Light Of Darkness escrita por lininhaaa


Capítulo 15
XV - Segredos




Capítulo 15 – Segredos

 

 

 


Tudo parecia estar melhorando na vida de Sasuke e Sakura, fora o fato de a rosada ainda não ter despertado do seu “sono profundo” ou o desaparecimento súbito da pequena Lyn.

A convivência entre eles tornara-se melhor, comparada com as últimas semanas e Sakura perdeu a conta de quantos sorrisos ela viu brotar do rosto pálido de Sasuke.

Ele, por sua vez, sentia uma calma incompreensível ao seguir o caminho para sua nova casa. Mesmo que não pudesse tocá-la, o simples fato de conversar com Sakura o fazia sentir-se bem. Era óbvio que queria ver Sakura acordada e bem, mesmo sabendo que quando isso acontecesse, teria que procurar um novo lugar para morar. Se a casa dela estava alugada era exatamente por Sakura estar em coma, mas as horas que passava com ela eram agradáveis e divertidas.  

Sorrir tinha se tornado um hábito para o Uchiha... Um hábito que ele perdera há exatos  sete anos.

 

~*~

 

Era um domingo ensolarado quando os olhos escuros abriram-se preguiçosamente. Virado de lado e na praticamente na ponta da cama, Sasuke ainda suspirou pesado quando a luz do sol vinda da janela teimava em irritar seus olhos.

Ele piscou algumas vezes até acostumar-se com a claridade e quando seus olhos focaram dois grandes orbes esverdeados e brilhantes, acabou por desequilibrar-se e cair no chão duro do quarto.

Sasuke soltou um som de dor abafado acabando por arrancar risadas por parte dela.

Sakura foi até a borda da cama e encontrou o moreno estatelado e com um dos braços cobrindo os olhos.

- Te assustei?! – sorriu travessa enquanto via as sobrancelhas escuras juntarem-se em sinal de reprovação. – Acho que sim... – riu.

-Não faça mais isso... – grunhiu com a voz rouca, ainda embargada pelo cansaço.

- Desculpe.

Ele não tinha coragem de levantar-se dali, por mais que suas costas estivessem doendo. Ainda pôde ouvir alguns risos abafados por parte da Haruno mas decidiu os ignorar, focando sua atenção somente no teto do quarto.

- Que horas são?! – perguntou-a sem sair de onde estava.

- Nove e meia... – respondeu ela, depois de um certo tempo.

O Uchiha bufou novamente e deixou a cabeça tombar para o lado, encontrando apenas o espaço debaixo da cama da rosada. Se seus olhos não estivessem o enganando, havia alguma coisa embaixo do móvel.

- O que foi?! – perguntou a Haruno ainda deitada na beirada da cama, onde tinha a visão de Sasuke distraído com algo. – Sasuke-kun...?!

O moreno esgueirou-se para debaixo da mesma e retirou de lá uma caixa entalhada de madeira. Estava empoeirada, o que indicava que ficara um longo tempo esquecida ali.

 Apoiando-se na parede e com a caixa em mãos, o moreno olhou para a Haruno que provavelmente era dona não só da caixa, como de toda a casa.

- O que é isso?! – Ele passou as mãos pela tampa da caixa, retirando a grande quantidade de pó ali.

Desviando seu olhar para ela, percebeu a expressão apreensiva que ela tinha em seu semblante.

“Droga...” praguejou internamente.

- N-não é nada, Sasuke.

- É sua?! – perguntou-a, ainda analisando cada parte da caixa. Chacoalhando a caixa perto do ouvido, percebeu que haviam algumas coisas ali dentro.

- Sim. Por favor, coloque-a onde estava... – suplicou.

Estranhando a mudança repentina de humor dela, Sasuke estreitou os olhos.

- Por que ficou assim de repente?! -  perguntou com um sorriso de canto.

- Sasuke... – ofegou, mas parou assim que viu as mãos de Sasuke abrir a caixa. – Droga!

Os olhos de Sasuke vasculharam todo o interior da caixa de madeira. Fotos, envelopes com cartas, pequenos cacarecos compunham a “camada de cima” da caixinha.

- Essas coisas são minhas, Sasuke... – Sakura aumentou o tom de voz.  – Coloque onde você a encontrou.

Sasuke não entendeu o porque da rosada estar tão irritada. Ele  nunca foi uma pessoa curiosa e o fato de estar curioso para saber as lembranças que ela guardava ali dentro também o intrigaram.

