Você, ele e eu escrita por AmlidArlequina


Capítulo 17
Não mais dois, três




Pov's Loki

 

Sei que vocês não queriam que fosse eu contanto isso, mas acredite em mim, quaisquer um daqueles dois que viesse a contar isso pra vocês, estaria com tantas emoções atreladas que não seriam capazes de explicar de forma racional.

Um verdadeiro caos instalado, é assim que eu posso definir como as coisas aconteceram ao meu redor. Ao menos eu não era tão abalável quanto os midgardianos e podia lidar com tudo de um modo racional. Desde que isso não envolvesse Thor agarrando uma desses que vocês chamam de humanos.

Eu tinha um Homem de Ferro sangrando e gravido nas mãos e estava me portando normalmente, mesmo que o Capitão Bom-moço estivesse ali se pendurando a Tony tentando ver se ele estava bem, mas o mesmo estava desmaiado. A ruiva esquisita lá parecia pela primeira vez na vida  uma garota normal que sente as coisas e parecia chocada com algo que havia acontecido antes da nossa chegada, porque eu tinha certeza de que ela não estava daquele jeito por ter dado um tiro em um homem. Já a vi tirar a vida de centenas de vilões e aliens sem nem pestanejar; Thor tinha o grandão de braço biônico nos ombros como se ele fosse um saco de ração para os nossos cavalos. Tudo bem que não passava disso para mim, mas que eles não saibam disso.

Hulk por sua vez tinha voltado a seu estado normal e estava empurrando Steve para longe para que eu e Thor pudéssemos passar e levar os desacordados para as naves que nos esperavam.

— Pelo amor de Odin, me deixem passar ! – falei em um rompante de raiva. Pareciam duas crianças brigando pelo mesmo brinquedo. Faltava pouco, para não começarem a se socar pra ver quem ficava mais perto de Tony.

Apesar de eu já ter feito poção de revelação para o futuro deles, mesmo que eles não soubessem e nem sempre visões de futuro fossem algo certeiro, eu temia que algo tivesse acontecido com a criança. Porque por exemplo, eu não esperava ter dado certo com Thor, já que eu nunca havia nos visto juntos em visões.

Alguns dos homens da Shield vieram de encontro a nós e pegaram Stark de meus braços e outros contiveram Steve, não sei se por acharem que Tony ainda queria a distancia entre eles ou por qualquer outro motivo, mas é como colocar um castelo de areia na beira da praia e esperar que aquilo seja capaz de segurar um tsunami, Steve derrubou todos como se fossem crianças e passou por eles logo ficando ao lado de Tony.

— Vamos ter que cuidar do seu corte com você de pé ? – questionou um dos médicos.

— Sim ! – foi a única coisa que Steve respondeu.

Todos exceto Hulk, Thor e eu estavam feridos e eu não perdi meu tempo reparando nisso, mas não posso dizer que deixei de observar Steve e Tony. Eu torcia por aqueles três. Sim, a criança já era um ser nessa conta toda.

Não sei se Steve estava com medo de uma possível rejeição vinda da parte do Stark, mas ele esperou que todos os médicos saíssem do quarto e esperou por todos os exames para abrir a boca, mesmo que Tony já estivesse acordado e segurando a sua mão, e o barbudinho que agora era cabeludo estava apertando sua mão como se não quisesse que ele fosse embora.

— Irmão, é um momento deles ! – disse Thor tentando me levar para longe.

— Thor, você me tira daqui só se você estiver querendo terminar nosso relacionamento ! – falei o fuzilando com os olhos – Agora, calados a gente pode assistir !

Pov's Tony

O tempo todo em que estávamos sendo cuidados pelos médicos e enfermeiros da Shield eu tinha a mão de Steve na minha, até mesmo no momento em que foram retirar uma bala do corpo dele. Nem mesmo com Banner ameaçando bater nele ele não arredou o pé dali, e mesmo que ele tentasse, eu poderia quebrar minha mão, mas não o deixaria ir embora.

Demorou bastante para que nos deixassem sozinhos, aliás fizeram tantos exames que eu não duvidada que tivessem me virado do avesso, aliás Zemo havia me machucado bastante. Eu havia passado por muito stress e por quedas, tudo poderia afetar o bebê. E eu agradeci mentalmente o fato de ele ter esperado também porque eu não queria brigar, mas se fossemos brigar e se eu fosse chorar de culpa por ter colocado nosso filho em perigo, que fosse só na frente dele.

Pude sentir sua mão em minha bochecha direita em um carinho que eu tinha sentido tanta falta naqueles meses que não foi preciso mais nada para que eu começasse a chorar.

— Me desculpa ! – dissemos em uníssono, e só então eu percebi que ele estava chorando também.

— Eu quase matei nosso filho porque estava com raiva de você ! – falei.

— E eu  ? Eu não tinha direito de te esconder nada ! – disse ele – Você tinha que saber de tudo, desde o momento em que eu senti que gostava de você !

