Secrets of wolves escrita por Dark Phoenix


Capítulo 7
Human


Notas iniciais do capítulo

-Primeiramente avisando que a fanfic é tipo depois da 3A, eu tinha esquecido de dizer isso;
faz um tempinho q eu tinha escrito esse cap, mas como o nyah estava fora do ar, então eu aproveitei pra terminar de ver the lying game, q odio q cancelaram, mas que seja, aproveitem o cap.
Cece: http://media.tumblr.com/tumblr_mbji25Jk4f1rtk3wt.gif



I bleed when I fall down I'm only human

Emma POVs:

Eu tentei dar um pouco de espaço para Katie e Isaac se acertarem, mas a coisa parecia longe de se ajeitar, mas eu a entendia. Ele mentiu sobre a coisa que ela mais queria a verdade no mundo. Fui para o estacionamento e Stiles estava lá. Eu parei um pouco de andar. Ele olhou para mim. Eu não sabia o porquê dele não ter entrado no hospital.

–Emma. – ele disse.

–Stiles, por que você não entrou? – eu disse ficando na frente dele. – A Katie acordou agora.

–Ainda bem. – ele disse. – Eu só estou aqui pra pensar um pouco.

–Pensar em que Stiles? – eu perguntei.

–Quando você me perguntou e eu disseque era apenas humano. Eu queria poder dizer outra coisa. – ele começou. – Eu realmente sou só um humano. Eu sou inútil. Eu não tenho super força ou sei atirar com arco e flecha...

–Nem termine de falar. – eu disse. – Você não é inútil. Qual é o problema em ser humano? Eu daria tudo pra ser só humana.

–Mas você não é, você é algum tipo de bruxa. – ele disse.

–Eu nem sei o que eu sou. – eu respondi. – Por que é tão importante pra você ser alguma coisa além de humano?

–Eu gostaria de poder proteger você. – ele disse meio indignado.

–Acho que eu posso me proteger sozinha. – eu disse. – Mas obrigada.

–Não precisa me fazer sentir melhor. – ele disse.

–Posso te fazer mais uma pergunta? – eu disse e ele afirmou. – Isso é instinto protetor por ter a vocação policial do seu pai ou...

–Ou? – disse Stiles.

–Nada. – eu disse envergonhada. – Só esquece o que eu falei.

–Emma, no dia que você ficou na minha casa, que toda aquela loucura aconteceu, eu só queria poder ter feito mais, entende? Quando você deitou na minha cama comigo e eu te abracei eu senti como se realmente pudesse te proteger, mas ai amanheceu e eu lembrei que eu não podia fazer nada. Eu não sei como aconteceu, eu só sei que tudo que eu queria a partir daquele momento era como se eu não consegui mais ficar um segundo sem pensar na sua segurança.

–Por que eu? – eu disse ficando na frente dele. – Alias, por que você se importa comigo?

–Porque eu acho que eu gosto de você, okay? – ele me disse.

Eu estranhei, mas eu senti meus batimentos acelerarem. Ele achava que gostava de mim. Eu tinha certeza que gostava dele. Eu não conseguia botar em palavras. Tudo que eu fiz foi me aproximar do Stiles e beija-lo. Eu o abracei no pescoço e ele me puxou pela cintura. Eu estava nervosa, mas parecia que toda tensão estava longe. Eu era dele agora, mesmo que ele não tivesse certeza do que sentia. Porque eu tinha. Ele mordeu a parte inferior do meu lábio e puxou um pouco. Eu o empurrei mais um pouco e nós encostamo-nos ao Jeep.

–Emma? – ouvi alguém me chamar. Eu me soltei de Stiles. Olhei para trás e vi minha mãe acompanhada do Xerife Stilinski.

–Mãe. – eu disse com as bochechas corando.

–Xerife, é o seu filho? – minha mãe perguntou a ele.

–É sim. – o Xerife afirmou.

–Oi pai. – ele disse.

–Emma, eu vim como estava a Katie e quando você terminar isso me procure para nós irmos pra casa. – minha mãe disse.

–Claro. – eu disse envergonhada e minha mãe entrou com o Xerife. – Então onde nós estávamos Stiles?