Talvez quisesse ver com os seus próprios olhos as lembranças que outras pessoas deixaram para a sua Haruno depois de sua partida. Sim, ela era dele e por mais que não quisesse admitir, sentiu falta dela. 

- Por que você não me ouve, Sasuke? Dá pra guardar essa caixa ou está difícil?! – perguntou a Haruno cruzando os braços.

Novamente, o moreno estava mais preocupado em curiar suas coisas do que ouvi-la.

- Tem alguma coisa aqui que eu não deveria ver?! – perguntou-a com um sorriso cético. – Hein, Sakura?!

- Claro que não! – Sakura respondeu carrancuda. – Quer saber, olhe! Você mesmo sabe que não posso pegar de suas mãos. – bufou, desistindo de fazer o Uchiha parar com aquela criancice.

Aos poucos Sasuke foi tirando os pequenos cacarecos e os juntando no chão ao seu lado, assim como as cartas devidamente fechadas, que apesar de querer vê-las, sabia que não tinha esse direito.

Uma imagem lhe chamou a atenção e ele pegou o papel em suas mãos. Ao ver o que o Uchiha estava analisando, Sakura apressou-se em comentar.

- Essa foto está guardada aí para quando eu reformasse a casa. Queria pintar essa imagem na parede ao lado da minha cama! – sorriu.

Voltando seus olhos para a foto, analisou-a. Um desenho apenas com traços de uma árvore de Sakuras. Era singelo e um tanto simples mas ao mesmo tempo, era belo e descrevia a alma da ex-namorada.

- Hum...

Aos olhos de Sakura, o Uchiha parecia um garoto de cinco anos mexendo nas coisas de seus pais. Curioso e concentrado em sua pequena tarefa, ele perdeu um discreto sorriso que apareceu nos lábios dela.

- Isso é um álbum?! – perguntou um Uchiha curioso com o objeto em suas mãos. – O quê foi?! – encarou-a zombeteiro.

- Nada... – murmurou, torcendo para que sua vergonha não estivesse demonstrada em suas maçãs do rosto. Lembrou-se que o Uchiha fizera uma pergunta e estreitou os olhos. – Sim, é um álbum.

- Posso...?!

Sakura apenas meneou um sim com a cabeça.

- Lembranças... – leu na capa do álbum. – Hum...

Sem pensar duas vezes, ele virou a capa do pequeno livro de recordações. Lentamente e após analisar cada foto, o moreno virou página por página do álbum. A maioria das fotos eram de familiares e amigos da rosada. Muitos dos Harunos, Sasuke já conhecia, afinal, fez parte da vida dela por três anos.

- Nossa, como a Hinata está diferente... – comentou alto demais, a ponto de fazer Sakura desviar sua atenção para ele.

Sakura estreitou os olhos e avistou Hinata, Ino e ela mesma com dez anos.

- É verdade. – sorriu, vendo a Hyuuga com os cabelos cortados curtos e envergonhada por tirar a foto. – Lembra dela?! – perguntou apontando para a loirinha de olhos azuis. – Lembra da Ino?!

- Lembro. – respondeu automaticamente.

De repente, um silêncio constrangedor pairou ali e os dois sabiam o motivo. Sakura sabia porque o Uchiha não demorou muito a lembrar da amiga... os dois foram padrinhos do casamento dela. O evento ocorreu alguns dias antes da relação entre a Haruno e o Uchiha acabar.

- Como... Ino está?! – perguntou o moreno, totalmente sem graça.

- B-bem. Quer dizer, ela não deu muitas notícias desde que se mudou, mas sempre nos falamos por e-mail... pelo menos, nos falávamos... – riu nervosa.

- Hum... – grunhiu Sasuke.

Aquela situação já estava constrangedora o suficiente para ambos.

O moreno ainda virou alguma páginas até encontrar a foto do casamento da loira. Assim como Sakura há meses atrás, ele retirou a foto de seu devido lugar e virou-a, lendo os dizeres que Ino havia escrito:

 

“ Obrigada por estar no dia mais importante da minha vida, testuda. Logo serão você e Sasuke no centro da foto, não é?! E é bom que Sai e eu estejamos do lado direito ouviu ?

Amo você, testudinha!

De sua amiga,

Ino-porca.”

 

Sakura desejou desaparecer naquele exato momento. Como em câmera lenta, ela viu os dois olhos negros lerem cada linha e depois vontarem-se para ela. Lembrava de cada palavra que a melhor amiga escrevera e principalmente a parte em que a loira a “intimava” a convidá-la para ser a madrinha da união entre ela e Sasuke.

