Sobrevivendo ao inferno escrita por Katrina Mikaelson


Capítulo 20
We made it


Notas iniciais do capítulo

Aqui está, o último capítulo! Realmente espero que gostem, aproveitem. Boa leitura, Beijinhos!!




Merle estava apenas parado lá. Não podia acreditar que ele realmente havia voltado, eu estava muito confusa para dizer algo, o que estava acontecendo, nós sabíamos que Merle não seria assim tão burro a ponto de se arriscar voltando para a prisão no meio da noite.

Então, até agora. Eu só podia pensar em uma coisa, ele não estava ali para ficar. Daryl e eu fomos até lá, e ele não parecia nem um pouco surpreso em nos ver, mesmo que ele não devesse.

_O que está fazendo aqui? –Questionei-o diretamente. –

_Não entendo por que ela nunca fica feliz em me ver. –Ele disse a Daryl com uma risada extremamente cínica. –

_Merle, você não vai ficar não é? –Daryl perguntou ignorando o comentário. –

_Não, mas na verdade vocês também não.

_O quê? Está maluco?! O que você bebeu? –Perguntei arqueando a sobrancelha. -

_Nada, e não. Não estou maluco.

_Merle, nós não vamos a lugar nenhum! Você poderia ter voltado conosco se quisesse. Foi sua escolha!

_Alice, olha só. Eu sei que meu irmão não vai a lugar nenhum sem você, e sei que com você também não seria diferente. Por isso vim buscar vocês dois.

_Nós não vamos sair daqui Merle! Se você quiser ficar, você pode ficar mas nós não iremos a nenhum outro lugar. –Daryl disse. –

_Eu não vou ficar, eu não posso.

_Por quê não poderia? –Perguntei desconfiada. –

_Vocês sabem o motivo, e além do mais, acho que eu estava errado. Vocês dois não vão cometer os mesmos erros.

_ Achou mesmo que iríamos? –Daryl questionou sarcasticamente. –

_Não, mas achei poderiam mudar de ideia, quer dizer pensei que mais cedo ou mais tarde vocês iam perceber que esse grupo só vai atrasá-los. Sei que também pensavam assim até aquela garota, Maggie nos encontrar.

_As coisas mudaram Merle. Temos uma família aqui agora. –Respondi começando a me irritar com ele. –

_Pensem como quiserem , mas... Esperem, só tem um motivo que realmente poderia manter vocês dois aqui. Alice, você está grávida?! –Ele perguntou sem rodeios, fazendo meu coração pular e o meu sangue ferver. –

_O quê? Claro que não seu idiota! –Respondi imediatamente. –

_Merle, apenas diga o que houve. –Daryl disse, com um tom de voz impaciente. –

_Preciso falar com Rick. –Ele finalmente disse. –

_Pode falar. –Rick chegou logo atrás de nós, com o olhar fixo em Merle. –

_ Me deixe entrar e vamos falar.

***

Rick aceitou falar com Merle, não entendi porquê. Mas se Merle tinha realmente algo a dizer que pudesse ser relevante para a sobrevivência de todos nós, eu estava disposta a ouvir.

Merle fez questão de fazer com que apenas, Rick, Daryl e eu estivéssimos presentes, logo pude ver a razão, pela qual Merle havia voltado.

_O que está dizendo? –Perguntei fazendo o possível para me manter racional. –

_Isso é besteira, Merle. Como isso pode ser possível? Todos fazem de tudo para sobreviver nos dias de hoje, mas isso é uma porra de um desejo suicida. –Daryl, assim como eu estava desconfiado, nós nunca deixamos de confiar em Merle totalmente, mas agora, ele realmente quer colocar a gente em uma armadilha. –

_Como sabe que não é uma armadilha? –Rick questionou nervoso. –

_Porque eu vi que não é. Só preciso que entenda Xerife, não vim aqui por você ou por ninguém do seu grupo, estou aqui pelo meu irmão e claro, e sei que se eu deixar a gatinha aqui de fora, levo uma porra de uma flecha no olho. –Merle virou-se para mim e piscou. –

_E eu quero que você entenda Dixon, que Daryl e Alice pertencem a este grupo.

_Rick, pode nos deixar à sós por um minuto? Vamos resolver. –Eu pedi, e Rick se retirou, ainda com o olhar frio fixado em Merle. –

_Você acha mesmo que esses filhos da mãe tem a cura para o vírus? –Daryl perguntou, nossos olhares se cruzaram e percebi que Daryl tinha o mesmo pensamento que eu tinha no momento.

_Tem algo errado, Merle onde é este maldito lugar?

_O que houve cunhadinha? Não confia mais em mim? –Sempre com o mesmo sorriso cínico. –

Daryl me observava, ele tinha sim, pensado o mesmo que eu. Merle nunca nos mandaria para isso, nunca mandaria Daryl para isso. Se ele soubesse, e eu sei que sabe que iria haver qualquer tipo de risco para nós dois, ele não nos envolveria. Ele faria sozinho.

_Merle, me leve até lá. –Daryl disse,meu coração congelou, meu sangue ferveu. Daryl não tinha o direito de fazer isso comigo. –

_Daryl...

_Qual o problema Ally? Não se preocupe. Trago ele de volta inteiro. –Merle devia se calar antes que eu desistisse. –

_Ally, não posso te arrastar pra isso, se for uma armadilha...

_Daryl, você não vai me arrastar a lugar nenhum, eu vou por conta própria, eu conheço os riscos, eu sabia dos riscos que iria correr quando voltei para procurar vocês. E se for uma armadilha, foda-se! Eu não ligo, tudo o que eu sei, é que eu não vou ficar aqui esperando como uma inválida!

