Dont escrita por Tamy Black


Capítulo 12
Nova Bella




No capítulo anterior:

 

Decidi deixar de ser a Bella boazinha e ingênua, para ser uma nova Bella... Estava na hora de crescer e ser notada.

 

***

 

Alice e Meg dormiram comigo no meu quarto aquele dia, e eu contei a Meg tudo o que tinha acontecido, ela teve um ataque ao saber tudo o que o Cullen me dissera mais cedo na escola. Nós três colocamos a conversa em dia e eu até me esqueci um pouco dos meus problemas. Na manhã seguinte, eu pedi ajuda para Alice, queria que ela mudasse o meu estilo de me vestir. Ela adorou, Alice adorava uma mudança de look, eu pedi algo ousado e que não parecesse eu de verdade.

 

Eu estava disposta a mudar, mas não para agradar ao Cullen. Simplesmente estava cansada de ser aquela boba Bella, cansada dos outros pisarem em cima de mim e de ser vista como uma boa garota, mas eu não sou boa. Quando eu me olhei no espelho, não acreditei que era eu! E nem pensei que tinha todo aquele corpo que estava refletido no espelho...

 

Eu usava uma micro-saia jeans, uma batinha cor de chumbo e com um decote em V, um casaco branco de mangas ¾, uma bota de salto fino marrom e minha bolsa da Marc Jacobs, para completar o visual, eu estava com o meu Ray Ban Wayfarer. Minha maquiagem era marcante nos olhos, um leve blush nas maçãs do rosto e um gloss nos lábios; meus cabelos estavam soltos e levemente ondulados. (n/a: look da Bella) Alice estava muito eufórica, ela estava louca para que eu aparecesse logo na escola.  

Meus pais estranharam o meu visual, não disseram nada, apenas elogiaram, minha irmã disse que eu estava parecendo uma diva. Quando eu saí de casa, já estava quase na hora da entrada da escola, então eu literalmente voei para aquele antro de hostilidade. Assim que entrei no estacionamento da escola, vi várias pessoas olhando para o meu carro. Acho que eles estavam pensando que eu não daria as caras por aqui, doce engano. Estacionei entre o Porsche amarelo da Alice e o Audi prata da Meg, ambas estavam conversando encostadas no carro nada chamativo da minha pequena baixinha.

 

Saí do meu carro e o travei, de cabeça erguida eu fui até as minhas amigas. Ambas estavam sorridentes, eu podia sentir os olhares de toda a escola em mim no estacionamento. Meg e Alice me abraçaram, e logo o sinal tocara. Enquanto eu andava pelos corredores até a minha sala, as pessoas ainda continuavam a me olhar. Sentei ao lado da Alice na aula da Sra. Willians – que era de inglês – e comecei a me concentrar na aula. Já no fim do horário a professora parara para falar conosco.

 

- Meus amores, alguns dos melhores alunos da FHS foram selecionados para fazerem aquela prova para concorrerem ao intercambio, lembram? – ela olhou para os alunos e alguns assentiram, eu principalmente, já tinha até me esquecido do intercâmbio – Então, do terceiro ano foram selecionados cinco alunos para fazerem a prova... – ela sorriu – E daqui temos a nossa querida Isabella Swan. – veio andando em nossa direção.

 

Alice e Dan bateram palmas animadamente e alguns os acompanharam, o sinal tocara e a professora pedira que eu ficasse para conversar com ela sobre como seria a prova e tal. A Sra. Willians me explicou perfeitamente todo o processo, eu faria a prova antes das férias prolongadas de natal e ano novo, e o resultado sairia quando eu voltasse às aulas. Se tudo desse certo, eu iria para Montreal já no fim de janeiro. Eu fiquei de conversar com os meus pais e trazer uma resposta definitiva para a professora, já que ela disse que tinha a absoluta certeza de que eu iria passar.

