Light Of Darkness escrita por lininhaaa


Capítulo 2
II - Espectativas




 

Capítulo II - Espectativas

 

 

 

Não demorou muito para o moreno estar com suas malas em mãos no saguão do aeroporto. Vasculhando seus bolsos, achou um papel amassado contendo o endereço do apartamento de Naruto.

 Como bom amigo que era, o loiro deixou que ele se hospedasse em sua casa.  Caso desse certo e Sasuke conseguisse o emprego,  então o moreno procuraria um lugar para ficar, enquanto isso, deixaria ele hospedar-se em sua humilde residência.

Sasuke pegou o primeiro taxi disponível e pediu para o motorista seguir o endereço indicado no papel.

Foram duros e trágicos cinqüenta minutos dentro de um taxi mal cheiroso. Por um momento, praguejou e amaldiçoou Naruto pela bela idéia. Passara quatro horas em uma poltrona caindo aos pedaços e depois quase uma hora em um taxi velho.

“Acalme-se... 10 mil dólares!” repreendeu-se. Esse era o único pensamento que confortava o Uchiha naquele momento.

Olhando através do vidro sujo do taxi, pôde ver o quão grande era a cidade de Tóquio. Arranha-céus, boates e lojas. Tudo ali era muito grande e majestoso  quando comparado com a cidade de Konoha, que era tão pequena, porém muito lucrativa.

Afastando-se do provável centro de Tóquio, o Uchiha pôde contemplar as belas casas e apartamentos que haviam ali. Imaginava quanto era o custo de vida naquela cidade imensa.

“Talvez dez mil dólares não seja tanto dinheiro quanto eu pensava...”

Sasuke viu o motorista virar uma esquina e adentrar em uma rua um pouco mais simples, mas tão bela quanto as outras por onde já tinham passado.

- Número 598... – murmurou o taxista parando o veículo. – É aqui! São 147 dólares mais a gorjeta.

Sasuke quase engasgou com a própria saliva.

- Cento e quarenta e sete dólares?! – repetiu incrédulo. -  Isso é um roubo!

- O senhor esqueceu de mencionar  a gorjeta! – completou o senhor.

Com muito pesar, tirou um pequeno maço de dinheiro do bolso e contou algumas notas, para em seguida dar ao velho que o “extorquiu”.

- Aí está! Você me deve três dólares! – exclamou trincando os dentes.

O velho motorista contou o dinheiro e disparou:

- Faltam cinco dólares!

- Eu lhe dei cento e cinqüenta dólares! Você me deve três dólares de troco!

- Não... Não! – retrucou o velho. - Faltam cinco dólares! Falta o restante da gorjeta...

Retirou uma nota de dez dólares do bolso e a jogou em cima do motorista.

- Enfie o troco onde lhe achar mais conveniente... – comentou irritado.

- Não se preocupe, moço! Colocarei o dinheiro no bolso! – sorriu.

Aquilo era demais para a sanidade do Uchiha. Antes que arrebentasse a cara do homem, saiu do carro e bateu a porta com força. Queria ter certeza que usaria seu dinheiro para arrumar aquele taxi velho e caindo aos pedaços, então por que não começar pela porta que com certeza, Sasuke tinha quebrado!?

Dispensando a ajuda do motorista do taxi, Sasuke retirou suas bagagens do porta-malas e foi de encontro aos portões do condomínio do amigo. Por sorte, o porteiro do prédio logo liberou a entrada do Uchiha e lhe indicou o andar do apartamento de Naruto.

Ele encontrava-se dentro do elevador e enquanto aguardava a chegada do sexto andar, sentiu seu celular vibrar e finalmente as portas se abriram. Ao atender o celular, ouviu a voz estridente do seu amigo:

- Onde você tá Teme?!

Sem dizer uma palavra, O Uchiha bateu duas vezes na porta que continha o número 23 e ouviu o praguejar do amigo ainda pelo telefone.

- Só um minuto, Teme... Tem alguém batendo na porta!

Sasuke ouviu o destrancar da porta e em seguida, a figura de Naruto olhando-o com a sobrancelha arqueada.

- Idiota! – exclamou o moreno fechando o celular na cara do amigo.

Naruto coçou a cabeça e deu espaço para Sasuke passar.

- Fique a vontade... – murmurou simpático. Naruto fechou a porta atrás de si e em seguida, voltou-se para Sasuke que parecia analisar cada canto do apartamento.  – Faz tempo que chegou em Tóquio?!

- Nesse momento,  fazem sessenta minutos infernais. Graças a você, passei as piores horas da minha vida! Te devo uma, Dobe!

- Disponha! – retrucou o loiro ironicamente.

~*~

Quase uma hora depois, Sasuke já se acomodara no apartamento do amigo e naquele momento, os dois tomavam uma bebida refrescante para amenizar o calor quase insuportável.

- A reunião com Hyuuga Hiashi será daqui a  duas horas. – comentou o Uzumaki. – Se fosse você, tomaria um banho... Você está fedendo a peixe!

- Como te disse antes, devo esse cheiro a você!- retrucou tomando uma bebericada do copo em suas mãos. -  Além de roubado por um motorista velho, fui obrigado a sentir esse cheiro por quase uma hora!

Naruto soltou uma risada alta.

- A culpa não é minha! Você que não acordou com sorte... 

- Hunf!

- Enfim, se quiser tomar banho, o banheiro é na segunda porta a direita! Há toalhas e shampoo no armário, caso precise.

