Meu Melhor Presente escrita por Manu Pontes


Capítulo 1
Meu Melhor Presente - Capitulo Único


Notas iniciais do capítulo

^^



Meu Melhor Presente..
 

Ele estava andando, na verdade correndo por entre as árvores, indo em direção ao lugar em que seus pés lhe guiassem. Estava pensativo, sentia um vazio dentro de si, sentia o mundo pesado sobre suas costas, sentia saudade de algo nunca percebido, sentia algo que nunca sentira, só não sabia realmente o que sentia.

Após cerca de trinta minutos correndo, ele parou e um sorriso meio triste e feliz surgiu entre seus lábios. Justamente ali seus pés lhe trouxeram, que destino era aquele que o levava sempre ao mesmo lugar, que sempre o levava ali, ao campo de treinamento do time 7.

Bons tempos, era feliz, mesmo sendo um moleque ninja hiperativo e cabeça oca, mesmo suas brigas e disputas com Sasuke, suas brincadeiras e berros com Kakashi-sensei e até a época em que discutia com Sakura por ciúmes.

Depois de tudo os anos se passaram, o time se separou. Cada um seguiu seu caminho, um até tentando cortar o sentimento tão resistente quanto uma montanha, o laço de amor, o laço de amizade entre aquele time, time 7.

Mas com esforço e persistência, seus integrantes se uniram novamente, se tornaram mais uma vez “um”. Suas forças e sua coragem, juntos conseguiram selar o ódio que corrompia os corações puros do mundo.

Hoje ele era o que mais desejou ser, hoje ele era Hokage, o Hokage de Konoha. Sua Vila, a Vila onde nasceu. Onde sorriu, chorou, mostrou toda a sua determinação, sua persistência em ser alguém no qual todos admiram e confiam. Hoje ele era o exemplo!

Exemplo, o mesmo exemplo que seu pai sempre fora à ele, mesmo sem saber de seu laço sanguíneo para com o eterno herói, Yondaime, Namikaze Minato. Seu pai, o Hokage mais aclamado da Vila, o homem que confiou nele mesmo ele sendo um bebê, confiou à ele a besta, a temível Raposa de Nove Caldas. Confiou nele a segurança da Vila, principalmente a segurança de seus habitantes. O pai que confiou nele.
Mas hoje, depois de tantas batalhas, perdas e vitórias, seu sonho realizado, mesmo após tudo, se sentia vazio. Hoje, o dia de festa entre os cidadãos de Konoha pelo aniversário de seu herói, de seu Hokage, do seu ninja hiperativo e cabeça oca. Hoje aniversário dele, Uzumaki Naruto todos comemoravam, todos os seus amigos que sempre estiveram ao seu lado, todos que se orgulhavam do homem forte e gentil que se tornara, todos estavam juntos e alegres por ele.

Mas ele, Uzumaki Naruto se sentia vazio. Não imaginara sentir-se assim depois de tudo, mas ele se sentia. E por quê? Porque havia sido um idiota. Havia assinado a carta de sua própria dor, a dor de seu coração.

Como podia ter feito aquilo? Dez meses sem notícia alguma. Sem nada que demonstrasse que estava tudo bem. Como podia ter concordado com tal decisão. Naquele tempo não sabia que estava si auto-destruindo.

- Como pude deixá-la ir? Baka! Ela estava sofrendo por você, e hoje você sofre por ela.

No dia em que deveria estar sorrindo como nunca, estava triste. Sentindo de novo o gosto amargo da solidão.

Os minutos se passaram, e com ele as horas. Não queria sair dali, não queria ver ninguém. Mas o que poderia fazer? Ninguém era culpado por ele ter aceitado que ela fosse embora, fosse treinar fora de Konoha. Longe de todos os amigos, família, longe dele.

- Sinto tanto a sua falta. Como nunca pensei sentir.

Ele não imaginara a falta que a mulher tímida, de pele albina, cabelos negros azulados, olhos perolados tão marcantes. Não imaginara a falta que tal doce anjo em sua partida teria levado consigo seu coração, deixando em seu lugar o vazio.
A brisa fresca trouxe a chuva de folhas das árvores de cerejeira, trouxe o perfume das flores e o sol que se despedia com um adeus lento e magnífico. Entre o encanto da tarde que se esvaía, um perfume fora notado. Um perfume suave de pétalas de flores, flores diferentes das quais ali tinham, não que o loiro fosse um perito em flores, como os Yamanakas, mas aquele perfume, esse perfume ele conhecia, reconheceria não importasse onde estivesse.

