Burned Soul escrita por Kaline Bogard


Capítulo 1
Capítulo 01


Notas iniciais do capítulo

Quero agradecer a Humming Girl, que deu a ideia brilhante de postar toda segunda -feira, por que segunda-feira é dia de episódio novo de Teen Wolf! Então, eis me aqui!

Tenho um bom tanto de capítulos digitados, então prevejo postagens sem contratempos! Apesar de a fanfic não estar finalizada ainda.

Peço desculpas por postar sem a capa, mas já fiz a encomenda. Assim que a receber, posto aqui. Essa história tem um ritmo mais frenético. Tentei desenvolver como os livros do Brown, não pelo mistério, mas pela coisa de tudo acontecer em pouco tempo. Não sei se deu certo.

Acho que é isso. Boa leitura e até segunda-feira que vem!

Desculpem eventuais erros. Eu reviso, reviso, mas sempre escapa alguns.



Burned Soul

Kaline Bogard

Capítulo 01

OWT!

Stiles soltou as torradas e soprou os dedos. Estavam quentes ainda. Contou devagar até dez, as pegou e jogou no prato, feliz por realizar a proeza sem terminar com queimaduras de terceiro grau...

Colocou o prato sobre a mesa. Passou geléia de uva em duas e colocou em um outro prato. Nas duas que restaram espalhou uma generosa camada de manteiga de amendoim. Aquelas eram suas.

Estava terminando de comer a primeira quando o xerife entrou na cozinha.

Bom dia, filho.

Humm, huum – não podia responder diferente com a boca cheia de pão.

Hoje é o dia da visita ao Museu de San Francisco?

Huum, humm!

Tenha cuidado por lá.

Pai, não se preocupe – Stiles conseguiu engolir a torrada – O Museu é enorme, tem muitos visitantes e o pessoal todo estará comigo. Nenhuma criatura sobrenatural nos atacaria...

John suspirou e serviu-se de um pouco de café antes de balançar a cabeça.

Não foi o que eu quis dizer. Stiles, o Museu está cheio de obras de arte de valor incalculável. Não chegue muito perto dos quadros, nem das esculturas ou dos vasos de cerâmica milenar...

O menino ficou indignado.

Eu não vou estragar nada, pai! Eu não sou desastrado assim. Não é como se eu fosse o Percy Jackson e... todas as obras importantes ficam em um mostruário de vidro resistente com alarme...

Okay, filho. Apenas tome cuidado.

Isso eu posso fazer – sorriu levantando-se da mesa e prendendo a torrada entre os dentes. Estava atrasado – Se cuida também.

Mal ouviu a resposta do pai à sua recomendação. Saiu pela porta da cozinha e rumou em direção do jipe. Não foi realmente uma surpresa encontrar Derek Hale encostado na lataria azul.

Ei, não veio aqui só para me mandar ter cuidado no Museu, não é? – Stiles foi se aproximando, seu humor subiu apenas com a visão do lobisomem e o referido sentiu a empolgação – Vou manter distancia de quinze metros de cada obra... pelo menos dos vasos e outros trecos de cerâmica. Ou melhor: não vou nem entrar nessa ala.

Derek entreabriu os lábios, mas antes que dissesse algo o garoto enfiou o pedaço de torrada cheia de manteiga de amendoim em sua boca.

Bom dia, aliás.

Bom dia – o lobisomem acabou dando uma mordida na guloseima. Podia captar que o outro ficou subitamente meio desconfortável. E sabia bem o porquê.

Estavam juntos, romanticamente falando, a coisa de uma semana. Tudo era muito novo para ambos e Stiles ainda não se sentia a vontade com demonstrações públicas de afeto. Logo ele, tão expansivo e comunicativo, morria de vergonha ao trocar beijos com o namorado na frente de alguém. A palavra “namorado” ainda fazia seu rosto corar.

Aproveite o dia – Stiles foi se sentando atrás do volante e bateu a porta – Todos os lobisomens adolescentes estarão nessa excursão. Beacon Hills é toda sua, mas não...

Calou-se surpreso. Com a velocidade sobrenatural Derek estava ao seu lado em um piscar de olhos, curvando-se e o segurando pela nuca com a mão livre, para roubar um beijo com sabor de manteiga de amendoim.

Vamos sair hoje a noite – o mais velho decretou ao se separarem – Quando voltar da viagem.

Okay – Stiles balançou a cabeça, sem fôlego pelo beijo inusitado – Nosso primeiro jantar romântico a luz da lua, sourwolf.

As oito? – elegantemente ignorou o apelido.

Pode ser. Dá tempo de chegar da excursão.

Tome cuidado...

Não se preocupe com nada. São três lobos e uma banshee para me...

Stiles, não foi o que eu quis dizer – apesar da ameaça anterior Derek se sentiu na obrigação de alertar o namorado – Tem obras que valem milhões por lá. Se quebrar alguma coisa...

O garoto ficou indignado. De onde todos tiraram a idéia de que era desastrado?

Outra dessa e não tem jantar romântico! – ameaçou emburrado ligando o motor do jipe.

