30 Day OTP Challenge escrita por Kaline Bogard


Capítulo 29
Capítulo 29 - ...é perfeita!


Notas iniciais do capítulo

Título: ...é perfeita!
Autor: Kaline Bogard
Day 29: Doing something sweet
Genero: humor
Aviso: Universo Alternativo, PO
Link do desafio: http://30dayotpchallenge.deviantart.com/journal/30-Day-OTP-Challenge-LIST-325248585

Contagem regressiva para o fim: 1 dia!!



– Você roubou minhas batatas! – a vozinha infantil soou incrédula e revelava a surpresa da menina. Nunca, em momento algum, alguém lhe afanara batatas (ou qualquer outro alimento) do prato.

– Hum hummm hum hum – Stiles falou de boca cheia, secretamente satisfeito por ouvir a voz de Sophia pela primeira vez, porém sem o demonstrar. Não queria retroceder no grande avanço que fizera: talvez aquela fosse a brecha para poder atravessar o muro que a menininha erguera ao redor de si.

– Seu guloso! – ela ralhou com uma expressão muito séria. Stiles apenas sorriu suspeito e fez de conta que ia roubar mais. Sophia Hale, muito atenta, puxou o prato para mais perto de si, defendendo as preciosas fritas – Ei!

– Desculpa – o filho do xerife engoliu com dificuldade – As suas pareciam tão gostosas! Não resisti.

– Tudo bem – ela olhou de um prato para o outro, achando todas muito iguais, obrigado – Eu dividi com você.

Afinal de contas, ainda sobrara muitas batatas e ela não ia conseguir comer todas!

– Obrigado!! – Stiles sorriu – E prepare-se que ainda temos a tarde toda para brincar!

A pequenina pareceu irradiar. Nunca conhecera alguém como Stiles! Nunca fora tratada como Stiles a tratava. De repente, em seu coração inocente, começou a desejar que o dia jamais acabasse.

D&S

Para Derek Hale as horas nunca se arrastaram com tanta lentidão. Mal podia se concentrar na reunião. Olhava no relógio de cinco em cinco minutos. Confiava em Allison, mas sentia receio que algo desse errado com o adolescente. Ele parecera tão elétrico! Talvez fosse incompatível com Sophia Hale.

Queria acreditar que tudo corria bem, pois Stiles não lhe ligara nem ao menos para tirar alguma dúvida. Mas era difícil não se preocupar.

Por isso quando tudo acabou e ele se viu dirigindo de volta para Beacon Hills só uma palavra o descrevia: alívio.

O sol desaparecia no horizonte quando o Camaro preto estacionou no gramado da Mansão Hale. Derek desceu do carro, por algum motivo sentira esperança de encontrar os dois brincando no parquinho, mas tudo estava tão silencioso...

Confirmou suas suspeitas ao caminhar até lá e descobrir os brinquedos de ferro abandonados. Ia dar meia volta quando os olhos verdes captaram uma pequena mancha rosa caída perto do escorrega. Não precisou nem chegar perto para saber o que era: a porquinha rosa que sua filha jamais largava!!

Derek sentiu um arrepio frio correr por suas costas enquanto era dominado pelo mau pressentimento. Apressou-se até o brinquedo largado e o pegou. Em seguida estava avançando para a casa, quase em desespero. O que poderia ter acontecido para sua filha abandonar a pelúcia?!

Entrou na Mansão e seguiu direto para a sala principal. Ainda no meio do caminho ouviu uma frase que o fez se inflamar de raiva.

– Estou decepcionado com você, Sophia Hale – dizia a voz de Stiles – Como se atreve, garota?!

Mas todo o ímpeto de Derek desapareceu quando chegou a porta que interligava os cômodos e ele imediatamente congelou no lugar com a cena que viu.

O adolescente que contratara como babá estava deitado de barriga no carpete macio, com as pernas cruzadas no ar. Apoiava-se nos cotovelos e cortava uma folha de sulfite com uma tesoura sem ponta.

Sophia estava sentada sobre as pernas, a moda oriental, e colava algumas coisas em outra folha de sulfite. Nenhum dos dois percebeu a presença de Derek parado na porta.

Mas o homem notou a bagunça pela sala de sua casa: aqueles dois pareciam ter trazido metade dos brinquedos do quarto de cima e espalhado pelo carpete. E as tintas?! Sim, potinhos de tinta guache abertos (o vermelho estava caído e manchara o carpete estampado), além de folhas recortadas e outras coisas mais! E a menina era a imagem da bagunça: os cachos já não pareciam cuidadosamente penteados e tinham perdido todos os adereços coloridos. Algo que parecia tinta verde manchava uma das bochechas da criança. E havia dois ou três galhinhos de grama enroscado nos fios escuros! Derek nunca vira sua filha tão desgrenhada antes...

