O Olho Vermelho escrita por Igor L S C Oliveira


Capítulo 108
Sangue Divino




Segundo Andar Subterrâneo do Pandemonium, “As Terras Úmidas”

 

TITÂNIA LANÇOU UM CHUTE COM TODAS AS SUAS FORÇAS CONTRA ELE, mas o Retalhador só teve que erguer um de seus braços para bloquear o golpe. Titânia era forte, não havia dúvidas quanto a isso..., mas até mesmo a força dela encontrava limites no corpo-a-corpo, e Retalhador não era fraco.

— Persiste com isso, Titânia? – Questionou ele em tom casual enquanto se defendia, e o simples som da sua voz pareceu irritar Titânia o bastante para fazer a mulher grunhir. – Você não é idiota. Já deve saber que isso não vai funcionar. Alguns dizem que a persistência é uma qualidade admirável, mas quando se insiste em algo que nunca vai funcionar você começa a ser teimoso, e a teimosia é simplesmente irritante.

A resposta dela a isso foi grunhir novamente, abaixar sua perna, girar rapidamente em torno de si mesma e desferir um novo chute com toda a força contra Retalhador, pelo mesmo ângulo e no mesmo local, como se estivesse desafiando o seu bloqueio a resistir a isso. O golpe fez mais força contra ele, sim, mas ainda esteve bem longe de ser o suficiente para representar uma ameaça, e um movimento tão estúpido apenas desagradou o assassino. Seus olhos se afiaram um pouco mais e ele jogou seu corpo para frente, lançando um ataque que Titânia notou e normalmente seria capaz de evitar, mas graças ao seu último ataque, ela simplesmente não tinha condições de tentar qualquer esquiva. Sua mão perfurou o estômago dela a partir do que deveria ser o seu umbigo, quase chegando a atravessá-la, mas antes que pudesse fazer isso ela se apressou em colocar seu outro pé no chão e saltar para trás, conseguindo se afastar o suficiente bem no último momento. Tch. Acha que isso muda alguma coisa? Agora, daqui a alguns minutos, não importa; você morre aqui, Titânia.

Por um momento sentiu-se tentado a avançar novamente contra ela, mas pensou melhor e decidiu por não fazer isso. Ela pode estar desarmada, mas ainda é uma Ascendente. Subestimá-la é uma boa forma de acabar morto. Não, tinha de tomar cuidado com ela, certificar-se de manter sempre a vitória em suas mãos. E além do mais, não é necessário que eu avance. Pela forma como ela lhe encarava com um olhar furioso, pelo tamanho do buraco que havia criado em seu estômago e pela quantia de sangue que escorria dele, ela iria ter de avançar contra ele. Se não porque ela quer, porque ela não pode se dar ao luxo de estender essa luta por muito tempo.

Foi exatamente isso que ela fez. Ela persistiu em lhe encarar por alguns momentos, para que então os seus olhos subitamente brilhassem e ela avançasse correndo de uma única vez. Com um salto ela foi alto, e sem muitas dificuldades ela girou em torno de si mesma enquanto no ar, lançando um chute carregado contra Retalhador. Esse foi bem mais forte do que os seus ataques anteriores; ainda conseguiu bloqueá-lo só com um antebraço, mas dessa vez sentia uma pressão que quase conseguiu arrastá-lo alguns centímetros para o lado, e isso fez com que ele notasse algo. Os golpes dela... eles estão ficando progressivamente mais fortes. Não sabia se isso era ela controlando a força por trás de seus golpes ou fruto dos movimentos que ela fazia antes de desferi-los de fato, mas isso podia se tornar rapidamente bem problemático, o que fazia com que fosse algo que Retalhador não apreciava nem um pouco. Tenho que me apressar com isso. Nada de bom vai ocorrer se eu ficar prolongando essa luta.

Já estava praticamente preparado para lançar um novo golpe contra ela quando viu a segunda perna de Titânia mover-se contra ele em um golpe vertical, de cima para baixo. Grr! O ataque era fútil, mas o suficiente para força-lo a parar sua própria ofensiva afim de se proteger, e isso já era o bastante para frustra-lo. Ficaram os dois naquela posição, ele com os dois braços ocupados e ela acima dele, apoiada e sustentava por ambas as suas pernas, que eram por sua vez sustentadas pelos braços que haviam as bloqueado anteriormente. Isso é um impasse, se um dia vi um. Naquela posição, Retalhador era incapaz de fazer muito, mas o mesmo valia para Titânia; qualquer que fosse o plano dela, ela não conseguiria lhe acertar ataque nenhum naquela posição, e por isso ele estava praticamente apenas esperando agora, observando o que ela iria fazer agora.

Para sua surpresa, a resposta dela foi bem simples. Ela dobrou seu torso muito mais do que qualquer pessoa deveria ser capaz de fazer – quase como se não tivesse ossos em seu corpo – e brandido um punho ela acertou Retalhador direto no meio do rosto com um soco poderoso o suficiente para jogar seu rosto para baixo.

Essa... vadia...! Não sabia se estava mais surpreso ou irritado por aquilo, mas também não tinha tempo para se focar em algo assim. Com aquele golpe, Titânia havia conseguido abalar a sua guarda o suficiente para que ela pudesse mover suas pernas livremente por um momento, e ele compreendeu que era exatamente isso que acontecia quando sentiu algo se enroscar ao redor do seu pescoço. Seus olhos haviam se fechado com o soco dela, mas eles tornaram a se abrir nesse momento, bem a tempo para que visse ela jogando seu corpo agora para trás como se estivesse dando um mortal, só que ela fazia isso enquanto ambas as suas pernas estavam segurando Retalhador. Elas o puxaram com força, e por mais que tentasse ele simplesmente não conseguiu impedir seu movimento; com aquela manobra Titânia havia ido ao chão, mas simultaneamente ela havia também arremessado Retalhador para trás, para o outro lado da sala.