Ao ler aquelas palavras, Sasuke se sentiu desconcertado. Ele lembrava perfeitamente daquele dia. Justamente um dia depois, sua mãe e seu pai vieram com a notícia que ele se mudaria em pouco mais de uma semana.  O tempo que ele pensava que tinha havia acabado, mas quem era ele para fazer Sakura sofrer com antecedência?! Era fato que ela só sofrera depois de sua partida, mas sua angùstia durou anos,  não apenas dias.

- A-acho melhor você guardar, Sasuke... por favor! – suplicou constrangida, enquanto encolhia-se ao lado do Uchiha.

Sem protestar, ele colocou o álbum ao seu lado e pouco a pouco, recolocava as cartas e outras bugigangas nos seus devidos lugares. Por último, fechou o álbum de recordações e ao erguê-lo, uma foto soltou-se dele e caiu, exatamente no meio deles,  com a imagem para o lado debaixo.

Como se não bastasse todo o constrangimento de minutos atrás, ao virar a foto Sasuke ficou sem fala e a Haruno fechou os olhos com força.

O moreno pegou incrédulo a foto em mãos e sem desviar os olhos do papel, perguntou:

- Você... ainda guarda essa foto?!

Ela não soube o que responder...

O que diria à ele?! Que durante semanas olhava aquela foto e chorava como nunca antes tinha feito?! Que mesmo depois de todos aqueles anos, seus sentimentos não mudaram por ele?!

- Eu... – Ela o olhou de canto e percebeu os olhos dele vidrados em si. – Sim, eu guardo!

A prova estava ali e não havia porque mentir. Apesar do medo de se machucar ainda mais, falou a verdade. A quem queria enganar em dizer que guardava apenas como uma lembrança?! Sakura sabia que era muito mais que isso.

- Eu pensei que você tinha esquecido de tudo... – comentou o moreno, colocando a foto ao em cima da caixa. 

- É um pouco difícil esquecer. – sorriu melancólica, olhando perdida para a parede a sua frente. – Muito difícil... – murmurou para si mesma.

Sasuke fechou a caixa e colocou-a debaixo da cama, exatamente onde estava. Não sabia definir o que sentia naquele momento. Talvez repulsa de si mesmo de ser tão desumano a ponto de abandonar a pessoa que mais o amava.

Quando olhou novamente para o lado onde Sakura estava, não a encontrou ali. Ela sumiu sem despedir-se ou falar alguma coisa. Estava magoada e Sasuke sabia disso, assim como sabia que tocara na ferida de anos atrás.

 

~*~

 

O dia passou devagar no quarto que agora era de Sasuke. Depois daquele pequeno evento ocorrido pela manhã, ele não viu mais Sakura. Ficara enfornado no quarto, mexendo no notebook sem qualquer objetivo. Ao lado, a mesma foto amassada que há anos guardava consigo, repousava aberta no campo de visão do Uchiha.

Era engraçado como eles eram tão diferentes. Ele tão frio, ela tão doce. Ele tão quieto e observador, ela tão falante e contente. Ele desorganizado em alguns quesitos, ela sempre impecável em tudo o que fazia.

E a prova era aquela foto. A cópia dela estava um pouco amassada por sempre permanecer dobrada no bolso da calça. Assim como a Haruno, ele a guardava... do seu jeito.

- Você ficou aí o dia inteiro, precisa se alimentar. – o som da voz dela soou como melodia aos ouvidos dele.

Ele voltou seus olhos para próximo da porta, encontrando a rosada prostrada em pé e com os braços cruzados.

- Estou sem fome... – comentou fitando-a.

- Ah... s-sim! Desculpe ter me intrometido.

- Espere! – Exclamou, vendo-a ficar de costas. Deduziu que ela o deixaria sozinho.

Sakura voltou-se para ele, surpresa pela “ordem”.

- Sim?!

- Precisamos conversar. 

- Você está ocupado e...

- Não estou ocupado! – retrucou, interrompendo-a. – É importante.

Em passos receosos, ela aproximou-se e sentou ao lado dele. Seus olhos não acreditaram quando viu a foto amassada ao lado do notebook do Uchiha.

Incrédula, ela levantou-se e o encarou com raiva nos olhos.

- O que fez com a minha foto?! – indagou, apontando para o papel amassado.

- Ei, espere aí! Essa não é a sua foto! – Sasuke viu os olhos de Sakura arregalarem. – Essa foto é minha. 

- Mas... c-como?! – perguntou, sem demonstrar o quão surpresa estava. – Você não pode ter essa foto, porque eu...

Novamente, Sasuke a interrompeu.

