Fire and Ice escrita por Rayssa


Capítulo 25
O grande dia


Notas iniciais do capítulo

É curtinho, mas, é importante mesmo DDDDD: Espero que gostem sz




– SCORPIUS! – arregalei os olhos com o susto, meu coração acelerou, e eu já estava me levantando para pegar a balinha-poção, quando ele me entregou uma. – Obrigada. – sussurrei, enquanto colocava a mesma em minha boca.

– Desculpe-me. – esse sussurrou, não parecia muito bem, estava com olheiras e o cabelo totalmente assanhado.

– Oh, não precisa se preocupar, você não estava em seu estado normal. – ele negou com a cabeça.

–É só que... – ele respirou fundo. – De todas as pessoas no mundo, Peter é a única que me faz ter medo de te perder, vocês dois tem tanto em comum... – ele se sentou em minha cama e eu me aproximei mais. – Me deixou tão assustado, porque, eu não quero perder você. – coloquei as minhas mãos em seus rosto, e encostei nossas testas.

– Eu te amo Scorpius, e você não vai me perder. – sussurrei e logo nossos lábios se tocaram com leveza, em um beijo doce e paciente.

– Você promete? – ele perguntou assim que nossos lábios se afastaram. – Promete que após essa cirurgia nós vamos continuar juntos? Que vamos nos casar, criar toda uma família e vida juntos? – assenti, antes de selar seus lábios mais uma vez.

– Prometo. – desci minha mão de seu rosto, pelo seu braço, até a sua mão. – Para sempre. – disse enquanto segurava sua mão.

– Para sempre. – ele confirmou, e apertou a minha mão com mais força.

{...}

Lá estava eu, tudo pronto e em poucos minutos, eu entraria na sala de cirurgia. Não haviam muitas pessoas ali, meus pais, Hugo – que foi liberado da aula, Scorpius, Draco, Fred II, Lanna e Albus. Não queríamos que viesse muita gente, já que não havia muito espaço.

– Essa cirurgia dura quantas horas mesmo? – uma voz conhecida surgiu, e logo encontrei um Teddy sorridente.

– Você veio. – levantei-me rapidamente e o abracei fortemente.

– Claro, eu disse que faria todo o possível para estar aqui, e, bem, consegui que o Frank trocasse de turno comigo. – ele me apertou contra si, e quando nos soltamos, beijou a minha testa.

– Obrigada Teddy, isso é muito importante para mim. – ele piscou para mim.

– Eu sei mocinha, eu sei.

...

Já era quase a hora, meu pai havia me abraçado pela milionésima vez, assim como minha mãe, e todos os outros. Scorpius estava segurando a minha mão, e em seu rosto estava um daqueles sorrisos gentis.

– Psiu. – sussurrei para que ele se aproximasse. – Lembre-se da promessa. – beijou a minha testa e apertou mais a minha mão.

– Vou aguarda ansioso por isso.

X

Rose já estava na sala de cirurgia havia um tempo, e quanto mais tempo passava, mais inquieto eu ficava. Fred II tentava, de todas as formas, animar o pessoal, mas, ninguém estava muito interessado em falar.

– Quer tomar um café? – ouvi a voz de Ron e virei-me para olha-lo. – Eu acho que seu pai precisa de um. – ele sussurrou e apontou com o queixo para o meu pai, que parecia muito cansado. Assenti e fui em direção ao meu pai.

– Pai... – ele me olhou com aqueles olhos pesados. – Vem comigo. – após todo aquele tempo no mundo trouxa, eu aprendi que café é uma maravilhosa que os bruxos deveriam tomar também.

– O que? – meu pai realmente estava cansado.

– Vem aqui. – disse enquanto me dirigia a máquina.

– O que é isso? – era normal que ele estivesse confuso, então, sorri e acionei a máquina.

– Isso se chama cafeteira, é um objeto trouxa, usado para fazer café. – ele assentiu e depois sorriu derrotado.

– O que é café? – tirei a xícara do local, e coloquei outra lá, acionando-a novamente.

– Eu sei que vai parecer ruim... – entreguei o copo a ele, que encarava o copo com um olhar analítico.

– Eu não vou tomar isso. – ele estendeu a xícara para mim.

– Melhora muito o cansaço, prometo a você. – meu pai suspirou, desistindo de tentar me convencer a não tomar. Ao mesmo tempo que tirei minha xícara da máquina, ele levou a dele ao lábios, tomando um gole curto e fazendo uma careta.

– Isso é ruim. – neguei com a cabeça.