Maldição... essa maldita mulher! Girou em meio ar, movido por sua ira crescente, e aterrissou agachado e apoiando uma de suas mãos no chão, rangendo seus dentes em fúria enquanto via Titânia se erguer de novo também. Com aquela armadura e ferida a queda em meio àquela água pantanosa não deveria ter sido um bom banho, mas ela não parecia se importar; tudo o que fez foi passar uma mão pelo rosto para limpar o excesso d’água e jogar seus cabelos úmidos para trás, e logo em seguida os seus olhos afiados se fixaram em Retalhador e ela assumiu uma posição de combate. Ela pretende continuar no corpo a corpo? Mesmo depois do que já ocorreu? Sabia que ela não tinha muitas opções, mas mesmo assim não deixava de se maravilhar com aquilo. Se não estivesse tão irritado, provavelmente diria que aquilo era de uma bravura admirável. Mas em seu estado atual, não conseguia ver aquilo como nada mais do que uma estupidez colossal.

... Bom, muito bem, decidiu ele, fechando suas mãos em punhos e afiando seus olhos. Eu havia decidido antes por não avançar para não me colocar em perigo desnecessário, mas vejo agora que estarei em perigo maior ou igual se simplesmente ficar parado aqui e deixar ela vir contra mim. Assumir uma postura ofensiva é a melhor forma de acabar com essa batalha... e a melhor maneira de lidar com a minha raiva.

Afinal de contas, em sua experiência, nada extravasava a raiva melhor do que espancar o responsável por ela até a morte.

 Avançou contra ela com tudo, aproveitando da sua magia e de suas habilidades para avançar ainda mais rápido pelo pequeno pântano que era o solo daquele andar. Uma de suas mãos disparou direto em direção ao rosto dela, mas Titânia era rápida e estava atenta, e com um golpe em seu antebraço ela conseguiu redirecionar seu ataque para cima, fazendo com que ele não fizesse nada mais do que raspar nos cabelos dela. Em resposta a isso ele moveu sua outra mão como se fosse uma espada, descendo a palma aberta e revestida pelo poder da sua Aloeiris em direção ao pescoço dela, visando rasga-lo em um movimento e espalhar o seu sangue pelo chão. Mas ela também evitou esse golpe com agilidade quase que felina, abaixando-se rapidamente enquanto simultaneamente dava um passo para o lado, colocando-se em posição perfeita para o que ele sabia ser um inevitável contra-ataque. Um dos punhos dela atingiu pela lateral, direto em sua costela, e o impacto foi doloroso o suficiente para que Retalhador tivesse que morder com força os próprios lábios para não gemer em dor. Tentou revidar movendo novamente uma de suas mãos numa segunda tentativa de cortar o pescoço de Titânia, mas a mulher provou-se mais uma vez rápida em reações, jogando seu torso para trás o suficiente para que a mão de Retalhador não conseguisse lhe atingir, enquanto ao mesmo tempo se aproveitava desse movimento para lançar um chute alto contra ele, mirando em seu rosto. Conseguiu bloqueá-lo sem muita dificuldade, mas então ela praticamente jogou seu corpo contra ele e acertou uma cabeçada em cheio na sua testa com uma força que o deixou completamente desnorteado por não mais do que um momento, mas um momento era tudo que ela precisava. Seus olhos haviam se fechado em dor quando a cabeçada lhe atingiu, e eles logo se arregalaram em dor quando o punho duro de Titânia o atingiu na boca do estômago. Maldita...! O golpe foi simples, mas extremamente eficaz; ele fez com que perdesse o fôlego, e isso deu a Titânia a chance perfeita para seguir com sua sequência. Um gancho lhe atingiu no queixo, jogando seu rosto para cima, e logo em seguida um soco lhe atingiu pela esquerda, fazendo com que seu corpo pendesse para a direita, bem de encontro ao próximo golpe. O terceiro soco lhe fez pender para a esquerda, e dessa vez ele não foi recebido por um punho, mas sim por um chute giratório que quase fez com que ele rodopiasse em torno de si mesmo. Mas que... merda, eu não consigo reagir a tudo isso! A sequência de ataques estava sendo rápida demais e mirada direto na sua cabeça, o que significava que ele não só estava tendo problemas para acompanhar os golpes devido a sua velocidade e a sequência na qual estavam envolvidos, mas também que ele estava sendo constantemente atordoado, o que fazia com que seus movimentos ficassem mais lentos e imprecisos a cada instante que passava. Droga, eu não posso deixar ela continuar com esses ataques assim! Eu tenho que reagir! Até pouco tempo atrás aquela mulher estava em completa desvantagem enquanto tentava o enfrentar no mano-a-mano – era simplesmente impossível que ela tivesse realmente melhorado tanto em tão pouco tempo. Isso tudo é a sequência. Isso é tudo uma consequência da sequência. Se eu conseguir pôr um fim nisso – se eu quebrar essa sequência – essa mulher morre em seguida!

Foi com esse pensamento em mente que ele se virou novamente na direção dela já se movendo para o ataque. Investiu com ambas as suas mãos como se fosse lanças na tentativa de perfurar o crânio de sua oponente, mas tudo que seus dedos roçaram foram os cabelos de Titânia, pois quando desferiu seu golpe ela já havia se abaixado, e ajeitado toda a sua postura para desferir o seu próprio golpe.

Um pulso sobre o outro como se fossem um único membro, suas palmas ambas abertas com seus dedos meio curvados, meio fechados, apontando direto para o Retalhador. Foi com essa estranha posição das mãos que Titânia investiu, mas por mais estranha – ou até mesmo bizarra— que ela fosse, ninguém poderia negar a sua efetividade. A força por trás do ataque foi em um nível completamente diferente da que trazia por trás de qualquer outro de seus ataques, gerando uma onda de impacto tão forte que as paredes e o teto daquela sala racharam de imediato, e a mera deslocação do vento foi o suficiente para que fazer com que todo o pântano diretamente atrás de Retalhador se abrisse, as águas indo para a esquerda e para a direita como que empurradas por pura vontade divina. Mas apesar de tudo aquilo ele não foi lançado longe imediatamente: ele ficou completamente firme onde estava por um segundo ou dois, suas feições lentamente assumindo as expressões de dor e incredulidade que aquele ataque provocou antes que seu corpo fosse isolado para trás de uma única vez. Ele foi arremessado quase que até o outro ponto da sala em menos de um instante, suas costas raspando no chão cheio de lodo enquanto continuava a ser empurrado para trás pela medonha força daquele golpe. Sentia sua barriga sangrar, pois com aquele último golpe os dez dedos de Titânia haviam furado a sua pele, deixando que seu sangue vazasse em um ritmo que, embora não fosse alarmante, era incessante. Isso não deveria ser possível, pensou ele, mesmo enquanto a água voltava a ocupar o território do qual havia sido expulsa e seu rosto era submergido em água suja e densa, pela qual ele não podia ver. Ela não estava demonstrando uma quantia de força sequer perto disso antes. Eu estou enfrentando ela já há algum tempo, e ela definitivamente não havia exibido nada eu sugerisse que ela tinha tanto poder ou uma habilidade de combate desarmado assim tão grande! Então, como? COMO?! Se ergueu com os olhos cheios de fúria, batendo na água como se quisesse chocá-la, encarando imediatamente Titânia, que já havia se colocado novamente em uma postura de batalha. Sabia que os olhos sérios e focados eram praticamente uma marca tradicional dela, mas naquele momento estava furioso demais para raciocinar sobre isso, e a única coisa que viu ao olhar para eles foi um ar de zombaria e superioridade que fez com que Retalhador se sentisse ainda mais irado.

