Os Marotos - Love Is In The Air. escrita por Nina Black


Capítulo 49
After !Party!


Notas iniciais do capítulo

Oioi gentee!!!!
Nossa, eu tô muito feliz.
Duas, DUAS recoendações!!!!
Quero agradecer a Leeh, e a Mim por escreverem uma linda de uma recomendação cada uma.
Dedico esse capitulo para vocês.
:3
Porém eu espero que TODO MUNDO goste, pois fiz com essa intenção.
Gente... Oitenta acompanhamentos!!! Sério??? Obrigada!!!!
Beijos e aproveitem!



POV Marlene:

Acordo me sentindo estranhamente bem, tirando meu corpo que estava um pouco dolorido. E, como acho que já sabem, eu não acordei no meu quarto, muito menos na minha casa.

Logo que começo a raciocinar, me lembro da noite passada, e começo a sorrir. Quando eu te digo, que foi boa, foi boa mesmo.

Me virei e encontrei Sirius dormindo do meu lado, ele estava em um sono ferrado mesmo.

Eu pensei em acorda-lo. Mas... Não. Vou deixar ele não saber por enquanto. Se eu falar que ele tirou minha virgindade, do jeito que ele é, ele vai querer alguma coisa mais séria, mesmo contra a vontade dele, e não é isso que eu quero.

Se ele, por acaso, se lembrar de alguma coisa, ele vem falar comigo.

Mas ele falou tudo aquilo pra você ontem e blá, blá, blá.

Mas ele estava bêbado, e eu o já vi bêbado, e ele diz tudo o que pensa, e nem sempre tudo o que sente. Ele poderia muito bem ter falado que me ama só pra poder passar apenas uma noite comigo.

Eu deveria estar brava, mas não estou.

Não posso culpa-lo sem me culpar, porque ele não fez nada forçado. Eu quis que fosse assim, só não sei ainda o porquê, mas sei que eu queria que isso acontecesse com ele e essa noite.

Percebi que estava só de lingerie, e... Meu Deus... Ele estava pelado.

Tentei não ficar vermelha, mas não sei por que, já que não tinha ninguém me olhando. Mas foi estranho.

Decidi ir para o banheiro limpar a maquiagem borrada, lavar o rosto, arrumar o cabelo e depois descer para ver como ficou o estado do pessoal.

Depois de trocar de roupa, abri a porta silenciosamente. Se ele acordasse, eu tava ferrada, aliás, mais ferrada do que eu já estou.

Quando cheguei ao salão onde aconteceu a festa eu vi uma coisa parecida com... Uma guerra.

Pessoas caídas pelo chão, e espalhadas em outros lugares que eu não imaginava que pessoas pudessem chegar lá, um cheiro forte de álcool, e várias coisas espalhadas pelo chão. Eu vi um pacote camisinha em cima da mesa, e me lembrei de uma coisa.

Será que o Sirius usou preservativo?

Nisso eu comecei a ficar desesperada, porque não me lembrava de ver ele nem sequer tirar alguma coisa dos bolsos, ou de algum outro lugar.

– Ai. Meu. Deus. - Eu coloquei a mão na boca.

– Eu sei. - Sirius desceu as escadas só de calça e com a camisa na mão.

Aimeudeus...

Esse tanquinho que seduz...

Meu coração não aguenta...

– Sirius... Custa muito colocar a camisa? - Eu perguntei assim que ele parou na minha frente. Ele sorriu de canto e me encarou, mas ele parou de sorrir e só ficou me encarando, o que me fez gelar um pouco.

– Você dormiu aqui? - Ele perguntou e... O que eu faço agora?

– Sim, por quê? - Eu perguntei para ele, que continuava a me encarar.

– Por nada. Só pensei que... Bem... Nada. Vamos procurar o pessoal. – Ele pareceu meio confuso. Será que ele se lembrou de alguma coisa?

– Oi, gente. – Lily falou descendo as escadas descalças, e segurando os sapatos na mão.

