonia de Sasuke ao praticamente suplicar-lhe para que ficasse com ela.

Ele a olhava de canto de olho, esperando uma resposta.

- Hinata..?

- Um minuto e nada mais que isso, Sasuke-san... E teremos que ser discretos! – respondeu.

Ambos se levantaram em um supetão e caminharam até o elevador. Hinata ia mais a frente, enquanto ele andava a passos curtos com as mãos nos bolsos. Por mais que não quisesse admitir, Sasuke tinha medo do que veria.

Os dois entraram no elevador vazio e silencioso. A morena apertou o botão de número oito e aguardou o fechar das portas de metal.

– É incrível como não consegui assimilar o nome a pessoa! – sorriu de forma triste. – Ela sempre me disse que era péssima em nomes...

-  Como assim?!

- Ela nunca esqueceu de você, Sasuke-san... – disse olhando-o curiosa.  – Quando Naruto-kun disse o seu nome, eu sequer consegui deduzir que o você... era você!

- Acho que entendi... – murmurou.

Antes que pudessem dizer qualquer coisa, um barulho anunciou a chegada do elevador ao andar. Ele suspirou pesadamente, enquanto Hinata tomou a frente para guiá-lo ao quarto de Sakura.

Os corredores estavam relativamente calmos para um andar de cuidados intensivos. Não havia sequer médicos ou enfermeiros naquele momento, o que realmente facilitou a entrada de Sasuke no andar.

Poucos passos foram suficientes para os dois chegarem ao quarto com a numeração 443.

- É aqui... – sussurou Hinata. – Entre! Rápido! Eu vou ficar por aqui, caso alguém apareça...

Com um aceno de cabeça, Sasuke concordou e esgueirou-se pela porta entre aberta. Só se deu conta que realmente estava dentro do quarto, quando ouviu a batida, um tanto quanto apressada, da porta atrás de si.

Ele demorou alguns segundos para voltar-se para o leito onde Sakura estava e quando o fez, sentiu apenas um sentimento: medo.

Medo de nunca mais ver os mesmos olhos verdes que o fascinavam. Medo de não ouvir sua voz. Medo de perdê-la para sempre...

Sasuke respirou fundo e posicionou-se ao lado esquerdo da cama. Por um momento, hesitou em tocá-la com medo de machucá-la ou desligar alguns dos fios ligados a ela.

Finalmente tomou coragem e levou uma de suas mãos até o rosto de Sakura, fazendo um discreto carinho nas maçãs do rosto. Acariciando cada milímetro do rosto dela, Sasuke sentiu um aperto no coração...

 

~*~


 

Sakura e Lyn estavam em frente ao vidro do berçário do hospital, contemplando os bebês que acabavam de chegar ao mundo.

- Olha aquele lá, tia Saky! – apontou a pequena para uma das crianças enrolada em um cobertor amarelo. – Ele é lindo...

- Uhum...– murmurou sem escutar ao certo o quê Lyn tinha lhe dito.

Estava farta de ficar naquele hospital, vagando como uma alma penada. Cansou de ficar no quarto, “admirando” a si mesma deitada na cama. Era um verdadeiro martírio ver os dias e as noites passando e não saber se viveria ou morreria.

De repente, sentiu sua face tornar-se mais quente e, involuntariamente, levou sua mão até a maçã do rosto. Sentindo uma vontade imensa de chorar e nem ao menos sabia o porquê.

- Tia Saky..?

Balançou a cabeça algumas vezes e fitou a menina que a olhava curiosa.

- Hum?

- Por que você tá chorando?!

- N-nada, Lyn... não é nada! – Sorriu triste.

Lyn piscou mais algumas vezes, mas acabou por voltar sua atenção para os bebês.

Diferente de segundos atrás, Sakura sentiu um gosto de menta nos lábios e instantaneamente, fechou os olhos.

- Sasuke... – balbuciou.

Era o mesmo gosto que sentia quando o beijava. Suspirando, levou a mão aos lábios como se quisesse sentir aquele gosto pelo resto de seus dias.

“Pensando nele outra vez?! Nem quase morta você consegue esquecê-lo!? Idiota...” Repreendeu-se.

~*~


 

Pouco a pouco, afastou sua boca da dela e a encarou de olhos fechados. Como ele gostaria de poder ver aquelas duas esmeraldas abertas e com um brilho de alegria.

Sasuke antes de afastar-se por completo, levou seu rosto próximo ao ouvido dela e sussurrou:

- Você vai acordar e quando isso acontecer, eu estarei ao seu lado... Não importa quanto tempo demore!

 

 

...Continua...



Notas finais do capítulo

Antes de jogarem tomates e outros alimentos em mim, pensem em duas coisas: nas crianças da África e nos meus reais motivos pelo atraso!
Bom... infelizmente fiquei sem postar por algumas semanas, devido ao meu TCC e por problemas familiares! Peço desculpas, mas não consegui postar antes... Estava totalmente sem tempo. Acordava cedo e dormia tarde! T.T
Sei que ninguém tem nada a ver com isso, mas acho que vcs merecem explicações... Assim como vocês, sou leitora e odeio quando ficam muito tempo sem postar! >.
Espero que tenham gostado do capítulo, porque foi feito com MUITO carinho mesmooo!
Eu queria agradecer muuuito aos reviews e as recomendações feitas por:  Black Cat e Tutfrut. Obrigada do fundo do coração!
 
Críticas/elogios? - Mande um review!
Recomende a fic!
Se quiser me seguir no Twitter: @lininhaaa
 
Ps.: Quem acompanha a fic "Mais do Que Irmãos...", prometo postar o mais rápido possível. O capítulo não está feito, mas estou escrevendo ele nesse exato momento! '
 
Beijooooooooooooos! :**