30 Day OTP Challenge escrita por Kaline Bogard


Capítulo 22
Capítulo 22 - The last shot


Notas iniciais do capítulo

Título: The last shot
Autor: Kaline Bogard
Day 22: In battle, side-by-side
Genero: falta de amor no coração da autora. Acabei de inventar esse. É.
Aviso: leia por sua conta e risco, linguagem imprópria
Link do desafio: http://30dayotpchallenge.deviantart.com/journal/30-Day-OTP-Challenge-LIST-325248585

Contagem regressiva para o fim: 8 dias!!

Atenção você aí, danadinho. Não leia as notas finais antes! Tentei caprichar nessa fanfic e fazer um fim digno, se você ler o final antes estará menosprezando e sambando na cara do meu esforço. E é trapaça ò.ó Seja forte e leia certinho. Conto com você!

Dedicado a Mokona, que disse que eu não faço angst! u.u



Incapaz de dar mais um passo sequer Stiles deixou-se cair no chão. Arrastou-se até sentar encostado em uma árvore. Os olhos castanhos vigilantes escaneavam a floresta em derredor, atentos ao menos sinal de perigo.

A alta carga de adrenalina fazia seus músculos doerem de pura tensão, preparando seu corpo para qualquer reação de sobrevivência: de luta ou fuga.

Segundos após sentar-se, Derek surgiu de entre as árvores. Silencioso e taciturno foi sentar-se ao lado do mais jovem. Ao contrário de Stiles, Derek não usava um colete nem nada que o protegesse. Por mais que detestasse armas, o lobisomem portava uma exatamente igual a que seu namorado segurava.

– Derek – Stiles murmurou, incomodado com a expressão sombria de seu parceiro. Como foi ignorado, repetiu mais alto – Derek?

– Apenas... fique quieto, está bem? – Hale resmungou aborrecido.

– Sinto muito, cara. Sinto muito por tudo o que aconteceu. Eu não pensei que matar a Kira ia despertar o lado berserker do Scott... esse lance aí de True Alpha! Você acha que eu faria aquilo se soubesse?

– Você nos meteu nessa, Stiles. Eu...

– Já pedi desculpas! – o garoto desviou os olhos, sofrendo com a acusação fria nos olhos verdes que geralmente o miravam de forma mais suave – Se pudesse voltar atrás...

– Não pode.

– Perdemos Isaac e Ethan... foi minha culpa. Tudo minha culpa.

Terminou de falar erguendo os olhos. Mal se podia ver o céu entre as altas copas das árvores. Aquele trecho da Reserva Florestal era realmente fechado, de difícil acesso. A que ponto precisaram chegar para sobreviver? Se embrenhar em uma parte da floresta praticamente impenetrável, confiando nos instintos e poderes de Derek. Caçados impiedosamente por Scott, Aiden e Allison que desejam vingar-se pela perda de Kira.

O silêncio no local era completo e anormal, como se a própria Natureza tivesse parado para assistir o drama que se descortinava em seu interior. O céu, já entrecortado pelo rajar que antecede a noite, parecia a única parte do cenário indiferente aos perigos que o casal enfrentavam.

– Me usa como isca... – o humano sussurrou.

– O quê?

– Me usa como isca, Derek. Se um de nós tem que sobreviver que seja você!

O lobisomem sorriu torto, enquanto um som de deboche escapava de sua garganta.

– Eu não faria você de isca, Stiles. Nem aqui, nem nunca. Não seja idiota. Se for pra cair, cairemos juntos.

Stiles não se preocupou em esconder a surpresa pelas palavras. Não esperava algo assim do lobisomem depois de todas as besteiras que fizera e por ser o único e exclusivo culpado por estarem até o pescoço em problemas.

– Lobo bobo. Precisamos de uma estratégia...

– Estratégia? – Derek ficou ainda mais irritado – Contra um Alpha? Desculpa, Stiles. você e eu jamais conseguiremos criar uma estratégia contra Scott.

– Posso apelar para nosso passado juntos, pro lado humano dele...

Derek ergueu as sobrancelhas, não acreditando no que tinha ouvido.

