Você, ele e eu escrita por AmlidArlequina


Capítulo 9
Bruce


Notas iniciais do capítulo

Olá. Acabou que eu não consegui responder todo mundo, mas como vocês cometaram, vou postar capítulo extra.



Pov's bruce Banner.

Eu não era idiota e primeiramente já havia percebido que Steve estava completamente tenso e desconfortável quanto a missão e que isso não tinha nada há ver com a minha presença que ele fingia suportar por causa de Tony.

Eles formavam um belo casal, sim, talvez um dos casais mais bonitos de todo o mundo, isso até eu deveria admitir, mas Tony era um maldito que atraía a todas as pessoas como a gravidade faz com que todas as coisas caíam. Tony era a gravidade pura que fazia com que as pessoas caíssem por ele.

Eu era do tipo que sempre iria admirar de longe. Nem mesmo que Steve não estivesse na parada, eu iria ousar. Eu adorava observá-lo montado e desmontando protótipos e fazendo a  física e a química acontecerem como um maestro é capaz de reger dezenas de pessoas sem sequer se confundir, mas isso não quer dizer que eu tivesse coragem de me aproximar ou de tentar fazer qualquer outra coisa que não fosse apenas observar.

Mas o meu assunto no momento mesmo não sendo o tipo de Doutor que Tony esperava que eu fosse quando veio desabafar comigo sobre o incidente com Killian, e nem mesmo era necessário ser para que se percebesse que Steve estava com medo e ele poderia usar a desculpa de estar preocupado com Tony e com a criança que eu não cairia. Havia algo errado.

Percebi Steve mexendo diversas vezes em seu celular tentando não acordar Tony de forma alguma, e não deixei de perceber quantas foram as vezes em que ele passou a mão pelo rosto após Natasha ter sussurrado algo para ele. Ela também havia percebido algo e ela com certeza havia acertado em cheio do que se tratava.

Eu nunca havia visto Tony acordando, e também nunca havia o visto dormir durante todo um vôo, muito menos um que durava mais de oito horas, e ver isso era tão intimo que eu quase cobri meu rosto para não ficar vermelho e nem ficar encarando demais. Eu morreria para poder vê-lo dormir e acordar todos os dias.

— Bom dia, amor ! - Disse a voz dele, mais rouca e mais sexy do que o normal - Ai meu Deus, vai começar cedo ! - Disse colocando as mãos em cima da boca antes de sair correndo na direção do banheiro.

Ele mal havia alcançado o banheiro e Steve já estava entrando no quartinho apertado que era o banheiro daquele jatinho.

— Vai ficar tudo bem, amor ! - Disse a voz de Steve carregada de carinho e mesmo sem olhar, eu sabia que ele estava fazendo carinho em suas costas e cabelo. Era o que eu também faria se tivesse Tony ao meu lado e esperando um filho meu.

— Falta muito para chegarmos ? - Questionei a Natasha que me encarava enquanto tomava um copo enorme de café que eu nem me importei em perguntar onde ela havia conseguido, já que ela já esticava uma caneca em minha direção.

— Aterrissamos em menos de meia hora ! - Disse ela - Tony tem um relógio biológico incrível !

— Já sabem onde encontrar esse tal de Bucky ? - Questionei. Não havia questionado nada até então.

— O cara tá tocando o terror. Assalto a bancos, matando governantes e coisas do tipo. Não lembra quem é. É arma usada da Hydra há tempos e estava com certeza congelado, mas tempo um homem de outra época também, talvez tivessem achado que era o momento certo para destruir o nosso ! - Dizia ela enquanto se sentava no chão da nave de frente para mim.

— Mas você acha que ele teria capacidade suficiente para matar o Steve ? - Questionei bebendo meu café e aquilo sim era um café, forte e quase sem açúcar.

— O Steve não é imortal, só é resistente, assim como eu. Podemos não adoecer com facilidade ou envelhecer de forma natural, mas somos tão suscetíveis a morte quanto um humano não modificado cientificamente ! - Disse ela  - Mas eles não querem matar o Steve, querem usar o passado dele contra ele. Bucky era o melhor amigo dele, se não o único que ele tinha e por isso, trouxeram esse Bucky de volta !

— Mas ? 

— Eu seria capaz de matar de de morrer por ele, Bruce ! - Disse Steve surgindo na porta do banheiro ao lado de Tony que não parecia gostar nem mesmo de longe de Bucky, mas só então é que eu me lembrei do que Fury havia dito durante o nosso almoço. Bucky era pai de Tony - Ele era e é meu amigo, Bruce !

— E seu pai, Tony ! - Disse Natasha se virando na direção de Tony que fez uma careta de desdem normal de seu comportamento - Ou seja, nossa missão não é matar, e sim, deter, capturar e recuperar a memória do Soldado Invernal !

— Mas eles tem aquelas coisas, o livro vermelho é um deles, pelo que eu li ao longo da noite. Não temos as palavras de comando ! - Falei.

— Recalibração cognitiva, Doutor ! - Disse ela - Nada que umas porradas bem fortes e bem dadas na cabeça não sejam capazes de recurar. Nós só precisamos estar perto o suficiente para isso !

— Estão levando em conta o braço biônico do cara e que ele ainda age como uma máquina de matar ? - Questionou Tony - Não vai ser nada fácil sem ou com o Hulk !

— Então porque já não me colocam na ação de uma vez ? - Questionei.

— Preciso saber se conseguimos sem isso tudo. O cara é meu amigo, está sendo manipulado, mas eu não quero bater nele. Se for preciso eu vou fazer, mas antes quero tentar na passividade !

— Só que dessa vez, vamos tentar não atingir muitas pessoas comuns ! - Disse Tony antes de passar por mim e Natasha, nossos olhares tentando esconder algo que nem mesmo sabíamos se estavam em comum acordo em relação a pensamentos.

No fundo eu sabia que não era só isso, Natasha também sabia, assim como Tony parecia ter pego algo no ar porque após dois segundos encarando Steve, deu as costas a nós três e já começou a se comunicar com  Jarvis sobre relatórios de campo e sobre Bucky Barnes. Algo me dizia que nenhum de nós voltaria o mesmo depois que nos encontrássemos não com o Soldado Invernal, mas sim com Bucky Barnes. 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Você, ele e eu" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.