Ninguém está pronto para a vida escrita por Kori Hime


Capítulo 46
Ninguém está pronto para: Barganhar com Deuses


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura!



Já fazia algum tempo que Hazel se dedicava totalmente ao acampamento Júpiter, agora que era encarregada das tropas de defesa, estava cada vez mais difícil encontrar a família ou fazer qualquer outra coisa. O trabalho estava levando-a ao ponto de não ter mais tempo para nada, e isso incluía também a vida amorosa. Não apenas o trabalho a distanciou de Frank, mas também sua dificuldade de lidar com compromisso e relacionamentos longos. Ela não possuía muita experiência no assunto, mas as tentativas estavam esgotando todos os sinônimos de paciência do seu dicionário.

Por esses, e tantos outros motivos, foi praticamente obrigada a tirar uma semana de folga para a que a tropa pudesse descansar do treinamento intensivo ao qual ela os submetia. E também para que ela pudesse repensar nos objetivos de sua vida, sentia-se produtiva, mas estava realmente feliz? Era uma pergunta que fazia todos os dias ao se levantar.

Diferente das pessoas “normais”, Hazel não possuía família que morava na praia, ou uma fazenda onde poderia relaxar no campo. Ela possuía apenas um irmão que vivia em Nova Iorque. Infelizmente, Hazel foi passar as férias junto com os mortos, já que o irmão não estava onde deveria estar. O que a deixou mais consternada sobre sequer estar presente quando Nico precisou dela.

A companhia de Nico era sempre muito agradável, e era por isso que ela estava ansiosa para colocar o papo em dia e também para ver seu pai, é claro que não iria deixar de aproveitar esse momento. Acontece que, ao chegar no mundo inferior, descobriu que Hades não estava lá. Era difícil imaginar seu pai trancado no edifício Empire State. O motivo, ela ainda não tinha certeza, mas sendo Hades irmão de deuses que possuíam egos muito sensíveis, poderia ser qualquer briguinha tola.

O que Hazel não esperava era encontrar Nico, como substituto de Hades, em uma reunião com Thanatos. Embora fosse uma reunião particular, Nico fez questão que Hazel participasse, pois ele depositava uma grande confiança nela. E isso a deixava muito feliz, porque também possuía confiança no irmão.

Só que a jovem não esperava que as coisas estivessem tão ruins para o lado de Hades, Nico e, para piorar ainda mais as coisas, Percy Jackson também estava de férias no mundo inferior.

— Papai está perdendo os poderes? Como isso pode acontecer? Quanto tempo ainda lhe resta? — Hazel caminhava de um lado para o outro, levando a mão até a cabeça, tudo estava acontecendo rápido demais, ou ela havia ficado muito tempo longe de casa? — O que eu posso fazer para ajudar?

Thanatos mantinha-se pacífico e em silêncio, parado do outro lado da mesa, não quis sentar quando Nico ofereceu, então todos estavam em pé ao redor da grande mesa de reuniões.

— Isso é novidade para mim também. — Nico informou, com o olhar distante. — Eu não estava aqui quando tudo aconteceu. Ele me falou para eu retornar tantas vezes, colocou diversos impedimentos no meu namoro com Percy. E tudo para me manter aqui, controlando o mundo inferior. Como se eu tivesse poderes para isso.

— Sem alguém no comando, esse lugar pereceria. — Thanatos informou. — O Mundo Inferior tem um poder que precisa ser controlado, e se Hades não está aqui para manter a segurança, é preciso que alguém ocupe seu posto, ou qualquer pessoa poderá romper a barreira do nosso mundo. E não é isso o que nós precisamos no momento.

— Se precisava de alguém aqui, por qual motivo ele me escolheu? — Nico girou os olhos, depois olhou para a irmã. — Eu não tenho a menor vocação para ser líder de um monte de gente morta.

— Na verdade, eu não consigo imaginar ninguém que esteja apto para essa função. — Hazel aproximou-se do irmão. — Sinto muito, e também sinto pelo o que aconteceu com Percy.

— Ah! Sim, isso também é outro problema. — Nico deu alguns passos em direção a estante com livros e documentos que Hades mantinha na sala.

— O que você quer dizer com isso? — Hazel caminhou atrás do irmão, encurralando-o entre os livros de exorcismo.

Nico tentou desviar o assunto, mas a irmã era muito boa em não cair em qualquer conversa que não fosse aquilo que ela queria saber. O treinamento no acampamento estava surtindo efeitos, e Hazel estava pronta para tirar informações de quem ela quisesse.

