Fire and Ice escrita por Rayssa


Capítulo 8
Natal


Notas iniciais do capítulo

Quero agradecer a linda NannyHutcherson por ter favoritado a fic :3 Espero que gostem..




A’Toca estava como deveria estar, totalmente decorada e cheio de pessoas, como todos os anos, era um costume dos Weasley fazer uma festa de Natal para família e amigos. Quase todos já estavam lá, “todos” os Weasleys, os Scamalders, os Longbottoms, os Lupins, os Malfoys, Shacklebolt, McGonagall, Hagrid, só faltava os Potters, o que não era nenhum surpresa. Logo vovó Molly e vovô Arthur estavam a nossa frente, nos cumprimentando.

– Feliz Natal Rose, você está linda. – minha avó sussurrou e eu a abracei.

– Feliz Natal e obrigada vovó, a senhora também. – apesar da idade avançada, ela era linda, seu interior era tão belo que refletia e seu exterior, deixando-a mais bela ainda.

– Oh, não precisa mentir para me agradar. – ela piscou para mim, e foi em direção ao Hugo, antes que eu pudesse dizer que não era mentira.

– Feliz Natal rosinha. – Arthur arrumará esse apelido para mim desde que eu nasci, e assim ele me chama sempre, sem exceção.

– Feliz Natal vovô. – abraçamo-nos, senti duas mão em meus ombros.

– Os anos passam, mas você tem a mesma altura desde que entro em hogwarts. - virei-me e o fuzilei com o olhar.

– Eu cresci bastante desde o primeiro ano. – suspirei, Fred revirou os olhos.

– Rosinha! – ele me repreendeu. – você precisa ter senso de humor, não sejas assim. – então, cruzou os braços em sinal de chateação, revirei os olhos.

– Sabe que ela não tem senso de humor, e ainda ficar fazendo gracinhas. – Roxanne deu um tapa na cabeça dele, o que me fez gargalhar. – A propósito, Feliz Natal Rose.

– Com isso você rir. – bufou. – Deixa eu contar para o papai que você namorou o James, dai a gente vê se você rir Roxie. – a morena arregalou os olhos, e me deu um súbita vontade de rir, controlei-me.

– Feliz Natal Rô. – Lucy estava atrás de mim, um sorriso doce em seus lábios, se não a conhecesse, diria que era a Lily, elas eram muito parecidas em tudo.

– Feliz Natal Lucy. – abracei a minha prima, que mesmo sendo dois anos mais nova que eu, era mais alta. – Onde está a Lily? – ela deu de ombros.

– Não sei. – sua voz soou ríspida, o que era estranho, ela e Lily eram melhores amigas desde sempre, franzi o cenho, mas, ignorei.

– Huum... – murmurei me afastando, duas mãos agarram minha cintura, abraçando-me por trás, e os lábios desse alguém tocaram a minha bochecha, eu sabia quem era, reconheceria aquele cheiro em qualquer lugar,

– Feliz Natal pequena. – ele soltou-me e me virei em direção a ele, Lanna estava ao seu lado.

– Feliz Natal Scorps. – fiquei na ponta do pé para poder beijar sua bochecha, e fui em direção a Lanna. – Feliz Natal Lanna. – abraçamo-nos.

– É incrível como você fica pequena ao lado do Scorpius, ele quase teve que ficar de joelha para beijar sua bochecha, e mesmo de ponta de pé, você não alcança a bochecha dele, ele tem que se abaixar. – Lanna ria, eu revirei os olhos. – Isso é fofo. – dei de ombros.

– Ela é incrivelmente pequena, não entendo isso. – Lanna gargalhou.

– A menor garotinha da família... – isso era, infelizmente, verdade.

– Não precisa ficar me lembrando disso tempo todo. – bufei, isso era irritante, não gostava de ser pequena.

– Feliz Natal pessoas. – ouvi a voz de Albus atrás de mim, e encarei Lanna preocupada, ela apenas virou-se e saiu, quando olhei para trás, ao lado de Albus estava Emily Frozen, isso só significava uma coisa, agora era oficial, Albus Potter estava namorando.

– Feliz Natal Albus, Frozen. – acenei com a mão.