 

Eu estava literalmente eufórica, a oportunidade de sumir desse fim de mundo estava batendo a minha porta! Então, eu agarraria com todas as forças. Ainda estávamos no começo de novembro, ainda tinha um tempinho para resolver as minhas coisas. Saí da sala de aula e já ia andando apressada para a próxima aula quando alguém me interceptou, era o Dan.

 

- Hei, Dan. – disse, sorrindo largamente.

- Oi Bells. – ele não sorriu, o que será que houve? – Eu preciso conversar com você.

- Mas agora? – indaguei – Estamos atrasados para a aula de matemática e...

- Não, a professora nos liberou, pois o pai dela está no hospital. – explicou, me interrompendo.

- Ah... – murmurei – Então tudo bem. – dei de ombros.

- Vamos até o pátio. – ele disse.

 

Nós caminhamos em silêncio até o pátio, Daniel estava muito estranho, parecia que ele ia passar mal a qualquer momento, isso estava me preocupando. Sentamo-nos num banco e ele respirou fundo, continuei a olhá-lo sem entender.

 

- Bella... – hesitou – Vai mesmo fazer a prova?

 

Ih... Estava demorando a alguém ser do contra.

 

- É óbvio que eu vou fazer, Dan. – disse, enfadada – Era só isso?

- Com toda a certeza você vai passar... – hesitara mais uma vez – Você vai me deixar? – olhou-me com seus orbes azuis brilhando.

 

Por essa eu realmente não esperava. Encarei-o, não sabia o que dizer. Eu e Dan ficávamos, mas estávamos meio estremecidos desde a festa de Halloween da escola. Eu gosto dele, mas não do jeito que ele quer que eu goste. Senti-me mal com isso, já podia sentir as lágrimas começarem a transbordarem os meus olhos.

 

- Dan, eu... – tentei dizer e abaixei a cabeça, desviando de seu olhar e tentando segurar as lágrimas.

- Não precisa dizer nada. – ele disse, levantando o meu queixo e fazendo com que eu voltasse a olhá-lo.

- Desculpe. – murmurei com um fio de voz.

- Não peça, você quer mudar e tem seus motivos... – suspirou – Então, o que me resta é acatá-los e ficar contigo até quando você for. – ele sorriu triste e eu não disse nada.

- Dan, eu acho melhor nós terminamos o que mal começamos. – disse de uma vez e sem encará-lo, acho que não agüentaria segurar minhas lágrimas por muito tempo.

- Mas... – ele começara.

- Não Dan. – disse e voltei a encará-lo – Eu acho que nós dois sabemos que essa nossa relação não vai andar mais do que isso. – ele não disse nada, apenas me encarava – Dan, sei que você gosta muito de mim, eu também o adoro... Você é o cara perfeito para qualquer garota, mas...

- Não sou o perfeito pra você. – interrompeu-me.

- Por aí... – suspirei e senti as lágrimas escorrem por meus olhos – Eu queria que eu pudesse mudar o que sinto em relação a você. – olhei em seus olhos – Mas já que não posso mudar... Queria que ainda fôssemos amigos, se você quiser. – pedi, sincera e deixando que as lágrimas caíssem a vontade.

- Eu já esperava por isso Bella. – ele disse – Sabia que esse dia chegaria. – suspirou – Mesmo que contra a minha vontade... – acrescentou ironicamente – Mas, eu não posso fazer nada a não ser aceitar e te pedir que seja feliz. E obviamente que serei seu amigo, foi assim que começamos, não foi? – ele sorriu.

- Obrigada por isso. – eu sorri em meio às lágrimas e o abracei.

 

Eu me sentia mal por estar fazendo o meu grande amigo sofrer por algo que ele não tem culpa, afinal não se pode mandar no coração. Mas, mesmo assim eu me sentia mal por fazer alguém que eu gosto muito sofrer por mim, isso era péssimo. Dan limpou as minhas lágrimas e nós voltamos para dentro da escola, ele queria comer mais cedo. Assim que entramos no refeitório e fomos para a mesa onde estava a Meg com a Alice, minha baixinha percebera pela minha cara que eu havia chorado, tanto que me olhara com a expressão de: “o que houve?” e eu apenas sorri para ela.

