Light Of Darkness escrita por lininhaaa


Capítulo 7
VII - Desespero




Capítulo 7 – Desespero



Suas mãos estavam suando dentro dos bolsos e Sasuke não acreditava no que estava vendo. Aquela cena não passava de um pesadelo que o moreno torcia cada vez mais para que acabasse.
- Não pode ser ela... – balbuciou para si mesmo.
Os cabelos num tom rosa inconfundível . O mesmo rosto, um pouco mais pálido e com alguns hematomas.
Ele andou a passos hesitantes até ficar ao pé da cama dela. Seus olhos avistaram um prontuário descansando sobre a cabeceira da cama e sem pensar duas vezes, Sasuke o pegou nas mãos, mas não o abriu.
Faltava-lhe coragem para abrir. Não queria ler o que estava escrito ali.
“Covarde...” pensou. Passou por tantas coisas na vida e justo agora estava sendo covarde?! Ele suspirou e antes que desistisse, abriu a pasta de cor prata em suas mãos.
“Haruno Sakura; Acidente automobilístico; Edema cerebral; Coma profundo.”
Os ônix passavam por aquelas palavras, causando cada vez mais choque em seu dono.
Suas mãos começaram a tremer e o prontuário lhe escapou das mãos, caindo aberto no chão. Ele já não respirava e seu coração palpitava freneticamente, como se quisesse sair pela boca. Sasuke só teve forças de recostar-se na parede, sem conseguir desviar seus olhos dela.
- O quê está fazendo aqui? Esse lugar é uma área restrita! – indagou uma enfermeira adentrando o quarto. – Rapaz! Estou falando com você! – ralhou irritada.
Pela primeira vez, ele deu atenção a mulher, mas não escutara sequer uma palavra do que ela dissera.
- Não me ouviu!?
- Ela... – apontou para Sakura inconsciente. – Sakura...
- Vou ser obrigada a chamar a segurança se não retirar-se imediatamente!
Se Sasuke pudesse, teria saído correndo a mais tempo, mas não tinha forças. Sakura tinha esse poder sobre ele... o deixava fraco! O fazia se sentir um covarde.
Sentiu ser empurrado para fora do quarto, mas a olhou pela última vez.
- Vou contar até dez e quando acabar não quero mais te ver, ouviu!? – ameaçou a enfermeira.
Sasuke não soube de onde tirou forças para caminhar até o elevador. Ao ver as portas se fechando, todas as cenas dela vieram em sua mente. Seus sorrisos, seus gestos, sua voz...

Como um zumbi, ele passou por Hinata e Naruto, que estavam sentado na sala de espera.
- Onde você tava? – perguntou o loiro, porém não obteve resposta. – Teme! – Naruto o viu sair pelas portas do hospital.
Sem atender ao chamado do amigo, Sasuke saiu do hospital e pôs-se a caminhar sem rumo pelas ruas de Tóquio.
- O Sasuke-san está bem, Naruto-kun? – perguntou a morena.
- Não sei, Hina-chan... – murmurou. – Não sei...


                    ~*~


Tudo a sua volta estava branco e não se ouvia um barulho sequer. Sua última lembrança era apenas o barulho da freada do carro que vinha por cima do seu. Nada mais que isso...
- O-o que aconteceu? – Sakura esperou uma resposta, mas ela não veio. Continuou olhando em volta, sem entender o que realmente tinha acontecido.
De repente, as imagens pouco a pouco começaram a se formar e quando deu por si, notou estar em um quarto igualmente branco. Diferente de antes, havia um barulho que Sakura reconhecia muito bem: seu marcador cardíaco apitava a cada batida do seu coração.
- Eu sofri um acidente... – concluiu. Era engraçado o fato de não estar sentindo dores ou qualquer outro tipo de desconforto.
Levantou-se normalmente e encaminhou-se para a porta, que estava aberta. Ao olhar para o seu corpo, viu que estava com a roupa que usaria para ir ao barzinho.
- Minha nossa, o barzinho! A Hinata!
– repreendeu-se. – Preciso encontrá-la...
Caminhou a passos rápidos por todo o corredor do hospital. Estava tudo muito quieto, e logo reconheceu o porquê de tanto silêncio. Era o andar da UTI, onde era terminantemente proibido qualquer ruído, por menor que fosse. Parou em frente ao elevador do andar e o aguardou.
- Ela deve estar na emergência... – concluiu.
O elevador demorara demais na opinião da rosada.
- Dane-se, vou pelas escadas! Pobre Hinata! Ela deve estar uma fera comigo... –
Lamentou-se.
Descia as escadas, pulando alguns degraus. Queria logo encontrar Hinata e desculpar-se pelo terrível cano que dera na melhor amiga. Antes que pudesse chegar ao seu destino, encontrou uma criança chorando entre as escadas de emergência. Encolhida em um dos cantos dos últimos degraus, uma menina loira, aparentando não mais que quatro anos, soltava murmúrios baixos e inteligíveis aos ouvidos de Sakura.
Sem pensar duas vezes, a rosada sentou-se ao seu lado.
- Ei, por que está chorando? – perguntou de forma doce.
A menina assustou-se com Sakura tão próxima de si e ficou calada por alguns instantes.
- Por que não me responde, lindinha?

