Como Se Tornar Uma Bad Girl escrita por Dangerous


Capítulo 9
Como vomitar no sapato do seu amigo


Notas iniciais do capítulo

Sim, eu voltei! Desculpem pela ausência, eu já tenho teclado ha um boooooooom tempo, mas eu não queria mais escrever essas fics, porém pensei um pouco e resolvi escrever para me divertir e também para termina-las, pq é melhor do que abandonar. Emfim, espero que ainda tenha alguém que queira ler. Esse capitulo tá bem ruinzinho, mas foi o melhor que pude fazer por enquanto.



Festa na casa dos Potter

O Diggory e o Potter discutiam, e eu estava bem no meio, o que não era nada agradável. Eles eram muito maiores que eu e eu iria ser esmagada logo. Foi quando o Potter resolveu dar um empurrão no Diggory, que tropeçou e caiu dentro da piscina. Mas não esquecendo de me puxar junto. Água espirrou para todos os lados e eu emergi com dificuldade cuspindo água e jogando o cabelo para fora do meu rosto.

O Potter arregalou os olhos.

– Me desculpa Lily, não era pra você ter caído.

– NÃO ME CHAMA DE LILY! - gritei jogando água nele.

Ele estendeu a mão para me ajudar e eu o puxei para dentro da água.

– Porra, Evans! Qual seu problema?

– VOCÊ! VOCÊ É MEU PROBLEMA! - joguei água em seu rosto.

Ele jogou água no meu, e em segundos estavam nos estapeando e tentando afogar um ao outro.

Até que fui puxada para fora da piscina e me debati feito um peixe fora d'água, o que era irônico, porque eu estava fora d'água.

O maldito Black me segurava no ar enquanto eu me debatia. O Potter saiu da piscina todo encharcado e de cara amarrada. O vestido caro que Jessica comprara estava encharcado e eu precisava vestir uma roupa quente antes que eu congelasse.

Depois daquilo Potter me levou para o quarto da mãe dele e procurou por alguma coisa que servisse. Mas a mãe dele obviamente era mais alta, mais esbelta, tinha mais curvas... Embora, eu preferisse que ela fosse mais caída, mais baixa, mais feiosa... Até que ele encontrou um vestido vermelho super pequeno, tá legal, aquela coisa era pequena até pra mim!

Encarei ele, encarei o vestido.

– Nem pensar.

– É isso ou congelar ai. Minha mãe não tem outras roupas menores. Essa é a menor.

– Deve ser da época que ela era striper.

– Ei! Minha mãe nunca foi striper!

– Nhenhe! - resmunguei puxando o vestido da sua mão com força. - Vaza daqui, quero me trocar.

Ele bufou e saiu pingando água.

Tirei meu vestido molhado e o coloquei em um canto, usei uma toalha para me enxugar e vesti o vestido. Era tão apertado que eu não sabia nem como iria respirar.

Mas uma coisa que aquele vestido fez foi ressaltar curvas que eu nem sabia que tinha.

Dei umas voltinhas em frente ao espelho observando meu corpo. Tentei fazer algumas poses e caras sexys mas acabei escorregando no vestido molhado e cai.

Me levantei do chão com certa dificuldade e sai do closet. Veja bem, eu não queria mexer nas coisas da mãe do Potter, porque eu tenho um pouco de respeito por ela por aguentar essa praga por tantos anos, mas eu precisava secar meu cabelo e re-fazer minha maquiagem.

Procurei nas gavetas e encontrei um secador de cabelos, sequei meus cabelos e os prendi porque era o melhor que eu podia fazer no momento. Limpei a maquiagem borrada na toalha e re-fiz minha maquiagem de bad girl.

Coloquei meus coturnos, mesmo não tendo muita certeza se aquele vestido vermelho colado combinava com coturnos.

Mas eu com certeza não iria colocar saltos nos meus lindos pés.

Guardei as coisas da senhora Potter em seus devidos lugares e sai do seu quarto. Segui pelos corredores e acabei chegando na cozinha.

