Uma Saga de Amor escrita por isah_marie


Capítulo 1
Traição (One-Shot)


Notas iniciais do capítulo

Uma história para vocês!!



 

Hoje o dia está terrivelmente tumultuado, meu chefe me chamou para mais serviços, estive atolada na galeria, já faz três meses que não paro em casa, nem em dia de Domingo eu tenho folga, vê se pode?!

Edward meu marido, trabalha em uma advocacia muito conceituada aqui em port angels, falando nele estou pensando em passar lá e contar a novidade, o coitado já esta á três meses na seca.

Senhor Tavares, meu chefe, disse que hoje era o ultimo dia na galeria artes life. A galeria ia ficar fechada para um evento grandioso daqui á dois meses e por isso vou tirar umas férias com meu maridinho.

Sai do trabalho feliz, peguei meu carro e fui rumo ao prédio onde Edward trabalha, o transito estava parecendo colaborar com meu atual humor, dei uma estrondosa gargalhada no carro e continuei meu caminho, estacionei rapidamente dentro do prédio e peguei o elevador apertei o numero de sua sala e fiquei escutando garota de Ipanema, bem típico de elevador essa musica, quando as portas sem abriram, soltei um suspiro involuntário ao olhar a porta do meu Edward, Jessica sua secretária não estava lá, onde ela estaria?

Não bati na porta, entrei e estaquei, a secretária Jessica gemia enquanto meu futuro ex-marido sugava seus seios e a estocava com mais velocidade, eu não consegui me mexer, respirar então eu não sabia que isso existia, não chorei, não gritei, apenas fiquei olhando meu marido transando com sua secretária. Depois de alguns segundos olhando tudo aquilo minhas pernas dispararam escada á baixo, não tinha tempo de ficar esperando o elevador, peguei meu carro e comecei a pensar em tudo o que eu passei esses três meses.

Todas ás vezes que ele fora compreensivo era por que ele tinha outra, não se importava de eu chegar tarde em casa, por que certamente ele também chegaria, CANALHA!

Acelerei o carro ao máximo, eu precisava chegar em casa o mais rápido possível e arrumar minhas coisas e ir embora... isso! Eu iria embora para a casa de meus pais em Forks.

Cheguei em casa em tempo recorde, deixei o carro em frente à porta assim seria mais fácil colocar todas as malas no porta mala.

Arrumei minhas coisas de qualquer jeito nas malas, coloquei roupas, sapatos, objetos de higiene pessoal, fechei as malas e as arrastei para fora, coloquei tudo para dentro do carro e entrei no carro, quando estava dando partida, Edward chegou.

-vai trabalhar hoje á noite amor? – perguntou saindo do carro e se aproximando do meu.

-eu vou para a casa dos meus pais – disse e completei friamente – da onde eu nunca deveria ter saído para me casar com voce.

-O que? – perguntou assustado.

-eu quero o divórcio – disse de uma vez só.

-por quê? Bella, Isabella eu te amo – disse tentando me convencer com lágrimas nos olhos.

-eu e quantas mais? – disse e sai do carro o empurrando com as mãos – hein Edward? Eu e port angels inteira?

-bella, o que está havendo com voce? – perguntou.

-comigo? NADA! – gritei exasperada – o problema é a sua infidelidade para comigo – o espanto passou por seu rosto – agora voce compreende não é? – ele abaixo o rosto e encarou o chão – voce não é homem o suficiente para admitir o que fez? – perguntei com muita raiva – voce me traiu, me traiu com uma mulher que não chega nem aos meus pés...

-merda, bella! Eu preciso explicar deixe-me falar, eu te amo acredite eu te amo – disse ele tentando pegar meus rosto com as mãos, senti um enjôo descomunal quando ele encostou em mim.

-tire essas mãos nojentas de cima de mim, eu não acredito mais em voce – disse dando um tapa em suas mãos.

-bella deixe-me tentar explicar – tentou falar.

-NÃO, eu não quero ouvir suas falsas desculpas, eu não quero ouvir voce dizendo que a culpa é minha, chega, eu estou morrendo por dentro, voce me apunhalou do jeito mais horrível que existe e por que o que eu fiz para voce? – perguntei e tornou baixar a cabeça – eu fiquei sozinha nesses três meses e não aceitei proposta de homem nenhum, por que eu amava voce mais do que a mim mesma e voce me feriu do jeito mais cruel do mundo, eu te odeio Edward cullen!

