Burned Soul escrita por Kaline Bogard


Capítulo 10
Capítulo 10


Notas iniciais do capítulo

Antes de mais nada quero agradecer à Humming Girl, que dedicou sua primeira recomendação a “Sacrifício de Amor”, puxa, gata. Não sei nem como agradecer! Fiquei tão feliz com esse presente! Valeu!

Então... sobre o capítulo de hoje... só digo uma coisa: é agora que saporra fica séria!

Boa leitura.



Burned Soul

Kaline Bogard

Capítulo 10

O grupo de resgate seguia pela longa e deserta rodovia, tendo partido de Beacon Hills há várias horas. Scott, Lydia, Allison e Isaac seguiam no carro de Derek, deixando Peter e seu mau humor sozinhos no carro do homem. Finalizando a comitiva vinham os gêmeos em suas motos possantes.

Somente uma parada foi feita em todo aquele tempo. Não podiam perder um segundo sequer, ainda que Stiles não fizesse mais nenhum contato desde aquele simples SMS.

Não sabiam o que encontrariam, ou em que estado achariam o garoto. Apenas a esperança em seus corações era maior que a incerteza e o receio. Por isso dirigiam rápido.

Allison, que ia sentada entre Isaac e Lydia, mantinha um mapa aberto e passava instruções para Derek.

– Estamos perto da entrada da propriedade – a caçadora avisou – Não sei quanto podemos nos aproximar antes que o Digamma nos sinta. Pegue o desvio a direita.

Derek meneou a cabeça. O carro dele seguia a frente, guiando os demais. Obedeceu a instrução assim que viu uma passagem entre as árvores que rodeavam a rodovia.

Avançou poucos metros até que o veículo estivesse fora das vistas de eventuais viajantes. Desligou o motor e saltou, seguido pelos garotos. Em segundos Peter e os gêmeos também estacionavam e eles se reuniam.

– Infelizmente não temos uma planta da casa – Scott falou – Nem da propriedade.

Isaac ergueu a cabeça e observou a lua que dominava a noite, tão redonda e iluminada que parecia mais próxima da Terra. O céu da noite estava pesado e entrecoberto por algumas nuvens sombrias, mas nem isso fora suficiente para ocultar o belissimo satélite natural.

– Ele deve estar transformado – Peter suspirou.

– Espero que Stiles esteja mesmo aqui – Lydia sussurrou. Pensava em como aquela propriedade ficava afastada de tudo o mais. O vizinho mais próximo estava a milhas de distância, resumindo, o abrigo perfeito para um monstro – Ele deve estar apavorado.

As palavras da ruiva trouxeram mais urgência à situação.

– Vamos dividir os times – Scott decretou já meio transformado – Isaac, você acompanha Allison e Lydia. Use o faro para encontrar Stiles. Façam o contorno da propriedade.

– E proteja-os – Derek detestou ter que confiar a segurança do namorado a outra pessoa, mas sabia que sua força seria necessária para segurar o Digamma e dar tempo de que saíssem em segurança – Nós vamos tocar a campainha.

– E entrar pela porta da frente – Peter debochou. Foi o único que não assumiu a meia forma, mantendo-se humano, apenas com as garras de fora.

– Fazemos as honras – Ethan soou bem animado, trocando um olhar com o irmão. A promessa de certa ação os deixava empolgados.

– Não precisamos nos segurar!

Peter Hale rolou os olhos diante do clamor juvenil.

– As chaves do carro estão na ignição – Derek estralou o pescoço – Assim que encontrarem Stiles vocês dão o fora daqui. Alcançamos depois, quando tivermos conseguido tempo suficiente para que consigam fugir em segurança.

– Se sobrevivermos – o resmungo de Peter foi graciosamente ignorado por todos.

– Tomem cuidado – a recomendação de McCall soou preocupada. Queria salvar Stiles, claro. Mas não deixaria que alguém se ferisse. Todo o cuidado seria necessário para manter a integridade dos membros do Pack.

