Ooops! Bebê a Bordo! escrita por AllieC


Capítulo 7
Capítulo 7


Notas iniciais do capítulo

N/A: Aproveitem o capítulo. Boa leitura.


—___________________________________________________________



EDWARD POV

Dois meses depois...

 Jacob. Aquele era o nome que não me deixa dormir a noite desde que Bella me contara que estava grávida. Como é que eu conseguia me concentrar em terminar o meu discurso se volta e meia eu me pegava pensando em Isabella e o seu marinheiro desaparecido? Eu não conseguia, simples assim.

Mal humorado, passei a folhear as anotações que eu havia feito sobre um dos inúmeros processos em que eu estava trabalhando. Por fim, acabei jogando tudo em cima da mesa, de qualquer jeito, ao perceber que o acusado estava sendo processado pelo estado por ter depredado prédios pertencentes à marinha norte-americana.

Que inferno! Que confusão! Santo Deus, que hora Bella foi escolher para ficar grávida...

Levantei-me da minha cadeira e sai caminhando pela casa, tentando arranjar alguma coisa para me distrair. Geralmente eu me ocupada com o trabalho ou com mulheres, mas eu não tinha cabeça para seguir analisando processos e desde Tanya eu não havia estado com mais ninguém. Dormir também não era uma opção, uma vez que eu não estava com a menor disposição para isso.

Acabei indo até a cozinha preparar brigadeiro de panela. Isabella havia me ensinado como fazer o doce pouco depois de eu ter me instalado na vizinhança. Claro que o meu doce não ficava nem de longe tão bom quanto o dela, mas era comestível na maioria das vezes.

Isabella, Isabella...

Sentei-me na borda da janela da sala, com a panela de brigadeiro na mão, enquanto observava a casa de minha vizinha. As luzes apagadas, nenhum barulho. Devido ao horário avançado ela certamente já estaria dormindo, coisa que eu também deveria estar fazendo se eu fosse um pouco mais inteligente. Se eu fosse...

Eu não acreditava naquela história sobre Jacob, por algum motivo, nada daquilo me parecia verdadeiro. Eu havia aprendido a confiar na minha intuição e ela me dizia que havia algo de errado na história de minha amiga. Ainda a pegaria em contradição para poder confirmar as minhas suspeitas, mas a questão principal era outra: por que ela mentia?

Tinha a impressão que a resposta estava a minha frente e somente eu não conseguia vê-la. Independesse do que fosse, eu ainda descobriria o mistério que pairava sobre Isabella Swan.

Heatcliff! Desça já! ouvia uma voz gritar ao longe. Eu ainda estava perdido em meio a sonhos. Havia dormido tão mal durante a noite que já estava começando a me sentir irritado por ser acordado por gritos. Revirei-me na cama, cansado.

Heatcliff, ande logo, desça já daí! voltei a ouvir. Santo Deus, quem poderia estar gritando a essa hora da manhã? perguntei-me quando vi no relógio ao lado da minha cama que mal havia passado das oito da manhã. Era domingo, por tudo que é mais sagrado!

Resignado, sai da cama, ainda zonzo, caminhei até a janela mais próxima para tentar descobrir a fonte do meu tormento. Para minha surpresa, era Isabella que estava ali fora, parada ao lado de uma das árvores de seu jardim, fiquei parado, observando-a. Os quase quatro meses de sua gestação já começavam a aparecer, as curvas estavam mais proeminentes, o ventre já começava a ficar roliço e os seios estavam maiores. Ah, os seios...

Fiquei indignado ao constatar que a minha ereção matinal havia aumentado com o simples vislumbre dos seios de Isabella. Eu detestava quando esse tipo de coisa acontecia... E o pior era que esse tipo de reação estava se tornando comum nas últimas semanas...

Heatcliff, desça já! - ela gritara, para o alto da árvore. Ah, seu gato estúpido! dei risada enquanto observava-a caminhar em direção a sua casa. Certamente deixaria o gato no quintal enquanto se ocuparia com algo mais produtivo.

Instantes depois, ela retornou ao quintal levando junto consigo uma escada. Que raios ela faria com aquilo?