Após um leve interrogatório, Nico suspirou e decidiu falar.

— O efeito do veneno causa paralisia e perda das funções dos órgãos, dando a pessoa como morta.

Hazel massageou as têmporas, absorvendo as palavras de Nico. Ela não era a pessoa que tomava as decisões mais sábias, entretanto, era a irmã mais velha e esteve ausente nos momentos que Nico precisava de algum conselho que não fosse manter o namorado morto-vivo sob o seu teto por conveniência. Então Hazel não soube o que fazer, senão abraçar o irmão.

— Posso voltar mais tarde, se vocês estiverem muito ocupados. — Thanatos encarou os dois à sua frente.

— O que vamos fazer sobre o papai? — Hazel perguntou.

— Acho que me resta apenas aceitar que esse é meu destino. — Nico sorriu, Hazel reconhecia aquele olhar de quem estava desistindo, ou abrindo mão de algo, parecia ser marca registrada da família. — Fiquei tanto tempo lutando contra tudo isso e agora que aceitei meu papel, parece que as coisas ficaram mais fáceis. Ou eu tento parecer que é.

— Podemos tentar trazer nosso pai para o mundo inferior. O que isso nos custaria? — Hazel insistiu, e Thanatos respondeu.

— A vida de vocês. Hades precisa de um substituto, e um de seus filhos deve governar. É uma conta simples de se fazer. O comprometimento deve ser o mesmo que ele dedicou a esse lugar durante sua existência.

Hazel entendeu que não conseguiria nada com Thanatos, então tentou encontrar alguma resposta com Nico.

— O que me diz de Macária? Ela também é filha de Hades. — Hazel olhou para Thanatos, esperando que ele desse algum sinal positivo ou negativo com sua ideia. — Nico, o que você acha?

— Não sei, eu já tentei entrar em contato com alguns filhos de Perséfone e Hades, mas eles não costumam vir ao meu chamado. — O rapaz desistiu e caiu sentado na cadeira. — Eles não me reconhecem como um filho legítimo, talvez por minha mãe ser humana.

Thanatos não deu nenhuma opinião, o que fez Hazel ocupar a cadeira ao lado do irmão.

— Vamos pensar em algo. — Ela consolou Nico.

Ficaram mais alguns minutos na sala de reuniões, quando sentiram que havia algo errado. Levantaram-se no mesmo momento, Nico e Hazel. Ambos caminharam pelos corredores da mansão, seguindo aquela sensação quase palpável. Havia algo rompendo a barreira com o mundo de fora.

Antes de chegarem ao local exato, Nico escorou-se na parede, levando a mão esquerda ao peito. Hazel segurou-o, para que ele não caísse. Ela tentou impedi-lo de continuar a andar, mas o rapaz conseguiu ficar de pé e continuar andando.

— Você está sentindo a mesma coisa que eu, não está? — Ela segurou no braço do irmão. — Quando Thanatos disse que precisava de alguém para manter esse lugar seguro...

— É, ele queria dizer que eu teria que canalizar o poder do Mundo Inferior e protege-lo, caso fosse invadido. — Nico enfrentou o olhar da irmã. — Todos esses anos eu senti dentro de mim esse chamado. Não importa o que eu faça, sempre volto. Acho que já entendi que o meu lugar é proteger esse mundo.

Hazel não sabia explicar que sentia do mesmo jeito.

Quando eles chegaram a cozinha, Thanatos já estava lá, segurava em seus braços um corpo, enquanto a sua frente havia um portal, onde Percy Jackson martelava com os punhos.

— Como ele conseguiu abrir esse portal? — Hazel reconheceu o rapaz que Thanatos carregava nos braços.

— Eles possuem o Livro das Harpias. — Thanatos esclareceu. — E uma jovem talentosa que sabe ler a linguagem dos feitiços.

De alguma forma, Hazel achou que Thanatos estava feliz por aquilo.

Nico chegou até o portal e Hazel pediu para que ele não tomasse nenhuma atitude precipitada. Entretanto, não esperava que o irmão tomasse aquela decisão de forma imediata.

O poder que envolvia o corpo de Nico di Angelo era tão avassalador que Hazel podia compartilhar da mesma sensação que ele. As mãos dele começaram a exalar chamas negras, quando o portal começou a se fechar. Como não havia comunicação, Hazel não poderia entender o que se passava do outro lado, assim como Percy Jackson não deveria estar entendendo nada do que ela falava. Dessa forma ele não saberia que Nico estava fechando o portal para o Mundo Inferior. E, com isso, ela acreditou que o irmão assumiria completamente seu posto como substituto.