 

Meg também me olhou preocupada, mas não disse nada, ela me conhecia, sabia que depois eu falaria. Seu olhar ficou preso na pessoa que estava ao meu lado, sim o Dan. Ela sabia quem ele era, mas não tinha sido apresentada a ele, já que ela ainda estava organizando seus horários com os nossos – meu e da Alice – e então ela não fazia muitas disciplinas conosco. O olhar dela pra ele foi estranho, seus olhos brilharam, não posso negar que o Dan não é um sonho, porque ele é.

 

- Oh... Dan, essa é a Megan, a minha prima. – disse.

- Olá Megan. – ele disse, sorrindo para ela e ela retribuiu o sorriso.

- Olá Dan, mas pode me chamar de Meg. – disse, toda fofa.

 

Os dois ficaram se encarando por alguns segundos e eu sorri internamente com isso, me sentei à mesa e começamos a conversar animadamente. Nós fomos comer e depois que o fizemos, ficamos ainda na mesa, conversando ainda. O sinal indicando que já estava na hora do intervalo tocou e logo o refeitório estava abarrotado de gente. Vi Edward e a vadia da sua namorada pela primeira vez no dia, senti o ódio pulsar sob minhas veias enquanto eles passavam para a fila do almoço de mãos dadas.

 

Eu iria acabar com aquele namoro, era questão de honra. Eu o faria enxergar o que ele não vira, e ainda faria a questão de jogar na cara... Ah se faria! Eles estão mexendo com a garota errada, estão sim. Disse aos meus amigos que iria ao banheiro e depois ficaria perambulando pela escola, já que o ar estava poluído, eles me entenderam e não disseram nada. Levantei-me da mesa e peguei minha bandeja, tinha que levar de volta e infelizmente eu passaria ao lado dos dois para deixar a bandeja. Respirei fundo e fui caminhando até lá. Anne me encarava e me analisava, Edward estava fazendo o mesmo, eles não tinham me visto quando cheguei.

 

Passei ao lado deles e deixei a bandeja no local adequado, para sair dali tinha que passar por eles novamente. Quando passei por eles, escutei:

 

- Mudar o visual não vai mudar nada, queridinha. – era a vadia.

Parei e respirei fundo, contei até três e me virei para ela, exibindo o meu melhor sorriso cínico.

- E o que eu vou resolver, querida? – perguntei.

- Eu sei o que está tentando fazer, Bella. – ela disse, como se fosse o gênio – Você está tentando atrair a atenção do Edward. – e dizia tudo me olhando seriamente – E vou logo avisando: você não vai conseguir.

 

Com essa eu tive que rir e não me segurei. Ela era tão idiota ao ponto de pensar que eu estava fazendo isso na intenção de chamar a atenção do cara que me humilhou no meio da escola? Ela era tão patética. Edward não dizia nada, apenas estava abraçado a namorada de lado, vi Alice, Meg e Dan se levantarem da mesa e virem atrás de mim, além de já perceber que todos que estavam no refeitório estavam nos olhando.

 

- Anne, você é tão patética. – disse, ainda rindo e ela me olhava confusa assim como o namorado – Você realmente pensou que eu estou com roupas diferentes para atrair a atenção do seu precioso namorado? – disse cheia de escárnio, me recuperando do acesso de riso – Eu não quero a atenção do seu namorado, pensei que tivesse deixado claro, assim como o seu namorado. – sorri cinicamente para os dois.

 

Anne não me disse nada e Edward apenas me olhava confuso mais ainda. Alice e Meg sorriam atrás de mim, eu vi, Daniel também estava sorrindo. Vi que eles não iriam dizer nada, então não tinha mais o que fazer ali.

