30 Day OTP Challenge escrita por Kaline Bogard


Capítulo 17
Capítulo 17 - To be free...


Notas iniciais do capítulo

Título: To be free
Autor: Kaline Bogard
Day 17: Spooning
Genero: drama, romance, aventura
Aviso: realidade alternativa
Link do desafio: http://30dayotpchallenge.deviantart.com/journal/30-Day-OTP-Challenge-LIST-325248585

Não foi betada! Culpem o corretor ortográfico do Word que não me avisou...



A pequena habitação se erguia quase escondida atras das grandes árvores. Estava tão afastada da estrada que somente alguém com conhecimento prévio poderia encontrá-la. Derek tinha um mapa e informações preciosas para chegar até ali.

Estacionou o Camaro no final da estrada de terra, o mais próximo possível da casa. Desligou o veículo e virou-se para o banco de trás, onde seu precioso companheiro de viagem permanecia meio deitado, enrolado em um edredom.

– Como se sente?

– Como se tivesse sido atropelado por uma manada de elefantes – brincou meio falando sério, em um fiapo de voz.

Derek observou a face pálida, quase translucida em contraste com as olheiras profundas que rodeavam os olhos castanhos. A aparência era péssima, mas Derek ficou feliz que o garoto tivesse animo para brincar, significava que o espirito de Stiles ainda lutava para sobreviver.

– Você vai ficar bem.

O humano sorriu sem responder. Foi nesse momento que a porta se entreabriu e uma silhueta entrecortou-se contra a parca claridade emanada da casa.

– Derek Hale? – uma voz firme indagou.

– Sim. Deaton?

A resposta do homem foi avançar, abaixando a mira de uma arma que Derek tinha intuído pelo cheiro de pólvora e wolfsbane.

– Vocês são pontuais – aproximou-se confiante do carro. O lobisomem pode ver que ser tratava de um homem mais velho, não muito alto; todavia de presença marcante – Como ele está?

– Cansado – Derek respondeu – E aposto que faminto.

– Totalmente faminto – Stiles concordou.

– Traga-o para dentro. Tenho os documentos quase prontos. Quase finalizamos a alteração no banco de dados da Agência Argent.

Derek ouviu as informações com atenção solene. Disso dependia não apenas a sua vida, mas a vida do jovem acomodado no banco de trás do Camaro e que confiava no lobisomem a ponto de entregar todas as suas cartas na arriscada jogada.

Ciente da responsabilidade que carregava nos ombros Derek saiu do veículo para pegar o companheiro, foi fácil; já que desde que a louca aventura começara Stiles perdera muito peso, sofrendo os efeitos da ausência de medicação.

Deaton observou a cena antes de lançar um ultimo olhar para as redondezas e seguir para dentro da casa, seguido por seus convidados. Indicou que Derek deveria acomodar Stiles sobre o grande sofá, enquanto ele ia sentar-se em uma das poltronas.

– Duas semanas sem medicação? – Deaton questionou.

– Sim – o lobisomem respondeu. O olhar cheio de preocupação preso em Stiles – E está bem difícil...

Usava como referência sua última transformação. Passara pela lua cheia há exatas duas semanas, para só então por o plano em prática com maior segurança. Não podia se transformar no meio da jornada!

– Acredito que o pior da abstinência já passou – o dono da casa tratou de tranquilizar os jovens – Minha irmã me mantem informado sobre tudo o que a Agência faz com humanos. Se tivesse utilizado a nova droga nesse garoto ele estaria bem pior e seria mais difícil limpar seu organismo.

Derek não disse nada. Já estava sendo bem difícil até ali. Não queria nem imaginar um cenário de maior sofrimento para Stiles.

– E o plano daqui para frente? – o lobisomem perguntou.

– Você vai ter que deixar o carro aqui. Tenho um carro adaptado e protegido para vocês passarem pelo controle de saída de Beacon Hills. Um dos nossos especialistas em informática está terminando as alterações no sistema, para você deixar de ser Derek Hale no banco de dados.

– Obrigado – foi Stiles quem agradeceu. Aos dois presentes naquela sala. Sabia o quanto eles arriscavam para ajudá-lo a escapar.

– Não agradeça – Derek resmungou.

– Sempre sourwolf... – sorriu.

– Hale tem razão – Deaton cruzou as mãos sobre o colo e recostou-se no sofá – Cada dia mais e mais lobisomens discordam das leis atuais. Mas ainda estamos longe de libertar-nos do sistema. Até lá é nosso dever proteger todos os humanos que pudermos.

Derek balançou a cabeça. Não seria tolo de dizer que se importava com outros humanos. Ele importava com Stiles. Apenas Stiles. Até pouco tempo fizera parte do grupo de pesquisas na Agência Argent, estudando todos os humanos que conseguiam capturar.