– Dormiu aqui também? – Eu perguntei para ela, que assentiu.

– Não pense besteira sobre isso, viu? Não dormi com ninguém. – Ela riu. – Depois precisamos conversar, Lene. – Ela foi pra cozinha da casa, eu acho, e eu me sentei no sofá.

Estava com uma dor de cabeça daquelas...

– Lene, você tá bem? – Sirius perguntou pra mim, e percebi que ele havia colocado a camisa.

– Tô... Mais ou menos... – Eu disse me levantando, ele me ajudou e alguma coisa percorreu meu corpo e eu me lembrei de automaticamente de hoje de madrugada. Isso foi estranho.

– Aconteceu alguma coisa que não quer me contar? – Ele perguntou e eu o encarei.

– Não, nada demais. – Eu disse indo pra cozinha e o deixando lá. Mentira...

Chegando lá na cozinha, que não estava tão desarrumada assim (ninguém, em uma festa daquelas que teve ontem, vai comemorar na cozinha.), eu encontrei Lily comendo um pedaço de torrada com um suco de uva que ela achou.

– O que queria me contar, ruiva? – Eu disse me sentando do lado dela na mesa.

– Lene, eu não sei o que aconteceu ontem... Mas eu fiquei com um garoto ontem. – Ela olhou pra mim sorrindo sem graça e eu sorri.

– E quem é o felizardo? – Eu perguntei sorridente pra ela.

– JamesPotter. – Ela disse rápido demais e eu olhei cética pra ela.

– Repete, mais devagar, por favor.

– James Potter.

Ok... Me deixa raciocinar.

A mesma garota que vive dizendo que ele é um energúmeno desprovido de massa cinzenta, foi a mesma que o beijou?

Depois eu falo que o mundo dá voltas e ninguém acredita em mim!

– Me. Conta. Tudo! – Eu gritei e me aprumei na cadeira, mas nesse momento Dorcas e Remo apareceram na porta e eu tive que me comportar.

– Oi, Lene. – Dorcas e Remo Disseram e uníssono. – Oi Lily.

– Oi... – Eu e ela dissemos.

– Nem quero saber o que fizeram. – Eu disse maliciosa para os dois.

Espera... Eu fiz a mesma coisa que eles... Droga, tenho que mudar minhas falas agora...

– Lene, onde você estava o resto da noite que eu não te vi? – Dorcas perguntou para mim e... Certo... Já é o terceiro, ou quarto apuro que eu passo hoje... Vai ser um longo dia.

– Eu estava com... Um garoto. Por quê? – Eu me fiz de inocente, claro. E eu não menti, só omiti que o garoto é o Sirius.

– Remo, pode ver se o James já acordou? – Dorcas se virou para Remo, e como ele é mais esperto que muitos garotos por ai, entendeu que esse era um assunto só do trio maravilha aqui.

Depois que ele saiu, Dorcas se sentou toda afobada na cadeira da frente e Lilian se aprumou na que já estava sentada.

– Pode falar.

– Gente... Não foi nada demais... – Eu disse bebendo um pouco do suco, e torcendo para que eu me engasgue e morra.

– Mckinnon, desembucha. – Lily disse tomando meu precioso copo de suco de uva das minhas mãos.

– Tá. Eu dormi com ele, tá legal! – Eu disse emburrada, e elas me olharam com os olhos arregalados.

– E eu aqui feliz porque beijei o James... – Lilian falou mais para si mesma do que para os outros, e eu tive que segurar o riso da cara dela.

– Quem foi? – Dorcas perguntou, mas eu pedi para que ela falasse mais baixo.

– Não posso falar agora, as paredes tem ouvidos, sabe... – Eu cochichei e elas entenderam.

Tudo ficaria legal... Exceto pelo Sirius chegando com raiva na cozinha.

– Como é que é? Você dormiu com alguém? – Ele perguntou com uma raiva que eu nunca vi na vida.

Eu avisei que as paredes têm ouvidos.

– Sirius... – Eu comecei, mas ele não me deixou falar.

