Herdeiro da Morte escrita por Silvy


Capítulo 3
Hotel


Notas iniciais do capítulo

Aqui esta o terceiro capítulo da fic... obrigada a todos que comentarão ^^



Este novo mundo era escuro, havia tochas de fogo verde iluminando as ruas mas mesmo assim ainda era bastante negro e frio. As casas pareciam estar ao ponto de cair, as lojas pareciam cofres de tanta protecção que tinham. Foi difícil encontrar um hotel ou mesmo uma pousada mas enfim encontrei um sítio para dormir, não tinha grande decoração, era bastante simples a sua recepção e tinha certeza que os quartos também seriam simples, mas o que eu precisava era de um banho e dormir. A mulher atras do balcão olhava para mim com os olhos opacos, parecia sem vida.

– Boa noite – Diz de forma mecânica

– Boa noite – Digo – queria um quarto por favor

– Cama de casal ou solteiro?

– Casal – Respondo, eu queria uma cama grande para poder dormir a vontade

– Certo, quantos dias vai ficar? – Pergunta escrevendo num pergaminho

– Ainda não sei bem, mas talvez uma semana – digo com incerteza

– Ira querer serviço de quarto? Se sim, terá de pagar um extra dependendo das refeições, Se quiser apenas pequeno-almoço será acrescentado 60 Ryos a sua conta por dia, se quiser pequeno-almoço e almoço será acrescentado 130 Ryos e pequeno-almoço, almoço e jantar será 210 Ryos, vai querer o serviço de quartos?

– Sim, se pode-se me levar daqui a meia hora o jantar eu agradeceria – digo sinceramente, esse dinheiro ainda era estranho para mim, então não sabia se era muito caro ou não, mas segundo Hades eu tinha toda a minha fortuna comigo, então não devia-me preocupar com isso. Eu acho.

– Então será o terceiro pacote senhor?

– Sim, quero as 3 refeições e o quarto tem banheiro próprio?

– Os quartos com banheiro próprio são mais caros

– Não faz mal, não posso ficar uma semana sem tomar banho

– Muito bem, então será 1470 Ryos pelo serviço de quartos, o jantar de hoje será oferta da posada senhor, o quarto com banheiro é 400 Ryos por dia, então faz 2800 Ryos, tudo junto faz 4270 Ryos, aqui pagamos logo na entrada senhor – diz duma só vez me deixando impressionado nem parou para respirar

– Aqui – digo entregando a quantia que mal pôs a mão dentro da carteira o dinheiro certo apareceu nela. Obrigado Vovô!

Logo escuto uma risada rouca na minha cabeça e a frase: de nada netinho.

– Obrigada senhor, agora basta assinar aqui no pergaminho para a estadia estar oficializada.

Então pego na pena e molho o bico no tinteiro de tinta negra e escrevo Laxus Night, o novo nome que eu tinha nesta dimensão, pelo menos ate eu acabar com Voldemort.

– Tenha uma boa noite senhor Night, o seu jantar será servido em meia hora como pediu apenas basta dizer o que gostaria de jantar, aqui, o panfleto do servido de quartos onde pode escolher a sua refeição

Dou uma olhada e escolho duas fatias de torta de carne com fritas e um suco de abobora, depois me dirijo para meu quarto com a chave na mão, foi fácil achar ele já que era o quarto nº4, logo me dispo e vou tomar um duche para limpar o meu corpo da sujeira da batalha apesar de eu ter usado um feitiço para remendar minhas roupas e parecer limpo, um banho as vezes era o melhor remédio. Devia ter-se passado uns 20 minutos quando saio do banheiro com apenas uma toalha a volta da minha cintura. A comida ainda não havia chegado, então decido meditar um pouco no que era a minha vida até então. Ser o salvador do mundo bruxo inglês, o menino-que-sobreviveu à maldição mais implacável, ter uma profecia que destruiu a minha família e a chance de os conhecer ou saber o que é o amor de um pai ou mãe, que me fez ter uma infância horrível já que meus únicos parentes vivos odeiam magia. Todos os que eu conheço e amei morreram numa batalha estupida, sim, estupida e idiota pois enquanto estava no vórtice que me levaria ate aqui, eu vi o futuro de meu mundo de origem, os trouxas descobriram os bruxos e os seres mágicos e declararam caça a eles, anos de guerra para os trouxas inventarem um vírus que mataria a magia do mundo. Para então eles precisarem dela para poderem salvarem o seu planeta semimorto mas então não haveria nada para o salvar, então teriam de deixar o planeta e partirem para o espaço a procura de um novo mundo. Eu viveria num mundo assim se Hades e Caos não tivessem aparecido para mim e me deram a chance de vir para um novo mundo, uma nova dimensão parecida mas ao mesmo tempo extremamente diferente da minha. Afinal depois de todas as desgraças que passei, Voldemort tinha razão, os trouxas realmente não deviam saber do mundo mágico como Dumbledore queria.

E pensar em Dumbledore fez com que a raiva borbulhasse pelo meu corpo, só de pensar que ele me tentou matar e então como o seu plano não deu certo me mandou para minha família trouxa para ver se morreria lá, mas como eu vivi e fui para o mundo bruxo ele fez-se de bonzinho e passou a imagem de meu mentor para cair nas graças do mundo mágico de novo. Mas se o Dumbledore deste mundo pensar que pode-me controlar ou mesmo mandar em mim esta redondamente enganado. Afinal eu sabia que eu estava morto nesta dimensão por que o seu plano de assassinar o Harry daqui deu certo. Eu só esperava que a mãe deste Harry tivesse sobrevivido ao veneno. Ouço batidas na porta e logo a abro dando de cara com a mulher da recepção com um carrinho com comida.

– Aqui o seu jantar senhor Night

– Obrigado – digo pegando no carrinho e o levando para dentro do quarto

– Se quiser algo a mais basta pedir pela lareira – diz e logo desaparece

E eu, bem eu vou comer e dormir.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Herdeiro da Morte" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.