Enemies and Lovers escrita por Mayy Chan


Capítulo 10
Clube e traição


Notas iniciais do capítulo

Gente esse capítulo está super grande, né? É que tinha muitas coisas pra resolver ainda e eu estava muito inspirada.
O motivo disso? A recomendação linda que eu recebi. Sim, eu dedico esse capítulo pra Agatha Chase, a linda que recomendou a fanfic e me encheu de inspiração. Agora é o seguinte: a cada recomendação que eu receber, eu vou superar o meu número de palavras. Eba! Todos ficam felizes. Então, agora podem esperar alguns capítulos maiores, queridos XD
Espero que gostem desse capítulo porque eu fiz com muito amor e carinho!
Boa leitura, queridos.
E sim, eu enchi esse de romance porque eu estava inspirada. Uhul! Só não teve beijo porque eu acho que está meio cedo.



Foi tão bom conversar com Percy aquele dia. Pena que eu meio que não consegui seguir as regras que ele me deu, pois eu meio que surtei quando o Luke veio falar comigo. Sabe aquela coisa que você sente no coração que te dá vontade de sair por aí gritado e dando chiliques tipo uma menininha boba de filmes?

Bem, eu estava mais ou menos assim. A única coisa ruim foi que a conversa não fluía entre nós, fazendo com que eu apenas falasse e ele ficasse ouvindo.

Só que hoje eu nem o vi. Talvez pelo fato de que são sete da manhã e eu estou indo para a escola, ou o fato de que ele não me ligou pra ver se eu tinha chegado bem igual ele prometeu.

Abro a porta para ir para a escola e tomo um susto.

— O que você está fazendo aqui, Percy?

— Acha mesmo que eu ia deixar me trocar, o seu grande namorado de mentira, por um cara loiro oxigenado e que você realmente namora?! Você não vai se livrar se mim tão cedo, querida.

— E eu nem quero, Cabeça de Alga. — dei um beijo na bochecha do moreno. — Sem você meu pai não vai me deixar sair, porque ele odeia o Luke.

— Ódio motivado ou gratuito?

— Motivado, mas eu não sei exatamente o motivo.

— É por isso que você gosta dele? Porque ele é um badboy ou sei lá?

— Não. Se o motivo fosse ser um delinqüente juvenil com sérios problemas de comportamento, eu estaria apaixonada por você, querido.

— Admita logo que é apaixonada por mim, Chase.

— Meu pai me ensinou que mentir é feio.

Ele riu e ficou falando um monte de besteira até chegarmos na porta da escola, onde ele se virou e falou:

— Quer fazer ele implorar por você aos seus pés?

— Fala o que eu tenho que fazer, e eu faço.

— Coloca esses óculos-escuros, — falou me entregando uma caixinha com o slogan do Ray Ban. — Tire essa blusa de frio e coloque essa minha. — e me entregou uma jaqueta de couro enorme que estava no banco detrás. — Sorria de lado, solte o cabelo e não olhe para trás.

— Por que?

— Porque você fica muito gata assim, querida.

Sorri, soltei o meu cabelo, coloquei a jaqueta e saí do carro com uma cara confiante, por mais que eu esteja quase fazendo xixi nas calças. E depois Percy chegou e atravessou meus ombros com os braços. Bem, isso foi só até chegarmos na metade da escola e Thalia me puxar para um canto.

— Amiga, deixa o seu namoro falso um minuto porque eu tenho que te contar um bafão!

— Conta!

— Adivinha quem me chamou para sair?!

— Eu não acredito que o Nico finalmente te chamou pra sair! É um milagre?! Eu achei que ele fosse tímido demais para chamar alguém para fazer qualquer coisa.

— E ele é. Eu tive que dar o meu impurrãozinho.

— Uhul! Uhul! Uhul! — falamos dando pulinhos e rodando igual aquelas menininhas frescas.

Qual é?! Toda menina tem o direito de ter os seus chiliques. Está no “Estatuto Feminino de Como ser Feminina e Usar Calça Jeans e Camiseta do Imagine Dragons ao Mesmo Tempo”! Tá que ele não existe, mas eu bem que queria que uma mente brilhante criasse logo um.

— Vocês meninas são tão bobinhas. Essa coisa de “ai, ele é um príncipe!” ou “será que ele me ama?” é tudo baboseira. Na verdade, todo menino é um ninja, e não um príncipe frufruzento. E, se um menino falar que te ama, ou ele te ama mais do que se é possível pensar, ou ele apenas está falando alguma coisa pra te calar a boca.

— Jackson, semana passada eu estava andando na rua e vi uma pedra.

— E daí?

— Ela era mais sensível que você, panaca.

— Cala a boa, Thalia.

