K.O.F escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 16
PRELIMINARES - MÉXICO X CHINA - Psíquicos e Lutadores


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura.



Faltavam poucos minutos para o próximo duelo acontecer na praia. Rugal ficou sentado, numa poltrona sob uma tenda acompanhado por Vice e Mature. Agora a sua pantera negra estava junta. Não havia tecnologia alguma para ajudar nessas lutas. Era apenas um senhor que levantaria algumas placas. Pessoas começavam a se aglomerar. Apesar de haver algumas regras, não será no ginásio onde havia um ringue, e sim num tablado comum que serviria de arena.

— Mature, você convidou o tal Yagami pra assistir aqui?

— Não senhor, por quê?

— Porque ele está logo ali entre a multidão.

Mature viu perfeitamente a figura de Iori no meio do povo. Claro que ele já deveria tê-la visto, mas nada poderia acontecer enquanto estiver perto do Rugal.

O sol de quase meio dia era cruel com todos. Ali, naquelas condições, os lutadores iriam se gastar muito, por isso excepcionalmente iriam receber água para se hidratarem.

Assim eles chegaram. Os dois times oponentes. Por um lado o time do México com Robert Garcia, Ryo e Takuma Sakazaki, no outro a China representada por Sie Kensou, Athena Asamiya e Chin Gentsai que por incrível que pareça estava sóbrio.

Rugal se levantou e começou a pronunciar.

— Bom lutadores, espero que estejam preparados para esta luta. Sei que não é fácil chegar até aqui, mas apenas uma equipe vai prosseguir à tão almejada semifinal. Sabem que nada é fácil, vejam o exemplo da luta que aconteceu às nove horas e que o Japão se sobressaiu. Enfim a regra básica é testar seus potenciais. A outra regra é da eliminação. Estão vendo esse grande tablado sobre a areia? Pois este será o seu campo de batalha, perde quem cair fora. Simples, fácil de entender. Então vamos começar logo porque esse sol está me matando.

Apesar de haver vento, isso não atrapalharia em nada. O juiz subiu na arena e ficou bem no meio dela. Chamou os primeiros competidores. Robert Garcia seria o primeiro do México enquanto Athena a sua adversária. Ambos subiram.

Saisyu ficou quietinho entre a multidão para não ser visto pelo anfitrião do torneio. A sua surpresa foi ter visto Iori misturado entre as pessoas. Para um antissocial se misturar ali seria um milagre divino. Enfim alguma coisa ele queria.

Voltando pra luta...

— Hum, uma mulher. Eu não costumo bater em mulheres, garanto que irei me conter o máximo possível - disse Robert.

— Pode se conter o quanto quiser - respondeu ela.

— O anfitrião já ditou as regras. Se ferir mortalmente seu adversário, está fora. Atenção cuidado para não usarem alguma técnica que possa ferir as pessoas. É só. Preparem-se.

O juiz estendeu o braço, contou cinco segundos e levantou. Iniciou-se assim a primeira luta. Robert ficou andando e observando os movimentos que a garota fazia. Athena se concentrou para depois desaparecer graças aos seus poderes psíquicos de teletransportar. As pessoas foram pegas de surpresa. A garota apareceu atrás do homem, mas este se adiantou e se afastou dela.

— Bola Psíquica! - ela concentrou um poder róseo no formato de uma bola de energia na sua mão direita. Apontou para o adversário. O público foi ao delírio quando viu o poder sair.

Athena soltou seu poder na direção de Robert. No entanto, ele deu um chute cortando o poder em dois, depois chutou o ar mais uma vez criando um ataque com o próprio vento que foi na direção dela. Esta juntou as duas mãos e formou um escudo de energia que protegeu do ataque. Porém Robert correu na direção dela e deu um chute, contido, no ventre da moça. Ela foi arremessada por alguns metros, mas logo se recuperou.

— Desista, garota - disse Robert dando um pulo pra dar um chute nela.

— Nem pensar, meu filho - ela desviou, deu um mortal pra trás e com os dois pés juntos ela chuta o queixo dele que gira no ar e cai no chão. O povo foi a loucura.

— Isso! - dizia Kensou. Enquanto isso, Chin provava mais um pouco do licor que havia trazido.

Robert se levantou colocando a mão no queixo. Provavelmente esse golpe doeu bastante.

— Vem, playboy - dizia a moça.

Ele ficou parado, olhou para o lado e para o outro. Sua desvantagem era estar lutando com uma mulher, por isso não tinha coragem de usar sua força por completo. Talvez usando sua rapidez poderia confundi-la. Ele começou a andar na beirada da arena, Athena ficou atenta aos seus passos. O homem começou a aumentar os passos e a correr rapidamente até usar sua rapidez, praticamente desaparecendo.

— Barreira Psíquica! - a garota formou uma barreira igual um campo de força. - Aha! Te achei - ela sentiu a presença de Robert e usou sua bola psíquica que aparentemente o atingiu.