– Aff, você só pode estar brincando – o adolescente voltou a falar – Nem em um milhão de anos a Twilight Sparkle é melhor que a Pinkie Pie! A Pinkie Pie é rosa! Rosa! E tem uma linda crina cacheada...

– A Pinkie Pie fala de muito – Sophia explicou sem parar de pintar – Ela é uma bobona! E... ela parece você!

– Ei, garota! – o jovem parou o protesto e fingiu refletir, fazendo uma careta engraçada. Suspirou exagerado e derrotado – Okay, ela se parece um pouco comigo. Um pouquinho só...

Sophia riu encolhendo os ombros, antes de dizer:

– A Twilight Sparkle é uma princesa.

Então Stiles terminou de recortar e pegou um pouco de cola para unir as pontas de sua obra. Quando acabou, Derek entendeu o que era: a coroa de papel mais torta que ele já vira na vida.

– Você também é uma princesa – e colocou sobre os cabelos de Sophia, que não poderia parecer mais feliz por ganhar algo tão simples. Então o garoto notou o outro parado a porta e apontou para ele – Ei, veja quem está em casa!

Sophia ergueu os olhos e seu sorriso diminuiu um pouco. Apenas olhou para o pai em silêncio. Derek não soube o que fazer. Ele estava tomado por uma emoção tão grande, que se sentia completamente anestesiado, perdido.

Stiles, hiperativo demais para notar esses detalhes, deu a solução para o impasse.

– Eita, homem. Vai ficar parado aí que nem um psicopata? Venha cá decidir isso! – o dono da casa avançou e sentou-se no sofá, colocando a Peppa sobre o estofado – Quem é melhor? A Twilight Sparkle ou a Pinkie Pie?

E os dois olharam solenemente para Derek, aguardando a resposta como quem espera uma decisão de vida ou morte. Ele sentiu-se ainda mais acuado. Abriu a boca para responder, mas nenhum som saiu. Precisou respirar duas vezes antes de conseguir pronunciar-se.

– Twilight? – perguntou incerto, sem lembrar direito o nome que sua filha dissera.

– Viu? – Sophia olhou feio para Stiles – Todo o mundo inteiro gosta da Twilight Sparkle.

– AFF – o adolescente respondeu – Não acredito. Vocês Hale não sabem reconhecer a melhor Little Pony. Tome, recorte uma coroa para você também.

E estendeu uma folha e a tesoura para Derek. Só então o mais velho notou que além da que Sophia usava, uma segunda coroa repousava sobre o carpete. Como se fosse um sonâmbulo, ele voltou a obedecer.

Então Sophia fez um som engraçado, como alguém que se lembra de algo.

– Papai! – ela disse – Stiles roubou as minhas batatas!

Derek engoliu em seco e não disse nada. Diante disso Stilinski franziu as sobrancelhas. Começou a achar o comportamento de seu patrão temporário pra lá de suspeito! A expressão do homem era de um naufrago perdido no oceano! Totalmente diferente da figura decidida e desconfiada que partira pela manhã. O que estava acontecendo ali?

– Desculpa se as dela pareciam mais gostosas que as minhas... – ele resmungou. Então se sentou e passou a mão pelos cabelos curtos – Preciso ir embora. Querem ajuda com essa bagunça? Acho que mancha de guache sai do tecido, mas se quiser descontar do meu pagamento tudo bem – ele se referiu ao potinho de tinta caído.

– Papai! – Sophia desesperou-se – O Stiles pode vim amanhã?!

A pergunta pareceu quebrar a letargia em que Derek se encontrava preso. Ele escorregou do sofá e ajoelhou-se em frente a filha, puxando-a para um abraço.

– Claro que pode. Pode voltar amanhã e depois de amanhã... se depender de mim ele nunca mais sairá de nossas vidas – falou para surpresa de Stilinski.

A menina abraçou-o de volta.

– Obrigada!

– Agora você pode ir escolher uma roupa? Está na hora de tomar banho.

Sophia soltou-se do pai e abraçou Stiles.

– Promete que volta amanhã?

– Eu... – lançou um olhar duvidoso para Derek, como se esperasse confirmação. Quando o mais velho acenou, ele assentiu – Prometo!

– Oba – a menina vibrou antes de sair correndo da sala em direção ao quarto de dormir.

Assim que ela desapareceu, Stiles virou-se confuso e curioso para Hale. O dono da casa ficou em pé, pegando a Peppa nas mãos, os olhos verdes perdidos em algum ponto distante dali.

– O que foi... meu Deus, homem... você está chorando?!

Visivelmente emocionado Derek piscou para dissipar as lágrimas que embaçavam sua visão. Sentou-se no sofá e encarou Stiles profundamente.

– O que você fez?

