K.O.F escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 19
PRELIMINARES - INGLATERRA X ITÁLIA - A surpresa de Mai Shiranui


Notas iniciais do capítulo

Olha aí o desaparecido. Desde 2014 que eu não postava... Tá vendo, esse ano é O ANO. Só falta mais 1 fanfic para sair do hiato agora hahaha. Aproveitem bem o capítulo.



Heidern pensou na sua família antes do ocorrido, antes de Rugal destruir, antes de Collin ter a ideia para isso. Sua esposa e filhas foram brutalmente destruídas, ainda por cima mandaram um vídeo para ele, tudo por vingança de um ex-colega de quartel. Ralf e Clark ficaram acalmando o seu capitão. Os três estavam no barzinho do hotel.

— Vinte anos procurando pelo assassino da minha família... Vinte anos com a ideia de que o Rugal Bernstein era o idealizador daquilo. Desculpa, ainda estou meio desconectado da realidade.

— Melhor o senhor descansar um pouco. Posso parecer um pouco frio ao falar isso, mas nós temos uma missão importante agora que estamos na semifinal.

Heidern levantou a cabeça e se lembrou de Leona, sua filha. Ficou desesperado perguntando por ela. Ralf o acalmou avisando que deixou um colega mercenário vigiando-a e que nesse exato momento ela assistia à luta do lado de fora do hotel. O capitão agradeceu ao pupilo por ter feito aquilo e que morreria, caso algo de grave acontecesse com a sua filha adotiva.

E de fato havia um homem sempre de olho em Leona. Um pouco antes da luta dos Ikaris contra os coreanos, Ralf contatou um colega local para sempre ficar na cola da garota. Vice, claro, percebeu a presença do sujeito estranho. Obviamente, a vilã estará planejando algo e o empata foda teria que ser despachado mais cedo ou mais tarde.

...

Yuri Sakazaki subiu na arena pronta para a sua performance. A moça ficou se aquecendo enquanto Joe também subia na arena. O rapaz viu que muitas pessoas tiravam fotos ou filmava, ficou fazendo pose diante das câmeras. Ele retirou seu roupão com cor de tigre e exibiu seus músculos. Ele estava vestindo um calção de lutador de muay thai, com uma faixa branca na cabeça e o símbolo do Japão.

Joe estava representando a Itália, devido à dupla de irmãos Bogard. No entanto o rapaz era japonês de nascença e morou na Tailândia onde aprendeu suas técnicas de luta.

Yuri Sakazaki era a filha de Takuma e irmã de Ryo. Quando pequena sempre ficou na sombra do irmão e sempre era tratada como a donzela em perigo. Porém conheceu King e tudo mudou. Hoje representa a Inglaterra, apesar de ainda morar no dojo do pai no Japão.

E foi com uma breve formalidade que eles iniciaram a luta. Trocaram olhares, movimentos até a arena acender e os quadrados pretos aparecerem. Yuri usou o seu Kyokugenryu Karatê para desferir golpes aprendidos com anos de treinos com o seu irmão e pai. Joe era mais acrobata, usava muito as pernas, típico de sua arte marcial.

Takuma e Ryo ficaram assistindo ao espetáculo nesses primeiros segundos de combate. O mais velho percebeu algumas imperfeições no modo de luta da filha, ainda não estava pronta para uma semifinal. Não que sua visão fosse patriarcal, de fato ele achava a filha talentosa, tanto que não se importou quando ela aceitou o convite para o torneio. Todavia Yuri ainda estava num nível bem abaixo.

A prova que Yuri estava num nível bem abaixo do seu oponente, que era um dos mais fortes, diga-se de passagem, era que ela sequer desferia golpes efetivos contra o adversário, sempre errando alguns passos e deixando que o Joe pudesse contra-atacar.

Enquanto isso, Rugal observava atentamente onde Leona Heidern estava. Vice também estava perto da arena, mais precisamente uns vinte metros da garota, e observou o seu chefe balançar a cabeça como um sinal de início da operação.

— Atenção, vamos ter que tirar um obstáculo do nosso caminho. Há um cara, japonês, com cavanhaque, um metro e oitenta e vestido com uma calça jeans preta e jaqueta verde escura com uma faixa amarela no braço esquerdo — disse a ruiva.

Os homens de Rugal ficaram observando e se prepararam para o plano. Vice se aproximou de Leona.