— Achou nada - ela se virou. Robert apareceu por trás dela e deu um chute com a perna em seu ventre. Ela, antes de ser atingida, se protegeu com o braço. Saiu arrastada até a beira do tablado. Perdeu o equilíbrio e caiu sobre os braços de Kensou.

— Peguei - disse sorrindo.

— Solte-me, Kensou. Eu teria vencido essa luta se eu tivesse treinado mais.

— Ei calma aí, garota. Confie em mim, eu vencerei essa por você - falou enquanto piscava.

— Que retardado - resmungou. Alguns atendentes foram cuidar dela.

O juiz levantou uma placa comum mostrando o placar do jogo.

TIME DO MÉXICO = 1

TIME DA CHINA = 0

...

Depois de uma pequena parada para se refrescar foi dado início ao próximo duelo. Agora Robert iria enfrentar Kensou. Garcia decidiu aumentar sua força na luta, pois já não estaria mais lutando contra uma mulher.

— Apesar do Robert ser preparado, eu acho que pode sim ser pego de surpresa - disse Ryo.

— Acha mesmo que ele pode perder, filho?

— Sim, pai. A arrogância às vezes enfraquece o meu amigo.

Takuma ficou mais atento. De certa forma Robert era quase mimado. Tudo isso porque era um jovem muito rico e o estereótipo do playboy.

O juiz anunciou o início do duelo.

Kensou não pensou duas vezes e foi logo avançar na direção do oponente. O jovem dava vários mortais até tentar uma voadora em Garcia que desviou, mas logo usou sua perna para contra atacar.

— Parabéns para as duas. Este ano o torneio está ótimo - disse Rugal enquanto assistia aos duelos embaixo da sua reconfortante tenda.

Robert, com uma perna no chão e a outra no ar deu um chute alto girando. Kensou aproveitou para dar dois chutes no abdome do mais velho, que deu dois passos pra trás. Robert se afastou um pouco.

— É, percebo que é bem mais forte que aquela garota mimada. Mas e que tal se você experimentar o meu Ataque Múltiplo? - Ficou com a perna direita levantada por um momento até correr na direção do garoto. Este criou o mesmo escudo de energia psíquica, azul, que Athena sabia, no entanto o mais velho prevendo isso deu um pulo e foi para trás do jovem. Sua perna foi coberta por uma aura laranja e iniciou a sequência de chutes rápidos. Kensou não teve tempo de criar outro escudo, apenas colocou os dois braços protegendo seu rosto.

Athena observava aflita. Chin não se importava e nesse momento já estava embriagado.

Robert deu três chutes contra o rapaz que foi parar no outro lado do tablado quase na ponta. Diferente da sua colega, Kensou se equilibrou muito bem. Seus braços já estavam vermelhos por causa do hematoma.

Ryo observava francamente. Não se conformava que seu parceiro lutava num nível tão inferior. Ele queria mais, queria lutar para provar seu poder da família Sakazaki.

Kensou ficou parado por um momento. O rapaz meditou, fechou os olhos e começou a levitar. As pessoas ficaram espantadas, afinal não era qualquer um que fazia isso. Então uma energia cobriu todo o corpo do jovem psíquico. Robert ficou na dúvida se esperava ou atacava. Kensou separou as duas mãos, como numa oração, e criou duas bolas de energia azuis que ficaram rodando seu corpo feito dois satélites.

— Ora está fazendo isso pra me intimidar, mas não vai conseguir!

Robert correu na direção dele. Sie Kensou teletransportou. Uma bola de energia ficou e explodiu perto de Robert que caiu. Ao se levantar foi surpreendido por uma voadora de Kensou que quase o fez cair, mas assim que se recupera na luta o playboy se dá mal. Uma outra esfera de enegia atinge ele. Assim aconteceu a primeira derrota do time de Takuma.

— Cara, eu não devo ter treinado o suficiente - falou Robert indignado se levantando.

— Não é que você não treine direito, é que a sua arrogância te cega a ponto de achar que nunca vai ser derrotado - disse Ryo bastante sério.

TIME DO MÉXICO = 1

TIME DA CHINA = 1

...

Com o seu tradicional traje laranja de lutador Ryo subiu na arena. O loiro tinha um semblante mais sério, concentrado, diferente do jeito do seu colega que perdera a pouco a batalha anterior. A diferença nesse lutador eram nos seus modos e visual, nada amador. Até descalço ele foi lutar. As mangas do seu uniforme eram rasgadas na altura dos ombros. Usava um bracelete em cada pulso.

Mais uma vez o juiz preparou ambos lutadores. Kensou se hidratou para não ter desvantagem. Contagem de cinco segundos e a luta começou.

No exato momento em que o juiz finalizou a contagem, Ryo correu na velocidade do som na direção de Kensou e o golpeou com a sua mão direita estendida contra o peito do garoto, como se tivesse empurrando. Kensou foi jogado pra fora da arena no mesmo segundo sem chance de reação alguma.

