K.O.F escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 18
PRELIMINARES - INGLATERRA X ITÁLIA - De Collin para Heidern a verdade veio à tona.


Notas iniciais do capítulo

Capítulo dividido em três partes. Ai que sono.



— Gente vocês viram a Mai por aí? - perguntou King. - Faltam uns dez minutos para começar a nossa luta e nada dela.

— Talvez ela esteja no quarto ainda se produzindo - disse Yuri em desdém.

— Olha, eu a vi pela última vez com o tal de Andy Bogard - falou Kyo abraçado com sua namorada.

— Arre saco! Ela não para de pensar nesse trouxa! - King.

— Filha, dê o melhor de si - disse Takuma.

— Obrigada, pai. E você Robert, eu soube que foi mal na luta anterior. Está me decepcionando.

— Pois é gata eu tive pena dos meus adversários e deixei o último que eu peguei me vencer. Sabe como é que é, né?

— Não!

A próxima bateria de lutas aconteceria na frente do hotel. Uma arena tecnológica foi colocada. Rugal assistia tudo da sacada do primeiro andar de um dos apartamentos. Quem presidirá as lutas é o juiz das lutas do meio dia.

Enquanto isso, Mai terminava de pôr um casaco preto que ia até os tornozelos. Também havia prendido os cabelos e se maquiou. Além disso carregava dois leques. Se olhou no espelho pela última vez.

— É hoje que eu faço esse homem se casar comigo ou eu não me chamo Mai Shiranui - saiu do quarto.

— Mai onde tava, minha filha? Sabia que estamos cinco minutos atrasadas?

— Ops! Eu me preparava, só isso. Affe parem de levar tudo a sério.

— Nossa pela quantidade de rímel que ela usa até mais parece tinta. Olha só a garota se maquiou pra lutar - disse Yuki.

— Pra você ver que tem muita gente estranha por aí - respondeu Kyo.

...

Iori ficou escondido atrás da porta do apartamento aguardando Mature sair do seu quarto. A loira ia assistir às lutas ao lado do Rugal, por isso teve que deixar seus aposentos mais cedo. Assim que ia se dirigir ao elevador, foi pega bruscamente pelo ruivo e encostada na parede.

— Ai, quanta agressividade. Sabia que além de covardia é crime bater em mulher?

— Pra mim não interessa essas coisas politicamente corretas. Comigo é no incorreto, injusto, informal! Se bem que você não deve se encaixar no padrão feminino de mulher delicada e desprotegida.

— É claro que não. Eu tenho minhas armas.

— Pois então me explica o que foi aquilo no sábado!

— Refere-se aos homens que lhe atacaram?

— Sim, eles mesmo. Quem são?

— Shinobis. Agentes do Rugal que fazem alguns serviços sujos para ele. Naquela noite não só você fora atacado, mas o tal de Kyo Kusanagi também. Eu vou dizer mais, nunca fui com a sua cara, apenas segui ordens do anfitrião que te queria aqui.

— E o que ele quer?

— Quer que você e seu rival se matem, pronto falei. Talvez ele pesquisou os dois e viu que são dois acéfalos que só vivem para brigar um com o outro. Agora me diga, é tentador a ideia de um dos dois morrer nessa briga?

Iori ficou pensativo.

— Pois então prepare-se porque, para o chefe, o Kusanagi é melhor que você e pode sim vencer. Solte o meu braço - ela saiu, mas se virou para ele - Até pra mim Kyo Kusanagi é o melhor, mas não pelo fato dele ser forte ou não e sim porque parece que ele é muito melhor como pessoa do que você.

Mature conseguiu pegar seu elevador a tempo. Iori se encostou na parede com mais raiva ainda. Não permitiria que seu inimigo fosse "melhor".

...

O juiz tomou a palavra.

— Bom esta competição será um pouco mais difícil que as três anteriores. Como podem perceber esta arena é feita de LED com quadrados como se fosse um tabuleiro. Agora prestem atenção, sai quem cair fora e também quem pisar num quadrado preto. Como podem ver a arena digital é toda branca e é composta por cerca de quatrocentos quadrados de tamanhos iguais, isto é vinte por vinte no total. O segredo é agora. Nessa grande arena existem cinco quadrados pretos que aparecerão aleatoriamente e, se alguém pisar, está fora automaticamente da luta. Claro que eles vão mudar de posição a cada um segundo, então cuidado, pode ser o quadrado que você pisa.

— Me parece que essa arena foi feita para apressar as coisas. Tá na cara - disse Ryo.

King e Terry ficaram preparados para a luta. Quando o juiz anunciou o início da disputa a arena iluminou e começou o desafio. Os quadrados pretos se moviam a cada segundo os obrigando a sair dos seus lugares.