- Valeu, Dobe! – sorriu o Uchiha.

Apesar de tudo, Naruto era um bom amigo. Preocupado, prestativo e companheiro, mesmo sendo um tanto quanto hiperativo.

Agora tudo o que Sasuke precisava era contar com a sorte para conseguir o emprego na Hyuugaa’ s Company.

 

~*~

Sasuke entrou pela porta espelhada do prédio da companhia. O hall era enorme e muito bem decorado. Foram necessários pouco mais de dez passos para que o Uchiha pudesse chegar até a recepcionista, que aliás, era uma loira de olhos azuis.

- Sou Ino Yamanaka... em que posso ajudá-lo?

- Boa tarde, sou Sasuke Uchiha e tenho uma entrevista com o senhor Hiashi Hyuuga...

Muito observador, não deixou de notar os olhos da recepcionista praticamente o engolindo e não deixou de aproveitar a oportunidade.

- Só um minuto! – retrucou envergonhada. Por três vezes, Ino digitou o nome do belo rapaz a sua frente e em todas as tentativas, errou. Ela podia ver os olhos negros a fitando intensamente, o que a deixava ainda mais nervosa. – Achei! – exclamou soltando uma risada nervosa. – Sasuke-kun... er, Sa-Sasuke Uchiha, não é?

Os olhos do Uchiha se arregalaram. Só uma pessoa lhe chamava de “Sasuke-kun”. Uma única pessoa e mais ninguém. Aquele sufixo era apenas uma lembrança do passado, mas que o irritou profundamente.

- Pode subir!  Sua reunião com o senhor Hyuuga será as quinze horas... – sorriu. – Dirija-se ao vigésimo oitavo andar.

Sasuke não se deu ao trabalho de responder. Irritou-se com tamanha liberdade por parte da mulher e saiu a passos rápidos para o elevador. Indicou o andar a uma senhora de meia idade e viu as portas se fecharem . Os andares passaram lentamente, pessoas entraram e saíam, uma música irritante ecoava pelo elevador e as conversas paralelas entre os passageiros testava mais uma vez a paciência do moreno. Precisava acalmar-se se quisesse passar uma boa impressão ao, talvez, futuro chefe.

- Vigésimo oitavo andar! – anunciou a senhora.

Sasuke apenas assentiu e sorriu discretamente para a mulher enquanto saia do elevador. Um pouco mais calmo, direcionou-se a outra recepcionista e agora, aguardava sentado na sala de espera.

Folheou revistas, tomou um chá, admirou as ruas movimentas pela janela cristalina, sentou-se, levantou-se... fez de tudo para o tempo passar, mas parecia que nada o distraia. Sasuke estava irritando-se  consigo mesmo.

- Senhor Uchiha? – os ônix fixaram-se na figura a sua frente. – O senhor Hyuuga esta lhe esperando. Pode entrar.

Ele suspirou aliviado e seguiu a suposta secretária até uma sala onde encontrava-se um homem sentado confortavelmente enquanto digitava algo no computador.

- Senhor Hyuuga... – murmurou a mulher fazendo uma referência e retirou-se.

O moreno não deixou de notar o tamanho do escritório. Muito bem decorado em tons de branco, com  artigos de decoração em preto. Agora estava de frente para um dos maiores empresários da história e por mais que não quisesse admitir, estava um tanto quanto nervoso.

- Sente-se. – ordenou o homem.

Um pouco receoso, Sasuke dirigiu-se a uma cadeira em frente a ele e percebeu que assim que se acomodou, os olhos perolados do homem o fitaram.

- Presumo que seja Sasuke Uchiha... – Sasuke assentiu. - Já ouvi falar de você, rapaz. Você é amigo de Naruto Uzumaki,não é?

- Sim, senhor! – respondeu.

Hiashi o olhou por mais alguns segundos e voltou a mexer no computador.

- Você é de que cidade, Sasuke?

- Konoha. – respondeu e percebeu o olhar curioso do homem sobre si. – É uma cidade do interior. Não é muito conhecida...

- Uhum. – murmurou o homem nem um pouco interessado. – Apesar de ser jovem, seu currículo é muito bom... – comentou sem desviar seus olhos do computador. – Já entrei em contato com algumas referências presentes no seu currículo e todas o recomendaram.

Em resposta, Sasuke sorriu de canto. O Hyuuga era bem ágil.

- Por acaso já fez um trabalho para uma empresa com o porte da Hyuuga’s  Company?

- Na verdade não, mas para  tudo existe uma primeira vez.

Hiashi arqueou uma sobrancelha e sorriu.

- Você é bastante pretencioso, Uchiha... – nesse momento, Sasuke sentiu-se pretificado. – Gosto disso! Vou lhe dar tudo o que precisar e gostaria que me apresentasse um projeto em uma semana... o que acha?

“Só se eu parir um projeto em uma semana...” pensou consigo mesmo.

- Tudo bem. Farei isso! – sorriu falsamente.

 

 

*****************************

...Continua...

 

 



Notas finais do capítulo

Queria agradecerimensamente aos 12 reviews que recebi no primeiro capítulo! Obg gente! Todos lindos e com boas espectativas para a fic! Espero que possa continuar sendo merecedora dos elogios que recebi!
E tbm, espero que tenham gostado do capítulo!
Mil beijoooooos! :**
Críticas/elogios? -> mande um review!