Minha Doce Perdição escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 50
Capítulo 49-Desconfianças/ Pessoas dando problema




Isabella Marie Swan Cullen

Eu estava na boate, mas a minha cabeça estava em casa, Jane estava na mesma casa que a minha filha, continuo achando que ela não está com boas intenções.

–Tá tudo bem? –James perguntou, ele estava ali, junto com a Victória.

–Não se não, não consigo parar de pensar nisso, eu não confio na Jane. –Disse.

–Conhecendo os tios dela, ela não é confiável. Mas ela é irmã do seu marido, apesar do passado que os dois têm. –James disse.

–Eu sei, é por isso mesmo, vai saber se ela considera o Edward como irmão? Eu acho que ela ainda o vê como homem. –Disse.

–Eu não acho isso. –Victória disse.

A olhei.

–Por que não? –Perguntei.

–Bella, se lembra quando você fazia programa? O quanto ela te adorava? Já parou para pensar, que as intenções dela, podem não ser com o Edward e sim com você?

–Isso faz sentido, ela vivia correndo atrás de você. –James disse.

–Não, acho que não. –Parei pra pensar. –Se bem que…

–O que?

–No jantar. Ela estava me olhando de uma maneira estranha. –Disse.

–Ta vendo? Você está com ciúmes dela com o Edward a toa, ela quer você.

–Aí, para com isso, Victória! Tá me deixando mais nervosa. –Disse.

Ela riu.

–Oi.

Olhei e sorri.

–Bryan, o que faz aqui?

–Não estou te vigiando, eu juro. É o meu dia de folga, então eu pensei em vir aqui para beber um pouco. –Ele disse.

–Meu pai deu folga a um funcionário? Ele não costuma fazer isso. –Disse.

Ele sorriu.

–Ele faz com o melhor funcionário dele. –Ele respondeu.

Sorri.

–E o que você fez com a Katrina?

–Nada, a deixamos em uma rua e ela pegou um taxi. Seu pai ainda está pensando no que fará com ela. –Ele respondeu.

Assenti.

–Ok.

–Bella, um cliente. –James disse.

–Bom, fique a vontade. Já pegou uma bebida?

–Ainda não, queria que você me sugerisse algumas coisas. –Ele respondeu.

–Claro, olha, de bebida, eu sugiro um Martini. –Disse.

Ele assentiu.

–Ok, e uma companhia?

Olhei para o James e ele sorriu.

–Tenho uma pessoa que eu acho que combina com você. –Olhei para a Victória. –Vic, vá chamar a Tanya.

–Tá.

Victória saiu pelo salão, Bryan me olhou.

–E aí? Seu marido não se importa, em você trabalhar a noite? –Ele perguntou.

Neguei.

–Não, ele entende. Ele fica à noite com a nossa filha, e eu não vou embora muito tarde. –Respondi.

Ele assentiu.

–Bella, aqui está ela. –Victória apareceu, com a Tanya.

–Tanya, esse é Bryan Richards, ele trabalha para o meu pai, Bryan, essa é a Tanya.

–Conhecida como Adele. –Tanya disse.

Bryan sorriu.

–É um prazer, Adele. –Ele disse e deu um beijo na bochecha da Tanya.

–Leve-o para tomar um Martini, Adele. –Disse.

–Claro, já me dê a chave do quarto. –Tanya disse.

–Claro. –Entreguei a chave para ela. –Divirtam-se.

Tanya foi em direção ao bar com o Bryan.

–Eu tenho certeza que ele ainda gosta de você. –James disse.

O olhei.

–Não inventa. O que aconteceu entre Bryan e eu foi há anos atrás, eu era praticamente uma criança, e eu sou casada, James. –Disse.

–Só estou te dando um aviso, Jane pode não ser a única que poderia ficar entre você e o Edward. –James disse.

–Não vai acontecer nada. Lembra de quando ficamos? Meu pai foi totalmente contra e deu uma surra no Bryan. Eu não gosto dele, eu amo o Edward e a minha filha, é só. –Disse.

–Tá, mas fica de olho.

–Tá bom, agora vão dançar, ir fazer alguma coisa, vocês estão atrapalhando o meu trabalho. –Disse.

James riu.