– Vocês também – Allison devolveu.

Aquele foi o sinal para que os dois times se separassem e tomassem rumos diferentes.

oOo

Stiles sentia-se exausto. Não aguentava mais a tensão de ser vigiado pelos olhos selvagens daquela criatura. Mesmo que o lobisomem não desse mostras de fazer alguma coisa além de assistir, a vigilância acabava com seus nervos.

Os músculos doloridos clamavam por um alívio que não exigisse ficar sentado no chão frio, com as costas pregadas na parede. Já perdera a noção das horas totalmente. Mas a lua ainda não aparecera na clarabóia. Talvez não fosse meia noite ainda.

Então, de modo imprevisível, o lobisomem moveu-se. O monstro ergueu a cabeça e suas orelhas ficaram eretas, como se prestasse atenção em algum ruído.

O pêlo negro arrepiou-se e os olhos dourados se estreitaram. O rosnado surgiu baixo, em um crescente que logo tornou-se um uivo assustador. Quando o som se finalizou, o lobisomem cravou as íris selvagens sobre a figura do jovem prisioneiro, observando-o atentamente.

Stiles engoliu em seco. Por um instante aterrador o menino pensou que ele fosse invadir a cela e atacá-lo. Para sua surpresa o monstro deu meia volta e disparou veloz em direção a escada que levava à saída.

Confuso com a atitude, Stiles ousou respirar aliviado. Algo atraíra a atenção de seu raptor. Só uma coisa que passava pela mente de Stilinski e fazia sentido: seus amigos estavam ali. Ou alguma outra pessoa que seria atacada por um monstro.

Qualquer que fosse a opção ele precisava aproveitar e fazer algo.

Levantou-se em um ímpeto, mas sentiu-se tonto, a vista escureceu e as pernas bambearam. Estava a tanto tempo sentado que sofria as consequências. Precisou apoiar-se na parede para não cair. Respirou lenta e profundamente por alguns minutos e aos poucos melhorou o suficiente para sair dali.

Caminhou tão rápido quanto as pernas dormentes permitiam. Notou, horrorizado, o rastro que as garras de Aberline fizeram na parede, com uma fúria mal contida.

Assustado, Stiles seguiu as marcas. Ainda passava pela sala principal, despida de móveis e que dava acesso para a cozinha e a saleta de curativos, quando ouviu novos uivos e o som de uma luta furiosa.

oOo

O Pack de Beacon Hills seguia correndo através das árvores que rodeavam a propriedade do Digamma, até alcançar o terreno da residência. Uma construção de três andares, soberana no meio de um gramado um tanto alto e mal cuidado, mas de beleza rudimentar.

Os lobisomens se moveram, entrando em uma formação de lua crescente e avançando destemidos. Scott ia no centro do semicírculo, com Derek e Peter correndo a sua direita e os gêmeos à sua esquerda. Já sentiam o cheiro do inimigo, um odor tão rudimentar e singular que fazia seus lobos agitarem-se com furor.

Souberam que tinham sido descobertos quando um uivo alto e rancoroso ecoou de dentro da casa. O Digamma estava lá. E, com sorte, Stiles também.

Em segundos o Pack chegou a grama enquanto o dono do local surgia na entrada principal. A porta dupla de madeira foi destruída por completo, quando o Digamma se jogou furioso contra a folha compensada.

O lobisomem era grande. Enorme. Maior do que poderiam sequer imaginar, uma massa de músculos, cujo poder sobrenatural parecia aumentar graças a fúria alimentada pela luz do luar. As presas enormes mal cabiam na boca, afiadas e mortais. Os olhos dourados desafiaram os cinco lobisomens que ousavam invadir seus domínios.

Ele jogou a cabeça para trás e uivou alto e selvagem.