- Naquele dia no parque, você jogou o meu suposto presente de namoro e saiu correndo... – respondeu, vendo a Haruno desabar sentada onde estava. – Assim que você foi embora, eu fui até lá e peguei essa foto.

- E-eu... – sem ter o que dizer, ela acompanhou com o olhar as mãos de Sasuke pegarem a foto e virá-la, mostrando sua própria letra. – Você ainda lembra?!

- É muito difícil esquecer... – respondeu-a, usando as mesmas palavras que ela.

Sasuke a encarou, tentando desvendar algum sentimento nas expressões dela. Sakura parecia não acreditar no que via.

- Por que você fez aquilo?! – sussurrou, tentando conter a tristeza que lhe subia a garganta.

O moreno respirou fundo e colocou a foto onde estava antes. Fitando o chão e com os cotovelos apoiados nos joelhos, ele lhe respondeu.

- Não queria te magoar, Sakura.

- E o que acha que fez naquele dia?! Exatamente quando completávamos três anos de namoro, você me diz que iria viajar sem sequer me dar uma satisfação? O que acha que fez?!

Ele engoliu em seco as palavras.

- Essa não era a minha intenção... – sussurrou.

- Por que não me disse que estava doente?! – perguntou ríspida.

Surpreso, Sasuke não teve como olhá-la.

- Porque sabia que ficaria preocupada e faria qualquer coisa para me manter aqui. – Ele ouvia uma risada cética vindo por parte da Haruno. – Minha família não tinha condições de manter meus tratamentos em Tóquio!  

- Isso não justifica o fato de você ter mentido, Sasuke.  – disparou. – Eu só queria entender o porquê de não ter me contado a verdade...

- Pelo simples fato de eu ter medo de morrer e você me ver desfalecendo. Você não queria saber?! Eu não queria que você me visse morrendo, por isso preferi que pensasse qualquer coisa.

Mais uma vez sem palavras, a rosada encarou o chão. Jamais pensara que Sasuke tinha mentido por esse motivo. Era engraçado imaginá-lo com medo de algo... principalmente da morte.

- Como soube que estava doente?! – perguntou o Uchiha curioso.

- É uma longa história. Eu soube pela Hinata, que soube pelo Kiba... – sorriu. – Depois, soube que você tinha se curado e ficou por Konoha... – essa última frase soou tristemente, e olhando fixamente para Sasuke, continuou: -  Pensei que tivesse seguido sua vida em Konoha.

- Existem pessoas aqui que me impedem de seguir minha vida em qualquer outro lugar.

Era achar demais pensar que aquela frase foi uma indireta para ela?! Talvez não...

Após dizer aquelas palavras, Sasuke a encarou percebendo que ela entendera. Sentia falta dela, em todos os quesitos.

- Lyn não apareceu até agora. Talvez ficar sozinha seja meu destino... – comentou, sorrindo tristemente. – Quando eu pensei que as coisas não poderiam ficar piores, me enganei.

- Você nunca esteve sozinha... – disparou, arrancando um olhar surpreso da Haruno. – Sempre teve pessoas ao seu lado. Naruto, Hinata, Ino... sua família! E até mesmo desse jeito, encontrou aquela garota...

Sakura soltou uma risada com ironia. 

- A pessoa que eu mais queria ao meu lado mentiu e, quando precisei, não estava ali. – Sakura jogou-se para trás e fitou o teto.

- Sei que está se referindo a mim... – comentou.

- Você acha que o mundo gira ao seu redor, não é?! – riu sarcástica, enquanto tombava a cabeça para o lado onde estava Sasuke. – Por que acha isso?!

- Considerando que eu menti e fui embora... – respondeu, imitando o gesto da Haruno. – A carapuça serviu! – sorriu de canto.

Sakura riu enquanto permanecia olhando para ele. Tão próximo de si e ao mesmo tempo tão longe. Fechando os olhos,  pensou em tudo o que estava passando e suspirou.

- Eu queria acordar logo desse pesadelo... – lamentou-se.

- Tudo vai se resolver... – comentou, ajeitando os braços atrás da cabeça. – Mais cedo ou mais tarde!

Os dois ficaram em silêncio por alguns instantes, perdidos em seus próprios pensamentos.

- Promete?! – perguntou Sakura, fazendo o Uchiha encará-la com dúvida. – Me promete que tudo vai se resolver?! – suplicou.

- Prometo... – sorriu para ela.

Aos poucos, Sasuke sentiu o sono tomar conta de si. As pálpebras pesaram e a última imagem que viu foi dois olhos verdes, que tanto gostava, o encarando.

