Burned Soul escrita por Kaline Bogard


Capítulo 12
Capítulo 12


Notas iniciais do capítulo

'-'

Gente... sem notas perigosas nesse capítulo!

Boa leitura.



Burned Soul

Kaline Bogard

Capítulo 12

Isaac, Allison e Lydia fizeram um longo contorno no terreno sem encontrar obstáculos. Por sorte caminhavam a favor do vento, isso ajudaria a camuflar o cheiro deles. Demoraram tempo suficiente para que o time de defesa conseguisse chamar a atenção do Digamma e tornasse a investida do time de resgate segura.

Quando acharam que se passara tempo suficiente; Isaac, Allison e Lydia se moveram para dar inicio ao plano de resgate. A adrenalina que corria nas veias daqueles jovens ampliava a concentração e apurava os movimentos. Não apenas de Isaac, o incumbido de dar cobertura, mas das meninas também. Muito estava em jogo. A vida de Stiles. A vida dos companheiros que enfrentariam o Digamma. A segurança deles próprios.

Tomariam todo o cuidado para que o Pack voltasse inteiro para Beacon Hills, levando consigo o garoto que fora levado e desconheciam o porquê do rapto.

No entanto não era hora de fazer conjeturas. Entrariam, salvariam Stiles e regressariam vitoriosos para casa. Nenhum desfecho além desse seria admitido. Quando estivessem na segurança de casa, poderiam conservar sobre tudo o que acontecera, todas as lacunas seriam preenchidas e as providencias para evitar uma reprise, tomadas.

Dando seqüência à ação, os três jovens notaram que a parte de trás da mansão dava para uma floresta igualmente sombria, similar a que os acompanhara desde o desvio da rodovia. O lobisomem fez um gesto para que as garotas ficassem no lugar, enquanto ele avançava até uma das janelas. Não teve problemas para quebrar o vidro e entortar as barras de ferro que a protegia. Não precisavam ser discretos. O Digamma já devia estar ocupado com o resto do Pack.

Depois de espiar, o loirinho fez chamou as meninas e as ajudou a saltar com cuidado evitando os cacos afiados. Em segundos invadiram a casa, percebendo–se em uma cozinha. Poucos móveis haviam ali, não perderam tempo.

Com Isaac sempre a frente caminharam em direção a porta e alcançaram um longo corredor. Marca de garras na parede indicavam que algo feroz passara por ali.

– Aqui... – a Argent apontou para o interior da casa. Facilmente podia calcular que o inimigo passara por ali atrás dos invasores.

– Espera – o garoto estacou no lugar. Sentia o cheiro do inimigo e também o de Stiles, como se o garoto tivesse passado por ali. Só não tinha certeza de para que sentido ele seguira – Reconheci o cheiro de Stiles... junto com o do Digamma.

– Ele tirou o Stiles da casa? – Lydia soou alarmada. Não contavam com essa possibilidade. Teria o inimigo saído para revidar a invasão e levado seu prisioneiro com ele? – Farejou sangue?

– Não... – o loirinho se concentrou mais em seus sentidos sobrenaturais – Stiles cheira a medo e preocupação, mas não tem cheiro de dor.

– E o Digamma? – Martin voltou a perguntar.

– Difícil dizer. Ele não cheira como nada que eu conheça – Isaac ficara confuso desde a primeira vez que tivera contato com aquele aroma desconhecido.

– Vamos nos dividir – Allison, mais prática, decretou – Vou voltar para fora, só que por esse corredor, ao invés de dar a volta. Você e Lydia continuam investigando aqui dentro. Não temos certeza se ele levou o Stiles ou ele ‘tá por aqui.

Não tiveram tempo de concordar com a mudança estratégica. Uma sombra projetou–se do lado esquerdo do corredor e o trio se viu frente a frente com um lobisomem monstruoso.

Se algo fazia jus aos filmes de terror, era a criatura surgida inesperadamente.

– Deve ser o Digamma – Isaac cerrou os dentes ao se ver na mira selvagem do inimigo. Ele parecia furioso – CUIDADO!

Só teve chance de empurrar as meninas para trás, ao mesmo tempo em que o outro rosnava furioso e terminava uivando em desafio; antes de partir para cima de Isaac, já meio transformando.

Um simples movimento das garras poderosas acertou Lahey no peito e o arremessou contra a parede, com respingos de sangue manchando a tintura envelhecida.

O garoto deslizou para o chão, inconsciente. Aberline voltou as íris douradas para Lydia e Allison. A jovem caçadora já se movia agilmente, sacando a besta e armando para conseguir uma parca defesa. A ruivinha ficou apavorada diante do lobisomem, muito mais feroz e selvagem do que a forma completa de Peter Hale.

Quando ele deu um passo a frente, Lydia abriu os lábios e gritou.

oOo

Stiles passou pela porta que Francis destruíra, correu através da sala e ganhou o corredor. Sabia que Derek e os outros vinham em seu encalce, mas não temia. O dono da casa já dera mostras de não ser capaz de feri–lo e ele se sentia meio que como uma criptonita... balançou a cabeça para espantar o pensamento idiota.

O que flagrou foi surpreendente. Isaac estava caído no corredor, inconsciente e sangrado. Lydia mantinha as costas contra a parede, tentando afastar–se o máximo possível de lobisomem, que Stilinski reconheceu com Aberline, apesar de ele estar caído no assoalho, agonizando com duas flechas de prata cravadas no peito. A Argent já se preparava para lançar a terceira e definitiva, quando Stiles interferiu agindo puramente por instinto.

– NÃO! – exclamou – Por favor, Allison!

As garotas olharam para ele sem compreender o pedido. Um tanto relutante ela obedeceu e baixou o arco.