COMO VOCÊ ESTÁ LUTANDO ASSIM?! — Exclamou ele a plenos pulmões, completamente possesso em fúria, tendo que se controlar para não avançar direto contra ela no que seria um ataque estúpido e potencialmente suicida. – D’aonde é você tirou todo esse poder? Cinco minutos atrás você mal era capaz de me fazer suar ou tremer, não conseguia nem chegar perto de me atingir um golpe, mas agora você está lutando comigo em um nível de igualdade! Não... você está chegando a ter vantagem na luta! Como?! O que diabos você fez, Titânia?!

— .... Que barulhento. Faça silêncio, membro do Olho Vermelho. Eu gostaria de terminar essa luta com meus tímpanos intactos – murmurou ela em um tom completamente condescendente que conseguiu irritar ainda mais o Retalhador. Foi apenas a sua certeza de que ela estava fazendo isso de propósito para o induzir a cometer um erro que fez com que ele conseguisse se aguentar sem avançar contra ela, embora isso estivesse ficando mais e mais difícil a cada minuto que passava. – Eu não tirei esse poder de lugar nenhum. Eu simplesmente não estava o utilizando. Eu não sei se você já ouviu falar disso, mas uma das atividades mais importantes que devem ser realizadas antes de uma batalha é o reconhecimento. Basicamente, observar e analisar seu inimigo para que você consiga ter uma boa noção dos seus pontos fortes e fracos, do seu modo de agir, das suas habilidades especiais, do seu temperamento, enfim, de todos os parâmetros relevantes dele. Era isso que eu estava fazendo. Eu estava analisando os seus parâmetros para determinar exatamente do que você era capaz, enquanto simultaneamente controlava a minha força para impedir que você fizesse o mesmo.

— Analisando? Controlando sua força? Você realmente acha que eu irei acreditar em algo assim?! – Ergueu um dedo e com ele apontou para o buraco na barriga de Titânia, fruto do golpe que havia acertado nela não mais do que alguns minutos atrás. A cavaleira estava tentando ignorar aquela ferida nesse exato momento, mas um rombo como aquele não podia ser simplesmente ignorado. – Se você estivesse realmente controlando a sua força, isso significaria que você teria a possibilidade de melhorar o seu desempenho subitamente conforme a sua necessidade. Essa ferida demonstra a mentira em meio a sua afirmação. Se você tivesse poder escondido ao seu alcance, você nunca teria deixado que eu abrisse um buraco como esse em você. Então, pare de mentir e diga logo a verdade. De onde saiu esse poder?!

— Hunf. Você fala como se um ferimento superficial como esse fosse algo com o qual eu devesse me preocupar – disse Titânia, claramente se referindo ao buraco em questão, e para exemplificar o seu ponto ela desferiu dois tapinhas nele com uma das mãos. Nenhum sinal de dor cruzou o seu rosto em momento algum. – Eu sou uma cavaleira, membro do Olho Vermelho. Fui treinada desde pequenas pelos melhores, para ser a melhor. Uma ferida tão leve quanto essa nunca vai significar nada para mim. E além do mais, eu estou falando a verdade. Se você prefere acreditar na ilusão de que eu estou mentindo para não ter que lidar com o fato de que é mais fraco que eu, esse é problema seu.

Surpreendentemente, aquela provocação não fez muito com ele. Não sabia se isso era porque estava conseguindo recuperar um pouco do seu autocontrole ao manter um pensamento racional, ou simplesmente pelo quão óbvio ele soou, mas de alguma forma Retalhador estava se acalmando um pouco a medida que o tempo ia passando. Não o suficiente para deixar de estar irritado, mas o bastante para avaliar a situação de forma um pouco mais analítica. Essa última declaração dela, sobre o seu ferimento... ela definitivamente foi um blefe. Não há dúvidas quanto a isso. Era verdade que ela era uma cavaleira de elite, e Retalhador não ia fingir entender o processo de treinamento pelo qual pessoas como ela deveriam passar, mas ele entendia de humanos, e sabia o suficiente para ter a certeza de que, independentemente do quão forte alguém pudesse ser, não havia um homem ou mulher no mundo que podia ignorar completamente um ferimento como aquele. Não importa o quão forte você é, uma ferida é uma ferida. Pode ser mais difícil para você se ferir ou você pode estar mais acostumado ao ponto de ser tolerante a um certo nível de dor, mas isso não muda o fato de que essa ferida ainda existe e que ela influencia no seu desempenho. Pelas palavras que ela estava dizendo, a impressão que tinha era de que ela queria afirmar que isso não acontecia... ou, mais especificamente, que isso não tinha relação com o aumento da sua força. E isso também é algo no qual eu não acredito. Você pode mentir o quanto quiser, Titânia, e pode mentir para quem quiser, mas isso não significa que eu vou acreditar em qualquer merda que você jogue pra cima de mim. Esse ferimento... ele está relacionado ao aumento dos seus poderes, não é? Na verdade, eu aposto que ele é o responsável pelas suas mais novas forças.