– Aposto que você nem conhecia o cara! E já foi pro quarto com ele? Quem é ele? Eu quero saber! – Ele ficou mais bravo, e quando eu vi Dorcas e Lilian não estavam mais lá.

Grandes amigas, sabe...

– Isso não te interessa! É um assunto meu não vejo o porquê de você saber! – Eu comecei a ficar brava também, mas no momento que acabei de falar, uma tontura começou. – Ai...

– Marlene? – Sirius perguntou com mais preocupação na voz, mas eu já não sabia onde ele estava, eu comecei a enxergar tudo embaçado.

Uma fraqueza tomou conta do meu corpo e eu desmaiei.

POV Alice:

Acordei com uma enorme dor de cabeça.

Ontem, ou melhor, hoje, só que um pouco mais cedo, eu fui dormir enquanto ainda tinha algumas pessoas dançando, mas não muitas. Olhei pelo quarto, e pela primeira vez pude ver o quão bonito ele é.

Paredes brancas, móveis brancos, mas o pequeno sofá e o jogo de cama eram um vermelho bem vivo, o que deixava o quarto com um clima legal.

Eu, do jeito que sou super normal que até pintei meu cabelo de azul, fiquei encantada com uma pintura que tinha lá. Era meio abstrato... Mas se você olhasse bem, tinha algumas formas bem legais... Como um elefante usando um tutu de ballet azul marinho tocando um violão cor de rosa...

Ok, eu não sou normal.

Tirei a minha maquiagem totalmente borrada. Tava pior que a Lady Gaga no clipe Applause. Coloquei minha roupa e meu sapato, e sim, eu dormi só de calcinha e sutiã, aquele vestido começou a me incomodar.

Depois de terminar de me arrumar, eu desci para tomar café.

Antes não tivesse ido. Aquele salão estava uma zona. Pessoas esparramadas pra todo lado, bebidas, camisinhas fechadas... Tava mesmo uma zona.

Até que eu me lembrei do Frank e que nós meio que discutimos ontem.

Tentei achar ele pelo salão, mas não achei nada, ai me lembrei que a ultima vez que o vi foi perto do bar, e resolvi ir para lá, rezando para que eu esteja errada.

– Frank? - Eu perguntei assim que cheguei em frente ao bar.

– Alice...? - Alguém perguntou atrás da bancada do bar.

– Frank! - Eu virei a bancada e o achei deitado do lado de uma... Mulher. - Quem é ela? - Eu perguntei apontando pra mulher.

– É a Madson. Calma, Alice! Não é nada do que você tá pensando! - Ele tentou se levantar, mas a camisa dele ficou presa em algum lugar e ele caiu de novo no chão.

– Frank, por que você não parou de beber? Poxa! - Eu sai de lá e ele ficou gritando meu nome.

Fui até o jardim, onde não estava quase ninguém. Me sentei embaixo de uma árvore e fiquei pensando. Eu não acredito no que o Frank fez isso comigo!

Acho que todos aqui devem estar pensando que somos um tipo de casal perfeito, não e mesmo?

Mas eu vou dizer uma coisa que vai magoa-los. Não existe esse negócio de casal perfeito. Só Doritos e Coca-Cola, mas isso é outra história. (rimou!!)

Eu e ele já brigamos, já voltamos, brigamos de novo, voltamos de novo... Na verdade, mais voltamos do que brigamos. Mas agora é diferente... Quem é essa mulher? Que ele ainda estava fazendo ali? Será que ele não se importa mais comigo?

– Alice! - Eu o ouvi gritar de dentro da mansão, e vi que ele estava vindo em direção a mim. - Alice. - Ele segurou meus ombros. - Me escuta! Por favor! - Ele começou a falar.

– Quem era ela? Por que continuou naquele bar, depois de tudo o que eu te falei?! - Eu o empurrei. - Não acredito que fez isso! Não sou mais importante pra você? Já tá me trocando? - Eu comecei a falar e ele fazia que não com a cabeça.