_Alice, você precisa confiar em mim. Eu vou voltar, eu simplesmente... Não posso arriscar perder você. –Daryl não ia fazer isso sem mim! –

_Daryl, você não vai me perder okay? Já sou grandinha. Sei me cuidar, você por acaso acha mesmo que eu vou ficar feliz se você for até lá sozinho? E por algum motivo eu também sentiria falta do Merle, quer dizer, se ele morrer quem vai ser o filho da puta que vai me chamar de princesa? –Eu ri. – Eu vou com vocês!

Daryl sorriu, e me abraçou.

_Então isso é sério? Vocês dois são mesmo um casalzinho feliz de novo, tipo como nos velhos tempos? –Merle perguntou. –

_Não se acostume, nós não vamos nos casar. –Respondi. –

_E quando nós vamos? –Daryl perguntou voltando ao assunto. –

_Amanhã de manhã.

***

Quando acordei, Daryl já estava de pé.

_Temos um acordo com Rick, ele quer ir conosco.

_Ele quer?

_Merle passou a noite na torre de vigia, mas ele está disposto a não ficar aqui, mesmo depois que voltarmos.

_Daryl, isso não te incomoda. Digo, ele realmente acredita que algum maluco tem a cura para essa merda? Isso não parece muito algo que Merle Dixon faria.

_Eu não faço ideia do que ele pretende fazer, mas ele nunca faz nada ser ter nenhum tipo de segunda intenção, por isso eu não queria que você fosse.

_Não se preocupe, como eu disse, eu sei me cuidar.

_É melhor irmos. Rick quer que cuidemos para que Merle não tenha muitas armas.

_O quê? –Estava confusa, Rick estava achando que Merle poderia ter um ataque psicótico? –

_Não sei direito, mas não seria uma má ideia ter cuidado.

***

_Alice! Hey, Rick me contou o que houve. Vocês vão mesmo até este lugar? –Era Maggie, ela chegou muito rápido, e começou a falar muito rápido, ela quase não respirava. –

_Maggie! Se acalme, isso não é bom para o bebê. E sim, nós vamos. Mas vamos ficar bem.

_Espero que sim, nós precisamos de vocês. E também, a madrinha do meu filho tem que estar aqui quando ele nascer. –Ela sorriu, e me abraçou. –

_Oh meu Deus! Maggie, você tem certeza disso? –Perguntei muito surpresa, enquanto retribuia ao seu abraço. –

_Claro que sim! Na verdade, Beth teve a ideia. E eu achei que seria perfeito, então, você aceita?

_Claro! Vai ser uma honra! Obrigada. –Eu fiquei realmente feliz com isso, sorri para Maggie e ela me abraçou novamente. –

_Por favor me prometa que terão cuidado lá fora.

_Não se preocupe, vamos ter.

***

Quando estávamos a caminho do tal lugar, não havia praticamente nada. Desci da garupa e Daryl guiou a moto até o acostamento enquanto Rick e Merle desciam dos carros.

_Mas o quê...

_Não tem nada aqui. –Daryl encarou o irmão com uma expressão confusa. –

_Na verdade, tem sim. Vejam. –Rick apontou para uma enorme placa escondida atrás de alguns arbustos. –

Daryl e eu nos aproximamos da placa, e havia algo escrito, estava escrito com sangue.

Por favor nos perdoe, a cura está além da nossa capacidade. Mas precisamos continuar sobrevivendo ao inferno.”

_Isso não faz nenhum sentido, tinha um prédio aqui. Algo como um hospital. –Merle se manifestou. –

_Acho que eles foram capazes de “sobreviver ao inferno” como disseram. –Disse Daryl apontando para os walkers pendurados pelo pescoço nas árvores próximas. –

_Se mataram. –Completei. –

_E o que fazemos agora? –Rick perguntou se virando para Merle. –

_Quando vim até aqui, disseram que podiam acabar com isso.

_Mas não acabaram com o vírus, acabaram consigo mesmos.

_Vamos voltar. –Falei. –

_Podem ir. –Merle se virou para Daryl e eu. –

_Não vai mesmo voltar com a gente? –Daryl questionou. –

_Não, acho que fico melhor sozinho, o que não é o seu caso irmãozinho. Só precisa saber de uma coisa, a Alice? Ela morde,tome cuidado, e boa sorte. Você vai precisar.

_Merle, eu ouvi isso! –Gritei para ele que riu. –

_É, se cuida princesa. –Ele se aproximou de mim e me deu um aperto de mão. –Cuide do Daryl também, ele precisa de você, e tenho que admitir, vocês ficam bem juntos.

Eu sorri, Merle pegou o carro, e simplesmente foi embora; Isso não era bem o planejado. Mas não podíamos obrigá-lo a ficar.

***

*Semanas depois*

Maggie já havia dado a luz, era uma menina. Rose, é um lindo nome. Ajudei Beth a escolher.

Não era fácil cuidar de um bebê no grupo, mas estávamos fazendo nosso melhor. Daryl não era tão ruim assim cuidando de uma criança, fiquei surpresa na verdade. Bom, nós havíamos sim criado uma família aqui. E isso é o que mais importa para mim. O que mais importa é que nós sobrevivemos.



Notas finais do capítulo

Bom, eu só quero dizer que eu amei muito escrever essa história e é muito triste que tenha chegado ao fim. Mas muito obrigada a todos que acompanharam e comentaram a fic. Foi tudo muito importante para mim. Até a próxima fanfic. Beijos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Sobrevivendo ao inferno" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.