Aproveitei que só havia alguns adolescentes bêbados drogados viajando ou desmaiados e abri a geladeira.

Encontrei um pote de sorvete de flocos e me sentei no balcão para comer, balançando minhas pernas no ar como uma criança.

– O que você tá fazendo?

Me assustei e joguei o pote de sorvete longe.

– Ah, Jessica, você me assustou! - falei colocando a mão no peito.

– O que eu te falei sobre tomar sorvetes?

– Olha só, eu estava sendo vida loka, até porque roubei um sorvete, duur.

Ela bateu na própria testa e revirou os olhos.

– Vem, vamos voltar para a festa! - ela segurou meu pulso e me puxou.

– Não quero, está chato lá! Minhas amigas não estão aqui!

– Isso porque aquela Lena-

– Lene.

– ...É muito esquentadinha, e aquela Dora-

– Dorcas.

– ...é muito retardada. E de retardada já basta você. E elas não são amigas do Sirius, nem do James e nem do Remus.

– Nem eu.

– Você é, só não aceita.

– Não sou nem sua amiga. Não sei merda nenhuma sobre você, pra mim isso não é amizade.

– Se eu estou te ajudando sou sua amiga.

– Não sei, não.

Ela revirou os olhos e continuou me puxando para fora da casa.

No final aquela festa foi tão chata quanto as festas que Lene dava, a diferença era que eu tinha minhas amigas nas festas da Lene e não tinha que ficar sentada numa cadeira encarando os adolescentes babacas se embebedando e gritando.

E Jessica não me permitia sair, mas eu não pretendia ficar ali até o amanhecer, então assim que ela sumiu para se agarrar com alguém, peguei minhas coisas e sai correndo.

Mas acabei dando de cara no peito de alguém.

– Merda! - choraminguei massageando a testa.

– Você está bem? - Remus perguntou.

– Não muito. - falei zonza.

Ele me ajudou a levantar e eu quase cai em cima dele. Mas recompensei essa falha vomitando em seus sapatos.

Ele sorriu gentilmente tentando não infartar, e deu tapinhas nas minhas costas.

– Você bebeu?

– Não, só refrigerante. Também comi um pote de sorvete de flocos.

– Venha, vou te levar pra casa.

– Por que tem dois de você? - perguntei rindo.

– Hm, não sei.

Gargalhei. Remus era engraçado. Ou eu que estava zonza. Não sabia que o peito dele era tão duro, uau.

Remus me levou até em casa em seu carro velho, e sorriu para mim quando eu sai.

– Te vejo outro dia, Remus!

– Até mais, Lily!

Caminhei tentando não tropeçar e entrei dentro de casa esbarrando em objetos, a casa estava totalmente escura. Acendi as luzes e fui para a cozinha, procurei na geladeira por pizza e Sprite.

Levei tudo para meu quarto e coloquei em cima da minha mesa de computador.

Tirei meus coturnos e joguei longe. Tirei com certa dificuldade o vestido vermelho colado e joguei no chão também. Fui para o banheiro, onde tomei um delicioso banho quente e tirei o cheiro de cachorro molhado de mim.

Vesti meu pijama de gatinho, calça de moletom marrom com patinhas de gato rosa, camiseta cinza com um gatinho super foto preto e branco e minhas pantufas de gatinhos.

Me joguei na minha cama e fiz meu lanche da madrugada enquanto mexia em meu celular, havia algumas mensagens de voz de Dorcas, mas eu não quis ouvir.

Terminei meu lanche e me ajeitei fechando os olhos, e logo adormeci.

***

Acordei com o celular tocando loucamente.

Atendi sem nem ao menos abrir os olhos.

– Alo?

– VADIA SE ARRUMA, VAMOS SAIR! - Lene gritou, afastei o celular do ouvido - PASSO AI EM 10 MINUTOS, ESTEJA PRONTA!

– OIE! - Dorcas gritou.

E ouvi barulho de alguma coisa quebrando.

– Você matou Dorcas? - perguntei.

– Não, só empurrei ela contra a janela do carro, nada demais.

**