— Tá gostando da luta?

— Está muito interessante. Eu queria também participar, mas não sei se eu aguentaria o tranco. E você, o que faz aqui?

— Apesar da luta ser boa, vamos dar uma volta num restaurante que tem aqui perto? Você verá que Kaido é uma cidade muito mais interessante.

— Certo. Estava ficando entediada mesmo.

As duas saíram ainda no meio da luta Joe x Yuri. O homem que vigiava a garota seguiu as duas para onde elas foram. Elas ficaram caminhando pelas ruas da cidade até chegarem num pequeno restaurante. Sentaram-se à mesa, pegaram o cardápio e fizeram os pedidos. Enquanto isso, o homem estava para chegar perto quando foi capturado pelos seguranças.

— Dizem que o salmão daqui é uma maravilha. Quero que você aproveite, amiga.

— Só você mesmo, Vice, para me alegrar. Sabe o meu pai? Ele pediu para eu voltar a Tóquio, mas não vou. Ficarei aqui até quando eles ficarem. Infelizmente terei que partir mais cedo, caso eles percam nas semifinais.

— Eu tive uma ideia para aproveitarmos a sua estadia. Que tal um passeio de barco na quarta pela manhã?

— Hum... Quarta tem a luta dos Ikaris...

— Mas vai ser às seis da tarde. Eles vão lutar contra o vencedor dessa luta de agora. Dá tempo de se divertir e ainda assistir à luta.

Leona ficou pensando na proposta da ruiva, logo em seguida aceitou. Mal sabia que era uma grande armadilha para ser capturada.

Joe quase pisou num dos quadrados pretos, Yuri quase saiu da arena. O rapaz decidiu logo a luta quando resolveu usar a sua habilidade especial de formar um tornado com os próprios punhos. Yuri foi lançada para fora da arena e houve um momento em que ele foi ovacionado, pois era o que mais estava sendo apostado.

— E aí, mina? Desculpa pela forma como te joguei pra fora. Você luta bem — disse ele a levantando do chão.

— Você também luta muito bem.

— Vou ser bem direto, quer sair comigo?

A cara de Takuma atrás de Joe querendo comê-lo vivo era impagável. Foi preciso Terry retirar o colega dali antes que uma tragédia acontecesse.

— Você foi muito bem. Estou orgulhoso da minha filha. Mas é preciso de mais treino e disciplina.

— Sim, papai. A partir de hoje vou treinar para não te dar vergonha.

— E eu vou te ajudar, mana!

Yuri olhou depressiva para o irmão.

...

Kevin ficou entediado no quarto enquanto via pela televisão a repercussão do King of Fighters daquele ano. O jovem queria saber como era as lutas em que o se pai fora campeão. O rapaz aproveitou que Satomi estava ausente de casa, inclusive o seu pai, e decidiu sair sozinho. Ele soube das lutas acontecendo na cidade Kaido porque alguns jornalistas independentes informaram pela internet, já que era proibido a imprensa tradicional.

Colocou seu típico óculos escuro e foi verificar. Caminhou por uns vinte minutos até ver uma maior circulação de pessoas, passou pelo restaurante onde estavam Leona e Vice e foi direto para a parte litorânea. Era possível ver o hotel com muitas pessoas.

— E aí, garoto? — falou um hóspede.

— Não enche — disse ríspido.

Ele queria mesmo era ver as lutas, sem perturbações.

Isaak chegou em casa depois de ter ido à Lan House da região, viu a ausência de Satomi e de Kevin. Imediatamente ele saiu de casa. A mulher chegou bem na hora com as compras e avisou que deixara o garoto em casa enquanto estava no mercado.

— Ele não pode ter ido muito longe.

— Acho que ele foi para a praia. Há um famoso hotel e o Rei dos Lutadores está acontecendo lá. Quem sabe o garoto esteja lá.

Isaak imediatamente pegou o carro que havia alugado e foi para a área do hotel. Viu o seu filho no meio da multidão.

— Papai, o que faz aqui?

— Não pode sair assim sozinho, filho. Você não conhece nada desse país e lembra que estamos sendo alvo de assassinos? Ficar exposto aqui vai te tornar um alvo fácil!

— Pai, um alvo fácil no meio dessa multidão? E o Kriz não sabe exatamente onde estamos. Relaxa! Aproveita e assiste ao torneio que o senhor já foi campeão um dia.