- Será que estou ficando louco?

Seu corpo se virou hesitante, com medo de tudo ser somente a sua imaginação. Agora de frente, seu sorriso adormecido se mostrou ao ver tal cena. Ela realmente estava ali.

- Hi-Hinata?!

- Na-Naruto-k-kun, tu-do bem?

O loiro estava encantado. Linda, a dona de seu coração estava cada vez mais linda. E melhor estava ali, agora tão perto e tão longe, pois, uma distância ainda atrevia-se a estar entre eles. Mas Naruto não pararia por essa simples e incômoda distância. Logo, o loiro estava abraçado à Hyuuga que lhe tirava o sono à dez meses.

Hinata ficou imóvel, não esperava aquela reação do loiro. Sem perceber seu rosto estava molhado por lágrimas. Sentira tanta falta da Vila, dos amigos, da família. Acima de tudo de Naruto que agora a abraçava de uma forma tão carinhosa, que em meio as lágrimas sua face ainda corava. Hinata retribuiu o abraço do Uzumaki.

Naruto sentindo as lágrimas da morena, sussurrou em seu ouvido.

- Não chore, onegai, Hina-chan!

Hinata sentiu um arrepio lhe percorrer a espinha provocado pelo sussurro e a respiração quente em seu pescoço. Sentiu ele lhe afastar um pouco. Naruto com um dos braços envolveu a cintura de Hinata. Aproximou suas faces, viu ela corar ainda mais, sentia falta de vê-la vermelhinha por estar perto dele. Aproximou-se mais, e com o roçar dos lábios secou as lágrimas da Hyuuga.

- Eu senti tanta a sua falta.

- Na-Naruto-kun..

- Hinata, me perdoe por nunca ter percebido.

Hinata engoliu em seco. Sentiu medo. Será que ele sabia? Não!

- Eu.. E-eu..
- Shiii.. Eu tenho que lhe dizer algo.

- O-O quê?

- Eu sei que sempre fui um baka, um tapado por não perceber o que sempre esteve na minha frente, em mim. Mas eu aprendi a enxergar e da pior forma. Mas o resultado foi algo tão puro, tão simples e esplêndido.. Hinata, eu te amo..

Naruto confessou fitando os orbes perolados que demonstravam surpresa com que ele acabara de dizer. Hinata demorou cerca de quinze segundos para reagir, os quinze segundos mais torturantes do loiro. Sua face ficou corada, sua respiração descompassada, mas um sorriso surgiu de seu lábios, um brilho contagiante surgiu em seus olhos. Tudo. Cada detalhe de reação da Hyuuga, Naruto acompanhou um tanto nervoso e feliz.

- Eu te amo.

Ele repetiu, queria dizer que a amava, mil vezes muitas mais.. Aquilo era tão bom de se dizer, e muito melhor de se sentir.

- Eu também te amo, Naruto-kun.

Ela não gaguejou, em seus sentimentos pelo Uzumaki não havia dúvidas ou insegurança pela veracidade, o amava, sempre o amou, e sempre o amará.

Naruto ouviu o mais doce e suave som lhe atingir, dando-lhe uma paz e alegria, que sempre desejou realmente sentir. E ele não teve dúvidas quanto ao que ouvira e nem quanto ao que sentia. Ele já não sentia mais o vazio, ele sentia amor.

Ele a beijou, um beijo terno, carinhoso, transbordando amor. O amor deles. E ela correspondeu. Mostrando um ao outro o quanto se amavam em gestos, dos quais se repetiriam pelo resto de suas vidas.

Após se separarem do longo e mágico beijo, Hinata com um lindo sorriso fita os lindos olhos azuis.

- Naruto-kun, feliz aniversário!

- Obrigado.. Obrigado pelo meu melhor presente.

- Hun?

- Você é o meu melhor presente.

Ele a beija mais uma vez. A partir daquele dia seu aniversário seria eterno, junto ao seu melhor e eterno presente.

Fim..


Notas finais do capítulo

'Espero que gostem.. ;D
Deixem reviews..

E me desculpem qualquer erro..
e também pelo enredo não ter ficado muito bom.. ^^


FELIZ NIVER NARUTO-KUN!! ;D