Um pouco de sangue estava escorrendo de um lábio rachado, portanto tratou de limpá-lo com seu dedão enquanto mantinha os olhos fixos sobre a sua oponente. Você não me parece ser uma maga, e não ouvi nada sobre Ensinos Mágicos quando você estava sendo treinada, o que significa que isso é mais provavelmente fruto de uma Aloeiris especial do que qualquer coisa. Uma Aloeiris que de alguma forma convertia os danos sofridos em poder bruto para ser utilizado pelo usuário... esse francamente não parecia um pensamento muito exagerado, considerando as coisas que já havia testemunhado naquele mundo. Mas se eu estou certo, então a consideração disso implica que ela vai ficar continuamente mais e mais forte a medida que for sendo ferida. O que significa que, conforme eu vá lhe derrotando, ela vai ficando mais e mais poderosa. Era estranho que uma habilidade tão poderosa e crucial como essa não tivesse sido informada a ele, mas conseguia imaginar o porquê disso. Ela provavelmente nunca acabou ferida enquanto no Salão Cinzento, então Behemoth não deve ter tido acesso a essas informações, e se eu não me engano, não foi ela que sofreu o bruto do ataque de Balak quando ele enfrentou os dois mais fortes da quinquagésima nona leva. É... “possível” que ela apenas não tenha sido ferida ao ponto de mostrar uma diferença notável em suas habilidades até o momento em que fugiu – um ponto a partir do qual Balak não teria a chance de avaliar o desempenho dela. Qualquer que fosse o caso, supunha que isso não importava de verdade naquele momento. Eu já tenho uma boa teoria de qual é a Aloeiris dela, então... o que resta agora é pensar em uma estratégia para contornar esse problema.

Supunha que uma resposta para esse impasse seria simplesmente causar dano muito rápido; se atacasse em uma sequência como ela havia feito antes, o mais provável é que conseguisse a matar muito antes que ela tivesse uma chance para contra-atacar. Mas prendê-la em uma sequência de golpes em primeiro lugar seria algo extremamente complicado, principalmente agora. Ela é uma guerreira habilidosa e uma mulher esperta, e o aumento de poder que sua Aloeiris lhe concedeu apenas faz com que isso seja ainda mais difícil. Podia tentar também simplesmente causar dano o suficiente para inutiliza-la. Por mais que a Aloeiris fosse no caso fazer com que ela se tornasse progressivamente mais forte a medida que ia sofrendo dano, ela ainda era humana, e seu corpo tinha limites. Depois de uma certa quantia de dano sofrido seria completamente impossível para ela fazer qualquer coisa, não importa o quão forte ela possa ser. Essa parece uma alternativa viável..., mas não posso dizer que gosto muito dos riscos que corro com ela. Eu não sei qual a taxa de conversão de dano em poder, nem sei qual a quantia de dano que deve ser feita para que uma mulher como ela seja tirada de luta. Deveria haver uma quantia ideal de dano que ela deveria sofrer para aumentar ao máximo o seu poder enquanto a mantinha em boas condições de batalha, mas o problema era que não tinha a menor noção de qual seria essa quantia, o que abria a possibilidade de estar colocando-a ainda mais próxima dela se apenas continuasse atacando descuidadamente. Em outras palavras, eu não posso me dar ao luxo de ficar causando dano indevido ou gratuito. Eu tenho que ser um pouco mais “efetivo”, por assim dizer.

Por sorte, conseguia pensar numa boa maneira de alcançar seus objetivos. Faz muito tempo desde a última vez que tive de recorrer a técnicas como essa, pensou Retalhador – não, Scar, lançando um rápido olhar para seus braços, rodeados pela energia da sua Aloeiris, prontos para entrar novamente em ação. Desde que me juntei ao Olho Vermelho, eu tenho feito cada vez menos missões como um assassino. Matado pessoas? Muitas vezes. Mas agi pouco como um verdadeiro assassino. Pelas orientações de Balak. Uma das coisas que o Mago do Tempo havia se certificado era que Scar se afastasse da sua vida passada – não exatamente parando de matar pessoas, mas parando de matar pessoas em troca de algumas moedas. Matar pessoas por moedas e matar pessoas por uma causa... as duas são coisas completamente diferentes. Balak fez com que eu parasse de agir como um assassino e começasse a ser um guerreiro, e isso fez com que eu visse algum sentido na vida por uma maldita vez. Palavras não podem expressar o quanto sou grato a ele por isso.

E com uma gratidão tão grande assim, ter de recorrer aos seus meios antigos para eliminar uma ameaça era pouco para ele. Se essa mulher me derrotar, a Joia do Infinito será destruída, e isso marcará a perdição de Balak. Se para impedir algo assim eu tenho que voltar a ser um assassino, então farei isso com prazer!

 Do seu corpo começou a vir uma névoa negro, escuro como a noite, frio como o gelo. Uma névoa que foi se espalhando a partir dele, cobrindo seu corpo e avançando para o resto da sala. O olhar de Titânia se tornou apreensivo ao ver aquilo, e não demorou para que ela começasse a parecer incerta sobre o que estava fazendo. Até então ela está apenas parada, esperando pelo meu ataque para reagir adequadamente. Mas aposto que nesse exato momento algumas perguntas bem problemáticas estão passando pela mente dela. “O que é essa névoa?” deve ser uma delas. “O que ele está fazendo?” deve ser outra. No fim das contas, não era como se essas perguntas importassem muito. Independentemente do que ela pensasse, sua ação seria a mesma. Se lhe desse tempo o suficiente, Titânia iria decidir por avançar contra ele, buscando lhe derrotar antes que pudesse usar aquela névoa para qualquer coisa. Mas eu não vou lhe dar tempo.

Arte Negra do Deus da Morte — anunciou ele, cruzando seus braços em uma posição que não havia feito a muito tempo, com suas mãos retas como se fossem facas, seus dedos cobertos pela sua Aloeiris enquanto a névoa negra saia em quantias exorbitantes a partir dos poros da sua pele, tomando rapidamente conta da sala. – Cortina Sombria!

Menos de cinco segundos. Esse foi todo o tempo necessário para que a Cortina Sombria engolisse todo o ambiente em uma névoa negra demais para que qualquer olho humano pudesse ver através dela. Ou para que qualquer humano possa fazer qualquer coisa dentro dela. Aquela era uma técnica de assassinos, e não apenas porque ela cobria a visão de seus oponentes. A Cortina Sombria é uma técnica de assassinos de elite, pelo simples fato de ela ter a habilidade de anestesiar completamente os seus alvos. Uma vez que alguém que não seja o usuário entre em contato com a Cortina Sombria, todos os seus sentidos são inutilizados. Visão, tato, olfato, audição, paladar... o alvo não tem acesso a nenhum deles, e isso faz com que ele já esteja praticamente morto. Naquele exato momento, a situação estava completamente sobre o seu controle. Podia abrir o peito de Titânia e encher a boca dela com o seu próprio sangue que a mulher não sentiria nada, exceto talvez a tonteira que a perda de sangue causaria. Mas isso seria brincar com ela, e isso não era algo que Scar queria. Eu sou um assassino. Se é pra agir como um assassino, então farei isso direito.