Entrei no carro correndo e dei ré, olhei no retrovisor e vi Edward com olhos esbugalhados me olhando. Acelerei o máximo para sair daquela cidade logo.

Não parei continuei dirigindo, precisava desse tempo para mim, eu havia sido traída, pelo homem que eu jurei ser fiel por toda minha vida, pelo homem que julguei me amar e eu amava, ainda amo, mais vou ser mais forte e tirar esse amor do meu coração.

Não telefonei para meus pais para avisar que estava indo para lá, apenas segui o caminho que levava á Forks, em menos de 40 minutos eu estaria lá e veria minha mãe e meu pai e correria para os braços deles.

Numa curva uma carreta vinha na minha pista, eu não tinha como desviar se eu fosse pela pista da esquerda eu cairia em um desfiladeiro o único jeito era jogar para a direita nas montanhas, comecei a buzinar igual louca para ele virar a carreta, mais ele não virou meu carro raspou todo o lado direito nas pedras da serra, não tinha muito espaço para nós dois naquela pista, eu iria morrer ali, buzinei mais alguma vezes e o carreteiro pareceu acordar, pois virou, contudo a carreta o que fez com que batesse em minha traseira fazendo meu carro virar e capotar algumas vezes e eu senti sangue escorrendo por meus olhos, tentei ficar acordada, mais a inconsciência foi mais forte.

 

PDV EDWARD

Admito que fui um fraco por ter traído minha mulher, mais bella tinha sua parcela de culpa nisso, ela havia me deixado na seca á três meses e eu já estava com calos de tanto “lavar roupa”, Jessica minha secretaria, era muito bonita e gostosa, não chegava aos pés de Bella isso ela tinha toda razão.

Não fiquei com Jéssica muito tempo, apenas á um mês nos começamos a ter algo, mais eu amo minha esposa e agora ela foi embora e não vai querer me ver nunca mais.

A campainha tocou, eu corri para atender pensando ser bella querendo voltar, doce ilusão era Alice.

-Oi Edward que cara de enterro – falou alie entrando.

-oi Alice – respondi.

-nossa que cara, cadê a bellinha? - Perguntou Alice se sentando no sofá.

-nós brigamos – disse.

-que coisa triste – disse Alice me encarando – voce ta com cara de culpado Edward, o que voce fez?

-bella me pegou a traindo com Jessica – disse de uma vez e me sentei no sofá com as mãos na cabeça.

-voce é um bastardo, voce me dá nojo seu animal sem escrúpulos, como você fez isso com a mulher que sempre te amou? – gritou Alice pulando do sofá e parando e alguns metros de mim.

-Alice, eu não preciso que voce me diga o quanto eu sou ruim, ok? –falei.

-como voce a deixou sair assim?Pra onde ela foi? – perguntou Alice.

-pra casa dos pais dela – respondi sem animo.

O telefone tocou logo em seguida.

-alô?

-gostaria de falar com alguém que seja responsável pela senhora Isabella Cullen? – disse a mulher do outro lado da linha.

-eu sou Edward o marido dela, quem é voce? – perguntei.

-aqui é do hospital de port angels, o central, sua mulher deu entrada aqui agora pouco, a médica que a atendeu esta pedindo a sua presença aqui.

-eu estou indo pra ai agora – disse e desliguei o telefone, peguei minhas chaves e minha carteira.

-o que aconteceu com a bella? – perguntou Alice.

-ela esta no hospital, eu não sei ao certo vamos pra lá agora, avise Carlisle e Esme, Alice – pedi colocando o carro em movimento.

-ok – disse Alice pegando o celular e mandando uma mensagem pra nossa família – em que hospital ela esta? Carlisle esta perguntando.

-no central daqui mesmo – disse acelerando mais.

Retalhei o transito igual a um louco e chegamos ao hospital em menos de 15 minutos.

Alice e eu corremos para recepção do hospital, chegando lá eu passei o meu nome e o de bella para a recepcionista, ela falou os nossos dados por telefone para outra pessoa e nos mandou subir para o terceiro andar do hospital que uma médica estaria nos esperando.

Quando chegamos ao terceiro andar, Alice estremeceu e eu a abracei, a nossa dor era igual, eu e ela estávamos sofrendo igual, nós dois amávamos aquela mulher de formas diferente mais ao mesmo tempo igual.

Esperamos a médica por cerca de 10 minutos, quando eu estava levantando para ir a recepção novamente avistei uma senhora japonesa baixinha vindo em nossa direção.