Bem, talvez eu tenha me esquecido de falar, mas Percy e Thalia são primos de primeiro grau, o que faz com que eles briguem de meio em meio milisegundo. E Nico é meu primo, só que nenhum de nós é legal o bastante para poder brigar.

Eu queria ter um irmão mais velho pra brigar, mas acho que isso não vai rolar. Primeiramente porque é biologicamente impossível. Segundo porque irmãos brigam, e brigar me dá preguiça.

E depois disso eu parei de prestar atenção, porque a aula começou. E depois outra e outra. Até que terminaram todas e eu vi Percy vindo na minha direção.

— Vamos pra minha casa? Eu quero muito fazer alguma coisa hoje, mas meu pai não vai deixar se você não for junto. Vamos no clube? Eu passo na sua casa e espero você trocar de roupa, okay?

— Percy, eu odeio ir pro clube.

— Qual é, Annie? Sem neura! O Luke vai estar lá! Vamos, porque eu te garanto que vai ser legal.

Revirei os olhos e peguei na mão dele como se quisesse confirmar que eu, de fato, iria. Mas, diferentemente do que eu pensava, ele não me puxou e sim me puxou pra um abraço apertado.

— Você é a melhor garota que eu já conheci, pequena.

— Ei! Eu não sou pequena bosta nenhuma, okay? Sabia que eu já tenho um metro e cinquenta e dois?

— E dezesseis anos. E eu, com a mesma idade, já tenho um e oitenta e três.

— Ai como você é engraçado, Percy. — falei com ironia.

Só que ele não me respondeu, apenas entrou dentro do carro e partiu para a minha casa, onde eu peguei, biquíni, saída de banho, toalha, celular, protetor solar e meus óculos escuros. E, claro, falei para o meu pai que estava indo para o clube com o Percy.

Acredita que, ao invés de me dar uma lição de vida, ele me deixou arrumando no quanto e foi conversar sobre futebol com o cara que ele acha ser meu namorado? Achei que pais eram mais... sei lá! Pais?

Desci das escadas e fui recebida com um Percy sorrindo pra mim.

— Vamos, Annie?

— Claro.

Me despedi do meu pai e fui em direção a mansão Jackson ou sei lá o que aquilo seja. Eu só sei que, o que antes eu achava ser apenas uma casa onde ricos podem fazer suas riquices, eu aprendi a gostar daquele lugar. E, de fato, gostar muito.

Talvez seja Sally e sua doçura, ou Tyson com sua inocência e felicidade, ou Poseidon que eu achava ser um cara sério mas que não passa de um cara brincalhão, ou até mesmo Percy que sempre está do meu lado fazendo uma piada sem graça. Ou talvez seja tudo isso e mais a forma com que eles tentavam me colocar dentro da família. Nem acredito que daqui há um tempo eu vou ter que abandonar tudo isso e dar tudo de graça pra Drew.

Nós entramos de mãos dadas e ele me deixou na sala com um beijo no rosto falando que ia se arrumar. E, bem, eu meio que corei porque toda essa geração Jackson estava na sala.

— Annie! Você e meu irmão vão pro clube?

— Sim, Ty. Quer ir junto?

— Posso ir, mamãe? — pediu o garoto para a mãe.

— Tyson, o seu irmão quer curtir a namorada dele. E aposto que ela também não vai querer ficar fazendo castelinhos no parquinho com você hoje, porque ela está cansada da escola.

— Tudo bem, mamãe. — falou o garoto com uma voz meio triste.

— Olha, Tyson, que tal se a gente fosse todo mundo junto amanhã, hein?

— Tá! — respondeu o garoto animado.

E, quando eu me virei pra trás, meu coração acelerou completamente. Não era atoa que Percy tinha a fama de ser o cara mais gato da escola. Sempre que eu o via, ou ele estava com calça jeans, All Star e camiseta de banda, mas ver ele de bermuda, chinelo e camiseta normal meio que fez meu coração disparar.

Eu estava com um uma saída de banho azul e um biquíni rosa bem clarinho bem fofo que eu ganhei há um bom tempo mas nunca usei. E claro, cabelo solto e a bolsa de levar pro clube. Cara, se eu saísse com ele iam pensar que eu era a menina mais sortuda do mundo e eu ia chamar muita atenção! Isso não pode acontecer!

Sorri para ele enquanto ele vinha na minha direção.

— Vamos? — falou pegando na minha mão.

— Claro.

E, assim como eu fiz em casa, ele se despediu dos pais. Só que, dessa vez, eu não ia deixar o assunto acabar tão cedo.

— Por que você nunca me disse que era tão gato?

— E por que você nunca me contou que existe uma pessoa até bonitinha por debaixo da blusa de moletom?

— Idiota.

— Já passou protetor solar? Sua pele é tão clarinha, que eu aposto que não pode passar muito tempo no Sol.