O desafio não intimidou Scott ou os outros. Pelo contrário. A chance de enfrentar uma criatura tão poderosa mexeu com os lobos deles. Não havia covarde entre os cinco e nem mesmo Peter foi capaz de recuar. Seu lobo, particularmente instigado, não deixaria que fugisse a luta.

Scott saltou sobre o Digamma, que rosnou e evitou o golpe com o braço, acertando o jovem Alpha e jogando-o violentamente para o lado. Ethan e Aidan alcançaram o monstro ao mesmo tempo. Um deles quase conseguiu cravar-lhe as garras no braço, mas ambos foram pegos pelo pescoço. Aberline, sem remorso algum, chocou a cabeças de um contra o outro e deixou que caíssem atordoados no chão.

Peter aproveitou a deixa para tentar um ataque, que foi rechaçado quando as garras afiadas o acertaram no peito. Primeiro de mau jeito com a mão esquerda, depois mais vorazmente, com a mão direita; formando um X em sangue.

O Digamma ia aproveitar para cravar as presas no pescoço do Hale mais velho, que caia de joelhos a sua frente, no entanto Derek chegou pelo franco, sendo o primeiro a acertar um golpe no inimigo.

O cheiro do sangue de Francis atiçou ainda mais o lobo de Derek, já faminto de vingança contra a fera, que tentou cravar-lhe as presas no pescoço. Num movimento veloz Derek usou o braço para se defender e levou ali a mordida dolorosa. Sangue espirrou, porém não teve tempo de avaliar os danos, pois o Digamma arrastou Hale pelo braço e o jogou contra Peter que ainda se recuperava de joelhos. Tio e sobrinho embolaram-se e rolaram pelo chão.

O antiga geração ergueu o focinho e uivou celebrando a vitória fácil. Aquilo provocou Scott e Derek, primeiros a se recuperar. Ethan, Aidan e Peter também se ergueram, o último com mais dificuldade.

O Pack de Scott respondeu ao uivou com rosnados assustadores e partiram para o contra ataque.

oOo

Ao se aproximar da porta da frente, completamente destruída, Stiles ouviu o som de embate piorando, como se animais selvagens lutassem entre si. Ouvia-se ganidos e rosnados. E algo mais que deixava o ar tenso.

Sentindo certa urgência Stiles chegou a porta e o tempo pareceu parar. A área gramada a frente da casa, banhada pela luz da lua, parecia ter se tornado um campo de batalha. Um grande lobisomem, Aberline, dominava o centro da improvisada arena sobrenatural. Peter estava caído um pouco mais afastado, em sua forma humana, já que estava fraco demais para mudar. Mais próximos estavam Scott e os gêmeos tombados no chão, feridos e sujos de sangue, aparentemente inconscientes.

Derek, meio transformado, parecendo tonto, mas com certeza ferido, estava de joelhos a frente do inimigo que se preparava para cravar as presas afiadas em seu pescoço desprotegido.

– NÃO!! – o menino se desesperou. O chamado fez com que Derek olhasse para ele, assim como Aberline. Os olhos de Derek brilharam intensamente em azul. Ele tentou se erguer para continuar a lutar e salvar quem era importante. Antes que conseguisse o lobisomem contra o qual lutava acertou-o com o braço, arremessando-o alguns metros de distância, já se preparando para novo ataque, fazendo-o rolar pelo chão.

Stiles moveu-se por puro instinto. Quando deu por si corria para o campo de batalha, numa investida suicída, e fazia a única coisa possível para proteger seu namorado.

Continua...



Notas finais do capítulo

Então... gente cenas de luta com tantos personagens são muito difíceis! Apanhei pra caramba digitando isso. Torço para que não tenha ficado (muito) confuso. Puxa... só tres capítulos nos separam do final... passou tão depressa, não? Acho que vou mudar a publicação para quinzenal, assim a gente passa mais tempo juntos e...

É BRINCADEIRA!! Segunda tem mais, sem falta! Kkkkkkk

Boa semana!