Derek não respondeu. Continuou comendo a torrada e se afastou alguns passos abrindo espaço para que o namorado manobrasse o jipe e arrancasse dali, na mesma velocidade em que batia seu coração.

Então acenou em direção a janela da cozinha; onde sabia que seu sogro, o xerife Stilinski, espiava discretamente atrás da cortina. A relação de Derek e Stiles era inusitada para todos. Não importava de que ângulo se avaliasse, por inúmeros motivos.

Ao chegar ao colégio, Stiles viu que os alunos do segundo ano estavam para fora do prédio, formando pequenos grupos, próximos a dois ônibus amarelos. Aquela tradição vinha se realizando por várias gerações: anualmente os segundoanistas faziam uma excursão ao Museu de San Francisco e passavam o dia analisando obras de artes variadas.

Chegara a vez de Scott e seus companheiros.

E aí, cara! – Stiles viu o melhor amigo parado perto da moto e aproximou-se. A mochila estava jogada displicente no ombro – Kira...

Os dois cumprimentaram o recém-chegado.

Preciso que nos dê cobertura – McCall foi falando baixo.

O que? Por que?

O jovem Alpha sorriu suspeito e trocou um olhar ainda mais suspeito com a garota de ascendência japonesa. Controlava seu lobo bem, mesmo sendo lua cheia. Por isso não temia mais que a situação ficasse perigosa, estando com uma garota.

Não vamos para Frisco, Stiles. Quero levar Kira até a reserva e passar o dia com ela...

Mas Scotty... – o humano se surpreendeu – Nós esperamos por esse dia desde que entramos no colégio! Okay, eu esperei por esse dia. Faça o que tem que fazer, campeão. E divirtam-se.

Obrigado!

Stiles sorriu e observou enquanto o amigo e seu novo interesse romântico escapuliam empurrando a moto para não chamar atenção. Mas aparentemente ninguém ligava para eles.

Pelo menos ainda tem o Isaac e... ah, olha só... o mesmo Isaac que está no carro da Allison. Eles não estão parando e... saquei. Outro casalzinho que vai matar aula. Totalmente perfeito.

O treinador Finstock começou a chamar os alunos pelo nome, lendo-os em uma folha presa à uma prancheta. Pouco a pouco os adolescentes iam entrando conforme era indicado: ou no ônibus um ou no ônibus dois. Ele ficaria responsável por um dos ônibus, junto com outro professor. Assim como outra dupla de professores cuidaria do segundo veículo coletivo.

Stilinski, no ônibus um. E não se atreva a bafejar nos mostruários. A escola não vai pagar nada que você quebrar – e continuou chamando outros nomes.

Stiles nem se indignou com a reprimenda. Seria desperdício de fôlego. Ele ouviu seu nome, mas continuou do lado de fora, para saber quais dos seus amigos estaria no mesmo automóvel. No fim das contas nenhum deles foi chamado, nem Lydia, Danny ou os gêmeos. E ele compreendeu que os casaizinhos todos tinham planejado cabular aula, evitando entregar as autorizações como se os pais não tivessem concordado com a aula de campo.

Enquanto entrava no ônibus, pensou seriamente em enviar um SMS para Derek e pedir que o namorado encontrasse com ele no Museu, todavia mudou logo de idéia. A viagem era longa e tediosa. Não podia fazer isso com Hale, ele provavelmente criara planos para o dia. Seria injusto.

Conseguiu um lugar só para si, afinal, vários alunos tinham faltado. Jogou a mochila em um dos bancos e sentou-se à janela. Sacou o smartphone do bolso. Podia se distrair na viagem de horas com algum joguinho ou atualizando suas redes sociais. Não se preocupou com a bateria, levava o carregador por que o restaurante interno do Museu oferecia suporte para aplicação de nova carga.

O passeio que antes o deixara ansioso e animado mudara para chato e enfadonho. Teria que andar sozinho pelo Museu, um tédio.

Por outro lado havia a promessa de um encontro com o namorado. Pensar em estar a noite com Derek disparava seu coração e lhe ruborizava o rosto. Começou a contar os segundos para que o dia passasse logo e retornasse para casa.

Mal sabia Stiles que o destino traçara planos bem diferentes para si.

Continua...



Notas finais do capítulo

É isso. Adoro colocar o Stiles em situações complicadas. Aqui não será diferente. Por enquanto está com nove capitulos. Comecei a digitar o décimo, mas deve acabar ai com uns onze ou doze no máximo. Liberado um por semana, é a tradição.

Encaixei essa história no meu projeto Acensão. Para mais detalhes basta ler meu perfil. Mas a primeira história do projeto está aqui:

http://fanfiction.com.br/historia/476148/Uma_grande_aventura/

É baseada em High Road, filme em que o Dylan O'Brian é co-protagonista. Recomendo, é bem divertido!

Além disso, para quem ainda não sabe, tenho uma outra Sterek sendo publicada. O endereço da história está aqui:

http://fanfiction.com.br/historia/469314/Sacrificio_de_Amor/

Seria uma honra vê-los em alguma dessas fanfics.

Abraços e até a próxima atualização. Seja na sexta ou na segunda-feira.