Change escrita por Luuh


Capítulo 10
Capitulo 10 Repostado


Notas iniciais do capítulo

Hey hey....
Chance está de volta.... bom, talvez os capitulos demorem a sair, um a cada semana, mas sim, tive a minha criatividade de volta e pronto, capitulo 10 fresquinho do forno, fresquinho mesmo, finalizei ele agorinha mesmo e como sou uma pessoa que ama muitooo vcs decidi postar correndo porque vocês não devem mais aguentar esperar a att...
nos vemos la em baixo



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/488483/chapter/10

Depois que virei a garota propaganda da coleção do inverno, não tive sossego, tive que ir provar milhares de vestidos para tirar as fotos, ver qual vestido combina mais com tão joia, era cansativo, não era só fazer cara bonita nas fotos, tive que entrar em dieta especial de modelo e estava me matando já que eu não podia comer muita coisa.

Sacanagem, eu nem era modelo profissional e nem podia sonhar com um pedaço de pizza, Izzy ficava em cima de mim com essa dieta, praticamente se mudou para a casa do Jace, ou para a minha casa, para monitorar minha comida.

Claro que eu consigo comer escondido, quando todos estão dormindo, acho meu pedaço de bolo de chocolate favorito na geladeira, eu amo a Marie, ela sabe como me deixar feliz, Jace sabia dos meus bolos de madrugada, as vezes ele vai comer um pedaço comigo.

Quando as primeiras fotos saíram, não pude deixar de ficar assustada, estava morrendo de medo que desgraçado do pai da Lilly, aparecesse, mas minha cara já estava estampada como a nova garota da Tiffany, era legal, mas também fico com medo.

Lilly era a que mais curtia tudo, ia para a escola, ficava na piscina quase toda hora, via desenho, ganhava fantasias, a nova que ela não queria largar era a da Elsa, ia para a escolinha de inglês e a de balé.

Jace se divertia com minha frustação, mas sempre uma hora do dia me entregava um buque de flores ou doces, como um lindo cavalheiro. Izzy em enchia o saco, mas valia a pena todo o esforço dela, e eu ainda tinha que montar o casamento da minha mãe.

Era mais um dia lindo para trabalhar, o outono estava no meio, e o tempo estava perfeito, faltava uma semana para o casamento da minha mãe e duas semanas para o meu aniversário. Estava nervosa para o casamento da minha mãe, tudo tinha que estar simplesmente perfeito para ela e para o Luke.

Era o dia da prova do vestido da Lilly e da minha mãe, mas minha mãe queria ir sozinha já que ela falou que queria nos surpreender no dia da festa, sei que ela iria parecer uma rainha. Levei Lilly para a prova do vestido e Jace não pode ir, já que Lilly bateu o pé e falou que o vestido era uma surpresa, minha filha é uma figura.

Ela estava igual a uma princesinha de tão lindo que era o vestido dela, eu tinha amado, agora era a minha vez, entrei no provador e deixei Lilly junto com uma das meninas da loja que babava na minha filha e peguei o vestido.

Ele era azul, com um laço atras do pescoço e com uma saia bem solta até o chão, coloquei o salto que usaria no dia, um salto gelo bem alto e a costureira terminou de fechar o vestido, era lindo, o azul claro ficou bem em mim.

Fiquei mais um pouco com o vestido e logo tirei, colocando a minha roupa de volta e saindo do provador vendo Lilly me olhar com um sorriso no rosto.

— Quero sorvete – ela falou e eu sorri.

Peguei os vestidos me despedindo das meninas da loja, indo em direção ao carro e colocando os vestidos esticados no porta malas, já ia pegar a Lilly para prende - lá no banquinho quando a mesma sai correndo e gritando “papai”.

Fechei a porta do carro e olho para Jace parado a uma distância curta da onde eu estava, sorrindo, Lilly já está bem aconchegante em seu colo.

— Eu quero sorvete – ela falou de novo para mim.

— Então vamos tomar sorvete meu amor – falei abrindo a porta do carro e olhando para Jace – Cadê o seu carro?

— Joseph me trouxe, ai só fiquei esperando vocês saírem – ele falou e comecei a prender Lilly na cadeirinha, depois indo sentar no banco do passageiro, ele entrou do lado do motorista e logo estávamos a caminho da sorveteria.

Lilly estava com um pode grande de sorvete a sua frente, ela era apaixonada por sorvete, de quase todos os sabores, estava bem colorido aquele potinho fora a quantidade de calda de morango que ela tinha colocado lá e balinhas de todos os tipos.

Não pensem que sou uma mãe desnaturada, agora com Izzy no meu pé por conta da dieta de modelo, quase não tem doce em casa, e Lilly é uma criança, gosta dessas coisas, então quando nós saímos, as vezes, abusamos um pouquinho.

O meu potinho nem estava tão cheio assim, apenas como meu sorvete de chocolate belga, morango e oreo e Jace estava quase competindo com Lilly para ver qual potinho tinha mais sabores, eram tão coloridos.

Sentia diversos olhares em mim, até a moça que estava no caixa, observando os sabores de sorvete que eu comia, acho que queria saber que sorvete eu comia para ficar magra, estranho, mas senti flashes e olhares, ainda bem que foi só isso.

Na hora que Lilly acabou o sorvete, a levei no banheiro para lavar o seu rosto que estava uma meleca de cores, ajudei ela a lavar as mãos e o rosto. Voltamos para a mesa, onde a primeira coisa que Lilly fez foi se jogar no colo de Jace, a menina apegada a uma pessoa em!

Não é ciúmes não, quer dizer, talvez um pouco, mas Lilly está mesmo animada com a ideia de ter um pai, afinal, só era eu, ela, minha mãe, Izzy e Luke, agora com Jace, ela pode voltar a sonhar com a família perfeita, acho que até eu posso.

E não estou ligando se dizem que sou interesseira o que importa é o que Jace saiba o que eu sinto, o resto apenas mando para aquele lugar. Não me importava mesmo aqueles comentários, ver o sorriso no rosto da minha filha toda vez que ela fica no colo do pai dela é o que me enche de alegria.

Sai da sorveteria atrás dos dois, apenas observando eles rirem, se for ver por um lado, eles são idênticos de personalidade, e tem exatamente o mesmo sorriso que não me faz dizer não, nem para ela e nem para ele.

Lilly olhou para mim e Jace fez o mesmo, estendendo sua mão livre para mim, que eu agarrei com força, quando acha o cara certo, NUNCA, se deve deixar ele ir embora, NUNCA.

Chagamos ao carro e Jace prendeu Lilly na cadeirinha, eu abri a porta do passageiro e quando fui fechar, fui impedida por alguém.

Levantei meu olhar já achando que seriamos assaltados, mas não, ao olhar encontrei os olhos negros familiares de sempre, o sorriso de psicopata na cara e os braços cobertos de tatuagem.

Eu preferia que fosse um assaltante, não ele. Um assaltante seria menos assustador.

O cara que eu via parado em minha frente, era o mesmo cara que eu dei graças a deus não ter nada de parecido com meu anjinho, era ele.

O pai da Lilly.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Acho que merece comentarios ne?!?! Só evitem de me xingar!! Brincadeira, sei que vocês irão me xingar e eu aguentarei calada, afinal, fui eu que fiz vocês esperarem tantooo tempo!!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Change" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.