30 Day OTP Challenge escrita por Kaline Bogard


Capítulo 4
Capitulo 04 - ...tem uma chance de...


Notas iniciais do capítulo

Título: ...tem uma chance de...
Autor: Kaline Bogard
Day 04: On a date
Genero: universo alternativo, comédia
Link do desafio: http://30dayotpchallenge.deviantart.com/journal/30-Day-OTP-Challenge-LIST-325248585

— Não foi betada. Perdoem os erros :)



Não tenho medo de sourwolf – debochou tentando parecer corajoso. O problema foi que ele estava com a boca cheia de pipocas e ao dizer aquilo uma escapou e voou até bater na testa de Derek.

Okay.

O “sourwolf” pareceu com um dos protagonistas do filme: ele transformou-se por completo, passando de lobo azedo para um verdadeiro vulcão em erupção...

–--

Derek esticou o braço por puro reflexo, debruçando-se sobre o encosto da poltrona. Graças a pequena distância entre as fileiras conseguiu grudar na frente da blusa do garoto e puxá-lo em sua direção.

– Moleque... – praticamente rosnou a palavra.

O outro adolescente e sua namorada ficaram em pé, prontos para defender o amigo. Cora também ergueu-se de um salto, assim como Derek que içou o jovem, obrigando-o a ficar em pé e fazendo com baldes de pipoca e copos de refrigerante caíssem. O menino só continuou quieto por que ainda estava com a boca cheia...

Isso atraiu a atenção do restante do cinema, que começou a achar a cena muito mais interessante do que o filme. Os cochichos ficaram mais exaltados. Alguém gritou “briga” em algum lugar.

Porém, felizmente, um funcionário pareceu surgir do nada e usou a lanterna para clarear os baderneiros.

– Por favor, me acompanhem – pediu seco.

– Mas... – Cora tentou explicar, foi cortada.

– Ou vou chamar os seguranças.

A garota olhou para Derek, que ainda prendia o jovem desconhecido pela frente da blusa. Ela acabou colocando uma mão sobre o ombro do irmão de modo a chamar sua atenção e o fazendo soltar seu inusitado prisioneiro.

Sem opção os cinco acabaram saindo da sala em silêncio, diante da alvoroçada platéia que continuou com os animos exaltados antes de voltar a assistir o filme.

– Podem preencher a requisição de devolução do dinheiro de entrada – o lanterninha explicou para eles quando chegaram no pequeno hall em frente a bilheteria – É só pegar no guichê.

Terminou de falar e voltou para dentro da sala de exibição.

Por alguns breves segundos houve o silêncio, até o causador de tudo aquilo -que já tinha engolido as pipocas- resolveu manifestar sua indignação:

– Cara, não acredito que você me fez ser expulso do cinema! – apontou um dedo acusador para único adulto entre eles.

Isso fez Derek estufar o peito de indignação. Ele virou-se para dar uma resposta a altura, reparando realmente pela primeira vez no garoto. Notou as pequenas pintas marcando a pele perfeita, os lábios finos que davam simetria ao rosto, mas o que prendeu sua atenção mesmo foram os olhos grandes e castanhos, vivazes e profundos. Aquele pivete era lindo!

Hale só se deu conta de que estava encarando por tempo demais quando Cora deu uma pigarreada que o tirou do transe.

– Você não sabe ficar de boca fechada?! – esbravejou tentando esconder o embaraço, mas o estrago já estava feito.

– Derek! – Cora ralhou, apesar de ter entendido a fascinação que Derek não pudera ocultar – Isso é um cinema. As pessoas costumam comentar os filmes mesmo...

– Mas... – o rapaz tentou retrucar. Desde quando era assim? Na sua época de adolescente a sala era muito silenciosa, não era?

– Se quer paz e sossego aluga e assiste em casa – o garoto resmungou.

Derek pensou em dar uma resposta a altura, mas a garota de longos cabelos acabou falando na frente.

– A próxima sessão é as nove horas. Não posso ficar, Scott... – suspirou chateada olhando para o namorado.

– Stiles, vou levar Allison em casa. Depois eu volto e a gente assiste, okay?

O tagarela, que agora Derek descobria se chamar Stiles, deu de ombros.

– Deixa pra lá. Outro dia a gente assiste isso... – soou desanimado. Ele tinha gastado os últimos trocados naquela sessão, não sobrara mais dinheiro pois sua mesada tinha sido suspensa. Seu pai o castigara pelas notas baixas em Economia e Educação Física.

