Nosso Cupido Particular escrita por lininhaaa


Capítulo 7
Capítulo VII




 

No dia seguinte...

Tudo correu normalmente. Tanto Sakura, quanto Sasuke trabalhavam... Sakura mal conseguia se concentrar em seu trabalho e por sorte, o consultório estava calmo. Sua preocupação estava em Hiro, que acordara indisposto, mas mesmo assim quis ir para a escola...

Era fato que Hiro sentia falta de Sasuke. Desde a separação, Hiro falou não mais que duas vezes com Sasuke... E, apenas, por telefone.

Ela não tinha notícias de Sasuke já há alguns dias. Sua única informação é que ele estava morando em um hotel próximo ao escritório... Nada mais que isso!

***

Atendeu sua última paciente e ao se despedir da moça, viu Yuki vindo ao seu encontro.

- O que houve, Yuki?!

- Desculpe só dar esse recado agora, Sakura, mas ligaram da escola do seu filho... – murmurou a moça receosa. – Parece que ele não está bem e a professora acha melhor que você vá buscá-lo.

Sem dizer nada, Sakura sai em disparada para a escola onde Hiro estudava. Repreendeu-se por ter deixado o pequeno ir à escola. Pela manhã, havia se negado a comer e estava mais calado que o normal, mas insistiu em ir para a escola.

***

Sakura chegou às pressas a escola de Hiro. Sua preocupação era tanta que sentia pontadas fortes na cabeça.

Ao chegar à enfermaria,  viu Hiro sentado em uma das macas, porém estava alegre e sorridente...

- Hiro... – murmurou ela o abraçando. – O que houve, meu filho?

- Minha barriga tava doendo, mamãe... Mas já tá passando, né papai?! – o menino desviou seus olhos para um canto da sala.

Sakura nem cogitou a possibilidade de encontrar Sasuke ali, mas ao virar, deu de encontro com ele. Sasuke manteve uma expressão dura e séria ao ver que a rosada o fitava.

Sasuke a seguia com os olhos desde o momento que colocou os pés naquela enfermaria. Continuava bela  como sempre, apesar de parecer um pouco mais pálida que o normal.

- Senhor e senhora Uchiha?! – perguntou uma enfermeira entrando. – Será que podem aguardar lá fora apenas por um momento?

Os dois assentiram e caminharam para a porta, onde Sakura viu Sasuke abrindo a porta como um verdadeiro cavalheiro e dando passagem a ela.

***

Agora ambos encontravam-se no corredor principal da escolinha.

- Ainda bem que não é nada grave... – murmurou para si mesma.

Sasuke permaneceu recostado na parede com as mãos nos bolsos, mas ouviu atentamente cada palavra dela.

- Não deveria ter deixado ele vir, Sakura. Quando cheguei, a senhora Yako contou-me que ele esteve indisposto todo o período da manhã...

- Ele insistiu! – respondeu ríspida. – Tentei convencê-lo à faltar, mas ele preferiu vir para a escola.

- E desde quando um menino de quatro anos manda em uma mulher adulta?! Você é a mãe dele e deveria zelar por sua saúde!

- Agora quer me dizer que eu não me preocupo com ele?! É isso mesmo, Sasuke?! – Sakura falava em tom alto, enquanto o encarava com desdém. – E quanto à você?! Por acaso ligou para saber se Hiro precisava de alguma coisa?! Por acaso falou com ele?!

- Não, mas... – tentou argumentar, mas foi cortado pela esposa.

- Então não venha querer colocar a responsabilidade nas minhas costas, Sasuke! Querendo ou não, Hiro sente sua falta, e você não dá a mínima! – exclamou irritada. – Estou farta de tudo isso!

- Se você tivesse me dado uma chance no dia em que fui buscar minhas coisas, essa conversa não seria necessária...

- Novamente jogando a culpa por cima de mim, não é?! Claro! Eu sou a péssima mãe que deixa o filho mandar em sua vida... Eu sou a esposa paranóica... Eu sou tudo de ruim para você não é?! Mas e quanto as suas responsabilidades?! Nunca parou para pensar que tudo isso seria evitado se você não ficasse se esfregando com a Karin por aí?! Talvez se você tivesse pensado no nosso casamento, por pelo menos um minuto,  nada disse teria acontecido!