 

~*~

 

O barulho do celular o fez despertar de seu sono. Era estranho porque aquele não era o barulho de seu despertador, mas sim de alguém lhe ligando.

Abrindo os olhos preguiçosamente, percebeu que encontrava-se jogado na cama com a mesma roupa do corpo de ontem. Sakura já não estava mais ao seu lado, porém o que mais lhe atormentava era os toques incessantes de alguém querendo falar com ele.

Tateou a cama, encontrando o celular vibrando e tocando e quando leu no visor que se tratava de Naruto, revirou os olhos.

- Fala, Dobe... – resmungou.

- Precisava falar com você... por isso te liguei! – Sasuke fez uma cara de “Jura?!” mas preferiu ignorar. – As notícias não são boas, Teme!

- Fala logo o que aconteceu, Naruto! – reclamou o moreno, sentando-se na cama.

- O médico que cuidava da Sakura-chan precisou viajar não sei para fazer o quê e por pouco, a Hina-chan não ficou responsável por ela...

- Hum... você já me disse isso!

- Só que a tal da Tsunade deu o caso para uma tal de Karin!

- Hum... e daí?! Você também já me disse isso! – Sasuke não entendia onde Naruto queria chegar. Ligar-lhe só para falar isso?!

- Agora a pouco eu encontrei a Hina-chan e ela estava chorando... essa tal de Karin quer desligar os aparelhos que mantém a Sakura-chan viva! – gritou o loiro do outro lado da linha.

Naquele momento, o celular soltou-se da mão de Sasuke e caiu sobre o colchão. Morrer?! Se a médica desligasse os aparelhos, Sakura morreria.

- Teme?!

Ele não permitiria que fizessem isso com ela. Sakura merecia uma chance.

- Teme?!

E a família dela?! Para que a tal médica desligasse os aparelhos, ela teria que ter o consentimento da família Haruno.

- Teme! – gritou o Uzumaki já irritado.

Sasuke desviou de seus pensamentos e tomou novamente o telefone em suas mãos.

- Naruto, quando a Hinata te disse isso?!

- Hoje... agora a pouco!

- Ela sabe quando vão tentar desligar os aparelhos?

- Parece que a tal médica pediu para conversar com a irmã da Sakura-chan amanhã pela manhã...

- Merda!- praguejou. Precisava pensar e rápido. – Naruto, amanhã nós nos encontramos no hospital. Avise a Hinata também... vamos pensar em alguma coisa, mas ninguém vai desligar os aparelhos dela!

- Mas, Teme... Como vamos fazer isso?!

- Não sei! Fale com a Hinata e faça ela dar um jeito de atrasar a irmã de Sakura ou a médica. – respondeu, ofegando de raiva. – Amanhã nos encontraremos às oito horas na porta do hospital!

- Ok! Tchau! – despediu-se.

Ao desligar o telefone, Sasuke o jogou no meio da cama. Não podia acreditar que estava prestes a perdê-la.

- Isso não vai acontecer! – murmurou para si mesmo, enquanto tentava acreditar nas próprias palavras.

Com essa idéia na cabeça, recostou-se na cama e fechou os olhos. Pela primeira vez desde que a reencontrou sentiu medo... medo de nunca mais a vê-la.

Isso ele jamais permitiria e viraria o mundo se precisasse.

 

 

 

***************************

... Continua...



Notas finais do capítulo

Oieee gente!
Bom, mais uma vez a fic está atrasada mas postei! u.u
Sinto muito mesmo pelos atrasos que estão acontecendo. Ando muito ocupada com TCC e agora, começarei a estudar para no final do ano, prestar uma prova pra Especialização. Sim! Começar a estudar agora! ¬¬' Fazer o quê, eu preciso de um futuro! xDD
Bom, espero que tenham gostado do capítulo porque o escrevi na maior emoção! *---*
A fic está na sua reta final! Preparem-se para fortes emoções (ou não... ¬¬)!
Também quero agradecer pelos reviews do último capítulo! Muitos leitores novos! Obrigada de coração!
E claro, um agradecimento especial à sakura haruno m que recomendou a fic!
Bom, em relação a fic "Mais do que Irmãos" tenho uma notícia: Ainda não consegui terminar de escrever o próximo capítulo, mas ele já está na cabeça... o problema é o tempo! ¬¬'
Tentarei postar o mais breve possível!

Por hoje é só!
Críticas/elogios?! - Mande um review!
Recomende a fic!

Beijãooooo


Twitter: @lininhaaa