Saisyu caminhava com a esposa ao ar livre quando viu uma pessoa importante. O homem foi até a pessoa e o reconheceu como o ex-campeão do The King of Fighters de uma edição muitos anos antes.

— O'Brien? O senhor é Isaak O'Brien?

— Por que quer saber?

— Sou eu, Saisyu Kusanagi. Lembra daquela vez que treinamos com Chizuru em Hokkaido?

— Ahhh a Chizuru do clã Yata! E você é do clã Kusanagi? Olha só, um prazer em revê-lo.

— E o que o antigo campeão do torneio faz por essas bandas? Você tá no Japão a passeio?

— Não exatamente... Meu filho quis ver as lutas e decidi vir com ele. Este aqui é o Kevin, meu filho. Kevin, esse senhor é um respeitado lutador e líder da famosa família Kusanagi.

— Prazer, senhor.

— Saisyu, e você?

— Estou acompanhando o meu filho no torneio. Ele e mais dois amigos estão participando das lutas e até passou para a semifinal.

— Maravilha. Eu já ouvi falar do famoso Kyo Kusanagi, mas nunca tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente. Quem sabe agora?

Enquanto isso Rugal observava toda a multidão da sacada. Ele ficou observando os passos do pai de Kyo e percebeu que estava conversando com alguém aparentemente ocidental. A maioria das pessoas ali eram japonesas, portanto Isaak chamava mais atenção ainda. Mesmo assim ficou quieto observando o decorrer do torneio.

...

King ficou preocupada com Mai depois de uma demora exagerada da moça. Tanto que pediu ajuda para Yuki e Kyo que estavam de passagem ali. A moça saiu do quarto com um casaco de pele que lhe cobria todo o corpo, cabelos presos e muito maquiada. Ela carregava dois leques.

— Para que tanto a demora?

— Não me faça a pergunta de novo. Eu sei o que faço. A Yuri já terminou?

— Todos estamos esperando só por você! — exclamou King.

Mai saiu do hotel, foi para a arena. Ela viu Andy subir na mesma arena e ficou piscando para ele. Este ficou com vergonha.

— Mai, vê se fica quieta.

— Vamos começar... Ei, meu microfone!!!

— Senhoras e senhores, eu me chamo Mai Shiranui. Como sabem, eu vou lutar com esse moço aí e sabem o que mais? Ele está noivo de mim! E sabe o que mais? Não tô a fim de lutar, só quero saber de uma resposta. Amor, quer se casar comigo?

Andy ficou com o queixo lá no chão, os outros participantes também, o povo que assistia também. Até mesmo o sério Rugal ficou constrangido com aquilo. Mai pegou todos de surpresa.

— Qual vai ser a sua resposta? Quero agora.

— Agora não, Mai. Essas coisas ninguém brinca!

— QUÊÊÊ?! VOCÊ ME DEU UM FORA?! — gritou no microfone deixando todos praticamente surdos.

— Mai, isso é um torneio. Vou pegar leve porque é minha namorada e é só jogá-la para fora da arena e... — Andy percebeu uma aura escura ao redor dela.

— Quer dizer que não vai casar? — ela estava maligna. Depois voltou ao normal — Tudo bem. Se você não quer desfrutar do meu corpo, então deixo que os outros vejam.

Mai simplesmente retirou o casaco revelando a sua vestimenta. A moça vestia uma roupa vermelha que cobria o mínimo possível do seu corpo. Suas pernas eram as que estavam mais à mostra, seus seios fartos ficaram bem evidentes e seu corpo perfeito na boa forma. Andy congelou na hora e não acreditou o que a louca havia feito.

— Legal — disse o juiz tirando umas fotos. Andy deu um soco nele que foi parar longe.

— Alô? — atendeu Rugal.

Senhor, os homens estão feridos? Ocorreu uma onda de hemorragia nasal — disse Mature.

— Acredito que não — falou Rugal com um lenço no nariz.

Continua...



Notas finais do capítulo

Rapaz, pense num sufoco. Quase dois anos sem postar, já tava boiando na história. Tive que ler tudo de novo para fazer o 19. Meu Deus, nunca mais deixo em hiato. Nem que seja postar uma vez no mês...

Capa atualizada dia: 21/ 04/ 2017

Minha ortografia ficou melhor de 3 anos pra cá, contudo não vou corrigir os 18 capítulos nem a pau!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "K.O.F" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.