Sakura sentiu sua cabeça latejar e precisou sentar-se. Já Sasuke permaneceu calado por um longo tempo enquanto a fitava. Sabia que tinha sido egoísta ao falar naquele tom com ela, mas ele também se preocupava com Hiro.

Os minutos seguintes foram em de total silêncio, até que a enfermeira e Hiro surgiram na porta da enfermaria.

- Acho que já podem levá-lo para casa... – disse a moça, olhando diretamente para Sakura. – Sra. Uchiha, a senhora está bem?!

Ela estava pálida e com a respiração descompensada, mas mesmo assim, forçou um sorriso e apenas respondeu com um gesto de cabeça, depois se voltou para Hiro, que já se encontrava de pé em frente a ela.

- Está mesmo se sentindo melhor, Hiro-kun?! – ela o viu concordar e sorriu mais aliviada. – Que bom... Então, vamos para casa.

- O papai pode ir também? – Hiro direcionou seus olhos ao Uchiha, que, assim como Sakura,  pareceu perplexo com o comentário. – Você vem com a gente, né papai?!

 Ele olhou para a esposa que não moveu um músculo.

- Tenho uma reunião importante daqui a pouco, Hiro! – mentiu.

Ele viu o menino adotar uma expressão tristonha e lembrou-se das palavras de Sakura.

- Tá... – murmurou.

- Mas se você quiser, amanhã você pode passar o dia comigo. O que você acha?!

Mesmo que a contra gosto, Sakura sabia que Hiro adoraria e não negaria isso a ele. Se Sasuke fosse a única coisa que o animava, a melhor coisa a fazer era deixar os dois juntos.

*~*~*~*~*~*~*~*

O dia amanheceu chuvoso, mas não tirou  a animação de Hiro.

O menino acordou saltitante e prontamente foi ao quarto de Sakura para também acordá-la. Apesar de indisposta, a rosada resolveu acordar. Levantou-se e sentiu os efeitos daquela discussão ridícula entre ela e o marido. Sua cabeça, apesar de estar um pouco menos dolorida, parecia pesada, além de sentir dores por quase todo o corpo.

Como todos os dias, arrumou o café-da-manhã para os dois e depois, tomou um banho para relaxar.

Depois de demorar um pouco mais do que de costume no banho, arrumou-se e encontrou Hiro sentado ansiosamente no sofá da sala.

- O papai tá demorando... – murmurou irritado.

Sakura sentou-se ao lado de Hiro e ele pousou a cabeça em seu colo.

- Logo ele virá te buscar, Hiro... Não se preocupe!

Depois de alguns segundos de silêncio...

- Você não sente falta do papai, mamãe?!

Sakura foi pega de surpresa e o encarou, parando o carinho que fazia nos cabelos negros.

- Por que essa pergunta?

- Depois que o papai foi morar em outro lugar, você vive triste mamãe... – respondeu brincando com a blusa da mãe. – Eu sinto falta dele, mas eu acho que você também sente... Se não, você não ficaria assim!

- Eu também sinto muita falta dele... – confessou. – Mas as coisas nem sempre são como queremos, filho.

Sakura escutou a buzina do carro de Sasuke. Automaticamente olhou para Hiro, que sorriu tristemente.

- Viu como ele veio te buscar... – comentou sorrindo.

Ambos se levantaram e foram até a porta, onde Sasuke já tocava a campainha.

Assim que abriu a porta, os olhos esmeraldinos encontraram os ônix. Esqueceram-se de tudo ao seu redor. Era evidente que Sakura não era a única que sofria com a distância dos dois.

Ela foi a primeira a quebrar o contato visual. Estava envergonhada e desconcertada, enquanto ainda sentia os olhos negros a observando.

- Comporte-se Hiro... – murmurou ao dar um beijo no filho. – Pegou seu casaco? Está um vento frio e não quero que você fique doente, meu anjo...

- Esqueci... Peraí!

Hiro saiu em disparada, deixando os dois adultos novamente sozinhos. Ela fitava um canto qualquer da rua, enquanto Sasuke continuava a encarando.

Felizmente, ambos escutaram os passos curtos e rápidos do filho que voltava com um casaco preto em uma das mãos.

- Vamos?! – perguntou o Uchiha.

O menino assentiu e deu um último aceno a Sakura que retribuiu.

Ela os viu entrando no carro, se acomodando no banco e finalmente, viu o carro virar a esquina.

Fechou os olhos e deu um sorriso triste, afinal, tinha conseguido ser forte o suficiente para não pedir que ele voltasse... Por mais que o quisesse ao seu lado.