-boa noite, desculpe a demora, estava ocupada com o caso da senhora Cullen – disse ela limpando os óculos com um lenço.

-meu nome é Edward sou o marido da Isabella essa é minha irmã Alice – disse.

-muito prazer, me acompanhem, por favor – disse ela seguindo por um corredor, subimos um andar até chegar na sala dela – sentem-se – apontou as cadeiras em frente à mesa.

-meu nome é Jule Hisper sou a médica que esta cuidando do caso da senhora Cullen - disse-nos com as mãos juntas.

-Como ela está? Podemos vê-ela? – perguntou Alice com a voz embargada pelo choro preso.

-não senhora? – perguntou Jule.

-whitlock – respondeu Alice de prontidão.

-A senhora Isabella sofreu uma acidente de carro grave na serra em que leva á cidade de Forks – disse a doutora nos olhando – o motorista da carreta estava embriagado e dormiu no volante, o carro da sua esposa teve perda total.

-e bella o que aconteceu com a minha mulher, eu quero vê-la – disse exaltado – eu quero saber dela não do carro.

-Edward, acalme-se a doutora Jule vai nos falar o que aconteceu – disse Alice colocando um braço em meu ombro.

-A senhora Cullen estava semi consciente quando chegamos lá, mais precisamos induzi-la a um coma – disse a doutora e eu senti um grande aperto no peito, Alice que estava prendendo o choro o soltou – se não a induzíssemos senhor Cullen, nós a teríamos perdido, a sua esposa está sofrendo um ataque cardíaco atrás do outro.

-e agora, doutora? – perguntou Alice, eu não sabia o que falar.

-não sabemos ao certo quanto tempo ela vai ficar em coma, a estamos sedando todo o tempo, mais uma hora isso vai ter que acabar, estamos fazendo isso pelo bebe também que está muito pequeno ainda – disse a doutora com um leve sorriso , quando ela disse bebe, ai sim que eu paralisei bella grávida? Impossível!

-bella não estava grávida, isso é... impossível – disse.

-não senhor, sua esposa está de três meses e meio – disse a doutora.

-e o bebê como está? – perguntou Alice.

-muito bem, senhora whitlock, ele esta muito bem, se desenvolve muito bem, fizemos vários exames e com ele não tem nada de errado, o que vocês devem estar confusos, é no caso do parto não é? – perguntou ela olhando para nós, apenas assentimos – vamos fazer cesariana quando chegar a hora do bebe nascer e isso não vai prejudicar em nada a Isabella e o bebe, podem ficar tranqüilos, agora vou levá-los para vê-la.

Quando me levantei estava meio aéreo ainda, Alice me olhou com seus olhos verdes marejados de lágrimas e me abraçou, não existia palavras para aquilo, ela sabia disso, apenas choramos em silencio, em quanto à doutora nos esperava na porta, nos separamos e de mãos dadas seguimos para outro elevador, fomos para a área de risco, a UTI.

-aqui as pessoas são mais sensíveis, então, por favor, coloquem estes equipamentos – nos entregou roupas, óculos, mascaras toucas e luvas para entrarmos em outro corredor.

-ela está no quarto sete, daqui á alguns minutos a enfermeira responsável vai lá para checar os equipamentos – disse a médica nos guiando até o quarto onde bella estava – e a informação de praxe não mexam em nada – Ela sorriu e saiu por onde veio.

Alice disparou para o quarto depois de colocar a roupa, ainda não estava preparado para ver bella, ver o que eu causei a mulher que eu amo, eu seria capaz de a minha vida a ela.

Entrei no quarto e vi Alice sentada ao seu lado com as mãos na cabeça chorando e sussurrando.

Ela estava respirando com ajuda de aparelhos e tinha vários fios ligados ao seu corpo, o choro que eu tentei prender veio com toda a força, me ajoelhei ao seu lado e falei com todo o amor que sentia por ela.

-me perdoa, Isabella, me perdoa, eu daria minha vida pra não te ver aqui nesse estado, volta pra mim meu amor, eu te amo tanto, não vou conseguir viver sem voce, Isabella – falei segurando a mão dela com as minhas.

Depois Alice saiu para receber nossa família e os pais de bella que estavam na recepção, eu fiquei por que não conseguia aceitar ficar mais de um minuto longe dela, sua barriga estava ainda lisa, mais ali estava meu filho e uma pontada de felicidade surgiu em meu ser.

