Ninguém está pronto para a vida escrita por Kori Hime


Capítulo 25
Ninguém está pronto para: Amor e Guerra Parte 1


Notas iniciais do capítulo

(Amor e Guerra: Dante e Drew)



Já não bastasse o desaparecimento de Nico, agora Percy dirigia o carro em direção à Delegacia de Polícia. Estava em busca de Di Ângelo por toda a cidade quando recebeu a ligação de Leo Valdez, informando que Dante e Butch haviam sido presos por invasão de domicílio.

Percy não compreendia como é que eles dois foram pegos pela polícia. Dois caras grandes e fortes, parecia até piada. Chegando na delegacia, o filho de Poseidon teve a chance de ouvir a versão policial, onde o Senhor Tanaka e sua família foram ameaçados pelos dois delinquentes. A história era tão absurda que, antes de tirar alguma conclusão precipitada, Percy ouviu a versão de Dante e Butch.

— Nós invadimos mesmo o prédio que ela mora. — Butch falou sem remorso algum. A cara de Dante era ainda melhor, parecia que estava de férias em um Spa, sentado naquela cama velha e rangedora.

— Vocês dois estão muito ferrados. Mas já pedi para Leo encontrar Vincent e tirar vocês daqui. Sorte que alguém do Chalé de Apolo decidiu estudar direito e virar advogado para resolver nossos problemas. — Percy coçou os cabelos, explicando sobre o desaparecimento de Nico, que completaria 24 horas.

— Ele deve ter retornado para o mundo inferior. — Butch sugeriu.

— Acha que eu não pensei nisso? — Percy sorriu nervosamente. — Nada acontece quando tento falar com ele. Até fiz uma oferenda para Hades, mas ele me ignorou. — Percy balançou a cabeça, deixaria o problema de Nico para depois, agora ele tinha que ajudar os amigos presos. — Afinal de contas, em nome dos deuses, porque vocês invadiram o prédio?

Butch olhou para Dante, que ergueu o queixo, falando pela primeira vez desde que Percy chegou.

— Nós seguimos as Harpias do esgoto até o prédio. Não dava tempo de falar com o porteiro, eu tive que entrar. — Dante fechou as mãos, apertando os dedos.

Butch virou-se para Percy e continuou a narrativa.

— As Harpias estavam lá, mas eles não as viam. Nem mesmo Drew pode ver, o pai dela chamou a polícia logo depois.

— Drew não viu através da névoa? — Percy perguntou, tentando entender o que estava acontecendo. Uma hora depois, Vincent chegou à delegacia e conseguiu a liberação de Dante e Butch.

Percy levou-os de carro até a Cafeteria Crepúsculo dos semideuses, onde Leo, Jason e Alex os aguardavam nos fundos da cafeteria com uma mensagem de Íris direto do Acampamento. Assim que entraram, eles se depararam com a imagem de Annabeth. Era visível as olheiras denunciando que ela havia passado a noite acordada, provavelmente lendo.

A primeira coisa que Annie falou foi direcionado par Butch, e naquele momento Percy ficou feliz de não ser o alvo de sua bronca.

— Você foi preso? Como é que foram pegos pela polícia?

Butch não se deu ao trabalho de dar mais motivo para Annabeth discutir, então ficou caladoPercy aproveitou um segundo livre, enquanto ela respirava, e se intrometeu na discussão, desviando o assunto.

— Descobriu alguma coisa? — Estava ansioso pela resposta, mas ele conhecia muito bem aquele olhar que Annabeth dava sempre que a situação estava pior do que antes.

Ela explicou que Rachel fez uma profecia diferente das demais, sem charadas ou rimas. Como se tivesse sido possuída por alguma outra coisa que não fosse o oráculo. Era mais como um aviso.

— Todas as deusas são uma deusa. Tudo vem da deusa e tudo para a deusa retornará. — Annabeth falou, dando continuação ao seu discurso. — A Deusa Mãe é a responsável por Todo o Universo e de tudo o que nele contém, daí vem a frase: Tudo vem da Deusa e tudo para ela retorna.

— Gaia? — Percy sentiu um arrepio na espinha, não era possível que Gaia estaria de volta.

— Não, não. — Annie balançou a cabeleira loura. — Além da Terra, outro símbolo da Deusa é a Lua. Ela se manifesta na forma da Deusa Tríplice, sendo a Lua Cheia associada ao seu aspecto de Deusa Mãe.

— O que? — Percy passou a mão no rosto. Olhou para os demais e a única pessoa que estava acompanhando aquele raciocínio era Alex. — Você pode traduzir o que ela disse?