–Você ainda quer... – ele disse confuso.

–Ela disse para eu procura-la quando eu terminar, nós já terminamos? – eu perguntei fazendo biquinho.

–Não. – ele disse e voltamos a nos beijar.

[...]

Eu fiquei conversando um pouco com Stiles e depois fui procurar a minha mãe. Ela estava conversando com a mãe da Katie e com a do Scott. Quando ela me viu, nós já fomos para casa. Ela foi dirigindo.

–Então Emma. – ela disse e eu já sabia que ela ia falar do Stiles. – Há quanto tempo você e o filho do Xerife estão saindo.

–Mãe, essa foi à primeira vez que eu e ela nos beijamos. – eu disse.

–Oh, ele é um bom rapaz e vai bem na escola... – ela começou. Eu sabia que tinha logo era que cortar o papo.

–Mãe, eu não quero falar sobre isso. – eu disse. – que tal pra parte que a senhora me conta por que eu tenho poderes?

–Emma, desde o dia que a Katie e vocês descobriram tudo eu venho querendo te contar, mas tudo que você precisa saber é que você herdou isso do seu pai. – ela disse e ficou calada até chegarmos em casa. Quando eu entrei havia uma mulher sentada na poltrona. Ela era bonita e tinha cabelos loiros. – Emma querida essa é Cecilia McGuiness.

–Mas pode me chamar de Cece. – ela disse e apertou minha mão.

–Muito prazer. – eu disse meio sem entender.

–Ems, a Cece vai te ensinar a controlar seus poderes. – minha mãe disse.

–Ensinar a controlar meus poderes? – eu repeti em forma de pergunta.

–Sim queridinha, para que você tente não explodir mais janelas no meio de muita gente. – ela disse e sorriu.

–Foi um acidente. – eu justifiquei.

–Acidente ou não aconteceu. – disse a minha mãe. – E a Cece vai te ajudar a fazer isso nunca mais acontecer.

–Isso virou Hogwarts pra eu ter professores de magia? – eu disse.

–Eu só vim ajudar. – disse Cece.

–Não tem nenhum jeito de eu renegar os poderes? – eu perguntei.

–Não. – respondeu Cece.

–Então não pode me ajudar. – eu disse e subi para o meu quarto emburrada.

–Emma, uma hora ou outra você vai ter que aceitar seus poderes. – disse Cece gritando da sala.

–Então vai demorar um pouco. – eu respondi. – Melhor esperar sentada.

Eu fechei a porta do meu quarto e meu sentei na minha cama. Levantei e vesti meu pijama. Depois de alguns minutos deitada eu ouvi pedrinhas batendo na minha janela. Fui até lá e abria a janela. Olhei para baixo e vi Cam parado lá, com o arco e flecha pendurado nas costas.

–Afasta um pouco pra eu entrar. – disse Cam e eu saí de perto da janela.

Cam subiu pela arvore do lado da janela e entrou no meu quarto.

–Eu preciso muito falar com você. – Cam me disse.

Katie POVs:

Eu fiquei no hospital sentada com Scott. Emma tinha ido embora e Isaac também. Eu para o lado e vi Jack sentado na sala de espera. Eu não sabia qual o motivo dele, mas também me irritava o que ele tinha feito. Ele entrou na sala e Scott logo se levantou.

–Você não devia estar aqui. – disse Scott para Jack. Os olhos de Scott começaram a mudar de cor. Foram ficando vermelhos.

–Eu só quero conversar com a Katie. – ele disse.

–Os Argents não deviam estar prendendo você e os gêmeos em algum lugar? – perguntou Scott.

–Eles são caçadores experientes, mas somos três alfas. – ele respondeu. – E dois se transformam em um alfa gigante.

–O que você quer? – eu perguntei irritada.

–Eu preciso contar pra você porque eu fiz o que fiz. – ele disse. – Pode ter haver com todos nós.

–Do que está falando? – eu perguntei. Jack olhou para Scott. – Tudo que disser a mim, pode dizer pra ele também.