– Espera – Cora se intrometeu para surpresa de Derek. Fazia tempo que não vai o irmão tão admirado por outra pessoa. E eram poucos os que conseguiam tirar uma reação dele, mesmo que fosse irritação – Não se preocupe, meu irmão vai reembolsar as despesas. A próxima sessão é por conta dele.

Nada no mundo poderia descrever a expressão horrorizada que tomou conta da face do mais velho.

– De jeito nenhum – resmungou. Não ia fazer isso por aquele moleque. A culpa não era sua se ele não conseguia ficar de boca fechada.

– Não? Tem certeza, Derek? Você evitou todos os planos que eu fiz para a gente até agora. E conseguiu estragar nossa última noite juntos, irmaozão. Sabe como estou decepcionada com você?

Diante do pequeno discurso o rapaz engoliu em seco. Nesse ponto Cora tinha razão e a consciência pesou pra valer. Respirou fundo e voltou-se para o trio de adolescentes.

– Está bem – concordou de péssimo humor – Eu pago as entradas da próxima sessão.

– E pipocas! – Cora exigiu.

– E pipocas – Derek cedeu, erguendo os olhos como se pedisse muita paciência.

Os garotos se entreolharam, mas Allison balançou a cabeça. Precisava realmente ir embora.

– Levo a Allison em casa e depois eu volto – Scott prometeu se despedindo do amigo.

Ficaram apenas os Hale e Stiles. O menino enfiou as mãos nos bolsos, meio chateado.

– Temos duas horas e meia antes do filme – disse distraído. Podia ficar andando pelo shopping para matar o tempo.

– Vamos comer alguma coisa – Cora sugeriu – Por conta do meu irmão, claro.

– Cora!!

Derek não acreditou na audácia da caçula. E sua irritação apenas aumentou quando notou o sorrisão sacana estendendo os lábios de Stiles, enquanto o garoto cruzava as mãos atrás da nuca.

– Eu aceito o convite. Estou faminto!

– Vão na frente e peguem uma mesa. Eu preciso ir ao banheiro – Cora falou distraída. Em sua mente o pequeno plano tomava forma e cor – Não tenha pena do meu irmão. A propósito, sou Cora Hale – terminou a frase estendendo a mão para o motivo de toda aquela confusão.

– Stiles – o jovem sorriu largo devolvendo o aperto.

– Esse é meu irmão Derek Hale. Como eu disse: não sinta remorsos ao fazer seu pedido.

Stiles sorriu largo, entrando na mesma sintonia da garota. Quando ela se afastou, virou-se para o mais velho:

– E então, grandão? – riu da expressão de Derek. A diferença de altura entre eles era mínima, porém Hale era dono de um físico bem mais forte.

– Praça de alimentação.

Sem dizer mais nada virou-se, sabendo que seria seguido. Stiles coçou a bochecha, mas acabou dando de ombros e foi atrás do outro.

– Você não devia fazer essa cara – o menino soou divertido.

– Que cara?

– De quem chupou limão – debochou sentando-se em uma das mesas vagas – Vai enrugar e ficar velho logo.

Derek olhou para ele, tentando encontrar uma resposta digna. Mas ao invés de encontrar algo ele acabou foi se perdendo, mergulhando naqueles olhos castanhos joviais outra vez.

Stiles percebeu que estava sendo encarado e corou.

– Ei, cara...

– Já volto – Derek levantou-se da cadeira e afastou-se sem dizer nada.

O adolescente apenas observou os passos rápidos e decididos. Não podia negar que ficara abalado com aquele olhar. Fazia tento tempo que alguém o olhara assim pela última vez... ou melhor, ninguém nunca o olhara assim a sua vida toda! Uau.

Derek Hale demorou tanto que Stiles achou que ele tivesse ido embora e o abandonado aqui. Foi impossível evitar o sorriso quando viu o rapaz voltando com uma bandeja na mão. Fast food com um cheiro ótimo.

– Como sabia?! – perguntou guloso alcançando o hambúrguer duplo.

– Isso é... – Derek ergueu as sobrancelhas ao ver o tamanho da mordida que Stiles deu no lanche – a sua cara...

– Hummmmmm – gemeu ao conseguir enfiar algumas batatas fritas na boca, junto com o pedaço de hambúrguer. O garoto parecia faminto! – Dão bai omer ada?