— As faces das deusas, representam apenas uma. — Alex respondeu.

— Certo. Então pode ser qualquer uma Deusa mãe? — Percy sentiu todo o peso do mundo sobre seus ombros, mas felizmente não estava sozinho.

— Basicamente isso. — Alex começou a discutir com Annabeth sobre as deusas mães. Parecia que a mitologia Grega e Romana era pouco para tanta deusa.

Jason aproximou-se de Percy, enquanto os dois filhos de Atena queimavam seus neurônios.

— Eu vasculhei todo o centro e leste da cidade, Leo o Norte e Alex o sul. Não encontramos nenhum sinal de Nico.

Percy suspirou cansado, agradecendo a ajudar de Jason.

— Não adianta fazer milhões de suposições. — Alex levou as mãos a cintura. — Precisamos que Rachel nos diga mais alguma coisa.

Annabeth concordou, eles só estavam andando em círculos. Depois despediu-se de todos e a mensagem de Íris se desfez. Percy deu uns tapinhas no ombro de Butch, dando parabéns pela primeira briga do casal.

— Muito bem, vamos ver nossa situação. — Percy coçou o queixo, havia feito a barba após chegar em casa, achando que Nico gostaria de vê-lo assim, mas passou as horas e Nico não apareceu. Tudo bem, ele era um poderoso filho de Hades, mas sumir sem deixar um bilhete era estranho demais. — Perdemos Drew, perdemos Nico, temos uma lista de deusas comandando umas Harpias loucas e … o que mais?

— Traidores soltos por aí. — Jason lembrou de seus companheiros do acampamento Romano e Charlote. — Levaram o livro das Harpias. Isso que dizer que ele contém algo importante para trazer de volta a pessoa especial que eu ouvi Jorge comentar nos esgotos.

— Se elas já possuem o livro, porque estavam no prédio da Drew? — Percy encostou-se na parede, cruzando os braços. Demorou apenas alguns segundos de silêncio para que todos direcionassem os olhos para Dante. — Espera, você não pode ir lá. — Percy o proibiu de sair da sala.

— Ela pode estar em perigo agora. — Dante falou furioso, mas foi Butch quem o acalmou.

— Drew vai chamar a polícia novamente se você aparecer lá. — Butch tocou o ombro do amigo. — Vamos nos revesar em duplas, assim poderemos protegê-la.

— Nesse caso, acho que posso ir para lá agora. Estou de moto. — Alex se prontificou. — Posso falar com ela. Quem sabe consigo descobrir mais alguma coisa.

— Posso ficar com você. — Leo se ofereceu, o que não agradou Jason.

Mas aquele momento não era o mais adequado para discutir a relação. Jason concordou em fazer mais uma varredura pela cidade, para procurar Nico. Antes de sair, ele de despediu de Leo com um beijo, combinando de se encontrarem em breve.

Não foi muito difícil manter Dante na Cafeteria, graças à Sally, que o sobrecarregou com muitas tarefas pendentes. Mas no fim do dia, o filho de Ares não parecia nada bem.

— Querido você já fez as últimas entregas do dia, já pode ir para casa. — Sally estava do outro lado do balcão, organizando as xícaras. Quando ela virou, encontrou Dante parado na frente da porta, olhando a fina garoa que caía lá fora. — Está tudo bem?

— Sim. Eu só estou aguardando minha carona.

A voz de Dante saiu com um sopro de tristeza. Sally sabia que Dante era sozinho no mundo, sua mãe havia morrido alguns anos atrás, mas não sabia exatamente como fora o acidente de carro. Como uma boa mãe que era, Sally preparou duas canecas de chocolate quente, fazendo Dante senta-se com ela. Talvez fosse o chocolate, ou a companhia, quem sabe os anos de silêncio, já que nunca tocava naquele assunto, mas naquele momento Dante sentiu-se a vontade para falar. E o melhor era que Sally era uma boa ouvinte.

***

Acampamento meio-sangue – Alguns anos atrás

O acampamento meio-sangue era exatamente como nos sonhos de Drew Tanaka. Mas pessoalmente as coisas tornavam-se reais. Caminhar naquela grama, cumprimentar as demais crianças e adolescentes. Os cavalos alados, as Ninfas, os chalés. Tudo era real. Aquela vida de semideusa não era mais um sonho.

Prestes a completar doze anos, Drew foi levada para os Estados Unidos pois o Japão já não era mais um local seguro para uma criança especial como ela.

Quando chegou, Drew foi orientada que conheceria todo o acampamento na companhia de um dos campistas, e que poderia encontrá-lo na parede de escalada. Ela seguiu as direções que lhe passaram e chegou até uma parede de lava. Seus olhos se encantaram com a cena da lava escorrendo a rocha e no topo estava um garoto.