 

- Já que não vão esboçar nenhuma reação. – disse, os encarando por uma última vez e já me virando para ir, mas eu tinha que debochar mais um pouco – E outra coisa... – os dois me olharam – Eu não preciso da atenção de ninguém.

 

E saí rindo do refeitório com os meus amigos no meu encalço. Eles riram como um bando de hienas quando eu os contei o que a patética da Anne disse pra mim, Daniel também achava a irmã uma patética, ele sabia disso. Logo o sinal tocou e voltamos as nossas aulas. No último horário tínhamos Educação Física, para o meu desespero, mas eu fui fazer. Meg e Dan já estavam bem enturmados, ainda bem. Eu contei a Alice e a Meg – quando fomos colocar o uniforme de educação física − a minha conversa com o Dan, as duas ficaram ao meu lado e disseram que era o certo a fazer mesmo.

 

Depois de suarmos como umas condenadas, fomos liberadas para tomar banho e sair. Meg iria ficar na escola para fazer o teste de líder de torcida, Alice e eu ficaríamos para assistir, enquanto eu e Alice fomos guardar nossos materiais no carro, fomos conversando coisas banais. Depois voltamos para o ginásio, mas quando estávamos próximas, ouvimos uns gemidos. Alice riu silenciosamente, mas eu fiquei curiosa e ela também. Aproximamo-nos de onde vinha o barulho – que estava atrás de um arbusto – e vimos Anne Gilmore aos amassos com o capitão do time de basquete e um dos amigos do Edward, Mike Newton. Ah... Que vadia!

 

- OMG! – Alice sussurrou exasperada.

- Eu disse não disse? – disse a ela, enquanto nos afastávamos.

- Eu sei, mas eu não pensei que ela seria tão cara de pau assim... – Alice comentou, indignada.

- Ah Alice... Aquela lá não tem escrúpulos! – disse.

- Coitado do Dan... Imagino o que ele deve passar! – ela disse, tristonha.

- O Dan está acostumado. – dei de ombros – Alice... – hesitei e a fiz parar.

- O que? – ela perguntou, me encarando com seus orbes esmeraldas iguais aos do irmão.

- Acha que eu seria muito má se dissesse que quero que o Edward veja quem é a namorada dele? – indaguei-a.

- Não, acho que seria mais do que justo. – ela disse.

- Então... – suspirei – Eu quero armar para que o Edward pegue a Anne em flagrante, mas vou precisar da sua ajuda e principalmente a ajuda do Dan. – disse, sussurrando.

- Oh Bella... – ela murmurou – Isso não é muito difícil de fazer, mas por que precisaria da minha ajuda?

- Para levar o seu irmão até a vadia da namorada dele! – exasperei-me.

- Claro! – ela bateu na testa – Como eu sou tapada! – e riu.

- Eu sei disso tampinha. – ri e ela me mostrou a língua – Depois que sairmos daqui, nós vamos conversar com o Dan... – eu disse e ela assentiu, empolgada – Agora vamos ver a nossa amiga!

- Sim Senhora! – ela bateu continência – Eu não vejo a hora daquela biscate loira pagar pelo que fez você passar, Bells. – disse, sorrindo.

- E eu mais ainda. – assenti, suspirando.

 

Chegamos ao ginásio e nos sentamos na arquibancada, depois vimos à loira nojenta adentrar ao local com um sorriso estonteante. Vaca! Anne era a chefe das líderes de torcidas e se a Meg entrar no time, vai ser muito mais fácil de descobrir onde ela e o Newton se pegavam pela escola. Eu e Alice estávamos concentradas na atuação da nossa amiga e de repente a baixinha me chamou.

 

- Fala pequena... – disse, sem tirar os olhos da quadra.

- Eu estava aqui pensando... – ela hesitara.

- O que? – olhei para ela.

- Você quer que o meu irmão veja a traição por vingança ou por... – ela começara.