Sim. Vivam uma sociedade em que a maioria das pessoas nascia com uma terrível maldição: carregavam uma bestialidade dentro de si, que ficava sem controle nas noites de lua cheia. Mas eventualmente nascia uma criança livre disso, que não era dominada pela fera em nenhuma das fases lunares. A essas chamavam de humanos. Sempre que descobriam uma dessas crianças ela era tomada da família e levada para uma sede da Agência, onde passava por diversos testes, lhe ministravam drogas e medicações, tudo para descobrir o segredo.

Lobisomens desejavam descobrir o segredo da liberdade. Talvez a cura estivesse no sangue dos nascido humanos...

Mas conhecer aquele jovem deitado ao seu lado fizera todas as convicções de Hale caírem por terra. Ele se viu apaixonado a tal ponto que raptá-lo e levá-lo para longe da Agência era a única solução.

E ali estavam eles, com Stiles sofrendo de abstinência por se ver livre das drogas que era obrigado a ingerir; caçados por lobisomens que não podiam perdoar a traição de Derek. Rumo a uma terra em que supostamente poderiam viver juntos e felizes. Uma terra que Hale nem tinha certeza existir.

A vida de ambos fora depositada nas mãos de rebeldes incógnitos. Lobisomens e humanos unidos lutando contra o governo e suas práticas recheadas de crueldade. Tudo dera certo até o momento, amparados por desconhecidos misteriosos, Derek e Stiles tinham sido orientados e guiados até a casa de Deaton para receber a derradeira ajuda antes de serem verdadeiramente livres.

– Preparei uma sopa especial. Ela é feita de orquídea azul, uma flor extremamente rara que ajuda na desintoxicação das drogas usadas pela Agência. Leve-o para o quarto de cima: segunda porta a direita, logo sirvo vocês.

– Obrigado – foi a vez de Derek agradecer enquanto levantava-se e pegava seu companheiro nos braços.

– Não agradeça. Já estive no lugar de Stiles. A humanidade é frágil, Derek. E linda. Precisamos protegê-la por isso. Não podemos deixar que seja destruída. Há uma razão para a Deusa Mãe impor uma maldição aos lobisomens e a cura não será encontrada destruindo uma espécie mais fraca – Deaton sorriu fraco assistindo seus hóspedes subir as escadas.

Derek não disse mais nada, ele concordava com as palavras do humano mais velho agora.

O quarto oferecido era simples, mas limpo e agradável. Havia uma cama de solteiro e um criado mudo com um abajur, nada mais.

Com cuidado colocou Stiles sobre o colchão, ajeitando o edredom em volta do corpo trêmulo.

– Fica comigo, Sourwolf. To com frio... – o garoto pediu em um fio de voz.

Hale jamais poderia negar um pedido daquele. Mesmo a cama sendo estreita, ele deu um jeito de entrar na coberta e apertar-se, com a mão sobre a cintura do companheiro, puxando-o de modo que apoiasse as costas contra seu peito. Podia sentir o corpo doente tremendo de leve parando aos poucos, conforme o calor sobrenatural do lobisomem envolvia a proteção do edredom.

– Não vou deixar que nada aconteça a você – Derek prometeu mesmo sem ter garantias do futuro.

– Eu sei – Stiles respondeu baixinho, fraco demais para lutar contra o cansaço e o sono que roubavam sua consciência.

A única certeza que o lobisomem tinha era que protegeria o garoto de todas as formas possíveis, ou morreria tentando.

Algum tempo depois, quando Deaton bateu na porta e entrou com uma grande tigela de sopa fumegante, descobriu que Stiles adormecera e Derek vigiava seu sono.

– É a primeira vez que ele dorme tão profundamente – o lobisomem revelou baixinho. Estavam na mesma posição de conchinha, com Hale mantendo o garoto contra seu corpo cuidadosamente.

– Hn – o dono da casa caminhou até o criado-mudo e colocou a vasilha sobre ele.

– Ele precisa se alimentar, é perceptível como está fraco e desnutrido. E a sopa vai ajudar com a descontaminação – respirou fundo – Não vou mentir, Derek. A viagem de amanhã será terrível para um humano nas condições dele...

Derek apenas balançou a cabeça, assistindo silencioso enquanto Deaton saia do quarto. Prometeu que deixaria Stiles descansar um pouco mais antes de despertá-lo para tomar a sopa. Afastou da mente o que poderia haver de tão ruim na viagem de amanhã.

Fosse o que fosse enfrentariam juntos.

Continua



Notas finais do capítulo

Gostou? Não gostou? Deixa um review!!

Eita, eu ia colocar “Fim” ali e deixar o final da aventura por conta da imaginação dos leitores. Eles conseguiram passar a fronteira? Sim ou não? E a terra prometida? Existe de verdade ou é um sonho? Será que o Deaton é mesmo tão bonzinho? Mas resolvi ser legal e transformar em um duoshot. Terminamos a aventura amanhã! Conto com vocês nesse final épico -não tão épico assim-

Próximo da lista:

18 - Doing something together (this can be anything from watching tv to having sex.  Just remember to tag appropriately.)

Já aviso que nem será NSFW u.u O que acham de uma Deathfic? Os dois morrendo juntos seria lindo e inusitado, não?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "30 Day OTP Challenge" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.