Elemental Warriors escrita por Yure


Capítulo 3
3 - Zero


Notas iniciais do capítulo

Voces que estao acompanhando ja sabem que esse é o terceiro capitulo, entao nao preciso ficar falando. Mas está aí.



Mais uma vez. Eram seis da manha quando eu acordei. Eu achava que iria dormir bastante já que o dia ontem foi muito cansativo. Mas acordar as seis já estava se tornando rotina. E como de costume fui caminhar. Não esbarrei em ninguém dessa vez, caminhei por duas horas parei em uma sorveteria. Não comprei nenhum sorvete, só me sentei pra descansar e pedi um copo de agua. Comecei a pensar nas coisas estranhas que andam acontecendo comigo. Não conseguia achar nenhuma explicação para isso, por mais que eu tentasse. Olhava para meu colar, pensava em meu quarto encharcado e quem era aquele homem do meu sonho. Escutava um barulho estranho, olhei em volta e não achei nada, ele parou. Concentrei-me novamente em meus pensamentos, minha mesa começou a tremer. Olhei em volta novamente, ninguém parecia notar. Segurei meu copo de agua à mesa parou de tremer. Soltei o copo, a mesa começou de novo. Fixei meu olhar no copo com agua, tentei me concentrar de novo. Não era a mesa que estava tremendo, mas sim o copo.

–- Truque legal – Uma voz falou.

–- Você de novo?

Era ele, aquele homem que apareceu em meu sonho. Estava vestindo as mesmas roupas que antes.

–- Eu disse que apareceria de novo não disse?

–- Mas você não esta em meu sonho, quem é você? E porque me chamou de Zero?

–- Eu... bem, eu apareci em seu sonho porque eu sou muito ocupado, e você estava dormindo na hora. Mas eu não preciso necessariamente invadir seu sonho.

–- E quanto ao apelido?

Ele desviou o olhar

–- Quando eu te vi pela primeira vez, eu achei que você seria uma total decepção. E para uma pessoa que não sabe se conhece a si mesmo esse apelido está ótimo.

Ele parecia legal no começo, mas agora já estava me irritando. Além de não me dizer quem é diz que eu sou uma total decepção e ainda me da um apelido. Mas ainda assim eu acho estranho o fato de conseguir conversar tão casualmente com esse cara.

–- O que você esta dizendo?

–- Não se preocupe com isso. Você me provou que tem potencial.

Ele olhou para o copo. Eu fiz o mesmo, a agua estava flutuando. Estava com medo de alguém ver isso, mas não tinha ninguém a não ser eu e o dono da sorveteria aqui e ele estava muito ocupado pegando as casquinhas de sorvete que deixou cair. Eu me desconcentrei por um momento e a agua caiu sobre a mesa.

–- Como eu fiz isso?

–- Você é mesmo uma total decepção.

–- Você fica ai todo cheio de si com seus segredinhos. E quanto a mim?

–- Aquilo que aconteceu com seu quarto. Você ainda não sabe controlar muito bem, diferente dos outros três. Mas o colar vai te ajudar.

–- O colar? Esse colar que você me deu? E o que eu tenho que controlar? A agua? O que esta acontecendo comigo?

–- Você foi escolhido para ser um dos quatro. O Guerreiro da Agua, Zero.

–- Guerreiro da Agua?

–- Sim, e eu vou ser seu guia, seu mentor. Pode me chamar de K.

–- K? Deixa eu adivinhar, você não pode me dizer seu nome.

–- Esse é meu nome.

–- Você disse um dos quatro? Tem mais iguais a mim?

–- Sim, cada um com seu elemento, Fogo, Agua, Terra a Ar. Bem, meu tempo esta acabando, tenho que ir – ele se levantou e colocou as mãos no bolso.

–- Ei, espera! – eu mandei, mas ele desapareceu. – Ele sumiu de novo.

Agradeci pelo copo de agua e segui para casa. Ficava pensando no que ele disse sobre controlar a agua, então fui eu que fiz aquilo com meu quarto. E porque isso aconteceu só agora e não antes? E quanto aos outros três, eu tenho que acha-los?

Um pouquinho antes de chegar em casa, quando estava caminhando distraído com meus pensamentos alguém me puxou pela camisa. Uma garota parecia ser mais nova que eu. Ela tinha cabelo preto curto e uma franja cobrindo o completamente o olho esquerdo. Vestia um vestido simples sem mangas de cor bege e sapatos brancos. Estava segurando um pequeno vaso com uma planta. Ela me entregou um pedaço de papel com um endereço escrito.

–- Ei, você... está perdida? – eu perguntei e ela fez que sim com a cabeça – Esse endereço fica do outro lado da cidade.

Ela me olhava sem falar nada, e mantinha uma expressão neutra eu já estava ficando incomodado com aquilo.

–- Porque você não pega um taxi? Ou um ônibus? – Ela continuava me olhando – Ah! Eu levo você.



Notas finais do capítulo

Bem, espero que tenham gostado, comentem sobre o capitulo se voces gostaram e aguardem o proximo...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Elemental Warriors" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.