– Por sua culpa a Kira já era. Que misericórdia espera encontrar em McCall?

O humano desviou os olhos para a arma em suas mãos. Talvez a piedade que Scotty tinha para oferecer fosse a única que Stiles poderia aceitar: um fim rápido e indolor. Ao contrário do que acontecera com a kitsune...

Stilinski nunca se arrependera tanto por uma ação mal planejada. Se deixara levar pelo furor do momento... Kira implorara pela vida. Mais de uma vez. E Stiles apenas puxara o gatilho. Mais de uma vez.

– Podemos nos entregar: prisioneiros de guerra...

Derek balançou a cabeça.

– Você acha que Scott vai fazer prisioneiros? Sério?

Stiles engoliu em seco. O Alpha queria nada além de vingar a namorada. Rancor é um combustível poderoso.

– Sinto tanto...

Derek fez um gesto com a mão, subitamente em alerta total. Os olhos verdes estreitaram-se e ele moveu os lábios devagar.

“Ele está aqui”, foi o que disse sem pronunciar nenhum som, porém Stiles entendeu perfeitamente.

Nervoso, o garoto passou a língua sobre os lábios. Derek tinha razão: se fosse para morrer, morreriam lutando. Tentando causar um dano, mesmo que pequeno, em quem os caçava implacavelmente. Morrer como homem é o prêmio da guerra, Stilinski pensou.

Então fez um gesto de mãos indicando que ele sairia para o ataque. Antes que Derek protestasse moveu a mão novamente, de forma que o namorado entendesse o plano: Stiles ia distrair Scott, enquanto o lobisomem devia se posicionar contra o vento e atacar pelas costas.

Hale lançou um profundo olhar para o humano. Aquele era um plano suicida, Stiles sabia disso, assim como ele. Mas era a única solução digna: nenhum dos dois queria fugir mais para dentro da floresta como covardes. Então ele balançou a cabeça e fez menção de afastar-se, todavia Stiles o segurou pela blusa. Quando o lobisomem o mirou de forma questionadora, o menino saltou sobre ele e o abraçou forte, como se não houvesse amanhã. Derek correspondeu. E após depositar um rápido beijo no canto dos lábio do namorado pôs-se em movimento suavemente, evitando fazer qualquer som que os denunciasse.

Enquanto Derek se afastava usando moitas e árvores como camuflagem, Stiles decidiu que era hora de por em prática o plano capenga.

– Scott?! – gritou – Podemos conversar, bro?

A resposta demorou alguns segundos para vir.

– Conversar? – Scott esbravejou – Claro, Stiles. Você vai conversar com a minha arma. É hora de prestar contas no inferno, cara. Fique em pé e aceite seu destino como um homem. E você, Derek... eu posso senti-lo! Não se esqueça que sou um Alpha!

Stiles apertou os lábios e praguejou mentalmente. Enchendo-se de coragem saiu de trás da árvore, com as mãos levantadas segurando a arma, deixando bem claro que não estava disposto a atacar.

– Scott, vamos conversar. Pelos velhos tempos.

– Conversar...? – o outro adolescente repetiu. Assim como Derek não se preocupara em usar algum colete ou tipo de proteção. A arma bem firme nas mãos foi direcionada para o peito de Stiles – Vai ter a mesma conversa que deu para a Kira! Você destruiu os velhos tempos!

– Olha, eu admito que foi um erro. Eu agi sem pensar! Era a minha vida em risco, cara. Pelo amor de Deus... pelos velhos tempos... eu... nós somos como irmãos!

A frase causou uma hesitação de meio segundo antes que o lobisomem desse ao gatilho sem remorso. Uma ação tão rápida que Stiles só sentiu o impacto no lado esquerdo do peito, sobre o precário colete que serviu de nada: incrédulo, o humano abaixou a cabeça e observou a mancha vermelha, o prelúdio do fim. Caiu de joelhos no chão, os olhos castanhos revelando o desespero.

– Scotty... – murmurou.

O Alpha ergueu a arma alguns centímetros, mirando na cabeça do outro garoto.

– Hora de pagar sua dívida Stiles.