— Desde quando você se preocupa comigo, Jackson? Bem, sim, eu passei. Mas o problema é que eu não achei meus óculos escuros.

— Você gostou dos que eu te emprestei mais cedo?

— É claro. Eles são lindos, e aposto que vão ficar ainda mais lindos na Drew. Bem, eu te ajudei a escolher, então eles tem que ficar bonitos porque eu tenho bom gosto.

— Pode ficar com eles então.

— Está louco?! Esses óculos custaram mais do que a minha mensalidade na escola! Eu não posso aceitar. Esse é um presente digno de se dar pra uma namorada, e não uma...

— Minha melhor amiga que tem um namoro falso comigo e que, por mais que seja uma CDF de carteirinha, não se importa em trocar uma tarde de estudos pra ficar andando por aí comigo. Fora que você fica bem melhor com eles do que a Drew jamais ficaria.

— Então eu agradeço. Mas não pense que vai ficar assim não, Jackson.

Ele riu e nós entramos no clube. E, antes mesmo de nadarmos, ele passou em uma barraquinha e comprou dois açaís para nós dois.

Quando chegamos na piscina, ele de repente parou de rir e ficou encarando sei lá o que. Olhei na direção e entendo o motivo de tudo.

Eu odeio a Drew com todas as minhas forças. Aquela nojenta insiste em fazer isso com o Percy, e tudo que eu queria agora era voltar para mais cedo e falar que não queria vir. Mas se bem que ele finalmente descobriu a verdade. Apenas temo o que ele pode fazer com isso.

Drew estava beijando o Luke. Na cara dura mesmo, sabe? Uma típica cena de agarração e tudo mais.

E eu não sentia nada. Não sei se eu estava com mis raiva de ver o Luke beijando a Drew depois de ter me dado tanta corda ontem a noite, ou o fato de Percy, meu melhor amigo e um dos caras que eu mais gosto no mundo, estar sendo traído em um lugar tão público.

Percy soltou retirou o meu braço que estava enroscado no dele, e partiu para cima do Luke. Sim, eu estou dizendo que ele socou ele no meio da cara. Mas, ao invés de revidar, o loiro apenas disse sarcástico:

— Está com medo porque eu roubei a sua namoradinha, hein: Achei que você já soubesse que ela já te traiu com todo o time de futebol.

— EU não ligo pra o que a minha namorada andou fazendo com todo o time. Tudo que eu me importo é que você não presta nem pra fingir que é homem de verdade. Sabia que Annabeth Chase realmente gostava de você?

— E daí?

E aí eu desabei. Percy me defendendo e Luke não ligar para o fato de eu, antigamente, gostar dele foi a gota d’água. As coisas estão tão trocadas. É como se o mundo tivesse virado de cabeça para baixo de repente.

O meu vilão virou o herói e vice-versa.

— E daí? E daí que ela é simplesmente a melhor garota que você vai ter a chance de chagar perto! Ela é linda, inteligente e ainda por cima não está nem aí para o que os outros pensam. Em todos os momentos ela é apenas ela e isso é impressionante. E sabe o pior? Com todas as qualidades do mundo, ela foi se apaixonar logo por você, um cafajeste que não está nem aí pra nada. O bom é que ela é areia demais para o seu caminhãozinho, perdedor.

— Defendendo a namoradinha nova?

— E se ela for? E daí? Ela é incrível e a melhor companhia que eu já tive em toda a minha vida. Diferentemente na minha “ex” namorada, que eu acabei de descobrir que é uma piranha, ela gosta de ouvir o que eu falo e não tem medo de me contrariar. Mas não, ela não é a minha namorada e sim a minha melhor amiga. E, se um dia, ela voltar a gostar de você e você fazer alguma merda outra vez, eu juro que arrebento seus ossos.

E agora sim eu queria chorar. Meu coração estava mais confuso que nunca. Eu não sabia o que fazer, até que eu senti Percy me puxando pela mão e falando que nós tínhamos que ir embora.

Só que eu não podia deixar as coisas assim. Ele me defendeu no meio de um clube cheio de gente e tudo que eu ia fazer é fingir que nada aconteceu?

Fiquei na ponta dos pés e o abracei o mais forte que pude, recostando a minha cabeça em seu pescoço com um pouco de dificuldade.

— Você é o melhor inimigo que eu já tive em anos. E, provavelmente, o melhor namorado falso do mundo. Eu nunca vou te abandonar.

— E você, Chase, é melhor selecionar melhor suas paqueras, se não eu juro que vou arrebentar a cara de qualquer cara que quebrar o sue coração mais uma vez.



Notas finais do capítulo

Gente, eu resolvi fazer uma votação. Quem aí acha que já está na hora de eles se beijarem é só falar. E se não é só falar também.
Espero que tenham gostado igual eu gostei.
Beijocas, Mayy