– É muito bom, continua tomando que acostuma. – meu pai revirou os olhos, e tomou um longo gole, fazendo com que o mesmo se engasgasse e começasse a tossir. Coloquei minha xícara no balcão e tentei ajudar ao meu pai.

– Isso é horrível. – disse por fim, deixando o resto do café sobre o balcão e dando de ombros. Peguei o meu, e comecei a toma-lo. – Então, ansioso para que a Rose saia? – assenti, encarando o chão. Ah, se ele soubesse... – Ela finalmente vai poder ser jovem. – quando levantei o rosto, ele estava sorridente.

– É, finalmente. – ele passou o braço pelos meus ombros. O que meu pai queria com isso?

– O bom de ser jovem é que, se você toma alguma decisão estupida ou precipitada, você ainda tem o resto da vida para corrigi seu erro. – então, piscou para mim, como se dissesse: “Toma alguma decisão estupida, porque, se houver arrependimento, você pode resolver isso.” Espera um segundo, não, meu pai não está querendo que eu me case com a Rose após isso, está? Franzi o cenho e ele sorriu.

– Pai, você... – negou com a cabeça.

– Suas decisões idiotas, não as minhas. – seu sorriso se tornou malicioso. As coisas estavam realmente melhores entre eu e meu pai, e era divertido ter esse relacionamento pai e filho que eu nunca tive. Eu tinha que agradecer a Rose por isso.

– Valeu pai. – meu pai levantou as sobrancelhas e fez o caminho de volta até o pessoal. Eu terminei de tomar meu café, e logo fiz o mesmo.

Eles pareciam mais animados agora. Fred II e Teddy contavam um história engraçada, sobre um jogo de quadribol onde Fred, James e Albus jogavam contra Teddy, Frank e Lorcan. Riam de como Frank era uma negação nesse jogo, e muitas piadas estavam sendo trocadas, até Albus deixar o clima desconfortável com uma piada sobre Lanna.

– To desejando uma pizza. – foi o que ela falará para receber uma resposta desagradável.

– Por isso que tá engordando, do jeito que tu tá comendo. – brincou o garoto. – Não é para menos. – a garota deu um belo tapa no braço dele.

– Quanta delicadeza Potter. – ouviu-se a voz de Fred, ninguém mais ousava começar a falar, nem mesmo Lanna.

– Qual foi? É um fato, todo mundo percebeu que Lanna está mais gorda. – a anta disse mais uma vez. É óbvio que ela estava mais gorda, todo mundo podia ver, mas esse tipo de assunto estava proibido, todo mundo sabia. Lanna e Davies haviam acabado, e ela estava passando por um momento “delicado”, comendo e chorando pelos cantos.

Eu tenho quase certeza que Lanna teria enviado o punho na cara de Albus se o Dr. Smith não tivesse aparecido com uma expressão nada agradável.

– Senhores, senhora e senhorita... – saudou enquanto nos analisava. – Gostaria que todos se sentassem por favor. – eu prontamente o fiz, alguma coisa estava errada, alguma coisa estava muito errada.

– Aconteceu alguma coisa? – Hermione perguntou, eu não era o único que estava alarmado, quando todos já estavam sentados.

– É com grande tristeza que os informo que a cirurgia não ocorreu como deveria.



Notas finais do capítulo

Eu estou, nesse exato momento, escrevendo o último capítulo dessa fic, e estou quase chorando, porque ele está ficando exatamente como eu quero e isso é um problema, porque está ficando muito grande DDDDDDDDDDD:

Pessoas lindas, NÃO ABANDONEM A FIC, OK? LEIAM-A ATÉ O FINAL!!! POR FAVOR sz Prometo que vai valer a pena.

Só lembrando, para o lindo que ainda não responderam o questionário, vou coloca-lo aqui de novo. (Se não quiser enviar por review, envia por MP, ou do jeito que quiser :DDD):

1) Qual o nome que vocês preferem para a fanfic do Al? sz
( ) Friends and Benefits
( ) Friends and Lovers
( ) Body and Soul
( ) Comes and goes

2) Vocês preferem um epílogo:
( ) Que dê um fim definitivo para Scorpius?
( ) Que dê inicio a estória de Albus?

3) Se eu postasse uma short-fic entre o final de Fire and Ice e a de Albus, vocês leriam?
( ) Sim
( ) Não

4) Se sim, preferem que seja uma:
( ) Dramione
( ) VicTeddy

5) Você ler alguma outra fic minha, além dessa?
( ) Não
( ) Sim. [Qual(is)?]