Os gatos são os animais mais egoístas que existem, sabia? Não são capazes de fazer nada pelos outros - ela dissera, colocando a escada apoiada na árvore. Ela não seria louca de tentar apanhar o gato, seria? Sim, ela seria capaz disso. Uma coisa que eu aprendi nos três anos em que era vizinho da criatura que agora começava a subir os degraus da escada era que de Isabella Swan eu podia esperar tudo.

Sai correndo a fim de alcançar Bella antes que ela fosse capaz de cometer alguma insanidade. Que grávida, em sã consciência, ficaria subindo em escadas para apanhar um gato, sabendo que poderia acabar caindo e se machucando? Bella faria isso, mas ela não era exatamente o que se chamaria de grávida consciente.

Cheguei ao quintal de Bella em pouquíssimo tempo, não tendo nem ao menos parado para vestir uma camisa - eu dormia somente com a calça do pijama, me sentia mais confortável dessa maneira.

O que acha que está fazendo? Saia já dessa escada! disse, assim que parei ao lado de Bella.

Bom dia para você também, Edward ela dissera, brincalhona. E não, não vou descer. Heatcliff subiu na árvore e agora não quer descer. Não vou correr o risco de ele ficar vagando perdido pelo bairro, como fez algum tempo atrás.

Você não estava grávida da última vez em que Heatcliff se perdeu. Não percebe que se cair dessa escada, alguma coisa pode acontecer com o seu bebê? ralhei.

Edward, eu entendo, mas essa não é a primeira vez que tenho que subir numa árvore em busca de Heatcliff. Além do mais, o meu filho precisa aprender desde cedo a ser dedicado aos seus animais de estimação como a mãe, não acha? ela dissera, voltando a subir mais alguns degraus.

O que o seu filho precisa é de uma mãe que tenha um pingo de juízo na cabeça disse, segurando-lhe pelo cotovelo, forçando-a a descer da escada. Eu pego Heatcliff, está bem?

É muita gentileza sua, mas não é necessário. Você deve ter mais o que fazer, aliás, por que não está aproveitando o seu domingo para dormir?

Ri sozinho, cuidando para que Bella não me ouvisse. Se ela soubesse que fora justamente por causa dela que eu havia saído da cama...

Eu não estava com sono. menti.

Sério? Você sempre tem o costume de ficar dormindo até tarde nos finais de semana para recuperar o sono perdido durante a semana... O que foi? Caiu da cama?

É, eu tive um bom motivo para sair da cama... comentei.

Hum, bom saber ela murmurara, pensativa. Ei, Heatcliff, pare quieto. ela ralhara o gato, quando o mesmo passou a se movimentar na árvore, tentando subir mais alto. Argh, animal estúpido.

Não se preocupe, logo vai ter Heatcliff em seus braços, está bem? posicionei-me em frente à escada e pus-me a subi-la

Ei, Edward? ouvi Bella me chamando. Virei o tronco para observá-la. Ela ficava tão bonita a luz do sol, a pele branca e suave a mostra sob o short curto e a camisa sem mangas... O tal Jacob era um cara sortudo.

Santo Deus! Eu realmente estava cobiçando a minha melhor amiga? Eu estava há muito tempo sem sexo, só podia...

Sim Bella? perguntei, tentando parar de pensar besteiras acerca da minha própria vizinha.

Muito obrigada pelo que está fazendo. ela dissera, sorrindo.

Desviei o olhar dela antes que minha mente voltasse a pensar insanidades. Resolvi concentrar-me em Heatcliff, que agora lambia a pata calmamente.

Heatcliff, meu amigo, trate de ficar paradinho no seu lugar, está bem? disse, enquanto chegava aos últimos degraus da escada. Infelizmente, o gato simplesmente levantou-se e pôs-se nos galhos, distanciando-se de mim.

Gato estúpido...

Obriguei-me a subir na árvore. No mesmo instante, arrependi-me não ter trocado a calça do pijama por algo mais apropriado antes de sair de casa. Eu teria que colocar a peça no lixo assim que voltasse para casa.