Hazel não precisou de muito tempo para pensar. Ela simplesmente agiu diante daquela cena, segurando a mão do irmão. Não sabia se isso iria adiantar alguma coisa, ou se poderia mudar a situação. Apenas seguiu seus instintos, sentindo o poder transpassar pelo seu corpo.

Seria aquilo que Thanatos havia descrito como comprometimento? Hazel a muito não sentia aquele sentimento que a ligava com o poder ao qual se recusava a aceitar desde muito antes. Estar em um lugar que nunca imaginou tão certo.

Os olhos de Nico tornavam-se novamente castanho escuro e seu corpo tranquilizou-se. Hazel abriu os olhos, as pupilas dilataram-se e então, após alguns meses sem fazer aquilo, ela teve um flashback. Entretanto, diferente do que costumava ser, não era um flashback de sua própria vida, ou a de Nico. Mas a imagem que tiveram foi a de Hades na companhia de uma mulher em uma casa de praia mobiliada de forma elegante.

O Deus encontrava-se de pé, em frente a varanda, enquanto a mulher de cabelos negros amassava alguma coisa em pequenos potes de madeira. Ela misturava diversos ingredientes em um caldeirão de bronze, em um fogão a lenha. Depois despejou o líquido em uma caneca dourada, entregando para Hades, que sorveu toda a bebida.

O segundo flashback, a mulher preparava um ritual, entoando uma canção em um idioma estranho, Hades estava em pé, com runas ao seu redor. Em cada cena de flashback que eles presenciavam, captavam algumas palavras no ar. Até que chegaram em um momento em que Hades encontrava-se empalidecido, sentado em sua poltrona naquela mesma mansão.

Então a cena mudou novamente. Hades estava sozinho em sua sala, os olhos fechados, inerte em seus pensamentos. Quando os dois se aproximaram, ele abriu os olhos. Era como se o Deus pudesse ver através do flashback, que ainda nem havia previsão de acontecer.

— Depois de muitos anos, finalmente terei paz. — Hades falou, olhando para os filhos. — Esse mundo me foi dado como punição, mas nunca o aceitei como uma maldição. Apenas os fortes podem assumir tal tarefa. E não há ninguém mais forte para assumir esse compromisso.

— Onde você está? — Hazel perguntou, mas Hades não respondia suas perguntas.

— Acho que isso é algum tipo de secretária eletrônica dos deuses. — Nico falou e, em seguida, o flashback tornou-se uma névoa, até que eles retornaram.

Thanatos não estava mais no local onde encontrava-se antes, nem Luke.

Hazel ainda não entendia porque o irmão estava tão preocupado com aquilo, até ele contar que foi sua culpa o retorno de Luke a vida. E agora ele poderia ser julgado novamente, e quem sabe condenado e perder seu lugar nos Campos Elísios.

— Vamos atrás dele. — Ela decidiu.

Nico tentou se explicar, enquanto eles se dirigiam para o tribunal. Qualquer tipo de julgamento prévio que Hazel poderia ter naquele momento, era a certeza de que seu irmão se entregava de corpo e alma quando o assunto era amor.

Como Nico havia dito, Luke estava novamente em um julgamento, no fim das contas, ele havia retornado a vida e novamente morreu ao ceder sua alma em troca a de Percy Jackson.

O que Hazel e Nico não esperavam, era a recepção que foi organizada, assim que eles entraram. Os três juízes do mundo inferior levantaram-se, assim como todos os presentes.

— Eles nunca me trataram dessa forma. — Nico sussurrou.

— É hora de se acostumar com isso. — Hazel o empurrou, fazendo com que ele caminhasse na frente. Nico foi andando e ela atrás.

— Estamos iniciando o segundo julgamento de Luke Castellan. — Um representante dos juízes se pronunciou. — E temos a honra de receber os sucessores de nosso governante. Hazel Levesque e Nico Di Angelo.

Nico parou abruptamente e Hazel trombou em suas costas, ambos atônitos com o que o juiz acabara de falar.



Notas finais do capítulo

Oie, tudo bem?
Eu inseri a Hazel pq ela foi esquecida durante toda a história e deu para encaixar ela no texto que eu já possuía, daí só escrevi esse capítulo para não parecer que ela caiu de paraquedas KKKKKK :D

Beijos, obrigada aos que estão firme e forte comigo, vocês são diamantes ♥ e não são amaldiçoados como os de Hazel :P



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Ninguém está pronto para a vida" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.