Assassinos não brincavam com suas presas. Eles as matavam de forma rápida e eficaz.

Avançou em uma linha direta contra Titânia, sem se importar com o barulho que seus movimentos faziam. Ela não ouve nada, e isso era provado pela forma como ela continuava fixa onde estava mesmo enquanto ele chegava cada vez mais perto, sem demonstrar qualquer reação específica ao seu avanço, apenas movendo a cabeça para um lado e para o outro na tentativa de o encontrar. Um golpe. É só disso que eu preciso. Um único e bom golpe. Saltou contra ela, movendo sua mão direto contra o pescoço da cavaleira.

E ela jogou o corpo para o lado e desviou do golpe no último momento.

O quê?! Aterrissou em segurança no chão, embora o seu rosto preocupado não demonstrasse muito isso. Seus olhos foram imediatamente para ela; como o criador da Cortina Sombria, Scar era o único que podia ver bem mesmo em meio a toda aquela escuridão, e isso era o que lhe permitia ver que Titânia estava bem em pé, tendo evitado completamente o seu golpe. Im-impossível! A Cortina deve ter anestesiado todos os sentidos dela! Como ela foi capaz de reagir ao meu golpe?! Visão, audição, olfato... por mil diabos, ela não tinha tato, então ela não podia sentir nem sequer a deslocação do vento causada pelos seus movimentos! Não importa como eu pense sobre isso, algo assim não faz sentido nenhum! Ela simplesmente não deveria ser capaz de desviar dos meus golpes! A não ser que... ela de alguma forma quebrou os efeitos da minha técnica?

Essa foi uma consideração momentânea dele, mas nada que realmente vigorou. Não. Ela não pode ter feito algo assim. Por mais útil que ela fosse, a Cortina Sombria nunca seria uma técnica usada por assassinos de elite se fosse fácil de se quebrar, e de qualquer forma aquela mulher não era nenhuma maga para conseguir lidar de alguma forma com os efeitos da sua técnica. Além do mais, não faz sentido imaginar que ela realmente saiu disso. Olhando para Titânia era dolorosamente óbvio que os seus movimentos eram como os passos de um homem bêbado. Faltava coordenação e sentido de verdade a eles, fazendo com que fosse quase que um milagre que ela não tivesse caído ao chão até agora. Esses movimentos são realistas demais para dizer que ela está simplesmente fingindo ou coisa do tipo. Ela ainda está sobre os efeitos da minha técnica, eu tenho certeza disso. Um fato como esse estabelecia problemas como a consideração de como ela havia desviado do seu golpe, mas era pelo menos um alívio em alguns sentidos, deixando claro que sua habilidade ainda estava funcionando como deveria. O fato dela ter desviado ainda é um problema e um mistério, mas isso é algo que pode ser avaliado. E além do mais, eu não posso deixar de me perguntar... por quanto tempo mais ela pode continuar desviando?

Avançou novamente contra ela sem medo ou hesitação, dessa vez indo pelo lado contrário do seu primeiro avanço, mas novamente ela mostrou uma boa reação. Enquanto ele avançava ela ficou completamente parada, mas no momento em que moveu seu golpe contra ela a mulher reagiu, desviando para o lado e evitando facilmente o seu ataque. Rangeu os dentes ao ver aquilo, mas não desistiu; investiu novamente contra ela, movendo suas mãos de novo e de novo na tentativa de cortar o seu pescoço. E cada vez que atacava ela desviava, evitando cada um dos seus golpes de formas que deixavam abundantemente claro que aquilo não era apenas um acaso ou um pouco de sorte. Por quê? Por que ela continua desviando?! Ela não tem sentidos! Ela não tem o direito de desviar dos meus golpes desse jeito! A única explicação que conseguia encontrar para movimentos como aqueles era que ela estivesse se movendo a partir de nada mais do que seus instintos, mas nem isso fazia sentido. O que ela tem que está permitindo que ela desvie dos meus golpes assim?! Uma habilidade secreta?! Uma preparação especial?! A benção dos malditos Deuses?! O que está fazendo tudo isso?!

Saltou para trás afim de criar alguma distância dela, ofegante graças a todos os seus esforços, e observou furioso enquanto ela se mantinha firme em pé. Sua postura era desajeitada e instável como se ela pudesse desabar ao chão a qualquer momento, e isso só fazia deixar Scar ainda mais frustrado. Eu não sei o que está acontecendo aqui. Eu realmente não sei. Mas eu também não posso me importar menos com isso! Tinha retornado aos seus modos de assassino para matar aquela mulher, havia recorrido há uma habilidade que não usava a anos apenas para matar aquela mulher. Custasse o que custasse, ele ia matá-la. Por mais que ela esteja conseguindo evitar os meus golpes, é claro que sua situação não é das melhores. Eu não sei o que está lhe permitindo se esquivar, mas a Cortina certamente afetou seu corpo, e a ferida dela não pode ser simplesmente ignorado. Isso significa que por mais que ela tente, existe um limite que ela não pode superar! Um golpe que ela não pode evitar!

Se não estava conseguindo cortar o pescoço da sua oponente, então tudo que tinha de fazer era cortar o próprio corpo dela ao meio.

Suas pernas se dobraram e seus braços se cruzaram em frente ao seu corpo, ambas as suas mãos apontando para baixo. Respirou fundo por um momento, preparando-se mentalmente para o que estava por vir. Esse vai ser um ataque arriscado para mim também, refletiu ele, tendo em mente os riscos no qual esse golpe iria lhe colocar. Todos os meus ataques anteriores foram mirados direto em seu pescoço, mas mais do que isso, eles também almejaram me manter sempre móvel. Isso significa que eu podia me afastar ou manobrar conforme o meu desejo bem depois de atacar, sem problema algum. Mas um ataque que almeja fazer algo como cortá-la ao meio não possui esses luxos. É necessário se colocar uma força a mais por trás de um ataque desses, e isso significa que eu não terei essa mobilidade, o que por sua vez significa que eu estarei vulnerável depois do meu golpe. Se ela de alguma conseguir evitá-lo, ela se verá em uma posição perfeita para contra-atacar. E embora a Cortina deva supostamente anestesiar os seus sentidos demais para que ela pudesse fazer algo assim, eu não confio nela para detê-la depois do que Titânia já demonstrou. Era um plano arriscado esse... mas o risco era algo necessário. Não posso sustentar a Cortina para sempre, e não posso ganhar sem ela. Eu preciso disso. Eu preciso cortá-la, e eu vou cortá-la!

