Story of My Life escrita por Alice natty


Capítulo 6
Capítulo 6


Notas iniciais do capítulo

Hey! Estou muito feliz com os comentários , tem bastante gente comentando e isso é muito bom ! To muito feliz ! Nós vemos nas notas finais
Boa Leitura



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/459110/chapter/6

Em meio a risos eles se beijavam despreocupadamente, era até interessante a forma como tudo estava ao contrário. Era hora de terem mais tensão, um ar de afastamento entre os dois. Guiou -a para o quarto e voltou ao trabalho .Suas mãos apertaram a cintura de Clary enquanto a ouvia suspirar alto, sua língua contornou o pescoço pálido dela. Fazendo-a estremecer por inteiro enquanto fechava os olhos com força. Seus dois braços fortes se apoiaram na parede quando a sentiu arranhar a suas costas, seus dentes mordendo seu lábio inferior. Seu estomago se embrulhando de tensão e suas novas marcas nas costas ardendo de uma forma excitante. As pernas dela entrelaçaram-se em sua cintura, enquanto as duas intimidades se roçavam fazendo os dois gemerem ao mesmo tempo. Jace a pressionou contra a parede com força, seus beijos indo de seu maxilar para sua bochecha, seus dentes mordendo o lóbulo de sua orelha. –Então você já esperava por isto? – Jace disse despreocupadamente, uma risada baixa que fez Clary sorrir. Clary desarrumou seus cabelos enquanto sentia os beijos descerem de seu pescoço para o seu ombro, seus olhos se fecharam enquanto sua boca ficava semiaberta ao sentir Jace movimentar lentamente seu quadril contra o dela. –Eu quase... Quase pensei que você tinha uma tendência homossexual – os dois riram, uma risada alta e contagiante por parte dos dois, provavelmente a única coisa que tinham em semelhança. Clary sentiu suas bochechas queimarem. Jace beijava seu colo inteiro, mordendo o lábio inferior ao beijar a parte dos avantajados seios da princesa. Clary fechou seus olhos enquanto processava todas as sensações em seu corpo, era aquele tipo de sensação que teve ao ver Jace , com a camisa colando-se ao seu corpo definido. Seus cabelos bagunçados e seu sorriso baderneiro. Com destreza e segurança o loiro trocou as posições, jogando-a contra seu colchão com falta de delicadeza, mas não rude em todo o modo. Suas duas mãos passaram pelas costas de Clary. Os olhos verdes faiscaram de uma forma que Clary nunca tinha visto antes, ela já os tinha o visto com desespero, raiva, mas desejo era muito mais gostoso para ela. Sentiu um nó em seu ventre, uma vontade imensa de ser tocada com destreza, sensações que a fariam ficar envergonhada alguns meses atrás. Os beijos de Jace subiram novamente, indo para sua bochecha enquanto sua mão passeava pela barriga lisa da ruiva, causando arrepios por todo o seu corpo. –Você tem certeza, lindinha? – ele sussurrou. Aquela voz sexy e rouca que deixava qualquer garota nas nuvens. Clary sorriu de lado. –Você está perdendo seu tempo perguntando – ela disse com um tom sexy que nunca havia usado antes, os olhos de Jace faiscaram novamente, a cintura fina dela fora apertada com força, de forma que ela sabia que acabaria tendo hematomas. Ele riu divertido enquanto beijava os seios de Clary despreocupadamente, como se tivesse todo o tempo do mundo para aproveita-los, beijou cada pintinha amarronzada que os cobria, chupando levemente os mamilos e ouvindo satisfatoriamente os gemidos altos dela. Ele beijou lentamente a sua barriga, passando o caminho molhado até o interior das suas pernas, os olhos dourados brilhavam divertidos e amistosos, enquanto os verdes escureciam de prazer e luxuria, algo que nunca havia sentido na vida. Clary gemeu baixo quando sentiu o beijo molhado por cima de sua intimidade. Suas bochechas ficaram ruborizadas como nunca a se ver tão exposta, mas de algum jeito ela se sentia muito bem, não era para ter aquele momento com outra pessoa senão ele. –Puta merda – murmurrou ela quando o sentiu pegar em seu clitóris entre dentes, puxou os lençóis sem nada mais a fazer enquanto sentia toda uma tensão em seu corpo, acanhando-a de uma forma que ela nunca havia sentido antes. Jace riu enquanto ouvia o palavrão sair da boca da princesa, aquela que sempre repreendeu tal ato, mordeu o clitóris dela com mais força que o normal, ouvindo outro gemido por parte dela que o deixou ainda mais animado. Sua língua contornou seus grandes