*~*~*~*~*~*~*~*

Quase vinte minutos depois, Sasuke já estacionava o carro em frente ao seu escritório de advocacia.

- Aqui não é onde você trabalha, pai?! – perguntou o menino enquanto olhava pela janela.

- Apenas preciso resolver uma coisa rápida e depois, podemos ir aonde você quiser, está bem?! – respondeu virando-se para encarar o menino.

-Tá bom!

Sasuke saiu primeiro do carro e abriu a porta de trás, para que o filho também saísse.

Caminharam lado a lado tranquilamente, enquanto Hiro ficava boquiaberto com a beleza do lugar. Era muito bem decorado, além de espaçoso. Por onde se olhava via diversas portas, esculturas e quadros, fora algumas poltronas presentes na recepção do escritório.

Sasuke andou calmamente para sua sala e guiava o filho que parecia totalmente perdido.

***

Estavam na sala de Sasuke há alguns minutos. O moreno procurava alguma coisa nas gavetas, enquanto Hiro estava sentado em uma poltrona confortável no canto da sala folheava  uma revista qualquer.

- Preciso falar com você, Teme... – reclamou Naruto entrando na sala.

Sasuke que estava distraído, desviou seus olhos para Naruto que parecia totalmente desconcertado.

- Temos um problema e... – Naruto foi interrompido ao ver um sinal dado por Sasuke. Ao se virar, deparou-se com Hiro os olhando– Ei, Hiro... – cumprimentou com um sorriso amarelo. – Não sabia que estaria aqui!

- Oi tio Naruto!

- Já vai tomar conta das coisas do seu pai, é?! – brincou o loiro.

- Não... – disse Hiro rindo. – Nós vamos passear, mas o papai disse que precisava vir aqui antes.

- Hiro, importa-se de ficar sozinho aqui por alguns minutos?! – perguntou o Uchiha. – Vou até a sala do tio Naruto e depois vamos embora... Tudo bem para você!?

Hiro concordou.

- Está certo... Comporte-se!

***

Hiro continuou distraindo-se com as figuras de uma revista ainda sentado na poltrona. Ele observou uma mulher entrando sorrateiramente na sala do pai e fechando a porta em seguida.

Karin andou a passos lentos por todo o escritório e foi em direção à escrivaninha de Sasuke, onde abria e vasculhava as gavetas cuidadosamente. Ela não tinha notado dois pequenos olhos verdes a observando, já que Hiro era suficientemente quieto para ser notado.

Praguejou algo inaudível aos ouvidos do pequeno Uchiha e, voltou-se para os papéis na mesa de Sasuke. Procurava por algo de forma desesperada, até que viu o menino sentado num canto praticamente escondido.

- Quem é você, pirralho?! – grunhiu ela.

Ele a encarou com um olhar assustado.

- Por que você estava mexendo nas coisas do meu pai?! – retrucou.

Ao ouvir “pai”, Karin estreitou os olhos e reconheceu o pequeno.

- Não te interessa, garoto! – respondeu irritada. – O que está fazendo aqui?!

- Meu pai e eu vamos nos divertir... – disse ele em tom desafiador. – E meu nome é Hiro Uchiha!

“Tão petulante quanto o pai...” pensou a ruiva.

Hiro era tão doce quanto Sakura, mas quando não gostava de alguma pessoa, adotava o mesmo tom grosseiro de Sasuke.

- Que seja... – comentou ironicamente. – Por que está aqui sozinho?!

Como uma cobra traiçoeira, Karin ficara espreitando todo o tempo, até que viu Sasuke e Naruto trancarem a porta do escritório do loiro. Só não sabia que Hiro estava na sala do moreno.

- Meu pai foi falar com o tio Naruto...

- Ele está demorando, não é?! – perguntou de forma maldosa. – Será que seu pai não te deixou aqui e foi embora?!

Aqueles argumentos eram ridiculamente falsos para ela, mas para Hiro, uma criança de apenas quatro anos, pareciam completamente verdadeiros, ainda mais nas condições em que sua família se encontrava.

O menino sabia que Sasuke estava demorando e começou a ficar receoso.

- N-não... – balbuciou . – Ele falou que ia voltar...

“Está dando certo... Garoto tolo!”

- Eu o vi saindo agora a pouco... – provocou.

Os olhos do menino encheram-se de lágrimas.