Segurando-me nos galhos mais firmes que estavam próximos a mim, estiquei-me e consegui alcançar Heatcliff. O gato apenas ronronou e aconchegou-se em meu braço, pondo-se a lamber meus dedos.

Pronto Bella, seu mascote já está a salvo. disse brincalhão.

Oh, Edward, muito obrigado. Não sei o que eu faria sem você... ela dissera.

Eu preferia nem imaginar as besteiras que ela cometeria se eu não estivesse por perto para vigiá-la. Com cuidado, recoloquei meus pés na escada, ainda me segurando aos galhos mais próximos.

Não precisa agradecer, Bella. Mas, me faça um favor? Na próxima vez que Heatcliff resolver subir numa árvore, me chame antes de tentar bancar a Mulher Maravilha, tudo bem?

Certo, meu Super Homem! ela dissera, batendo continência para logo em seguida começar a gargalhar.

A gargalhada que me tirava o sono durante a noite...

Estiquei o braço, entregando-lhe Heatcliff, que prontamente foi para os braços na dona, aninhando a cabeça entre os seios da dona, desviei o olhar. Aquela era a primeira vez na vida em que eu sentia ciúmes de um felino...

Virei meu corpo tão bruscamente na escada que acabei perdendo o equilíbrio sobre a mesma. Gritei, assustado, pouco antes de sentir o meu corpo atingir com força o chão. Para meu completo azar, a escada caiu sobre o meu peito, fazendo com o resto do ar que havia em meus pulmões se esvaísse.

Edward! Edward! Ah, meu Deus! Edward, querido, está muito machucado? Bella parou ao meu lado, ajoelhada, apavorada. Edward? Por favor, fale alguma coisa!

Ai, acho que vou ficar uma semana de cama depois dessa. falei, ainda tentando normalizar a minha respiração.

Oh, Edward, deixe-me ajudá-lo, sim?

Bella largou Heatcliff, que logo se pôs a caminhar para dentro da casa através da porta da área de serviço que minha vizinha havia deixado aberta. Bella tirou a escada de cima de mim, jogando-a de qualquer maneira no chão ao meu lado, com cuidado, posicionou-se atrás de mim, ajudando-me a levantar.

A essas alturas eu já conseguia respirar direito, mas ainda sentia dores nas costas e no quadril devido à queda.

Com a ajuda de Bella, consegui ficar de pé. Vagarosamente e sendo carregado por ela, chegamos a sua cozinha, onde a mesma me ajudou a sentar em uma de suas cadeiras.

Viu o que poderia ter acontecido se fosse você quem estivesse naquela escada? comentei. Seu filho poderia estar em sérios apuros neste instante se fosse você quem tivesse caído. Para nossa sorte, eu não estou grávido, não é?

Sorte a nossa... ela murmurava, enquanto procurava algo em nos armários. Algum remédio para dor, se eu não estava enganado.

Que sirva de lição então. Você está grávida, precisa tomar certos cuidados daqui para frente.

Edward, pare de agir como se fosse a minha mãe! Eu sei que estou grávida, sei que tenho certas responsabilidades, mas eu sei me cuidar. Não preciso que você fique me dizendo a todo instante que eu não tenho noção do que pode afetar ao meu bebê.

Você precisa por um pouco de juízo nessa sua cabeça, isso sim. E se não for por vontade própria, vai ter que ser na marra, porque nem a chegada dessa gravidez conseguiu por um pouco de juízo na sua cabeça ralhei.

Num gesto instintivo, Bella pôs as mãos sobre o ventre e o acariciou.

Você não está sendo justo comigo, Edward. Você não sabe...

Não sei o que? Não sei a história inteira? Não, não sei. Não sei porque você se recusa a me contar o que realmente aconteceu. Você não quer me deixar ajudar! Não sei porque é tão teimosa!

Não preciso da sua ajuda.

Não precisa? Tem certeza? Porque se não fosse por mim, seria você a estar naquela escada e seria você quem teria caído. Uma queda dessas no começo da gravidez poderia ter feito você sofrer um aborto. Um aborto, Bella. Vi os olhos de Bella começarem a se encher de lágrimas, mas não deixei que isso me afetasse. Ela precisava ouvir algumas verdades. Você não é mais uma criança. Vai ser mãe dentro de poucos meses, trate de começar a agir como uma.