Zafrina a enfermeira responsável por bella esteve á todo tempo ao nosso lado, cuidava de bella como se fosse filha conforme ela mesma dizia.

Eu quase nunca saia do hospital, ficava para ver toda mudança que bella podia apresentar, minha família e a de bella iam toda semana fazer uma visita, quem ficava comigo quase todos os dias era Alice e jasper.

E assim os meses foram se passando alguns aparelhos foram retirados outros foram colocados, decidimos fazer surpresa quanto ao sexo do bebe, que nasceria conforme Carlisle e doutora Jule daqui á uma semana e meia. Eu já estava eufórico para ver meu filho ou filha.

Assim chegou à hora do parto de bella, fora cesariana e não houve nenhum dano com bella ou com a nossa bebe, Renesmee, uma linda garotinha de 52 cm e 3,9 kg, ela foi liberada dois dias depois de nascida, ficaria com Alice e jasper até bella acordar, por que eu sabia que ela acordaria.

Eu passava só a parte da manha com minha filha na casa de Alice e de Jasper, para os dois trabalharem, quando eles chegavam eu ia para o hospital e dormia no outro dia a mesma coisa. Não podiam tirar os fios do sedativo, por que bella podia vir a ter outro ataque cardíaco e não agüentar.

Minha vida, eu não sabia se estava vivendo, a minha impressão era de estar no inferno, a minha única paz era ver Renesmee, mais quando eu via bella dormindo, meu chão se perdia, eu não estava mais ali, eu voltava pra o inferno, vendo minha razão de viver, meu ar, minha bella sobrevivendo com ajuda de aparelhos.

Nunca mais vi Jessica, meu escritório estava parado, a galeria em que bella trabalhava tinha reaberto á alguns meses, com uma nova diretora.

A festa de um ano Renesmee fora pequena, apenas para nós familiares, á noite a levei para ver bella. Aos um ano e três meses ela disse a primeira palavra e aos um e quatro meses a primeira frase, vivia perguntando de bella.

Aos dois anos, ela foi para uma escolinha mais rose e Alice também assistiam às aulas com ela, todas as vezes que chegava vinha para o hospital relatar para mim e bella como tinha sido o seu dia.

Os pais de bella se mudaram para port angels para ficar mais perto da filha e poder visitá-la com mais freqüência.

Os finais de semana Renesmee passava com Charlie e Renée e os dias da semana passava comigo e com minha família.

Os médicos param com o sedativo de bella mais o seu coração acelerou demais e voltaram a dar o sedativo para ela voltar a dormir.

Mias um ano tinha se passado e minha Renesmee já tinha três anos e a minha bella não voltava e nem sinal de melhora, em um dia qualquer que eu estava no hospital com bella, a doutora Jule me chamou em sua sala.

-Edward, meu jovem eu estive pensando em algumas coisas e pesquisei antes de falar com voce – começou ela – voce e a sua esposa tiveram algum tipo de briga antes do acidente?

-sim, nós brigamos e ela estava indo embora para casa dos pais quando ela sofreu o acidente– disse em voz baixa de cabeça baixa não querendo relembrar aquele momento.

-eu não quero a sua dor meu rapaz, mais isso pode ser o motivo, pelo qual bella não acorda e pelo qual ela não descansa – disse ela com as mãos entrelaçadas.

-voce quer dizer que... eu posso ser o culpado de coma de bella? – perguntei temendo a resposta.

-não, ela não te perdôo pelo que voce fez com ela e agora não quer acordar com medo de confrontar voce, eu tive pensando nisso Edward, pense também, nós vamos ter que parar com o sedativo e ela vai acordar e quero muito que de tudo certo mais senão der já quero te preparar agora, ela não sobreviver – disse ela – sinto muito.

Fui para o quarto encontrei Zafrina lá.

-Edward? Voce esta bem? – perguntou pra mim.

-não – respondi chorando me sentei no sofá – posso ficar só com ela um minuto Zafrina? – perguntei, ela apenas assentiu e saiu.

Quando ela saiu fui me sentar ao seu lado na cama, seria justo com bella mantê-la viva com ajuda de sedativo por que eu não suportava a idéia de não tê-la ao meu lado, e se ela não suportasse a vida sem os sedativos e se ela morresse sem conhecer Renesmee.

Um ano depois, conforme a direção do hospital teriam que para de dar sedativos para bella, ela teria que acordar, todos nós estávamos em uma sala perto da UTI a espera de noticias, quando Carlisle entrou com a testa e a roupa muito suada.