- NÃÃO! – a interrompi, sabendo o que ela ia falar – É óbvio que é por vingança Alice, eu e o seu irmão nunca teremos nada. – disse.

- Hunf. – ela bufou impaciente e nós voltamos à atenção para a quadra.

 

Graças aos Céus a Meg conseguiu uma vaga no time, fiquei feliz com isso. Nós duas a abraçamos felicitando-a e rumamos para a lanchonete que ficava perto da escola, antes de sairmos, eu mandei uma SMS para o Dan.

 

__________________________________

Para: Dan

Às: 15h e 27 min.

Hei Dan, preciso de um help seu. É muito URGENTE.

Encontre-me na única lanchonete desse fim de mundo.

B.

__________________________________

 

Quando estava dirigindo recebi sua resposta e eu sorri.

 

__________________________________

De: Dan

Às: 15h e 31 min.

O que aconteceu? Estou indo pra lá agora.

D.

__________________________________

 

Eu estacionei na frente da lanchonete e as meninas fizeram o mesmo. Fizemos os pedidos e ficamos esperando o nosso amigo, não demorou muito e ele chegara ao local, todo esbaforido. Ele ficava engraçado quando estava preocupado, eu ri disso. Dan se sentou conosco e pediu um milk-shake. Eu narrei a ele e a Meg o que tinha visto com a Alice um pouco mais cedo, Daniel não se surpreendeu.

 

- Eu já sabia que disso, ela sempre trai o Edward. – ele disse, dando um gole no milk-shake.

- Como você nunca nos disse isso? – Alice se exasperou antes de mim.

- Porque não tive oportunidade. – deu de ombros.

- Bom, já que você sabe... – eu disse – Você pode nos ajudar a fazer com que o Edward pegue a sua irmã em flagrante? – o indaguei.

- Por que isso agora? – me olhou seriamente.

- Já ouviu a palavra vingança? – Meg o olhou ironicamente.

- Sim, mas por que isso Bells? – indagou-me.

- Porque eu quero que o Edward veja quem é a sua irmã. – eu disse séria – Daniel, se você acha que pode prejudicar a sua irmã, justamente porque é sua irmã... Bom... – suspirei – Eu vou entender, mas acho que você a conhece melhor do que eu e sabe muito bem o que ela me fez... Sei que eu e o Edward não teremos nada, isso eu sei e nem precisa me dizer, mas eu quero que ele veja... Sinta a dor de ser magoado, sofra. – disse, friamente e Dan nem as meninas piscavam diante da minha declaração – E se você ajudar, será bem mais fácil.

 

As meninas ficaram olhando de mim para o Dan, ele estava calado e me encarava sem nenhuma expressão que indicasse alguma decisão. Por fim, ele suspirou e bufou.

 

- Ok, eu a ajudo. – olhou-me – Eu também quero que a Anne pague pelas burradas que faz.

- Ótimo! – alegrei-me.

 

Nós começamos a conversar mais seriamente, Dan disse que iria ficar vigiando a irmã, todos os seus passos iriam ser flagrados por ele. Além de que ele iria procurar algo que a denunciasse, que nos dissesse aonde ela se encontrava com o Newton. Alice ficaria encarregada de levar o Edward até o local encontrado e Meg ficaria comigo, pois eu entraria no local assim que Edward flagrasse os dois, já que eu iria dizer umas verdades para os dois.

 

Então, era só esperar...

 

-x-

 

N/A: OMG! Quem disse que a Meg iria ter um romance com o Dan acertou! o/ Mais isso é mais pra frente. Bom, eu adorei escrever esse capítulo, FATO. E só fiquei triste com o fato da Bells e o Dan não estarem mais juntinhos. *chora*

Pessoas lindas, as minhas fanfics têm comunidade no Orkut, entrem lá! E se quiserem me perguntar qualquer coisa, só ir ao formspring. :D

Então era só isso pessoal!

Beijos a todos,

Tamy Black.