Determinado, avançou contra ela com tudo brandindo ambos os seus braços enquanto se movia.

E não avançou mais do que três passos antes que o som de uma explosão de energia ressoasse e um brilho forte azul envolvesse toda a sala.

A força da explosão dissipou totalmente a Cortina Sombria, mas Scar não estava se importando com isso naquele momento. Virou-se de uma vez no momento em que ouviu a explosão, ignorando completamente a sua oponente, e viu o que temia; aquele brilho azul provinha de nada menos do que da concentração de mana da Joia do Infinito, sendo liberada descontroladamente por todo o andar. Não. Não pode ser! Sabia muito bem o que aquilo significava, e era esse exato conhecimento que fazia com que seu espírito fosse consumido por puro terror. A Joia do Infinito... ela foi destruída?! Mas como?! Por quem?! Voltou rapidamente seu rosto para ver que Titânia estava no mesmo lugar em que havia a visto antes, cobrindo seus olhos com o antebraço para não ficar cego. Moveu o olhar para os guerreiros que havia derrotado, mas também não eram eles; todos estavam imóveis, jogados onde haviam caído sem sinal algum de vida em seu interior. Mas se não foi ela nem nenhum deles, então o que pode ter acontecido?! O QUE INFERNOS FEZ ISSO?!

Quando virou o rosto de novo em direção à explosão, o brilho da Joia do Infinito estava morrendo, e isso permitiu a Scar ver o responsável por aquilo. Próxima dos fragmentos do artefato místico espelhados pelo chão estava uma mulher, uma jovem de cabelos castanho avermelhados e olhos verdes, vestida em roupas que pareciam servir tanto para lhe possibilitar uma boa movimentação quanto para exibir os seus charmes ao mundo. Essa aparência... a pele dourada que indica um bronzeamento, o batom vermelho nos lábios... essa mulher é uma maldita guerreira ou uma maldita boneca de porcelana?! Detestava mulheres como aquela, que iam para o campo de batalha mais preocupadas com a sua vaidade do que com seu espírito de batalha... e o fato de que era essa mulher que sorria e segurava uma adaga nas mãos, indicando que ela havia sido a responsável pela destruição da Joia, apenas fazia o enfurecer ainda mais.

— Uhul, missão bem-sucedida! – Comemorou ela, jogando sua mão livre ao ar enquanto o sorriso em seu rosto se abria cada vez mais. – Ah, eu devo dizer, é uma maravilha essa sensação de um trabalho bem feito! Existe algo de extasiante na sensação de ser simplesmente boa no que faz, principalmente quando você consegue ser decisiva com isso! – Sem nunca perder o sorriso o rosto dela virou-se na direção de Scar, olhando para ele com olhos provocantes que pareciam estar tanto brincando com ele quanto o desafiando a avançar contra ela. – Acho que isso foi o que podemos chamar de “xeque-mate”, não concorda, senhor Retalhador?

Seus olhos estavam tão enlouquecidos de fúria que alguém podia muito bem assumir que ele era um psicopata pelo seu olhar, e essa pessoa não poderia ser culpada. Ele realmente parecia com um. Naquele momento, com aquele olhar, Scar parecia um homem insano saído direto de uma história de horror. Ele não queria nada mais do que rasgar a garganta daquela mulher e deixar o sangue dela correr pelos seus dedos..., mas ao mesmo tempo ele não podia fazer isso. Não tão simplesmente. Ele precisava de resposta primeiro. Respostas.

— Quem é você? – Murmurou ele em um sussurro ínfimo. A mulher não lhe ouviu, claro, e então ela deu por vem virar o ouvido em sua direção como que para pedir que ele falasse mais alto, e isso fez com que ele libertasse sua fúria. – QUEM PORRA É VOCÊ?!

— Ai ai ai ai ai ai ai ai! Não tão alto! – Chiou a boneca, recuando um passo para trás e movendo seu rosto de volta a posição normal com uma carranca. Um de seus dedos foi coçar a orelha que havia oferecido enquanto ela encarava Scar com um olho entreaberto. – E também, sem “porra”! A senhora sua mãe nunca te ensinou a não falar palavrões quando perto de uma dama? Hunf! O cavalheirismo está mesmo morto hoje em dia, não é? – Pelo tom pomposo da sua voz e as suas próprias palavras era claro que a intenção dela era provoca-lo com aquilo, e isso em geral não iria funcionar com ele, mas estava tão enfurecido que até mesmo algum tão obvio conseguia irritá-lo. Era só a sua sede por respostas que o mantinha no lugar, firme enquanto via a mulher retirar calmamente um pedaço de papel do seu decote e limpar o dedo que havia levado a sua orelha nele, antes de jogá-lo por cima do ombro enquanto fazia questão de posar como uma garotinha mimada e sorria para ele. – Bom, já que você quer saber, o meu nome é Coralina. Coralina Carter, “a Pantera”, senhor sem-modos. A mulher que acabou de ferrar com você e todo o seu grupinho de forma magnífica.

Seus dedos estalaram ao ouvir aquilo. Ela está me testando. Ela está definitivamente me testando. E ela está conseguindo me provocar. Estava perto de perder a paciência. Muito perto. Eu tenho que fazer as perguntas importantes logo, antes que eu perca de fez o controle.

— Como... como você fez isso? – Questionou ele, falhando em fazer com que sua voz soasse como qualquer coisa além de um grunhido raivoso, embora a mulher não parecesse se importar muito com isso.