- Não é verdade... – murmurou Hiro, tentando convencer a si mesmo. – O meu pai gosta de mim e ele nunca ia me deixar aqui!

 - Por que acha que seu pai e sua mãe se separaram?! Seu pai não gosta nem de você... Nem daquela vadia da sua mãe!

 Hiro não sabia o significado da palavra “vadia”, mas lhe soava como uma ofensa... Ainda mais quando referia-se a sua mãe.

- Ele não te suporta garoto! Confie em mim... Ele mesmo me disse isso!

- Mentirosa... – grunhiu tapando os ouvidos.

Ela andou até a porta e a abriu, mas antes de sair, deu uma última olhada no menino, que parecia totalmente transtornado.

- Se fosse mentira, seu pai já estaria aqui! Se eu fosse você, fugiria e iria atrás de sua mãe...

Hiro correu de encontro a porta aberta e empurrou Karin que riu da reação do menino. Alegrou-se quando viu o pequeno saindo pela porta da recepção e indo sabe-se lá para onde.

- Tomara que morra! – praguejou baixinho.

Como se nada tivesse acontecido, Karin  voltou para sua sala com um sorriso vitorioso no rosto. Tudo aquilo não estava em seus planos, mas sabia que com aquelas palavras, destruiria de uma vez a vida da rosada.

***

A reunião demorou mais do que o previsto. Infelizmente os motivos pelos quais Naruto queria falar com Sasuke, não eram os melhores.

- Senão fizermos alguma coisa com esse desvio de dinheiro, iremos a falência! – retrucou Naruto. – Sei que já tem problemas suficientes com a Sakura, mas precisamos fazer algo em relação a isso!

O Uchiha permaneceu com os olhos fixos nos papéis. Estava calado... Por mais que quisesse fazer alguma coisa, estava de mãos atadas.

- Não sei o que fazer... – confessou o moreno, pegando Naruto de surpresa.

Naruto viu o moreno levantar-se e caminhar até uma janela, de onde era possível ver a chuva que começava a cair.

- Sei que prometeu ao Hiro que passaria o dia com ele! Desculpe, Teme...

- Tudo bem... – respondeu pegando o paletó. – Vou cumprir a minha promessa com ele, e tentar esfriar a cabeça! Pensarei em alguma coisa, Dobe!

- Está bem...

- Qualquer novidade, sabe onde ligar...

Sasuke saiu da sala de Naruto e caminhou rapidamente para sua própria sala. Havia deixado seu filho plantado o esperando por quase uma hora.

Quando adentrou seu escritório, percebeu que o menino não estava mais lá. Vasculhou todos os lugares onde, possivelmente, Hiro estaria escondido, mas não o encontrou. Sentiu o desespero e a angustia tomar conta de si.

- Algum problema, Sasuke-kun?! – murmurou uma voz estridente atrás de Sasuke. – Perdeu alguma coisa?

- Você viu o Hiro, Karin!? – perguntou desesperado.

- Hiro?! Não... Não o vi! – mentiu. – Por que a pergunta?!

- Ele sumiu! – exclamou irritado. – Droga! Não devia ter o deixado sozinho.

- Qual o problema, Teme?! - perguntou Naruto aparecendo na porta do escritório.

- O Hiro desapareceu, Naruto!


...Continua...

*~*~*~*~*~*~*~*

 



Notas finais do capítulo

Oiiiii!!
Voltei com mais um capítulo inédito! Ok... ok... também, depois de quase 1 semana sem postar né?! *Se bate*
Bom gente, ainda falta uma prova pra mais um semestre da facul acabar...
Peço desculpas pela demora, mas essa semana foi super pesada! Todos os dias tive duas provas e minhas olheiras estão no meio das bochechas! /alguémperguntou?! xD
Espero que tenham gostado desse capítulo! E preparem-se para fortes emoções!
Ahh sim: Quem quer matar a Karin?! o/
Agora os agradecimentos: Os reviews só estão aumentando e tive vários leitores novos! Isso me deixa muitooo feliz! Quase tive um treco ao responder tantos reviews, mas fiquei suuuuper contente!
Continuem mandando reviews, e se puderem, recomendem a fic! '
Bom gente! É isso!
Críticas/sugestões/elogios?! -> Reviews!
Ah sim! Quem acompanha minhas outras duas fics, irei atualizá-las em breve!
Mil beijooos gente!
:****



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Nosso Cupido Particular" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.