– Feliz natal Al. – observei o loiro acenar para o melhor amigo, e depois abraçar a garota. – Ems, você está linda, feliz natal. – aquilo me deixou irritada, muito irritada, mas, o que me deixou mais irritada foi o que ele fez a seguir, segurou a mão da garota e a beijou, logo em seguida beijando a sua bochecha.

– Eu vou atrás da Lanna. - sei que minha voz saiu de uma forma desagradavel, pois os olhos dos três caíram sobre mim, senti meu rosto ficar vermelho, mas antes que eles pudessem ver, sai em andando/correndo atrás de Lanna.

– Rose... – antes que eu pudesse chegar, Teddy segurou meu braço, parando-me.

– Oi? – suspirei.

– Podemos conversar agora? –olhei ao meu redor, ninguém havia notado, então, assenti. Saímos da casa, e andamos o suficiente para ficarmos escondidos dos demais.

– Teddy, se é para me pedir a mesma coisa do ano passado, desista. – tudo bem que eu estava pensando em considerá aquela opção, mesmo assim, não era o certo, era egoísta de minha parte.

– Rose, olha. – ele segurou as minhas mãos. – Quando tomamos aquela decisão, você tinha medo, e não queria que as pessoas vivessem com pena, esperando que você sabe o que fosse acontecer a qualquer momento. – eu assenti, era verdade. – mas agora, você sabe que vai acontecer e será breve... – suspirei – se não vai fazer o que eu te pedi, pelo menos, deixe que eles saibam. – senti meus olhos encherem de lágrimas.

– Teddy, eu não posso. – encarei o chão. – Eu os amo de mais para conseguir passar por isso, e eles nunca deixariam que eu fizesse isso. – senti sua mão em meu ombro, e deixei que meus olhos subissem.

– Rose, se você acha que as coisas seriam difíceis para você, lembra de tudo que aconteceu com a Nique, lembre do que eu passei com a Vick por isso. – eu suspirei, e ele me abraçou, deixei que as lágrimas descessem pelo meus olhos.

– Eu não aguento mais chorar, faz quatro anos que eu choro por isso, eu só queria que simplesmente acabasse logo. – ele apertou-me contra si.

– Não fale isso Rose, nunca mais. – meu coração fazia um peso forte de mais no meu peito.

– Desculpe-me, mas você não sabe o que é estar em meu lugar, simplesmente não sabe. – bufei.

– Rose... – soltei-me de seu abraço e o encarei. – Esquece. – suspirou – vamos abrir os presentes, depois conversamos, ok? – assenti, e caminhamos lado a lado para dentro dA’Toca, ao adentrar, fui em direção a cozinha, enquanto ele, acredito eu, voltava para a Victorie, mal coloquei os pés na cozinha, vi uma cena nada agradavel, Lorcan estava dentro das pernas de Lanna, que estava sentada sobre a pia, eles se beijavam e as mãos de Lorcan estavam na bunda dela, eu fiquei parada por alguns segundos, e foi pensando na possibilidade de Frank, tio Nevy ou Luna adentrarem ao local, que eu me pronunciei.

– Lanna, você enlouqueceu? – a garota a minha frente empurrou o menino, e ficou de pé rapidamente.

– Eu não acredito que eu fiz isso. – ela arrumou a roupa e o cabelo. – Eu vou te matar Lorcan. – notei uma marca escura no pescoço da minha amiga.

– Ahn, Lanna... – ela encarou-me e eu apontei para o seu pescoço. – Você está com um chupão. – seus olhos se arregalaram, e ela voou em cima do loiro.

– EU VOU TE MATAR SCAMALDER, EU JURO! – eu corri até os dois, e puxei a Lanna.

– Calma gatinha... – ele riu, aquilo para ele era uma piada, agora, se fosse outra garota, eu sabia que não seria assim, foi então que senti a falta dela perto dele, franzi o cenho, mas nada perguntei. – Logo desapareci. – piscou para ela, aproximou-me perigosamente, eu achei que Lanna fosse voar no pescoço dele. – Te vejo na sala linda. – então, ele saiu, deixando-no sozinha.

– O que você pensa que está fazendo? – ela bufou.

– Nada, esquece. – empurrou-me de leve e saiu, eu respirei fundo, o que merda tinha sido aquilo tudo? Até onde eu sabia, ela nunca o beijaria.

