O Portal Kaiju escrita por Felipe Stark


Capítulo 1
Prólogo


Notas iniciais do capítulo

Gente, aqui hoje eu vou fazer duas coisas:
1 - Dar as boas vindas para vocês em mais uma fic minha. (já tá dado)
2 - Um aviso sobre glossário:
Baskato - metal criado em laboratório. Extremamente resistente. Sua composição contém Urânio, Adamanto e Aço.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/506794/chapter/1

Brian entrou no corredor principal do hangar. O Marechal Dylan se aproximou dele e disse:

"Onde está Marie?" o Marechal exibia um semblante raivoso e, ao mesmo tempo, preocupado.

"Ela está morta. Caiu no radiador gama no meio da batalha." respondeu Brian, se esquivando de seu superior e se dirigindo em direção ao seu dormitório.

"Volte aqui Brian! Nossa conversa ainda não terminou!" exclamou o Marechal. "PARADO AI MESMO PILOTO!" Brian parou onde estava, mas não se deu ao trabalho de se virar. "Se pensa que pode agir assim comigo está muito enganado piloto. Sou seu superior e você me deve respeito."

"MINHA COPILOTO ACABA DE MORRER NA MINHA FRENTE E VOCÊ QUER QUE EU ESTEJA CALMO O BASTANTE PARA FICAR PARADO AQUI E BATER A PORRA DE UMA CONTINENCIA QUANDO VOCÊ ME DISPENSAR!?!?"

"NÃO VENHA COM ESSE TOM PARA CIMA DE MIM PILOTO! Você deve me obedecer se quiser continuar com seu maldito emprego. Agora, trate de se trocar e volte lá para o hangar de lançamento para ordenar o concerto e as modificações do seu Jaeger."

"Como quiser senhor." Brian foi obrigado a se submeter às ordens do Marechal, uma vez que tinha sido piloto de Jaegers por toda sua vida.

Desde pequeno, Brian treinara com o pai e com o melhor amigo as artes das lutas marciais para se tornar um piloto Jaeger, e seu sonho se realizou no dia do seu aniversario de 17 anos, quando pode fazer o teste pela primeira vez. Já Julian não teve a mesma sorte, foi reprovado cinco vezes antes de desistir de vez de entrar para o exército na patente de piloto, foi ai que resolveu ser o que podia e se tornou soldado do Batalhão de New Jersey.

"Quero ambas as pernas substituídas. Quero espadas, duas de pequeno porte, para utilizar em simultaneidade, e uma de duas mãos. Também quero um canhão de plasma no centro do peitoral. Adicionem uma camada dupla de Baskato para a proteção peitoral. Aumentem a espessura do vidro da cabeça para 40 milímetros. EU QUERO ESSE ROBÔ EM PLENAS CONDIÇÕES PARA ONTEM!" Brian gritava as ordens para seus engenheiros robóticos, que se apressavam em obedece-las e em reconstruir o enorme Jaeger de batalha do piloto-capitão.

"Vejo que resolveu fazer algumas modificações no projeto original." brincou Juan, outro piloto que se tornou relativamente próximo de Brian nos anos que trabalharam na mesma base. "Pela 340ª vez se não me engano."

"Você contou?" ambos riram. "Mas, veja bem, só o modifico quando o quebro."

"Nossa, então acho que errei a conta. Devo acrescentar mais um zero no final do numero?"

"Talvez..." ambos riram outra vez. O Marechal Dylan aproximou-se dos amigos e disse:

"Então, tomou um pouco de juízo piloto?"

"Sim senhor." respondeu Brian, abaixando a cabeça.

"Ótimo." respondeu o Marechal. "Agora diga-me o que você fará nesse seu Jaeger."

"Bom, primeiro, eles vão substituir as partes quebradas. Também ordenei que adicionassem certas armas, como um canhão de plasma no peitoral, e que melhorassem a proteção da cabeça, com um vidro de maior espessura, e do peitoral, com uma camada dupla de Baskato."

"Baskato piloto?" questionou o Marechal. "Você sabe que esse é o metal mais caro existente não sabe?"

"Sei sim senhor." admitiu Brian. "Mas preciso de um metal muito resistente para proteger o radiador, já que vamos aumentar a carga dele para 500.000.000W!"

"500.000.000?!?!" exclamou o Marechal Dylan. "Você está louco piloto? Acho que você não parou para pensar nos perigos que uma carga tão alta! Você e seu parceiro poderão morrer por causa disso."

"Eu poderia morrer por causa disso." concertou Brian. "Mandei adaptarem o Jaeger para um único piloto. Já que vou continuar nesse ramo, vou lutar sozinho. Não vou mais ver copilotos meus morrerem na minha frente."

"Há novecentos anos essa tecnologia para dois pilotos foi criada. É impossível um único ser humano controlar um Jaeger sozinho. A força necessária para isso seria imensa. Um a cada 80 candidatos passaria nos testes."

"Há novecentos anos isso não era possível, mas os tempos mudaram Marechal." afirmou Brian.

"Piloto, você sabe só o que você precisa saber. Mas, já que você insiste em dizer que vai dar certo, vou lhe contar mais uma coisa." o Marechal Dylan apontou um dedo para o robô. "Todo mês fazemos testes com nossos melhores pilotos, criados pelos melhores engenheiros, para tentar adaptar os Jaegers para 1 piloto. Mas todos eles passam mal e não conseguem prosseguir nos testes. O que te faz achar que você vai conseguir se eles não o fizeram?"

"Vocês não têm os meus engenheiros." Brian declarou. "E eles são os melhores."

O piloto se afastou do Marechal em direção ao seu Jaeger, o Farehold, para observar as modificações que sua equipe fazia rápida e coordenadamente.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado! :)
Posto novos captulos em breve.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Portal Kaiju" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.