lábios, brincando com os pequenos com certa indecisão, fazendo Clary se contorcer embaixo de seu corpo, olhou para ela com os olhos brilhantes e brincalhões, rebeldes. Ela retribuiu o olhar com ferocidade, sentia cada pedaço de sua pele queimando, em estado febril todo o seu corpo, e odiava ter que admitir que Jace talvez fosse o culpado por tudo aquilo. Quando ele a penetrou com a língua, ela sentiu estrelas pratas rodopiarem em sua visão, revirou seus olhos ao sentir sua língua quente e molhada a preencher, o cheiro de maresia ficar mais forte e o nó em seu ventre também. Gemia o mais baixo que podia, e mais alto do que achou que um dia faria, e quando chegou ao seu ápice, sentiu-se tão bem consigo mesmo, relaxou-se de uma forma tão boa enquanto os espasmos corriam por suas veias, zunindo em seus ouvidos, que ela só pode sorrir cansada e fechar os olhos pesados. Jace saiu de cima dela, sorrindo daquela sua forma maliciosa enquanto via os seios de Clary subirem e descerem com força. Jace riu enquanto beijava sua testa. –Ei, hoje é tudo seu – ele tirou a mão dela delicadamente de perto do seu membro – Eu só quero te dar prazer, porque você merece, então fique quieta que eu prometo que você irá gostar. Clary apoiou seu corpo pelas mãos, sentando-se confusa na cama. Em tudo que lia, e via, ela deveria no mínimo, retribuir o prazer. Jace respirou fundo porque precisava de ar então foi à janela do quarto, jogou seus cabelos para trás com a mão, provavelmente não queria sensualizar para a princesa, mas estava conseguindo, sabia que ela era virgem e não queria ser especial , era só uma noite afinal , não era? Mas ele sentia que era mais que isso , pensou enquanto andava de volta para cama . E Clary pode se deliciar com a visão de vê-lo inteiramente nu. Ele a deitou delicadamente contra o colchão, beijou seus lábios delicadamente e mordeu o inferior sem força, apenas o puxando para perto dos seus lábios. Roçou as duas intimidades lentamente enquanto via Clary revirar os olhos, ele tinha uma força sensacional, força muito grande que fazia para não enterrar-se nela e senti-la por completo. Entrou lentamente dentro da garota, apoiando as duas mãos cada qual de um lado do rosto da ruiva para não ir com força demais, os músculos retesados e forçados eram uma visão de toda sua masculinidade,Clary sentiu ser rasgada ao meio, uma lágrima querendo cair de seus olhos. Jace se aninhou em seu pescoço, sussurrando contra seu ouvido logo depois: –Eu nunca te machuquei, não será hoje que vou te machucar, só relaxe – disse ele indo com lentidão para trás e para frente, deixando-a se sentir acomodada e sorrindo de lado contra o seu pescoço quando viu o quadril dela se mexer com o dele, pedindo por mais contato. Uma fina linha de suor percorreu a testa do loiro, seus cabelos suados junto com todos seus músculos, um gemido sôfrego saiu de seus lábios ao senti-la tão apertada contra si, tão gostosa e desejosa. Era um pecado capital contra a sua vida, tinha um desejo por ela que nunca teve por qualquer outra garota. Era insaciável. E extremamente viciante . Clary e Jace respiravam ofegantes enquanto olhavam diretamente para o teto, apenas um fino lençol branco cobria o corpo dos dois que estavam deitados lado a lado, Jace sentia-se esgotado, mas ao mesmo tempo totalmente feliz. Ele virou a cabeça para a direção de Clary que fez isto na mesma hora. Os dois riram ao mesmo tempo e ela acabou encostando a cabeça em seu ombro, os cabelos bagunçados sobre a cama. –Obrigada – ela sussurrou enquanto fechava os olhos. Jace semicerrou os seus enquanto tentava esconder o riso. –Obrigada por quê? –Não seria tão especial quanto foi hoje se não fosse você –sussurrou , quase inaudível e beijou sua bochecha, um gesto doce e delicado numa noite não tão delicada assim – E você está sentindo? Alguma sensação viciante na ponta dos dedos? –Como se estivéssemos fazendo algo extremamente errado? – perguntou ele rindo, os cabelos loiros se espalhando ainda mais por sua testa. Clary assentiu com a cabeça, rindo também – Sim, estou sentindo. Entrelaçou sua mão na dele e apoiou sua cabeça em seu peito, sentindo-se protegida pelos braços fortes do loiro.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Oi amores ( de novo ) , espero que tenham gostado ! Posto o próximo quando eu tiver no mínimo 5 comentários , bjoos :D