Salva-me Veela escrita por NynaGMalfoy


Capítulo 11
Capitulo 11: A proposta


Notas iniciais do capítulo

Gente nem sei como acabou assim o capitulo, ainda estou atonita com o acontecido.... Mas eu amei e espero que gostem também....
Capitulo dedicado a Apenas uma Potterhead, obrigada pela recomendação linda! *.*
100% dramione esse capitulo em gente e acredito que viram mais alguns assim......
Boa leitura



"- Nossa como você fala! – disse uma voz conhecida"

– DRACO? DRACO? É VOCÊ MESMO? – perguntou uma Hermione atônita com a situação

– Não Herms é o fantasma dele. – respondeu o loiro rindo da situação a qual se encontravam

– Oras seu... – Hermione nem soube o que dizer, então...

– AI SUA LOUCA – gritou o loiro apos levar um tapa no ombro – Porque fez isso? – perguntou

– Você é um idiota, sabia disso? – retrucou a castanha

– Bom disso eu sabia sim, então não precisava ter me batido. – disse rindo

Os dois se olharam e riram da situação inusitada a que se encontravam, o loiro estava se sentindo nas nuvens ao ouvi-la dando risadas com ele, mas seu veela agiu mais rápido e o mesmo a fez parar os risos quando afagou sua bochecha e perguntou: “Você esta bem Herms?”

A menina parou a risada e apenas o encarou, após alguns segundos em profundo silencio ela afastou-se dele, apenas o bastante para que o mesmo não a tocasse, Draco notou isso e então abaixou o braço.

– Não era eu que deveria lhe perguntar isso Malfoy? – perguntou sorrindo para o loiro

– Draco. – a menina o olhou confusa pela resposta dele, então o mesmo continuou – Prefiro quando me chama de Draco, não de Malfoy.

– Ok, Draco. Eu nem preciso pedir o mesmo já que só me chama de Herms agora. – disse dando um lindo sorriso para Draco, fazendo o mesmo sorrir envergonhado. – NÃO ACREDITO. DRACO MALFOY ESTA ENVERGONHADO COM UMA GAROTA. – disse ou melhor gritou a menina rindo a plenos pulmões fazendo o mesmo se segurar para não agarra-la ou toca-la novamente, aquilo estava ótimo para ele. Então simplesmente brincou de bravo, fechando a cara e cruzando os braços no peito. – Oras Mal-Drake, não fique assim, é normal já que eu sou irresistível. – disse a castanha dando uma piscadinha no final, fazendo o loiro ficar pasmo, era como se já tivesse vivido isso, como se já tivesse passado por uma situação parecida.

– Sabe tem momentos, assim como esse aqui com você que me parecem tão familiares. – disse o loiro fazendo a castanha parar seu riso incansável.

– Como assim Draco? – perguntou curiosa

– Vou te corrigir de novo, prefiro Drake agora. – disse sorrindo galante para Hermione agora vermelha como pimentão. – E o feitiço vira contra o feiticeiro em... – respondeu rindo

– Ha-há , muito engraçado... – olhou sugestiva – Drake. – finalizou ambos vermelhos de tanto rir e se alfinetarem, mas após o silêncio reinou.

– Então vai me dizer o que tem? Porque sempre me parece que você vai desmaiar e não vai acordar mais? – Hermione perguntou seriamente

– Talvez porque se eu desmaiar mesmo eu não acorde? – disse de forma irônica – Acho que se não fosse seu falatório de antes eu não teria meio que voltado sabe. – respondeu dessa vez sincero.

– O que houve? É alguma maldição ou algo das trevas, Drake? – perguntou

– Não, na verdade é algo natural mesmo, algo que carrego no meu sangue desde o meu nascimento. O cômico foi só descobrir isso agora, na reta final, quando eu não posso mudar o passado. Já quis mudar o passado Herms? – disse Draco

– Na guerra eu me pegava pensando muito nisso, se eu mudaria algumas das minhas decisões. Mas não, eu protegi todos que eu amava, mesmo que agora eu os tenha perdido para sempre. – disse a castanha também sincera em suas respostas

– O que houve afinal com você Hermione, cade a Granger irritante de antes? – perguntou

– Eu te perguntaria o mesmo Draco, o que houve com o preconceituoso Draco Malfoy? – rebateu a castanha