Ele chegou ao seu lado em poucos segundos, deixando Drew confusa em como ele fez aquilo com tanta agilidade. O rapaz era mais alto alguns centímetros e aparentava ter quase a mesma idade que ela.

— Eu sou Dante. Filho de Ares. — Ele falou, e em seguida Drew fez uma ligeira reverência, conforme a etiqueta japonesa exigia, apresentando-se também.

— Drew Tanaka. Eu… eu não… — Drew já havia sonhado com sua mãe algumas vezes, mas não havia nenhuma confirmação de quem realmente ela era.

— Tudo bem, a maioria dos campistas chegam aqui sem saber quem é o pai ou a mãe. As vezes passam a vida toda sem saber. — Dante passou a mão na testa suada. — Mas tenho certeza de que nenhum deus deixaria de reclamar uma filha tão bonita como você.

Drew sentiu o rosto corar, mas Dante não percebeu, ou não se importou. Ele apontou na direção do pavilhão do refeitório, avisando que depois do almoço, poderiam passear pelo acampamento.

No caminho para o refeitório, Dante deu algumas explicações básicas, e pediu para que ela não ficasse nervosa, pois logo aquela fase confusa passaria e as respostas chegariam. Ele era tão jovem e parecia tão confiante que deixou Drew mais calma. No entanto, quando chegou ao refeitório, todos os olhares foram dirigidos para ela, até mesmo os diretores do acampamento estavam olhando-a seriamente. Somente quando Dante ergueu a sobrancelha, olhando para cima de sua cabeça, é que Drew notou que havia algo ali em cima.

O chalé de Afrodite se levantou e comemorou a reclamação da nova campista. Drew sentiu uma adrenalina percorrer seu corpo e foi levada pelos irmãos até sua mesa. Ela olhou para trás e viu Dante com um sorriso em sua direção, depois ele se juntou aos irmãos do Chalé de Ares.

Após o almoço, Drew foi levada para conhecer o Chalé de Afrodite, tamanha era a euforia dos irmãos. Afinal, já fazia algum tempo que uma criança de Afrodite não era reclamada, a última foi Silena, dois anos atrás.

Assim que ela foi instalada no beliche e conheceu todos os irmãos, Drew trocou de roupa, usando um jeans e a camiseta laranja do acampamento. Ela deparou-se com Dante, quando saiu do Chalé. O filho de Ares a aguardava do lado de fora para cumprir seu trabalho como Guia.

Como prometido, eles caminharam por todo o acampamento e a visita guiada terminou na praia dos fogos. Já era tardinha e o sol estava se pondo. Drew sentou-se na areia da praia, observando as ondas quebrarem, o dia parecia perfeito. Todos os problemas haviam sido deixados para trás, agora ela teria um verão tranquilo. Talvez fosse cedo falar sobre tranquilidade. A captura a bandeira foi um evento bem agitado na opinião dela.

No final do verão, Drew encontrou-se com Dante na parede de escalada, mas diferentemente do primeiro dia, quem estava escalando, era ela. Sua boa forma física (devido os treinos de ginástica olímpica e artes maciais desde muito nova) era uma vantagem.

— Quem te vê não acredita que é a filha de Afrodite recém-chegada. — Dante havia escalado a parede e estava junto a ela lá no alto.

— Não subestime um filho de Afrodite.

Ele riu.

— Eu não subestimo ninguém.



Notas finais do capítulo

-> Estou reformando minha casa e com tempo curto para qualquer outra coisa. No fim do dia só penso em tomar banho e dormir uheuhe mas não abandonei a história não.

— Eu escrevi esse capítulo recentemente e encaixei na história porque achava que precisava dar a explicação de uma coisa que vai acontecer mais pra frente. Então aproveitei pra falar de Drew e Dante, mas não vou fazer nada romântico ou com cenas +18.

Essa semana vou estar muito ocupada, mas se eu tiver um tempo para revisar a história, posto no feriado. Tô sem beta :'(

Beijos, obrigada por ler e acompanhar.


Ah, se eu não postar, leiam as outras histórias baseadas na fic:

Annabeth e Butch (Depois do capítulo que Afrodite abusa do rapaz :v ueuhe): http://fanfiction.com.br/historia/494361/Amizade_Colorida/

Percy e Nico:

http://fanfiction.com.br/historia/438818/Ninguem_esta_pronto_para_voce_sabe/

http://fanfiction.com.br/historia/460086/Relax/

Tô querendo fazer um extra de mais alguém, de quem eu faço?