Mini cupido escrita por Malu


Capítulo 1
A volta e a chegada




P.O.V Don

Estava voltando da aula de boxe, quando passava pelo aeroporto e a vejo lá na chuva sem guarda-chuva e cheia de malas.

DF- Não acredito!-Digo encostando o carro e abrindo o vidro do carro.

SB- Flack?

DF- Então é você mesmo,o que faz aqui?-Digo saindo do carro.-Entra ai.

SB- Obrigada!-Diz ela entrando no banco do passageiro enquanto eu boto as malas dela no banco de trás.

DF- Stella, o que faz aqui em Nova York?-Digo ligando o carro.

SB- Eu vou voltar a morar aqui. Por quê? Não gostou de me ver?

DF- É a melhor noticia que eu tive hoje,na verdade a única.

SB- Por que? O que houve?

DF- Minha namorada terminou comigo,pelo telefone.

SB- Nossa,sinto muito,mas pelo menos ela não te matou que nem eu o Frankie.–Brincou ela me fazendo rir.

DF- Você sabe me alegrar,mas para onde você vai?

SB- Para o meu apartamento,não o vendi.

Passamos o caminho todo até a casa de Stella conversando sobre o que aconteceu nesses anos.Quando cheguei em casa foi quando tive a maior surpresa da noite...

DF- Olá?-Perguntei percebendo que tinha alguém parado de costas para mim olhando pela janela.

AS- Oi,Don!-Disse ela virando,era uma mulher de cabelos claros,curtos,tinha olhos castanhos e pele meio que parda.

DF- Andie!-Disse eu.

AS- Você é muito parecido com sua mãe.-Disse ela botando o copo com bebida na minha mesa de centro.

DF- O que está fazendo aqui? E como entrou em minha casa?

AS- Eu disse quem eu era,e pronto ele me deixaram subir e me deram a chave extra.

DF- Isso explica como entrou aqui, não o que está fazendo aqui.

AS- Lembra do seu tio David, irmão do seu pai?

DF- Sim, por quê?

AS- Ele e a mulher morreram.-Disse ela me deixando surpreso

DF- O que? Como?

AS- Houve um incêndio na casa deles.

DF- E a Charlote? Ela também morreu?

AS- Não. Ela tinha ido dormir na casa de um amiga no dia do ocorrido.

DF- E agora? Com quem ela vai ficar?

AS- Com sua avó.

DF- Mas a minha avó da viajando com a Sam.

AS- Por isso que estou aqui, Don, você tem que ficar com sua prima até sua avó voltar,se não ela vai ter que ficar num abrigo por cinco meses,que é o tempo que sua avó vai ficar lá.

DF- O que? Não sei cuidar de crianças, e por que você não fica?

AS- Ela tem treze anos não é uma criança pequena, e eu não posso já que não parente dela, você é.

DF- Andie,você é minha tia por parte de mãe, ela minha prima por parte de pai,mas você foi criada junto com minha família paterna.

AS- O Juiz não aceita isso, Júnior.

DF- Eu não sei como cuidar dela.

AS- Eu não ou poder te ajudar,vou embora hoje ás 20:00, você não tem nenhum amigo que te ajude?

DF- Tem o Danny,mas ele iria rir.Espera...

Nessa hora lembrei da Stella,sabia que ela podia me ajudar.Então resolvi ligar para ela.

Ligação ON.

SB- Bonasera.-Atendeu ela.

DF- Stella, sou eu,Don.

SB- Oi, Don.

DF- Stella, você poderia me ajuda?

SB- Claro, com o que?

DF- É um assunto delicado,pode vir aqui no meu apartamento?

SB- Sim.

DF- Estou te esperando aqui,tchau.

SB- Tchau.-Disse ela desligando o telefone.

Ligação OFF.

Se passou vinte minutos do meu telefonema.Estava conversando com Andie quando minha campainha toca.

DF- Oi.-Digo abrindo a porta.

SB- Oi, Don. O que houve?-Pergunta ela enquanto mando-a entrar em casa e fecho a porta atrás de mim.

DF- Stella,sou pai.Pelo menos vou ser por cinco meses.

SB- O quê?-Diz ela sorrindo surpresa

DF- Isso mesmo,meu tio e a mulher morreram,e minha avó ficou com a guarda da filha deles. Só que ela está viajando com minha irmã, e eu vou ter que ficar com a menina que tem treze anos por cinco meses que é o tempo de viajem da minha vó e Sam.

SB- Nossa!

DF- E eu achei que você soubesse cuidar de uma menina,então te chamei aqui para me ajudar com a primeira noite.

SB- Claro que eu te ajudo.

DF- Obrigado.

AS- Stella!-Disse Andie me surpreendendo.

SB- Andie!-Disse Stella a abraçando.

DF- De onde vocês se conhecem?- Pergunto enquanto elas se separam.

AS- Já trabalhamos juntas em New Orleans.

SB- Você é a assistente social da prima do Don?