O adolescente levou a mão ao peito e fechou os olhos, preparando-se para o impacto final. No entanto Derek escolheu aquele momento para surgir de umas árvores mais a esquerda, com a arma engatilhada pronta para cuspir fogo.

Scott riu cheio de si. Já esperava algo assim, pois seus sentidos amplificados tinham sentido a presença do Beta, sua localização exata. Disparou duas vezes, acertando Hale no peito coberto apenas com a camisa. Antes que o lobisomem caísse ao solo foi atingido a terceira vez no abdome. Ao tocar o chão todos sabiam que os ferimentos mortais eram intratáveis pela munição especial que Scott usara em sua arma. O fator de cura sobrenatural sequer foi acionado.

Desolado, Stiles observou seu namorado caído. O único consolo era saber que logo estariam juntos. Pelo menos era o que acreditava no fundo do coração.

– Scotty... – a palavrinha foi dita em tom de despedida. Stiles reconhecia a derrota, sabia que não adiantava mais lutar. A guerra estava perdida. Era a hora do último disparo.

– Adeus, Stiles.

O filho do xerife encolheu-se de leve e voltou a fechar os olhos, apenas aguardando pelo impacto. McCall apertou o gatilho e efetuou o tiro de misericórdia. Sua mira era invejável: acertou o humano no meio da testa. Enquanto o rapaz caia de lado no chão fofo coberto de folhas, o Alpha baixava sua arma lentamente.

– Está vingada, Kira.

O ar estagnou por um ínfimo segundo. Todas as folhas das árvores pareciam congeladas, como se o próprio tempo tivesse se paralisado diante da cena dramática. A luz do dia caíra drasticamente. Logo seria noite. Era hora de voltar para casa.

– Scotty...?

– Diga, Stiles.

– Vai tomar no meio do olho do teu cu, cara – o garoto falou enquanto se sentava – Na testa dói pra caralho! Seu filho de uma... mulher que eu respeito muito.

O Alpha riu. Tanto que teve que se sentar no chão.

– Na cabeça dói? – Derek resmungou – Então todos os tiros dessa porcaria doem – o homem falou massageando o peito dolorido.

– Eu disse pra você usar um colete – Stiles sorriu torto passando a mão pelo rosto tentando limpar a mancha de tinta vermelha que escorria – Mas você veio com aquele papo de Eu Sou O Lobisomem Fodão E Não Preciso De Frescuras... bem feito!

Hale rosnou alguma coisa que só fez Scott rir mais dos dois.

– Foi muito fácil!

– Claro. Mas me acertar na testa foi sacanagem. Amanhã vai ficar uma mancha enorme! Paintball é violentíssimo, caras.

– Ora, faz de conta que você é um unicórnio e seu chifre está nascendo. Já temos lobisomens, banshees, kitsunes... por que não um unicórnio?

– Engraçadinho!

– Tá reclamando do que, Stiles? – os três olharam na direção de Kira. A raposa estava com o rosto todo tingido de azul, assim como o colete que ela usava de proteção – Você me acertou com seis tiros!

– Ora, era uma guerra. Eu estava me defendendo. Esqueceu? Você raposa. Mim humano – o garoto foi dizendo enquanto ficava em pé, assim como Derek e Scotty – Vamos achar os outros cadáveres. Tá ficando tarde.

– Você esqueceu de um detalhe: mim kitsune, mim sentir dor! Mas temos que fazer isso mais vezes! – Kira sentia-se animada pela brincadeira. Tivera receio a princípio, mas divertira-se um bocado jogando paintball.

Stiles olhou de relance para o namorado. Fora difícil convencê-lo a brincar, mas pelo brilho nas íris esmeralda, podia-se deduzir que ele gostara um bocado também e totalmente repetiria a dose! Então teriam uma revanche contra o time Alpha!

Fim



Notas finais do capítulo

Gostou? Não gostou? Deixa um review!!

Me joga na parede e me chama de Troll! Huahsuahsuashaushua

Viu, Mokona?! Provei que você estava certa i.i

Próximo da lista:

23 – Arguing

Tudo a ver com Stiles esse... mas... poxa... prompt meio chatinho.