–Certo. – ele disse. – Eu, Ethan e Aiden não tínhamos a menor ideia que bruxas existiam, muito menos que a Emma era uma. Desde que estamos sem um líder não sabemos bem o que fazer. Então isso apareceu na nossa porta no dia que tudo aconteceu.

Jack entregou um bilhete pequeno escrito em letra de forma. Nele estava escrito: peguem ela e eu te encontro uma nova matilha.

–E junto com isso tinha uma foto da Emma. – ele disse.

–Espera só um segundo, não foram vocês que atacaram a menina na festa? – perguntou Scott.

–Não, mas nós estávamos por lá. – ele respondeu. – Depois que ouvimos alguém gritar nós estávamos olhando de longe. E tem mais uma coisa.

–O que? – eu perguntei.

–Isso. – ele disse. Vi os olhos de Jack ficando vermelhos e depois eles começaram a mudar de cor bem rápido. De vermelho para azul claro e depois para vermelho de novo.

–Você está deixando de ser um alfa? – Scott disse estranhando.

–Parece que sem querer a Emma está tirando o poder alfa de mim e dos gêmeos. – ele disse.

–Impossível. – eu disse. – O que quer que a Emma faça ela ainda não controla, o máximo que ela consegue é quebrar janelas de vidro, nada mais.

–Então tem outra pessoa pegando nosso poder. – Jack disse.

[...]

Depois que eu consegui sair do hospital eu tive tempo de pensar em tudo que aconteceu. Eu fiz Scott me levar até Derek para ele me contar tudo sobre a morte do meu pai. Eu tive tempo de perceber que eu fui muito dura com o Isaac, mas eu ainda estava irritada por ele não ter me contado. Quando eu descobri tudo sobre os lobisomens e liguei a morte do meu pai eu senti como se eu fosse amiga do monstro que morava embaixo da minha cama. A criatura que me atormentava desde os 8 anos. Depois de alguns dias os meninos deixaram de ser alfas, agora apenas Scott era alfa. Não sei se isso era bom ou ruim, ainda estou me acostumando com tudo isso. Mas eu tinha um plano, tinha algo que eu queria fazer. Eu caminhei até a casa de Allison. Bati na porta e quando ela me ateneu eu disse:

–Eu preciso da sua ajuda.

–Tudo bem, o que você quer? – ela perguntou me colocando dentro da casa dela.

–Eu quero que me ensine a proteger os outros. – eu disse. – quero que me ensine a caçar.

–Katie eu não sei se o Scott aprovaria... – ela começou, mas eu a cortei logo.

–O Scott não tem que aprovar, a vida é minha. – eu disse. – Eu decido. E eu decido que é isso que eu quero fazer, mas se você não quiser me ajudar...

–Não, tudo bem. Eu treino você, mas saiba que é perigoso. – ela me disse.

–Eu sei. – eu respondi. Eu não me importava.

–E nós Argents temos um código. – ela disse. – E se vai ser treinada por um Argent vai ter que seguir o código.

–Eu entendo, eu vou seguir. – eu disse. – E qual é o código.

Nous protégeons ceux qui ne peuvent pas se proteger eux-mêmes. – ela disse. – Significa: Nós protegemos aqueles que não conseguem se proteger.

–É o que eu quero também. – eu disse. – Eu quero proteger quem eu amo.

–Então parece que temos muito a ensinar a ela. – disse Chris, o pai de Allison, descendo a escada.

–E eu estou ansiosa para aprender. – eu respondi.

–Onde está o Cameron? – perguntou Chris à Allison.

–Ele está treinando. – respondeu Allison.

Agora eu tomei o controle da minha vida. Eu sempre odiei tanto ver todos fazendo algo por mim e eu não conseguir fazer nada para ajudar. Eu sei que o caminho que eu escolhi é difícil, mas precisamos passar por coisas difíceis para aprendermos a dar valor ao que temos. Eu tinha meu próprio código também. “Quem eu amo vem sempre em primeiro lugar e eu sempre irei tentar salva-los”. Esse é o meu código. E eu vou fazer jus a ele.



Notas finais do capítulo

O que acharam do capitulo? #KatieHunter kkkkkkkk o q acham disso? Gostaram de Stemma nesse capitulo?