— O quê? - Rugal arregalou os olhos tamanha surpresa. Não só ele, mas todos que assistiam. De fato Ryo era muito forte.

MÉXICO = 2

CHINA = 1

...

Chin Gentsai foi o próximo a lutar. As pessoas acharam estranho até cômico porque o velho tava bêbado. Ele trajava seu uniforme verde de instrutor. Havia uma pequena garrafa de licor na sua cintura.

— Vai ser moleza acabar com esse velho - disse Robert.

Ambos se cumprimentaram e a luta começou.

Ryo atacou primeiro com o mesmo golpe que dera em Kensou. Chin, cambaleante, desviou com muita facilidade e segura o braço dele. Robert e Takuma foram tomados pela surpresa, além do próprio Ryo. Este tentou dar um soco na cara do idoso, mas este pegou seu outro punho com muita força. O jovem Sakazaki percebendo o quão forte o velho era, deu um chute para intimidá-lo. Chin o largou e recebeu mais chutes e socos, mas ele se defendia. Chin segurou o braço do rapaz e o jogou pra trás, este deu um mortal pra frente, segurou seu oponente e o jogou pra trás também. Chin deu o mesmo mortal e voltou a ficar de pé agora levando socos e chutes do mais novo.

Iori ficou observando atentamente cada movimento dos lutadores. Achou patético o sistema do jogo em não matar o oponente. Pensou na sua luta futura que queria ter com Kyo, será até a morte. Saisyu se aproximou mais um pouco do ruivo, não queria perdê-lo de vista.

Chin ainda recebia golpes do mais novo quando ele mesmo se defendeu de um soco, desviou e deu um tapão na cara do loiro o fazendo girar, rapidamente o velho dá um chute no peito do lutador que dá uns passos pra trás. Agora era Chin que dava uma série de chutes contra seu adversário. Quando num certo momento Chin aproveita a chance para dar um de seus golpes favoritos. Ele fica com as mãos em forma de garras, dá um pulo e acerta seu joelho na cara de Ryo pra depois o empurrar com seus pés. Sakazaki se desequilibrou e caiu, Chin se recuperou caindo em pé.

Cambaleante o velho segurou sua garrafinha de licor. Bebeu o líquido e deu uma cuspida. Ao invés de cuspir a bebida ele começou a cuspir fogo pela boca. Ryo se afastou, pois o fogo vinha sempre em sua direção. Chin o perseguia em qualquer lugar do tablado - e olha que a arena era grande.

— Droga, talvez se eu... já sei.

Ryo percebeu quando Chin teve que voltar a beber mais licor aproveitando esse momento para soltar seu ataque especial. Formou uma energia entre suas mãos, se aprontou pra lançar o poder. Chin soltou sua labareda de fogo, era o momento.

— Haoh Shou Kouken! - uma espécie de raio azul parecido com uma cometa saiu de suas mãos e foi na direção do velho. Este não conseguiu aguentar a força do ataque especial e foi colhido pelo mesmo. Chin foi lançado pra fora da arena acabando com o sonho dos chineses de ganhar o K.O.F.

— Ele acabou dormindo - disse Kensou tentando acordar o mestre.

— Sinceramente eu quero voltar pra minha casa, voltar a conversar com minhas colegas na internet porque isso pra mim não dá - disse Athena irritada.

No outro lado.

— Parabéns filho pela dedicação - disse Takuma.

— Obrigado, pai. Não é à toa que eu treino todos os dias para aprimorar minhas técnicas - respondeu Ryo.

Enquanto isso Rugal saiu da sua tenda e foi embora para o carro. A pantera o seguiu. Dentro do veículo, o alemão pensava em muitas coisas.

— Japão contra México... será interessante. Muito interessante. Vamos!

Iori percebeu a presença do senhor Kusanagi e decidiu sair dali o quanto antes. As pessoas já se dispersavam. O ruivo entrou numa rua da cidade quando parou.

— O que o senhor quer comigo?

— Jovem Yagami o que faz num lugar como esse? - perguntou Saisyu.

Ele se vira: - Não faça perguntas das quais já sabe a resposta, senhor. Eu vim pelo desafio, desafio em derrotar seu filho.

— Por que, jovem Yagami? Por que essa obsessão em querer derrotar o meu filho a qualquer custo?

— O senhor sabe muito melhor do que eu. Meu sangue leva uma maldição. Ele clama por justiça. Matar Kyo será a minha justiça.

— Não, se isso fosse levado para o lado da justiça o meu filho também teria que ter o desejo de te matar. Porém ele não o tem, portanto isso que você disse é uma falsa justiça.

Iori se virou e saiu caminhando, ignorando Saisyu. Yagami sabia muito bem que isso não era nada justo, mas mesmo assim não queria saber de nada.



Notas finais do capítulo

O que acharam das lutas? Não tá sendo fácil pra mim descrever todas, mas vou tentar sobreviver até o último capítulo hehe



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "K.O.F" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.