– Eu juro que o que quer que tenha sido foi sem querer – ele apressou-se em dizer. Pelo visto estava encrencado – No começo foi difícil... pensei que Sophia fosse muda! Daí a gente foi pro parquinho e eu entalei no escorrega. Foi aí que a gente começou a se aproximar! Eu totalmente juro que não queria ensinar a roubar nada. Nem batatas, mas eu estava meio desesperado e... eu juro que vou ajudar a arrumar isso. Limpo o tapete! E...

– Allison não te disse nada?

O garoto coçou a cabeça.

– Ela disse que a Sophia é muito tímida. Nada mais. O que ela deveria me dizer?

Antes de responder Derek voltou os olhos para o bicho de pelúcia rosa e o analisou, distraído.

– Faz quase dois anos que minha filha não fala com ninguém.

– Ah, bom. A Allison não me avisou... o quê? O quê?!

O homem voltou-se para o garoto.

– Minha ex-esposa foi indiciada pelo incêndio que matou quase toda minha família – ele confessou. Ficou claro que era um assunto doloroso e ainda não curado – Sophia era uma pequena tagarela. Mas... depois de tudo ela fechou-se. Não imagina em quantos psiquiatras eu já a levei. O que você fez?

Stiles ficou chocado. Com certeza Allison não lhe contara aquilo. Se bem que agora fazia sentido a forma como ela avisara sobre a timidez de Sophia e sobre a menina ser especial.

Ele observou o homem que aguardava sua resposta com ansiedade. Acabou dando de ombros.

– Eu tinha a idade de Sophia quando minha mãe morreu. Câncer. Eu... eu fiquei muito assustado, sabe? Assustado com o mundo que deixou minha mãe sofrer tanto e morrer. Então encontrei uma defesa: eu falo demais e afasto as pessoas. Sou hiperativo e sofro de déficit de atenção. Tomo remédios até hoje. Mas eu precisava dessa proteção – Stiles foi dizendo – Quando me senti mais seguro deixei a barreira cair... talvez Sophia só precisasse de alguém que entendesse isso. Eu... não tentei quebrar o muro de silêncio... eu tentei convidá-la para sair por conta própria porque aqui é divertido. Ah, cara, sei lá. Não sou psiquiatra. Eu só... falo e faço muita besteira, as crianças gostam. Meu pai diz que eu tenho três anos de idade aqui – terminou tocando na fronte com a ponta do dedo.

Derek escutou com uma atenção lisonjeira. O que ouvia fazia grande sentido. E ele nunca seria capaz de agradecer. Stiles era um presente divino!

– Vou precisar de sua ajuda – confessou. Ele ficara sem ação ao ouvir sua filhinha falando depois de quase dois anos. A menina era inteligente, seus testes psicológicos geralmente mostravam maturidade. Ela sabia se comunicar muito bem. Apenas escolhera não o fazer.

Fora um choque inesperado. Ele estava tão acostumado a tratar a filha como algo frágil e danificado que não sabia nem começar a agir com uma garotinha como a que encontrara ao voltar para casa. E se fizesse algo errado? E se Sophia se trancasse outra vez?

– Você está no caminho certo, cara – Stiles aproximou-se de Derek e acertou um tapinha em seu ombro – Escolher a Twilight foi como acertar o dardo no centro do alvo.

– Quero contratá-lo...

Stiles sorriu.

– Tudo bem, enquanto estiver de férias posso vir todos os dias. Depois teremos que combinar melhor.

O dono da casa balançou a cabeça.

– Perfeito.

– Quer ajuda com esses brinquedos? – o menino se ofereceu já abaixando para pegar as peças espalhadas. Então alcançou a coroa de papel que sobrara e levantou-se para colocar sobre o cabelo de Derek. Ficou um tanto torta por causa do topete. Stiles riu baixinho – Toda princesa é filha de um rei. Ei, se me convidar para o jantar te ensino uma ou duas técnicas para roubar comida do prato de crianças.

Foi a vez de Derek sorrir largo.

– Considere-se convidado.

– Não se preocupe, senhor Hale. Cuidar de criança não é tão difícil. E a Sophia é uma graça de menina.

– Me chame de Derek – o dono da casa imitou o adolescente. Juntos recomeçaram a recolher os brinquedos. E não era pouca coisa.

Hale podia rir de si mesmo. Até poucos minutos atrás desconfiava do garoto ao seu lado, duvidando da capacidade dele cuidar de sua filha. Aprendera uma valiosa lição, e pretendia aprender ainda mais! Fora sincero: não deixaria Stiles escapar do seu lado de jeito nenhum. Graças a ele uma ferida fora fechada e parara de sangrar.

O garoto era um verdadeiro milagre em sua vida e na vida de Sophia!

Fim



Notas finais do capítulo

Gostou? Não gostou? Deixa um review!!

Gente... eu amo a Pinkie Pie! Ela é a melhor little pony de todooooos

Próximo da lista:

30 - Doing something hot (once again, be sure to tag if you make it extremely NSFW!)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "30 Day OTP Challenge" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.