— Quebrar a Joia do Infinito, você diz? Heh. Pra dizer a verdade, foi meio fácil – vangloriou-se ela com um sorriso largo. – Depois daquele ataque de vocês ao Salão Cinzento, eu me dei conta de algo. Em termos gerais, eu devo ser muito sem importância para vocês do Olho Vermelho, hum? Afinal de contas, eu sou apenas uma mercenária, e por mais que eu não seja fraca, eu também não sou particularmente forte, ao menos não quando comparada aos monstros que estão guerreando nesse campo de batalha. Eu poderia passar aquela semana que tive treinando para ficar mais forte, mas francamente, qual seria o ponto? Eu nunca iria conseguir melhorar o suficiente para bater de frente com os fortes em um período tão curto de tempo, e isso significaria que a influência que eu poderia exercer sobre a luta seria extremamente limitada. E francamente, esse não é um pensamento que cai bem em mim. Então eu decidi por outra coisa; ao invés de me focar em ficar mais forte, eu iria me focar em bolar planos e pensar em formas mais efetivas de usar a minha habilidade. E quando fomos informados durante a reunião dessa tal de “Joia do Infinito”, eu pensei num plano perfeito.

Girando a adaga entre seus dedos ela deu um passo para frente, movendo-se em direção a Scar sem demonstrar nada mais do que aquele largo sorriso em seu rosto.

— Como eu disse, eu não importava muito para vocês. E isso era perfeito para mim naquele momento. Por mais que eu seja uma guerreira, um dos meus talentos sempre foi arte de ser furtiva, o que significa que eu sei me esgueirar bem facilmente por onde quer que eu passe. E com a minha magia, desmaterialização, isso se torna bem mais fácil. – Calmamente ela ergueu uma de suas mãos, mantendo no nível do seu rosto, e então essa mão desapareceu subitamente sem deixar rastros, apenas para tornar a se tornar visível um segundo depois. Os olhos de Scar se arregalaram ao ver aquilo, e a compreensão do que havia acontecido começou a cair sobre ele. – Claro, eu tive algumas dificuldades ainda. Graças a toda a água aqui, eu tive que fazer um avanço bem lento, me aproveitando de cada momento em que vocês se moviam e faziam barulho para avançar. Por sorte, Titânia aqui sabia da minha presença e do que eu estava tentando fazer, e ela me ajudou ao providenciar uma boa distração. Então, no fim das contas isso não foi tão problemático quanto apenas um empecilho; nada que realmente me impediu de avançar.

Ela mal havia terminado de falar quando seus olhos brilharam. Apoiando-se em um joelho com sua mão livre ela inclinou seu corpo para frente, olhando para Scar com aquele sorriso largo sempre presente.

— Ah, sim, por sinal, só caso você esteja se perguntando: fui eu que cuidei para que ela pudesse desviar dos seus golpes. Como sou uma maga e estava bem próxima da Joia do Infinito quando você usou essa sua pequena técnica, eu pude usar da mana infinita que a Joia proporcionava para anular os efeitos da sua técnica sobre mim, e para agradecer à Titânia eu usei um pouco das minhas habilidades e do poder que a Joia me proporcionava para lhe permitir desviar dos seus golpes, uma forma de retribuir o favor. Claro, me ocupar com isso fez com que eu não conseguisse terminar o trabalho..., mas, felizmente, você se afastou e se preparou o suficiente para que eu pudesse cumprir minha missão. Então, muito obrigada, Retalhador! Você foi tremendamente útil em garantir a queda do Olho Vermelho!

Aquilo foi a última gota. Ouvir aquelas palavras fez com que a fúria de Scar se tornasse maior do que ele podia suportar, e um rugido enfurecido explodiu da sua garganta. Sua energia fluiu livremente, fazendo com que o chão abaixo de si se rachasse, deixando seu corpo afundar em uma pequena cratera enquanto a energia pura fazia com que seus cabelos se esvoaçassem como se atiçados por uma ventania. Seus olhos se tornaram completamente brancos e fixos em Coralina, e a energia que cercava as suas mãos se tornou tão densa e intensa que alguém podia tocar nela se tentasse.

Silêncio! — Trovejou sua voz, e por uma vez a mulher se calou e o sorriso em seu rosto morreu. Os dentes de Scar rangiam uns nos outros com tanta força que sentiu alguns deles começarem a se quebrar, mas não podia se importar menos com isso. Sua mente estava fazia naquele momento. Tudo em que ele pensava e tudo que tinha o seu foco era o objetivo de matar aquela mulher pelo que ela havia feito. – Você nos arruinou, sua puta... você estragou tudo! Os nossos planos de vitória certa, eles dependiam da Joia do Infinito! Com ela, Balak conseguiria retroceder o tempo para reviver qualquer um dos nossos feridos e mortos às suas melhores condições, mas isso não é mais possível! Você tem ideia de quantos dos meus companheiros você matou com isso?! E você ainda tem a ousadia de vir até mim e zombar de mim por isso?! Pro inferno com você! Meus companheiros mortos não serão revividos, mas ao menos poderei consolá-los ao rasgar uma vadia como você em pedaços!

Disse aquelas palavras e disparou contra ela com tudo, movendo seus braços com tanta força que a mera pressão exercida por seus movimentos era capaz de criar lâminas de ar que cortavam através das pedras como se fossem feitas de papelão. Se antes a expressão prepotente da mulher já havia desaparecido, agora ela era completamente substituída por uma expressão aterrorizada. A expressão de alguém que estava com problemas e que sabia que estava com problemas.

Foi então que aquela energia e aquela voz ressoaram.

Sua oponente sou eu!

Seus movimentos pararam imediatamente ao ouvir aquelas palavras – não porque ele quis, mas porque ele não pôde continuar a seguir em frente. Seu corpo congelou, negando-se a mover um centímetro sequer, por mais que ele tentasse. Esse poder.... Podia sentir aquilo, bem claramente. Um poder colossal, uma força que parecia infinita e pesava sobre tudo e todos como o punho de um Deus. Mas o que é isso? Titânia? Só pode ser ela... mas de onde ela tirou tanto poder assim? Não entendia aquilo, isso não fazia sentido nenhum, e movido pela sua confusão, Scar voltou-se em direção a mulher em questão.

Forja Rubra. — O que viu quando se virou fez com que seus olhos se arregalassem. Uma das mãos de Titânia estava sobre a sua ferida, banhando-se em seu próprio sangue proposital e intencionalmente. Ela se banhava em sangue, e então ela de alguma forma moldava esse sangue. O líquido ganhava forma sólida pouco a pouco, assumindo uma forma fixa conforme ela ia trabalhando, usando o sangue em uma de suas mãos para ir forjando uma arma na outra. Uma lança vermelha e pontuda que Scar conhecia muito bem, e ela também. – Gáe Bolg!