- V-você me vê?
- Claro! – Respondeu, soltando um riso baixo. – Como não veria uma menina tão linda como você? Qual é o seu nome?
- Lyn... e o seu? – perguntou a menina, limpando as lágrimas dos olhos.
- Meu nome é Sakura! Sou médica desse hospital! - Lyn sorriu discretamente para Sakura, que percebeu estar ganhando um pouco da confiança da menina. – Mas você não me respondeu porque estava chorando...
- Minha mãe... ela tá triste! – resmungou. – Eu cai da escada lá da minha casa, e minha mamãe me trouxe para o hospital. E agora, toda a vez que eu vou falar com ela, ela não me escuta e nem liga pra mim!
- Como assim? – Sakura fitou a menina curiosa.
- Acho que ela tá brava porque eu cai, e ela nem me olha quando eu falo com ela... – essa última frase veio em meio a soluços. – Acho que ela não gosta mais de mim...
- Não diga uma bobagem dessas... – repreendeu a rosada. - Em que quarto você está?
- Não sei o número... quer que eu te mostre!? – perguntou um pouco menos chorosa. – Você pode me ajudar!
Sakura meneou um sim com a cabeça, quando uma espécie de estalo a dispertou.
- Hinata! – sussurou.
- O quê você disse, tia Sakura? – perguntou a menina.
Sakura fitou a menina. Antes de qualquer coisa, precisava falar com Hinata e tentar se desculpar.
- Você me espera aqui, Lyn-chan... Preciso falar com uma amiga antes!

- Tá bom... eu vou ficar aqui e te esperar! – Sorriu.
- Ok! Eu já venho... – Sakura deu uma discreta piscadela para a menina, que já se sentara de novo. – Fique aí!
                    
~*~


Quando finalmente saiu das escadas de emergência do hospital, avistou a sala de Tsunade. Correu até lá e entrou de supetão, encontrando a chefe com a cabeça baixa.
- Tsunade! Você viu a Hinata?

A loira jogou a cabeça para trás e fitou o teto, sem responder a pergunta de Sakura. Tsunade levou as duas mãos às têmporas e as massageou, soltando um suspiro pesaroso.
- Tsunade? – Sakura aproximou-se dela e colocou-se frente a frente. – O que foi?
Novamente sem resposta. “ Mais que droga!” praguejou.
Antes de puder fazer qualquer coisa, viu Tsunade olhando exatamente para onde estava.
- Pode entrar, Ibiki! – ordenou-o.
Sakura virou-se e viu Ibiki entrando com um prontuário.
- Tsunade-sama, com licença!
- Como ela está? Alguma resposta? – perguntou a loira quase num sussurro.
- Nenhuma resposta. Continua em coma! – anunciou.
- Quem continua em coma? – perguntou-lhe.
- A irmã dela já chegou! Hinata e o namorado não saíram um minuto do hospital!
Como se ouvisse palavras magias, Sakura desviou seu olhar para Ibiki:
- Ibiki-san, onde a Hinata está?