Derek fez uma careta que revelou sua incredulidade. Não compreendera patavinas do que o menino dissera com a boca cheia.

– O que?

– Perguntei se não vai comer nada – repetiu depois de engolir com certa dificuldade. Deu um longo gole no refrigerante.

– Não. Não sinto fome.

Stiles deu de ombros e continuou atacando sua deliciosa refeição, ao mesmo tempo em que iniciava algum assunto aleatório que Derek não prestou atenção, fascinado que estava em admirar alguém tão cheio de vida e alegria. Fascinado a ponto de se perguntar por que motivo estivera irritado com ele mesmo...?

Stiles terminou de comer, mas não terminou de falar. O assunto agora era algo sobre aulas de Lacrosse na escola. Com as mãos livres do lanche o garoto podia gesticular a vontade, expansivo. Conseguiu bater o cotovelo em um rapaz que passava atrás de sua cadeira rumo a uma mesa livre e enroscar os dedos na alça da bolsa de uma senhora.

– Você é um desastre! – Derek exclamou sem poder evitar, arrancando um sorriso enorme do garoto.

– E você não é o primeiro a dizer isso – recostou-se na cadeira – Ahhhh estou cheio!

– Quer um sorvete...? – a voz de Derek soou até que divertida para alguém que fora obrigado a estar ali.

– Eu quero! – Stiles sorriu animado. Não estava acostumado a ter pessoas pagando coisas para ele. Exceto seu pai, claro. Mas era diferente.

– Espere aqui – ordenou enquanto ia atrás da sobremesa. Acabou demorando um pouco, pois era noite de sábado e o shopping estava lotado, consequentemente haviam filas grandes para comprar qualquer coisa.

Ao voltar para a mesa tinha um copo de Milk Shake e uma caneca de cerveja nas mãos. Estendeu o leite batido para Stiles, que olhou cumprido para a cerveja mas desistiu de pedir.

– Não sabia o sabor. Trouxe de chocolate.

– Chocolate é universal. Todo mundo gosta de chocolate! Obrigado – fez um biquinho para sugar o doce através do canudinho e, por algum motivo aleatório e desconhecido -mesmo, de verdade, na moral, sérião- Derek sentiu como se a praça de alimentação ficasse um pouco mais quente. Deu um gole tão grande na cerveja que deixou a caneca pela metade.

Depois disso pôs-se a bebericar mais devagar, permitindo que os olhos esmeralda vagueassem pela face de seu jovem companheiro, admirando a perfeição da pele pálida permeada de pintinhas, os olhos castanhos que iam de um lado para o outro, escaneando tudo o que acontecia no local, volta e meia caindo sobre Hale, intrigado pela forma como era observado, apesar de Derek não se dar conta nem do que fazia nem de que Stiles percebia isso.

A caneca de cerveja acabou e virou uma segunda. O Milk Shake foi substituído por um delicioso brownie encharcado de chocolate. Era surpresa para Derek: Stiles não se cansava de falar! Seus assuntos eram variados e inesgotáveis. E a maior parte do tempo desconhecidos para Hale. E, precisava admitir, não se cansava de ouvi-lo. Que rumo mais surpreendente para a noite!

– Ei, garotos! – a voz de Cora chegou até eles. Ela acenava com tickets na mão – Comprei os ingressos! A sessão já vai começar.

Derek arregalou os olhos e Stiles engasgou-se com o bolo. Duas horas e meia tinham se passado e eles nem perceberam!

– Cora... – o mais velho começou a ameaça, sacando logo de cara o que sua irmã tinha feito: ao desaparecer com a desculpa de ir ao banheiro deixara Derek e Stiles sozinhos o tempo todo! Mas a menina não lhe deu tempo de continuar a reprimenda. Agitou dois tickets e estendeu para Derek.

– Aqui estão. Não vão perder o filme! – então mostrou um ticket que segurava na outra mão – Vou assistir a animação! A gente se vê depois do filme. Bye, bye!

Enquanto a garota saia correndo Derek e Stiles se entreolharam sem saber o que fazer.

continua...



Notas finais do capítulo

Gostou? Não gostou? Deixa um review!!

Minha meta era 1000 palavras. Só 1000. I hate my life i.i

Próximo da lista:

05 - Kissing

Ficaram esperançosos com esse item? 8D danadinhos!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "30 Day OTP Challenge" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.