AS- Na verdade,Don é meu sobrinho.

DF- Ela é irmã da minha mãe.

AS- Você é a amiga que vai ajudá-lo?

DF- É ela mesmo.

AS- Ótimo,agora posso ir para o aeroporto,Charlote!-Disse ela e apareceu uma menina de cabelos castanhos ondulados e compridos,de olhos azuis e sardas muita claras.Era Charlote,eu só tinha a visto quando era muito pequena,mas ela tinha os olhos de um Flack.

AS- Eu já vou, Querida.-Disse Andie dando um beijo em sua bochecha.-Obedeça a seu primo.

CF- Está bem,tia Andie.

AS- Tchau Stella.-Disse ela a abraçando.

SB- Tchau.

AS- E Don,cuide bem dela e você vai ter que comprar mais roupas para ela,por que ás que compramos em Los Angeles foram poucas e ela perdeu muitas no incêndio.

DF- Ok,tchau Andie.

AS- Tchau.-Disse ela saindo .

SB- Oi,Charlote.Sou Stella.-Disse Stella olhando para Charlote.

CF- Oi,você também é uma policial?-Peguntou Charlote

SB- Na verdade,sou uma perita criminal.-Quando Stella falou isso um sorriso muito grande se abriu no rosto de Charlote.

CF- Sério? Eu sempre quis ser perita.

SB- Que bom.Eu posso te ajudar a treinar para quando for uma grande perita.–O que fez Charlote sorrir mais ainda.A campainha toca.

DF- Eu atendo,vão para o sofá.-Disse isto e elas foram se sentar enquanto eu abria a porta.

Jn- Oi, detetive.-Disse Jen a garota que trabalhava no Pet Shopping que deixo a Grace as vezes.

DF- Oi, Jen.-Disse pegando Grace pela coleira.

Jn- Obrigada.-Disse ela guardando o dinheiro que dou por ela trazer a Grace.

DF- Tchau.-Digo fechando a porta.

CF- Don, a Stella disse que podia ir conosco amanhã comprar minhas roupas

DF- Que bom.Nós quatro vamos nos divertir muito amanhã.

SB- Nós quatro?

CF- Somos três.

DF- Charlote,Stella, essa é Grace,Grace essas são Stella e Charlote.-Quando apresentei Grace elas vieram rápido acariciá-la.

CF- Ela é linda e fofa,Don.-Disse Charlote.

DF- Igual a você.

SB- Não sábia que tinha uma cachorra,Don.

DF- Eu achei ela um pouco depois de você ir embora.Charlote,que tal você ir brincar com a Grace no sofá enquanto Stella e eu vamos na cozinha?-Disse olhando para as duas.

CF- Ok,vem Grace.-Disse ela chamando Grace.

DF- Tira a coleira dela.- Avisei e ela balançou a cabeça positivamente.

SB- Ela é uma boa menina.-Disse Stella quando já estávamos na cozinha.

DF- É,acho que não eu não precisava de incomodar.

SB- Incomodar? Eu adorei que você tenha me chamado.

DF- Olha, que tal nós três irmos para um restaurante?

SB- Claro, se a Charlote quiser...

DF- Charlote, o que você acha de nós três irmos jantar em um restaurante?

CF- Está bem,só espera eu me arrumar.

DF- Tá,mas não demora.

Charlote não demorou muito.Então seguimos direto para um restaurante que eu e Sam já tínhamos ido antes.

Stella e Charlote se sentaram lado a lado na minha frente.Eu e Stella comemos carne e Charlote comeu salada,por que é vegetariana.

Xxx- Vão querer sobremesa?-Perguntou o garçom

DF- Garotas?

CF- Eu vou querer um pudim.

SB- Também vou querer pudim.

DF- O mesmo.-Disse e o garçom saiu.

CF- A quanto tempo vocês estão juntos?-Perguntou ela nos fazendo rir.-O que foi?Porque estão rindo?

SB- Porque não somos um casal.Nós somos amigos á anos, só isso.-Disse ainda rindo.

DF- Dá onde você tirou isso?-Perguntei também rindo.

CF- Sei lá. É que vocês parecem mesmo ser um casal e ficariam bem juntos.-Disse ela também rindo.

Depois disso a sobremesa chegou. Terminamos de comer,levei Stella para a casa dela.

Quando chegamos lá...

SB- Obrigada!- Disse Stella tirando o cinto.

DF- Stella,amanhã vamos ficar no mesmo caso você quer carona? Para levar Charlote ao colégio vou passar por aqui...

SB- Se não for incomodo...

DF- Claro que não.

SB- Obrigada,tchau, Don.-Disse Stella me dando um beijo na bochecha, ela e Charlote saíram do carro.

CF- Tchau Stella!-Disse Charlote abraçando-a e Stella lhe deu um beijo na bochecha.

SB- Tchau!

Charlote entrou no carro e nós fomos para a casa.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Mini cupido" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.