— Por que se esconder tanto de mim, meu amor ? Eu fiquei louco esse tempo todo e ... eu queria socar todo mundo até alguém abrir a boca, mas ... e ... droga, Tony .... eu ... eu sofri tanto, amor !

— Eu fiquei tão bravo, não queria você, não queria te ver, não queria que nosso filho soubesse de você, mas ao mesmo tempo, eu dormia abraçando a barriga e falando pra ele o quão lindo e perfeito você é ! – falei – Mesmo que eu quisesse raspar seu rosto no asfalto, eu estudaria nanotecnologia pra deixar sua pele perfeita e intacta de novo !

— Você ainda me quer fora da sua vida ? – questionou Steve  com seus olhos azuis dentro dos meus, tão cansados e cheios de olheiras quanto - Eu sei que Banner te viu em todo esse tempo, assim como eu sei que ele gosta de você e ... que ele cuidou de você como eu não pude fazer ...

— Eu gosto do Banner, mas como meu amigo, um dos melhores que já tive, mas não como eu gosto de você ! – falei rolando meus olhos – Aliás, eu não gosto de você ...

— Esse tempo foi suficiente para você ...

— Eu te amo, Steve ! – falei tocando seu rosto como eu pude, aliás todo o meu corpo estava doendo – E e o Peter, amamos você !

— Nat me contou sobre nosso menino ! – disse ele levando a mão que não estava em meu rosto até a minha barriga e deslizando os dedos por sobre ela – Eu queria ter passado cada dia do seu lado, sentido essa barriga linda crescer com nosso bebê aí dentro  ! – disse se curvando até beijar minha barriga por cima das vestes do hospital  já que as que eu usava quando cheguei, estavam imundas de sangue – Eu te amo tanto, meu filho !

— Me desculpa ! – falei no momento em que senti um chute forte na região do umbigo – Peter, devagar, garoto !

— Está tudo bem agora ! – disse Steve com um sorriso enorme em meio asa lágrimas que desciam em seu rosto – Ele chuta forte !

— Ele sabe que você é o pai dele ! – falei colocando minha mão por sobre a dele – Eu expliquei pra ele que além de mim e dos médicos, o único homem a tocar minha barriga seria você !

— Mas e o Banner ?

— Meu amigo, nada além disso ! – respondi - Ele nunca tocou, assim como a Nat. u nunca deixaria ninguém além de você tocar na minha barriga !

Steve se aproximou aos poucos, e mesmo franzindo o rosto devido a dor, ele fez questão de juntar nossos lábios de uma forma que eu me sentia dando meu primeiro beijo. Meu corpo se arrepiou, minhas mãos e meu estômago gelaram e minha respiração parecia a de alguém que havia participado de uma corrida.

— Eu nunca mais vou te deixar sozinho ! – disse ele, seus olhos tão azuis nos meus que eu me sentia até tonto.

— E eu nunca mais vou te deixar ir embora ! – falei – Somos uma família e ...

— Pelo amor de Odin, Thor, me deixa ver ! – disse a voz de Loki, e eu mesmo sem olhar percebi que ele estavam ali – Amor, é o momento mais lindo que eu já vi e ...

— Loki, sai daqui pelo amor de Deus ! – falei secando meu rosto.

— Me desculpem, amigos ! – disse Thor pegando Loki e o colocando no ombro – Mas devo admitir, vocês formam um lindo casal juntos, aliás uma bela família !

— É bom que estejam se entendendo de novo ! – disse Loki secando o rosto – Eu vejo tantas coisas boas para essa família  !

— Acho que por mim, está tudo bem ! –  falei secando meu rosto – Vocês podem ficar aqui se quiserem !

— Tony, não ! – disse Steve – Eu gostaria de ficar essa noite com meu amores, se vocês não se importarem !

Loki não pareceu ofendido, pelo contrário, mas se aproximou o suficiente da minha cama para pegar minha mão livre, e fazer carinho me minha barriga antes que Thor fizesse o mesmo e logo saíram.

Steve me ajudou pouco depois a sair da cama e me sentar numa cadeira de rodas, e me levou para o banheiro que havia no quarto e me ajudou a tomar um banho para que todas as sujeiras daquele dia saíssem de mim e me ajudou eu não achei ruim ser cuidado por ele. Era melhor que ser cuidado por Banner, por Natasha, ou por médicos. Era o meu amor cuidando de mim e de nosso filho porque Steve fazia questão de alisar a barriga e conversar com Peter o tempo todo, esse que parecia estar correndo dentro de mim de tanto que se mexia e me chutava. Aquilo doía, mas era tão reconfortante ao mesmo tempo já que durante o sequestro que sofremos, Peter havia parado de se mexer e eu estava pedindo a Deus como há anos eu, todo cético como sou, para que ele não tirasse meu filho de mim.

Depois de me secar, e se secar, já que após me banhar, ele havia resolvido tomar um banho também, Steve me ajudou a me vestir, me deu os remédios e naquela  noite, eu soube novamente o que é se sentir seguro, porque era como eu me sentia nos braços dele.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Você, ele e eu" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.