– Finalmente te achei. – a voz do meu pai me tirou do transe, virei-me e ele sorriu. - Vamos abrir os presente, vem. – ele falou e eu o segui, sem falar nada, ao chegar lá, fui para o lado do Scorpius.

– Hey pequena... – ele chamou e eu o encarei. – Uou, você está bem? – ele parecia preocupado, eu assenti. – Você está pálida, tem certeza que está tudo bem?

– Tenho sim. – parei de falar por ai, ele passou o braço pelos meus ombros e me aproximou de si.

– Se tiver qualquer coisa, qualquer problema, pode contar comigo Rose, você já sabe. – sussurrou, isso meu deu vontade de chorar, eu não podia simplesmente contar, e isso machucava bastante, Scorpius estava sendo uma pessoa maravilhosa em minha vida, e guardar um segredo tão grande dele era terrível de minha parte, eu não merecia ser sua amiga. Eu apenas assenti. A troca de presentes começou, e no final, eu havia ganhado vários presentes, incluindo um livro de feitiços avançados, do Teddy, um kit de penas de fênix, mamãe, um novo par de tênis (all star), papai, e um colar com um pingente de pedra, Scorpius.

– E ai, gostou? – o loiro sorria, olhei para cima e vi que ele colocava o gorro que eu o havia dado de presente, era um presente ridículo, só que, quando eu vi esse gorro, lembrei que ele tinha um igual quando mais novo, e ele amava aquele gorro, nunca soube o que aconteceu.

– Adorei. – sorri. – e você? – seu sorriso foi malicioso.

– Alguém tem boa memória, não é? – eu corei instantaneamente, ele beijou a minha testa. – Eu amei pequena. – ele hesitou antes de continuar. – esse pingente é especial. – franzi o cenho. – a sua pedra muda de cor de acordo com o que você sente. – olhei para o pingente e esse estava amarelo, isso significava felicidade.

– Eu estou muito feliz então. – o loiro assentiu.

– Está sim, você me ama. – eu ainda olhava para o pingente percebi que este ficar cinza, eu estava com vergonha.

– Amo ninguém ai. – coloquei a mão sobre o pingente para esconder o que ele mostrava, esse pingente iria me colocar em maus lençóis, enquanto conversávamos havíamos começado a andar, e eu só havia notado agora, pois senti o frio em meus braços, estávamos do lado de fora.

– Sabe por que eu te dei isso? – neguei com a cabeça. – Porque agora você não vai mais poder mentir para mim. – corei instintivamente.

– Como se você precisasse desse pingente para descobrir. – deu de ombros. – você me conhece como ninguém aqui. – olhei de soslaio para ele, e percebi um sorriso brincando em seus lábios.

– Sim, conheço mesmo. – eu voltei a olhar para o chão, só quando uma coisa quente pousou sobre os meus ombros é que eu percebi que tremia, olhei para Scorpius, e esse havia me dado o seu casaco.

– Você vai congelar. – sussurrei, ele deu de ombros.

– Menos que você, pode ter certeza. – quando encarei os olhos de Scorpius, eu percebi algo que antes não estava lá, um brilho diferente, eu não sabia que sentimento era aquele, era algo que eu não estava acostumada a ver nos olhos dos outros, eu conhecia aquele olhar, já havia visto ele nos olhos de alguém, só não lembrava exatamente o que era, fosse o que fosse, deixou seus olhos mais bonitos que o normal.

– Obrigada. – sussurrei puxando o casaco para cobrir mais o meu corpo, sem tirar os olhos dos seus.

– Não precisa agradecer. – a mão de Scorpius tocou minha bochecha. – Você é linda Rose, a garota mais bonita que eu já conheci. – eu tenho certeza de estar corada, entretanto, eu não ligava muito para isso, nossos rostos estavam muito próximos um do outro, nem ao menos prestei atenção no meu coração batendo acelerado, muito acelerado, eu só queria acabar com o espaço entre o meu rosto e de Scorpius, mas como se o destino conspirasse para que não desce certo, eu senti minha visão escurecer, e perder o equilíbrio, foi só alguns segundos antes de me entregar a inconsciência que percebi o quão idiota e estupida eu era.



Notas finais do capítulo

E ai? Curtiram? Tão pensando em me matar? O que será que aconteceu com a Rose? Sobre o que Teddy e Rose conversavam? Palpites? :x