King correu na direção de Terry e deu um chute bem alto, mas ele se defendeu com o braço, deu dois passos pra trás e pisou num quadrado preto que logo ficou vermelho. As pessoas fizeram um "AHH", porque foi a luta mais rápida e sem emoção do torneio.

— Só isso, mano? - perguntou Andy.

— Você não viu que eu pisei naquele troço? Então é a vez do Joe - disse irritado.

— Não gostei dessa arena. Foi bem eficaz, mas tirou o espírito de luta - disse Rugal para Mature.

— É o jeito mais rápido de tocar para frente este torneio chefe. É claro que existem falhas, mas é boa - disse a loira se gabando.

...

Aeroporto Internacional de Tóquio

Um avião pousou por volta das 18:30 no solo japonês. No terminal de desembarque um homem usando um óculos escuro saiu carregando a sua bagagem. Um sujeito japonês segurava uma placa com o nome da pessoa. O homem foi até ele.

— Você ser o americano, certo?

— Sim.

— Okay pode vir comigo, senhor... Krizalid que o carro está lhe esperando.

Ele acompanhou o sujeito até um sedan preto na frente do aeroporto, entrou juntamente com o outro.

— Se nós vamos trabalhar juntos, preciso saber com quem estou trabalhando.

— Não precisa saber meu nome, mas isso já basta - ele levantou sua blusa preta e mostrou o abdome e parte do tórax completamente tatuados.

— Yakuza. Cara, o senhor Igniz não está de brincadeira mesmo.

O motorista dirigiu o sedan entre as ruas iluminadas da capital nipônica.

...

Heidern olhava o mar enquanto esperava por uma pessoa. Claro que teve que insistir muito para que esta pessoa fosse vê-lo.

— Estou aqui. O que quer de mim?

— Uma única pergunta: por que Rugal matou tão friamente minha filha e minha esposa?

O capitão Collin começou a rir da simples pergunta do seu ex-colega. Olhou bem para o brasileiro e decidiu contar.

— Tudo bem, eu conto toda a verdade. A ideia de matá-las foi toda minha.

— O que você disse?! - Heidern estava visivelmente surpreso.

— Foi o que eu disse. A ideia de matá-las foi minha.

— Como? Por que isso?! Não inventa agora. Foi o maldito do Rugal que arquitetou tudo isso.

— Quando os mercenários estavam atrás do chefe e quando ele descobriu que você era um caçador de recompensa, então o que ele sugeriu foi destruir a base dos Ikari no Brasil. Mas eu cheguei a ele e disse que a melhor forma seria matar a sua família. Foi então que os homens do Rugal as sequestraram e as jogaram naquele cativeiro com direito à tortura e tudo. Depois o resto você já sabe o que aconteceu, afinal recebeu o vídeo com o alemão matando as duas.

— Mas por que fez isso?! Destruiu a minha vida, seu maldito!

— Lembra-se no batalhão de fuzileiros em que você orquestrou a minha expulsão? Nunca mais esqueço daquele dia em que o coronel me expulsou feito bicho de lá.

— Porque você cheirava pó e participava de uma milícia, seu idiota! Eu era um soldado íntegro que não me corrompia por um saquinho de cocaína, seu filho da mãe!

— Hohoho acho que tem alguém bravinho aqui. Eu disse que você pagaria muito caro por ter sido meu delator.

Heidern estava visivelmente transtornado e frio. Fechou os punhos, queria lutar a qualquer custo sem se importar. Ralf e Clark correram a tempo.

— Me solta! Me solta, porra!

— Segura o caolho. Foi o que você quis, a verdade.

— Vai me pagar, desgraçado! Vou te matar! - Ralf e Clark seguravam o mais velho que tentava avançar contra o outro.

Collin antes de sair fez um desafio.

— Se quer minha cabeça à prêmio então vença o torneio e vá para o porta-aviões. Só assim vai me reencontrar - saiu.

Pouco tempo depois os dois acalmaram o chefe.

— Calma, capitão. Nunca o vi alterado daquele jeito. Não sei o que aquele sujeito disse, mas resolver assim não vai dar em nada.

— Ralf tem razão. O senhor perder a cabeça desse jeito só vai atrapalhar a missão. Aguenta firme, capitão.

— Estão certos, eu perdi a cabeça. Obrigado, preciso descansar um pouco. Sei que está muito perto de eu fazer justiça para elas.

Heidern saiu mais calmo. Faltava muito pouco.



Notas finais do capítulo

Gostou? Então comenta aí mano. Dá essa força pelo menos uma vez na vida.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "K.O.F" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.