–Tá bom, vem Vic, vamos beber alguma coisa. –James puxou Victória para o bar.

Eu voltei a trabalhar.

***

Cheguei em casa exausta, a casa estava escura e silenciosa, provavelmente todo mundo havia dormido.

Subi e fui direto para o quarto da Ashley, ela estava dormindo feito um anjinho. Dei um beijo na sua testa.

–Boa noite, minha filha. –Disse.

Saí do quarto e fechei a porta. Virei-me e dei de cara com a Jane.

–Aí Jane!

Ela sorriu.

–Desculpe, eu não queria te assustar. –Ela disse.

A olhei.

–O que faz aqui? –Perguntei.

–Minha mãe me convidou para dormir aqui, e Carlisle está me tratando muito bem. –Ela respondeu.

Assenti.

–Bom pra você, agora com licença. –Disse.

Ela segurou a minha mão.

–Eu senti a sua falta. –Ela disse.

A olhei.

–Perdeu a noção do perigo, Jane?

–Qual é, Bella. Como teve a coragem de se casar com o Edward? Ele é um chato, grudento. Ainda bem que descobrimos ser irmãos, se não eu não sei o que eu faria. –Ela disse.

–Não precisaria fazer nada, ele sendo seu irmão ou não, ele teria se apaixonado por mim do mesmo jeito. –Disse.

Ela sorriu.

–Eu posso te mostrar ser melhor que ele. –Ela disse e me agarrou, me beijando a força.

A empurrei.

–Tá maluca, Jane! Você é irmã do meu marido!

–Eu amo você. Edward jamais poderia te fazer feliz, ele é um idiota, assim como essa menina vai ser. –Ela disse.

Desferi um tapa em sua cara.

–Não ouse falar mal do meu marido e da minha filha, Jane. Tente entender uma coisa, eu nunca tive sentimentos por você, nunca! O que ouve entre a gente, era apenas sexo, era o meu trabalho, eu estava sendo paga para te satisfazer, nunca senti nada por você, eu amo o Edward!

Ela passou a mão em seu rosto vermelho.

–Você vai me pagar caro por isso! –Ela disse e saiu correndo.

Respirei fundo e entrei no quarto.

–Edward, Edward acorda!

Ele abriu os olhos e me olhou.

–Bella. Que foi?

Respirei fundo e me sentei na cama, ficando de frente pra ele.

–Eu acabei de brigar com a Jane. –Disse.

Ele se sentou na cama e passou a mão pelo rosto.

–O que aconteceu?

–Bom… ela deu em cima de mim e me beijou. Ela chamou você e a Ash de idiotas então eu desferi um tapa na sua cara e disse que eu amava você, e que ela não passou de sexo, por que era o meu trabalho, ela disse que isso não ficaria assim e saiu correndo.

Ele respirou fundo.

–Ela com certeza vai contar pra minha mãe, e ela vai brigar com você. –Ele pegou na minha mão. –Mas você fez bem. Jane sempre conseguiu tudo o que queria, não conseguir te ter, a deixou frustrada. E ela não vai te tirar de mim.

Sorri.

–Disso eu posso te garantir. –Disse, sentando-me no seu colo.

–Como foi o trabalho?

–Bem, encontrei o Bryan lá. –Disse.

Ele me encarou.

–É mesmo? Emmett andou me contando umas coisas dele. –Ele disse.

Respirei fundo.

–Ele tinha que ir fazer fofoca.

–Por que não me disse o que rolou entre vocês?

–Por que se eu for ficar falando de cada homem que já me envolvi, nós só terminaremos no casamento da nossa filha. –Disse e o olhei. –Nós éramos bem novos, e quando meu pai soube, ele não aceitou, Bryan era funcionário dele, e ele bateu nele, brigou comigo. Eu terminei com ele, e logo depois fui pra boate, eu não sinto mais nada por ele, então por favor, não dê uma crise de ciúmes.

Ele assentiu.

–Tudo bem.

–Agora será que você poderia me acalmar? Sua irmãzinha me deixou bem brava. –Disse.

Ele sorriu.

–Claro, já sei até como irei te acalmar. –Ela disse, me jogando na cama e vindo pra cima de mim.

E esquecemos do que estava por vir.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Minha Doce Perdição" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.