- Vou com você, Ibiki! – anunciou Tsunade levantando-se.
Os dois passaram por Sakura, sem sequer lhes dar atenção. Novamente, praguejou-se.
- Adoro ser ignorada! – Grunhiu. – Dane-se... eu vou com eles!
Sakura saiu da sala da chefe e os viu, seguindo para o corredor da sala de espera. Apressou os passos e logo, os alcançou mas não disse uma palavra afinal, todos pareceram tirar o dia para ignorá-la.
Tsunade parou bruscamente e fez com que Sakura batesse sobre seu corpo imóvel.
- Droga... desculpe, Tsunade!
– Novamente ignorada, a rosada saiu detrás da médica mais velha e pôde avistar Hinata. Sem pensar duas vezes, saiu correndo ao encontro da amiga, que estava sentada e com a cabeça baixa.
- Hina-chan! – gritou. – Hina-chan, desculpa... eu... – Sakura parou bruscamente ao ver os olhos inchados da amiga, que soltava alguns soluços baixos. – Hinata? O que houve? – Ela agachou-se em frente a morena. – Hina-chan...
- Sakura-chan... – balbuciou Hinata. Por um minuto a rosada sentiu uma alegria enorme. Finalmente alguém não estava a ignorando. – Ela não pode morrer...
- Quem, Hina-chan? – perguntou preocupada.
- Hinata, a Tsunade está aqui! – Sakura levantou a cabeça e pôde ver Naruto, que parecia bem abatido. – A irmã da Sakura-chan acabou de chegar...
- Irmã!? O que a Hana... – Antes que pudesse terminar, Hinata e Naruto retiram-se de perto dela, deixando-a falando sozinha. – Droga!
Sakura andou até onde Hana, Hinata, Naruto, Tsunade e Ibiki estavam. Ela preferiu ficar mais atrás, já que seria ignorava.
- É como se eu não existisse... – balbuciou tristonha.

                    

~*~


Sakura seguiu-os por todo o hospital. Só ficou ao lado deles, durante o percurso dentro do elevador, que por pouco não se fechou e a deixou para fora.
-Hana, aconteceu alguma coisa com os meus sobrinhos?! – Indagou para a irmã mais velha. – Por que ninguém nesse maldito hospital não me responde?! – gritou.
- Eu posso vê-la, doutor?! – perguntou Hana aos soluços. – Por favor... – implorou-lhe.
A rosada continuava sem entender nada. Todos a ignoravam, fingindo que ela não estava ali. Era uma sensação horrível e agora sabia como Lyn sentia-se.
- Bom...
- Lhe daremos alguns minutos, Hana-san... Infelizmente é tudo o que podemos fazer! – respondeu Tsunade colocando-se a frente de Ibiki. Todos no elevador ouviram o barulho do elevador, indicando que haviam chegado ao seu destino. – Vamos... Chegamos! – murmurou a loira colocando uma mão no ombro de Hana.
Todos seguiram Ibiki e Tsunade que iam logo a frente. Todos, incluindo a rosada, voltaram para o andar da UTI e caminhavam pelos corredores silenciosos do local..
- O que diabos está acontecendo?! Por que estão no andar da UTI?! –
grunhiu.
As portas dos quartos passavam lentamente, enquanto Sakura os seguia. Os orbes verdes viram o pequeno grupo parar em frente a uma porta. Hinata e Naruto ficaram de fora, enquanto Hana, acompanhada dos dois médicos seguiram para dentro do quarto.
Chegara a hora que finalmente descobriria o que estava acontecendo. Passou pelos amigos e sorriu para eles, não recebendo nada em troca.
- Ela não pode morrer, Naruto... – murmurou a morena abraçada ao namorado. – Minha melhor amiga não pode morrer...
Sakura parou por alguns segundos em frente a eles. “Melhor amiga?! Mas...”
- A Sakura-chan vai ficar bem, Hinata... Acalme-se!
- O que tá acontecendo?! – grunhiu para si mesma. A rosada se dirigiu até onde Hana e os outros entraram. – Eu não entendo... o... quê... - Sakura interrompeu-se ao ver quem era a pessoa que causara todo aquele alarde. – Sou... eu?!

         



 
Continua...


Notas finais do capítulo

Oiee genteee! Cheguei! o/
Espero que tenham gostado do capítulo...
Esse novo editor de textos está bem estranho! >.< Não gostei! Era bem mais fácil Ctrl + C e Ctrl +V ¬¬'
masss... fazer o quê!
Peço desculpas pela demora! Ando muito atarefada e simplesmente não resta quase nenhum tempinho para eu escrever!
Fora o bloqueio criativo que eu estou tendo, principalmente para a fic "Mais do que Irmãos"...
Talvez ela demore um pouco para ser atualizada, mas a história está na minha cabeça... Só falta passar para o Word e usar as palavras certas!
Obg pelos reviews, pessoal!
E um agradecimento especial para MarinaJonas, que recomendou a fic! Obg lindaa!
Críticas/elogios?! - Nos reviews!
Recomendem a fic!
Ah, se quiserem ler duas One-Shots que eu fiz, visitem meu perfil e leiam: "Um Ninja Misterioso" e "Sementes" ...
Se vocês se interessarem, é claro!
Beijoooos pessoal!