Já suspeitava que se tratava daquilo ao ver o formato da arma, mas o anuncio dela serviu como uma confirmação para os seus temores, e isso fez com que um arrepio corresse pela sua espinha.

— Impossível... – sussurrou ele, recuando um passo para trás ao ver a mulher girar a lança em uma de suas mãos, posicionando atrás do seu corpo, suas pernas levemente dobradas, prestes a avançar contra ele. – Pelo que os rumores dizem, Gáe Bolg foi forjada a partir do sangue dos Deuses! Ela é uma arma lendária e divina! Como alguém como você pode conseguir recriar uma arma dessas assim?!

— Você já deu a sua própria resposta, ou se esqueceu disso? – Disse ela. Titânia não sorria, mas naquele momento viu ela expressar o mais próximo de um sorriso que ela havia feito em todo aquele tempo, e a visão foi amedrontadora o suficiente para fazer com que sentisse seu sangue gelar. – Os rumores não mentem, Retalhador. Gáe Bolg é forjada a partir de Sangue Divino. O meu sangue.

Seus olhos se arregalaram novamente com a implicação por trás daquela declaração, mas não teve tempo de fazer ou dizer nada antes que o ataque viesse. Ela investiu direto e de uma só vez, com uma velocidade fenomenal que nem mesmo ele conseguiu acompanhar bem. Tentou mover seu corpo para o lado na tentativa de evitar aquele ataque, mas o seu melhor esforço nisso falhou miseravelmente. A ponta rubra da lança perfurou seu peito, quase que no meio, mas pendendo mais para o lado esquerdo. Sangue inundou sua boca e sentiu uma dor gritante, e a compreensão foi quase que imediata. Meu... coração...

Gáe Bolg, a Lança da Dor Mortal: Farpas Vermelhas. — Foi o que Titânia sussurrou, e ao soar desse comando a habilidade especial de Gáe Bolg foi ativada. Farpas como arrame farpado surgiram da parte da lança que havia perfurado o corpo do homem, de todas as partes, e em todas as direções. Elas dilaceraram através de nervos, músculos, órgãos e ossos, cortando tudo em seu caminho enquanto seguiam em mil e uma direções, e mais e mais farpas se originavam das já criadas em um ciclo que, conforme a vontade de Titânia, poderia muito bem ser eterno.

Aquilo durou três segundos. Em três segundos, farpas já haviam saído dos pés, pernas e cintura do homem em quantia o suficiente para erguê-lo do chão. Em três segundos, cada órgão em seu corpo havia sido retalhado, e sua figura havia sido tão mutilada que muito dos seus membros estavam esticados ou diretamente arrancados de uma parte a outra, interligados apenas levemente pelas próprias farpas. Sua figura era completamente irreconhecível, com farpas saindo de múltiplos pontos do seu corpo; dos seus braços, suas pernas, peito, estômago, pescoço, até da sua boca. Em três segundos, tudo o que Titânia tinha a sua frente era o corpo desfigurado e dilacerado do que havia sido um membro do Olho Vermelho, Scar, o Retalhador.

— Isso é por Lancelot, seus filhos da puta – rugiu ela entre dentes, desativando a sua habilidade e deixado com que o cadáver retalhado do homem caísse ao chão. – Eu não me importo com o que vocês fazem com Kastor, ou até com o que vocês fazem comigo. Mas se vocês tocarem em um filho de cabelo dele, seus desgraçados, eu vou lhes mostrar o pior dos infernos.



Notas finais do capítulo

Primeiro Andar – O Mundo de Pedra

Ylessa VS Piromaníaco (Vencedora: Ylessa)
Bokuto VS Shiva (Vencedor: Bokuto)
Soulcairn VS Kong (Vencedor: Soulcairn)
Duke VS Bertold (Vencedor: Duke)
Breath, Denis, Zetsuko e Blair VS Alcatraz e Zumbis (Vencedores: Quarteto)
Jane VS Cleus (Vencedor: Cleus)
Syd VS Cleus (Vencedor: Cleus)
Bokuto VS Cleus (Luta Interrompida)
Bokuto e Syd VS Ibur (Vencedores: Bokuto e Syd)

Segundo Andar – O Labirinto Eterno

Maoh VS Zaniark e Byron (Vencedor: Maoh)
Kyanna VS Steelex (Vencedora: Kyanna)
Teigra VS Behemoth (Vencedora: Teigra)
Mefisto VS Zumbi de Zephyr (Vencedor: Mefisto)
Hozar VS Reivjak (Vencedor: Hozar)
Enderthorn VS Octo Gall (Vencedor: Octo Gall)
Bryen VS Octo Gall (Vencedora: Bryen)
Goa VS Saber (Vencedora: Saber)
Anabeth VS Saber (Vencedora: Saber)
Cleus VS Saber (Em andamento)
Valery e Bryen VS Presas (Interrompida; Valery morta)
Senjur VS Presas (Vencedor: Presas)
Bryen e Enderthorn VS Presas (Vencedores: Bryen e Enderthorn)

Terceiro Andar – O Deserto de Ossos

Hozar VS Gunlamar (Luta Interrompida)
Trevor e Marco VS Gunlamar (Vencedores: Trevor e Marco)
Trevor e Marco VS Dokurei (Vencedor: Dokurei)
Ex VS Dokurei (Em andamento)

Quarto Andar – A Catedral

Hozar VS Tristah (Em Andamento)

Quinto Andar – Elísio

Kastor, Ekhart e Shell VS Balak e o Anjo de Sangue (Fragmentada)
Kastor e Ekhart VS Balak (Em andamento)
Shell VS Anjo de Sangue (Em andamento)

Primeiro Andar Subterrâneo – Terra das Bestas

Odin e Soulcairn VS Hashmaul e zumbis de Gwynevere e Ezequiel (Em andamento)

Segundo Andar Subterrâneo – Terras Úmidas

Titânia, Vaen, Chappa e Dayun VS Retalhador (Vencedora: Titânia – Vaen e Chappa mortos, Dayun inconsciente)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Olho Vermelho" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.