-então, Carlisle? – perguntei com Renesmee no colo.

-ela acordou – disse Carlisle com um leve sorriso – mais... – seu sorriso desfez – vão logo vê-la, vão, ela foi transferida para um quarto.

Todos nós seguimos Carlisle, Renesmee estava no meu colo de mãos dadas com Alice, quando chegamos Zafrina estava saindo, ela apenas sorriu e deixou a porta aberta.

-Bella? – chamou Alice entrando no quarto.

-oh querida sentimos sua falta – disse Renée.

-eu... – ouvi o aparelho que mede sua pulsação se acelerar e entrei no quarto com Renesmee em meu colo.

BELLA PDV (insisto que vocês devem escutar essa musica aqui menos de um segundo – rosa de sarón)

 

Todos estavam ali, menos Edward, me olhando e falando comigo, quando eu tentei responder, senti um grande cansaço e uma dor muito forte no peito.

-shii... Bella – disse Carlisle – fique quieta voce acabou de sair de um coma, não esta querendo voltar não é? – perguntou eu apenas neguei.

Vi a porta se abrindo e Edward entrou com uma linda menininha em seus braços, minha respiração ficou pesada e senti meus olhos se encheram de lágrimas a dor se intensificou mais no peito.

-bella – começou ele – esta aqui é nossa filha, Renesmee – disse, arregalei os olhos.

- filha? – perguntei com a voz engasgada.

-bellinha, voce estava grávida quando sofreu o acidente – disse rose.

-e já se passaram quatro anos bella – disse Emmett.

-que bom que voce acordou filha – disse minha mãe acariciando meu rosto.

-temos as fotos da sua gravidez, eu não perdi nem um momento – disse Alice abraçada a jasper.

-obri... – forcei a palavra a sair mais a dor era mais forte soltei um gemido de dor e comecei a respirar alto – meu peito – disse entre arfadas, Carlisle afastou todos e veio me examinar.

-é outro ataque – disse para eles.

-bella, Isabella – abri meus olhos com dificuldade e vi Edward ao meu lado com Renesmee – eu te amo – disse em meio às lágrimas.

-papai, o que foi com a mamãe? – perguntou uma voz bem fininha.

Escutei Carlisle gritar algumas coisas a mais, mais a dor era tamanha que não pude mais responder, meus sentidos foram falhando, não conseguia mais respirar eu sabia que meu fim estava próximo.

 

Zafrina PDV

 

Após os familiares de bella saírem da sala da doutora Jule com o papel declarando que a jovem havia morrido, corri para o quarto dela, seu coração ainda batia, não batia mais para um ouvido humano, mais para o meu ainda estava em tempo de salva-la, como bella sofreu um ataque fulminante, sue corpo iria inchar então o caixão seria lacrado e ninguém veria o corpo ou o que tivesse lá dentro.

Esperei as pessoas arrumarem bella no caixão e saírem para buscar outras pessoas para levarem o caixão para a funerária, desparafusei tudo tirei bella do caixão a carreguei para o banheiro voltei para o quarto parafusei o caixão novamente e depois tirei bella de lá, com muito cuidado para não ser notada, a levei para minha casa que ficava próxima ao hospital, a transformei, esperaria o amanhecer do outro dia para ver se bella iria agüentar.

 

PDV DA AUTORA

 

UMA SEMANA DEPOIS...

 

Em seu apartamento Edward olhava as fotos de seu casamento com bella, já fazia uma semana que seu grande amor morrera.

 Ao longe em cima da torre do relógio um anjo da noite os olhava, com agilidade saltou da torre e com inaudível baque para os ouvidos humanos alcançou o chão, com sua roupa de couro preta, coturno e um sobretudo da mesma cor desapareceram na escuridão onde seria seu lugar para sempre!

 



Notas finais do capítulo

N/I: Amoraaaas! aki estou eu de novo!!
bom como muitas de vcs pediram por essa história eu retirei a outra e postei essa primeiro, a próxima história pode demorar um pouco pq eu vou começar a estudar essa semana q vem e não vou entrar na net em dia de semana!!
espero a compreensão de tds vcs, as meninas(soffya e mandy) estao me ajudandoooo muitissimo!
espero q gostem eu deixei no suspense o final, vamos ver quem advinha oq aconteceu com a bella?
beijos meninas e até a próxima :*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Uma Saga de Amor" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.