– Ele cresceu. Aquela guerra me mudou muito, eu quase perdi minha família, as pessoas que tanto amo por causa dela e o mais engraçado eu sinto que tem algo faltando desde antes da guerra estourar, é como se eu tivesse perdido o sentido de viver. Só estive na guerra para salvar aqueles que amo, mais nada. Eu me sentia vazio e sinto que falta algo para que eu realmente entenda porque lutei tanto, nunca quis estar do lado das trevas, para proteger quem amamos nós fazemos de tudo. Não concorda? – disse Draco

– Talvez tenha perdido algo no caminho que não se lembre. – disse com um pequeno sorriso onde o loiro o devolveu igual – Mas concordo com você. Sabe eu fiz um feitiço que até agora não descobri como desfaze-lo. Eu obliviei meus próprios pais para que eles não se lembrassem de mim, queria os protege-los da guerra. Ninguém além de você e Harry sabem, guarde como um segredo pode ser? – disse Hermione, fazendo Draco ficar de boca aberta e assentindo com a cabeça.

– Herms eu posso lhe ajudar com isso, na minha casa existe uma biblioteca particular e lá tem um exemplar só para obliviates, se quiser posso lhe emprestar. É isso que tanto procura, não é? Por isso que fica trancada sempre com um monte de livros? – perguntou o loiro, recebendo um aceno de que sim, era isso mesmo que a castanha vinha fazendo.

– Eu cheguei a achar em um livro que dizia que era apenas contar quem você era, se o feitiço foi feito por principiantes e o ministério não sabe, significa que foi fraco o bastante para ser revelado dessa forma. – disse Hermione fazendo o loiro erguer uma de suas sobrancelhas em sinal de questão – Porque não fiz? – ela se alto perguntou pelo loiro que assentiu a sua pergunta – Porque e se não der certo? Eu vou sair de mentirosa e eu não sei, tenho medo.

– Cade a coragem grifinória? Herms eu estou pra morrer e mesmo assim não deixei de lutar pela mulher que amo, porque vai deixar seu futuro passar sem tentar? – disse Draco. Hermione não sabia o que dizer, tinha várias questões na cabeça no momento, mais ficou calada. – Se quiser, não sou o indicado, mais vou com você. Podemos tentar. O que acha? – perguntou

– Tenho que pensar Drake, ok? – disse Hermione recebendo um “eu entendo” do Draco – E obrigada por se indicar, vou pensar e lhe digo, mas você disse que esta lutando pela mulher que ama? Não seria doloroso para ela ver que você se foi depois? Não é egoísmo? – perguntou

– Herms, eu a amo mais que tudo no mundo e no fundo sinto que ela sabe disso, por isso vive fugindo de mim. - disse rindo e pensou "E como foge essa castanha" apenas para si. - Mas sim é egoísmo, eu sou egoísta quanto a ela, já a fiz sofrer demais e mesmo assim estou aqui tentando conquistar a única que pode dar sentido a minha vida. Eu sou todo errado e ela é tão certa, eu sou sempre o oposto a ela, mais sempre de um jeito ruim. Chega a ser engraçado o quanto ela é perfeita pra mim. Mas se eu desistir dela, o que me resta?- respondeu Draco – Por isso digo para correr atrás de quem se ama, por isso digo para ir atrás dos seus pais, sua família. Não é egoísmo nenhum nisso, você só esta tentando achar um sentido, um proposito para a vida. Do que adianta amigos quando só nossos pais nos compreenderiam em certas horas? – finalizou seu discurso e Hermione chorando de leve ouvindo atentamente tudo que ele dizia

– Nossa, não sabia que pensava assim Drake. Quem é essa mulher que fez você mudar tanto assim? – perguntou Hermione, a menina chorava baixo e lágrimas escorriam solitárias, uma a uma por sua face. Draco se levantou um pouco da maca e passou o polegar pelo rosto da menina e secou algumas lágrimas erguendo seu rosto ao dela.

– Esta tão obvio e só você não vê. – deu um sorriso triste de lado - Mas que tal fazermos um acordo. – Hermione parou analisando o que ele tinha a dizer - Nós tentamos trazer seus pais e eu te conto quem ela é? Combinado. – E por algum impulso ela aceitou, não sabia muito bem o motivo, mais aceitou. Ele também se sentia confuso quanto ao pedido e a resposta de sua castanha, mas ficou feliz, após uma ultima olhada lhe deu um breve beijo na testa e se deitou novamente na maca.



Notas finais do capítulo

E então??? Não falei que ia ser 100% dramione?
Xoxo