– Alice! Me desculpa! Eu... Não consegui parar! Eu quis, eu tentei... Mas eu não consegui! Aquela mulher...

Ai, a pessoa loira, com o batom todo borrado me aparece aqui.

– Frank... - Ela sabe o nome dele. - Eu queria te agradecer. - Pelo quê? - Você me fez esquecer meu ex-namorado. - Ela deu um beijo na bochecha dele, ELA DEU UM BEIJO NA BOCHECHA DELE!

– Como assim Ex-namorado? COMO ASSIM VOCÊ A AJUDOU?! - Eu comecei a gritar e a mulher me notou, e parece que ela percebeu o que eu era para o Frank e olhou culpada para mim.

– Lice! Você está entendendo as coisas erradas! - Ele tentou me abraçar, mas o cheiro forte de bebida e tudo o que me aconteceu me fez dar ânsias de vômito.

– Frank... Sai de perto de mim! - Eu o empurrei e fui para a beira da estrada, a procura de um taxi para voltar pra casa.

POV Sirius:

– Marlene! – Eu falei alto demais quando ela desmaiou na minha frente. – Ai, meu bom Senhor o que eu faço?! – Eu disse apavorado enquanto me aproximava dela e a pegava no colo. – Pessoal! – Eu gritei e quase todo mundo veio.

– Lene! – Lily gritou. – Coloca ela no sofá!

Eu a coloquei num sofá que tinha lá perto, e todo mundo se amontoou na frente dela. Lily colocou a mão na testa dela.

– A pressão dela caiu, ela está gelada. – Lilian falou com uma seriedade estranha.

– E agora? - Eu perguntei.

– Vamos esperar que a pressão dela volte ao normal. – Dorcas me respondeu. – Vocês brigaram?

– Nós? – Eu perguntei apontando para mim e para ela.

– Sim. Ela pode ter passado mal por causa disso... Mas não tenho certeza. – Lily disse pensativa.

– Gente, o que aconteceu? – James aparece na porta da cozinha e sinto Lilian congelar do meu lado.

– A Lene desmaiou. – Dorcas disse e ele olhou de olhos arregalados para a Marlene.

Depois de uns dois minutos esperando que ela acorde, ela finalmente abre os olhos.

– Ai... – Ele levantou colocando a mão na cabeça.

– Lene! – Lilian me deixou surdo. – Você tá bem?

– Tô, só esqueci de tomar meu remédio na hora certa... – Ele riu sem graça. – Vamos pra casa pessoal. Tô a fim de descansar.

POV Lilian:

Não, eu definitivamente não consegui dormir depois da noite passada.

Eu beijei James Potter, e agora? Ele é meu AMIGO e eu acabo de estragar isso quando o deixei me beijar!

Depois que a Lene voltou a si, e nós fomos embora para casa, ele fez questão de me levar até a minha.

Chegando lá, eu já sabia que minha mãe tinha ligado até para o Exército e a Marinha britânica, mas tudo bem.

– Lilian... Temos que conversar. – James disse parando o carro na frente da minha casa, mas ele não destravou as portas para que eu pudesse descer.

– Temos mesmo. – Eu disse tentando sorrir.

– Sobre o nosso beijo. Olha, não vou conseguir esquecer isso, ok? Apesar de você me falar para esquecer e seguir em frente, eu não consigo. Sei que vai falar isso, e... – Merlin, por que ele é tão gato?

– James... Não vou te pedir para esquecer. Por que eu também não vou esquecer. – Droga de língua.

– Lily... Se eu te perguntar uma coisa. Me responda com sinceridade? – Ele perguntou levando sua mão “acidentalmente” como diz ele, na minha.

– Depende da pergunta.

– Você gostou?

– Talvez... – Eu disse rindo e dei um beijo na bochecha dele, e destravei o carro e saiu correndo para dentro de casa. A ultima vez que o vi, ele estava sorrindo igual um bobo pro nada.



Notas finais do capítulo

Gente... Demorei para escrever esse capitulo viu?
Espero que tenham gostado!
Beijos!!