– Você está bem? – a jovem soou sinceramente preocupada.

– Eu... sim, obrigado – o menino respondeu sem tirar os olhos da figura de Aberline. Allison balançou a cabeça e foi socorrer o namorado, Isaac ainda estava sem sentidos.

Lydia engoliu em seco. Voltou–se para a esquerda por onde Derek avançava, preocupado. Peter e Scott ficaram no gramado da frente, junto aos gêmeos.

– Derek... – Stiles sussurrou. Sentiu–se um pouco triste ao ver que Aberline fora ferido de morte. Apesar de todas as coisas erradas que fizera e de tê–lo raptado, aquele parecia um castigo duro demais. O coração bondoso do garoto não concordava com tal desfecho.

O ex–Alpha balançou a cabeça. Assim como os Digammas eram mais fortes por terem nascido em uma época mais propícia, eles também sofriam com intensidade as maledicências causadas pela prata. Como se tornavam mais fera do que homem, ao ter exposto seus pontos fracos, os efeitos danificavam proporcionalmente.

Wolfsbane, fogo, prata... tudo o que prejudicava Alphas, Betas e Ômegas; tinha poder ampliado sobre um Digamma. Tanto sobre o homem quanto o lobo. A linha que separara um do outro era extremamente tênue.

– Derek... por favor... – Stiles sussurrou – Não podemos fazer nada?

Hale olhou de seu namorado para Lydia e então para o Digamma, que pouco a pouco voltava a forma humana, sem todo o sofrimento que Stiles já presenciara durante a transformação, a prova mais cabal de que o homem estava morrendo.

Derek viu como aqueles dois eram jovens. Assim como Allison e Isaac. Jovens expostos a uma realidade dolorosa. Crianças obrigadas a encarar os efeitos de mortes precoces e violentas. Testemunhos que jamais deveriam ter experimentado.

Lembrou–se que Stiles já assistira alguém morrer antes e que a cada vez um pouco mais de sua inocência infantil era tomada de si.

– A prata não é todo o problema – Derek falou pensativo – Ele não está se curando. O lobo desistiu de viver...

Stiles não disse nada. Nem Lydia ou Allison. Era triste, mas o que poderiam fazer se o homem desistira? O homem que voltara totalmente a forma humana, cuja vida se esvaia nos jorros do sangue vívido.

Derek sentiu a tristeza de seu namorado. Em silêncio avançou poucos passos e ajoelhou–se ao lado de Aberline. Tirou a jaqueta de couro, rasgada em alguns pontos durante a luta, e a usou para cobrir a nudez daquele outro homem, que mantinha os olhos fechados, e cujo coração batia tão fraco e lento que era quase imperceptível.

– Talvez haja um jeito – o ex–Alpha resmungou mal humorado. Fechou a mão em volta da haste de uma das flechas. Por um instante tenebroso viu–se tentado a cravá–la no corpo do homem que ousara afastar Stiles de si.

Tão rápido quanto veio o pensamento se esvaiu e Derek puxou a flecha para fora e a jogou no chão. Repetiu a operação. Então respirou fundo e fez um dos pedidos mais dolorosos de sua vida.

– Venha cá – aguardou que Stiles abaixasse ao seu lado. Então tomou a mão dele entre as suas e o olhou fundo nos olhos – O lobo dele te escolheu como parceiro. Talvez você consiga convencê–lo a se curar.

Stiles engoliu em seco. Apenas assistiu enquanto Derek guiava sua mão e a depositava sobre o tórax do outro lobisomem. Podia ver na expressão do mais velho como lhe era difícil permitir tal concessão e deixar que Stiles tocasse em outra pessoa.

Mas era por um bem maior.

– Obrigado – sussurrou. Então se voltou para Francis, sem saber direito o que fazer ou dizer – Ei cara, eu sei que não é fácil ser rejeitado. Acredite, eu sei de verdade o que é levar um pé no traseiro. Várias vezes. Mas não pode deixar isso te derrubar. Não sou a pessoa certa para você, mas tipo... olha o tamanho desse mundo! Tem mais seis bilhões, novecentos e noventa e nove milhões e... ah, você entendeu. Tem uma multidão de gente por aí. Vai achar alguém. Tenho certeza! Posso te indicar umas redes sociais, sabe?

O discurso fez Lydia rolar os olhos. Derek meneou a cabeça, compreendendo perfeitamente o que o Digamma vira em seu namorado. Esse jeito singular de resolver as coisas e encarar o mundo era encantador. Dava vontade de tomar para si e proteger para que não se maculasse.

– Eu só... sinto muito... – Stiles falou baixinho.

O que mais podia dizer? Não mentiria ou faria falsas promessas. Mas realmente lamentava toda aquela confusão. Lamentava que a solidão de Aberline fosse grande a ponto de levá–lo a extremos. E a sinceridade de seus sentimentos era pontual e perceptível. Forte.

Mais alguns segundos se passaram, embora o tempo parecesse em suspensão. Isaac gemeu e abriu os olhos, tentando sentar–se apoiado na parede do corredor. Allison o ajudou na tarefa.

Stiles olhou dos amigos para Derek. Não ia adiantar. Aberline entregara os pontos e realmente desistira.

– Eu... – o garoto começou a falar, mas sentiu o corpo sob sua mão estremecer. E Francis abriu os olhos.

Continua...



Notas finais do capítulo

Está acabando! Já sofro tanto...

Vou sentir falta das postagens e da interação com vocês. Snif.

Ei, quase esqueço! Dá uma passada aqui:

https://fanfiction.com.br/historia/503093/Inesperada_Interacao/

Obrigada!