Caso de Fanfiction escrita por Ella


Capítulo 5
Nunca Ofenda uma Lutadora Faixa Preta.


Notas iniciais do capítulo

Capitulo bobo aqui procês...
Boa leitura ;)



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/493904/chapter/5


­

Lucas

– O que diabos você está fazendo aqui, Cassie? - Perguntei para a garota seminua na minha varanda.

– Responde, vadia! O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM O MEU NAMORADO? - Cassie me ignorou completamente e se aproximou mais de Ayla.

Não seria tão ruim e constrangedor se ela estivesse de roupa. Quer dizer, é meio estranho uma garota quase anorexa de lingerie discutindo com uma super gostosa de vestido.

Ayla finalmente olhou para Cassie e levantou uma sobrancelha ao vê-lá só de lingerie.

– Quem é ela, Lucas? - Ela me perguntou ainda olhando para Cassie com uma careta, que se não fosse em uma circunstancias dessas, eu a chamaria de uma careta fofa.

– Uma psicopata, Ayla. - Respondi um pouco nervoso.

– Uma psicopata? Não foi isso o que você disse quando me pegou na dispensa da casa de seu amigo. - Cassie me olhou com diversão. Ok, agora eu estava apavorado, principalmente porquê Ayla me olhou chocada.

Merda, agora tudo tinha ido por água abaixo! Meus planos tinham puf, ido embora por causa da vadia da Cassie.

– Aé? Pegou você na dispensa? - Foi tudo o que ela disse.

– Sim. - Cassie respondeu. - E duas semanas depois ele me pediu em namoro, jurando a melhor noite de nossas vidas.

– O que?! - Olhei para Cassie, pasmo. - Eu nunca nem pensei em namorar você, garota. Você é que me embebedou!

Lagrimas surgiram nos olhos de Cassie, ela fez biquinho e começou a chorar. Ah, pelo amor de Deus, quem conhece Cassie sabe muito bem que ela não chora assim. Cassie tem um choro assustador, não um choro de anjinho, como estava fazendo agora.

– Você não tem namorada, ein? Ainda bem que essa cachorra apareceu para contar a verdade. - Ayla se levantou do balanço chocada.

O que? Ela tinha acreditado na Cassie?! Deus, que injustiça! Eu nem pude me defender.

– Não me chama de cachorra não, sua vadia! - Cassie gritou entre falsos soluços.

– Cala a boca, chifruda! - Ayla retrucou.

– Vocês podem parar por favor? Vocês não percebem que tem um menino lindo aqui, pensando no que diabos fazer para se livrar da vadia com lingerie e dar pelo menos um beijo na garota de tranças? - Desabafei alto o suficiente para as duas ouvirem e calarem a boca. Mas acho que não foi uma boa ideia.

Ayla

Estava muito bom para ser verdade. Lucas era muito fofo, muito gentil, muito modesto e muito gostoso para tudo isso ser verdade. Caralho, eu não acredito que quase cai nessa! Esse escritor metidinho de quinta ia me pagar.

Me aproximei de Lucas mais do que o suficiente para lhe dar um belo tapa na cara. Ele não fez nada, apenas abaixou a cabeça e massageou as bochechas que agora estavam vermelhas.

– Tudo bem, eu mereci. - Ele murmurou.

– Isso foi por você ser um canalha convencido. Se eu tiver vergonha na cara eu nunca mais virei aqui! - Falei. - E se for esperto, você nunca mais vai me procurar!

Ele me deu um olhar-gato-de-botas e eu quase lhe dei outro tapa por tanta fofura. Ayla, ele mentiu para você. Ele tem uma namorada! Uma namorada que está de lingerie vermelha no meio da varanda da mãe dele.

– E você sua corna desgraçada, - Me virei para a cadela de langerrie, que agora estava com um sorriso enorme no rosto e não tinha uma lagrima sequer. - Cuide melhor do seu namorado. E coloque uma roupa porque você não está seduzindo ninguém aqui, você só está assustando. - Pude ver Lucas concordando com a cabeça e revirei os olhos.

– Eu sou muito mais gostosa que você! - Cassie respondeu.

– Mentira. A Ayla é mais. - Lucas gritou. Apenas um lado de seu rosto vermelho.

– Não me chame de gostosa, Sheller! - Lancei um olhar de morte para ele.

– Não me chame de Sheller!

– Mas que porra é essa? - Uma voz estranhamente familiar perguntou atrás de mim. Me virei para ver Susie parada na porta nos olhando boquiaberta. - Por que essa garota está só de sutiã e calcinha? E ainda por cima vermelha?

– Eu queria fazer uma surpresa para o meu namorado, mas quando cheguei aqui ele estava se agarrando com essa cadela de tranças! - A demônio-prostituta respondeu.

– Ayla? - Susie me lançou um olhar esperançoso. Isso mesmo, ela não estava preocupada se eu iria apanhar do demônio ou se eu fui enganada pelo garoto mais bonito já visto. Ela queria saber se eu peguei o Lucas! Que bela amiga eu tenho...

– Agora não, Susie. - Adverti.

– Tudo bem, depois então. - Ela olhou para Lucas. - O que aconteceu com seu rosto, gatinho? - Ela perguntou a ele como se ele realmente fosse um gatinho de estimação. Deve ter sido aquele olhar-gato-de-botas de novo.

– Sua amiga me bateu. - Ele me lançou um sorriso cafajeste.

– Ayla! - Susie me censurou.

– Se eu bati nele foi por algum motivo. - Dei de ombros.

– Não me diga que essa loira também faz parte de seu arem, Lucas. - A cadela agora estava colocando um vestido.

– Como é que é? - Eu juro que vi Susie girar em câmera lenta.

Oh não. Isso não era nada bom.

– É isso mesmo que você ouviu. - Cassie estufou os peitos. - Aquela cadela de tranças ali eu já sei que é. É você?

–Do que você chamou minha amiga? - Susie amarrou seus cabelos de uma forma brutal. Eu já sabia o que ia acontecer.

Se eu iria impedir? Oh, nem pensar.

– Eu chamei sua amiga de Cadela. De. Tranças.

Lucas

Tudo ficou muito estranho quando Susana chegou. Ayla tinha parado de retrucar e se sentou novamente estranhamente calma e olhava fixamente sua amiga. Cassie finalmente decidiu recolocar sua roupa e Susie tinha amarrado os cabelos. Nada de estranho até agora.

Fiquei ali, massageando minha linda bochecha sem me pronunciar nem nada, mas quando olhei para as garotas de novo eu fiquei relativamente chocado. Susana estava em cima de Cassie, que estava se debatendo como um peixe morto e Ayla olhava maravilhada.

– Lucas, socorro!


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Eu sei, ficou um pouquinho sem noção heuheuehue. >—