Edward, eu...

Você nem ao menos sabe onde está o pai do seu filho, Bella.

Edward, já chega. vi a expressão facial dela mudar drasticamente. Ela agora estava brava, o rosto vermelho, o corpo tremendo de raiva.

Eu havia ido longe demais.

Merda.

Você não faz a menor idéia do que aconteceu na minha vida nos últimos meses, Edward, então não venha me dar nenhuma lição de moral Bella aproximou o corpo do meu, praticamente cuspindo as palavras em minha cara. Heatcliff, venha. Vamos fazer a caminhada que o doutor recomendou. E você, Edward, esteja fora da minha casa quando eu voltar.

Ela apenas pegou o gato nos braços e saiu caminhando porta afora, ignorando os meus protestos para que voltasse e que nós dois pudéssemos conversar como dois adultos.

Num átimo, levantei-me da cadeira e fui mancando porta afora. Nunca havia me sentido tão intenso em minha vida. Um súbito e louco desejo de cuidar daquela mulher, mantê-la segura e feliz. Eu, nada de Jacob ou qualquer outra pessoa, apenas eu.

Se tivesse parado para pensar sobre isso, a idéia como um todo teria me deixado assustado. Felizmente, eu não estava com cabeça para avaliações mais profundas.

Isabella, espere.

Quando ela se virou, vi a tristeza em seus olhos e precisei de toda a força que dispunha no momento para não correr até ela e tomá-la em meus braços.

Espere. insisti. Enlacei seu corpo pela cintura assim que cheguei próximo a ela.

O que foi?

Perdão. Eu não devia ter falado daquela maneira.

O aroma do delicado perfume de Bella penetrou minhas narinas, deixando-me tonto. Se eu já estava a ponto de entregar as cartas antes, eu já estava quase perdendo a batalha a essa altura. Eu estava a ponto de esquecer que a mulher que eu mantinha em meus braços era a minha melhor amiga.

Mas, Bella precisava de mim nesse momento, precisava de mim como amigo. Não de um cabeça de vento como mo marinheiro perdido dela. Mas, era extremamente difícil de raciocinar com o roçar dos quadris dela em meu antebraço.

Eu disse que sinto muito - repeti.

É mesmo? Estou pouco me importando com o que disse, Edward. Sou uma mulher adulta e posso cuidar de mim mesma. ela replicou

Ah, é?

Sim.

E o que pretende fazer quando o bebê nascer? O que pretende fazer para conseguir que o Sr. Clearwater aprove o seu pedido de empréstimo? Pretende viver a vida toda da mesada que recebe do seu pai?

O que pretende com isso?

Segurei-a pelo cotovelo e puxei para trás no momento em que ela havia tentado desvencilhar-se de mim.

Pretendo provar que não pode controlar tudo como pensa que pode. Santo Deus, como podia ser tão teimosa? Não enxergava os fatos?

Isto são apenas detalhes.

Tem razão e este é apenas um bebê disse, colocando a palma da mão sobre a curva da barriga saliente, sentindo o calor e a vida que crescia naquele ventre. O seu bebê.

Isabella permaneceu imóvel. Pálida, colocou a mão sobre a minha.

Não faça isso, Edward. Por favor, eu...

Seja razoável. Você precisa de ajuda, já contou para o Brutus...

Jacob.

...sobre o bebê? Ele tem responsabilidades a cumprir. Deveria cuidar de você... Ou se casar... Sei lá, fazer o que for preciso. O seu bebê precisa de um lar estável, de uma família que lhe suporte e apoio. ao perceber a expressão de desalento em seu olhar, puxei-a para mais perto, acariciando seu rosto com o polegar. Eu a estou advertindo-a, senão se cuidar direito... Eu cuidarei de você.

(Continua...)

____________________________________________________________________



Notas finais do capítulo

N/A: Edward, cuida de mim também? :9 Haha
Beijos gente :*