A Filha Do Kazekage escrita por Lina Scarlet


Capítulo 7
Hime em Konoha e Ele...


Notas iniciais do capítulo

Então a voz que fala com Lin antes era uma garota agora mudei para um garoto espero que gostem :)
Leiam as notas finais pf amores.



Tsunade sorriu vendo Lin se levantar do sofá e olhar tudo em volta entediada, ela observou a jovem ruiva para o olhar em Sakura, ela notou o olhar de sua pequena mudar de tédio para melancólico, ela logo desviou o olhar para Naruto e sorriu.

Tsunade estreitou o olhar. Por algum motivo não queria Naruto perto de sua garotinha, uma idéia brilhou em sua mente.

_Hime, Konohamaru está na vila, quer ver ele? – Tsunade sentiu mais do que viu Lin se aproximar.

Lin parou em frente a Tsunade com um grande sorriso em seu rosto, seus olhos brilhavam e suas bochechas estavam rosas.

_Verdade, Oba-chan? – Kiba estreitou os olhos, Naruto estranhou o comportamento da jovem, enquanto Sakura seguia a menina com o olhar.

Nara arregalou os olhos, coisa que não passou despercebido para Sasuke, Neji e Hinata. Tsunade sorriu com seu plano.

_Moegi e Udon devem estar com ele – ela parou para pensar e sentiu um forte vento passar por ela, todos arregalarão os olhos quando viram Lin pular da janela.

Nara correu em direção a porta sendo seguido por Naruto e Sasuke. Tsunade de olhos arregalados e com um sorriso nos lábios apontou para os que restaram na sala.

_Fico feliz por aqueles três terem seguido a princesa da areia, agora quero que prestem muita atenção – sua expressão fechou – O Kazekage já foi informado da vinda de sua filha a nossa vila e também sabe que ela se encontra bem, ou seja, sem arranhões ou qualquer problema – ela olhou diretamente para Ino – Bom a Lin esta passando por alguns problemas familiares então seria bom se o assunto “família” fosse deixado um pouco de lado – seu olhar correu rapidamente para Sakura e desviou - Kiba e Sai vão atrás deles agora, pois sei que haverá problemas, TenTen e Hinata vão ate o Sr. Hamiro e avisem que tenho a cantora que ele queria para trabalhar no Love Dance, Shouje vá buscar a senhora Meiug e a traga para cá e por fim Sakura e Ino quero que busquem mais ervas para mim. – ela olhou em volta e seu olhar parou em Karin – Você vai para os portões principais junto com o Kakashi e trarão o Kazekage para o meu escritório. Depois você ira trazer todos que estão em missão e vamos explicar o do por que da Hime ser a filha do Gaara.

Todos concordaram e saíram pela porta, apenas Sakura e Ino não estavam muito contentes com suas tarefas.

“_Nossa... ela é aquela garotinha... bom foi, quero dizer eu cuidei dela como uma filha, então ela é minha filha, certo, não é? Lin Hime Sabuko No é a minha filha... que deixei anos atrás por que achei que era melhor, não estava pronta... Desculpe Lin – chan”

Tsunade podia ver como sua aprendiz estava triste e chateada, queria muito ajudar, mas sabia que não poderia fazer muito, talvez nada... Infelizmente, Sakura havia tomado a sua própria decisão.

_Era apenas uma criança – ela abriu uma gaveta e tirou de lá uma foto em que Gaara com seus dezenove segurava uma garotinha banguela de curtos cabelos rosas – Mas ele também era e decidiu ser pai ate o fim, seja qual for a conseqüência.

Ela olhou para a janela vendo o vasto céu.

“_Por favor, Oba-chan quando for à hora, eu li peso... onegai... – Lin chorava desesperada nos braços da Hokage – Eu não vou agüentar e quando chegar a hora eu vou cair – Tsunade a abraçou com mais força – Onegai Oba-chan... MATE-ME.”

_Gomen Lin, talvez eu não consiga...

Suna - Escritório do Kazekage (três horas antes)

Temari entrou no local quase arrebentando a porta, Gaara levantou o olhar dos papeis que lia em cima da mesa.

_O que houve? – sua voz demonstrava claramente o desgosto por ter sido atrapalhado.

A loira suspirou e seguiu ate o irmão, parando em frente à mesa onde colocou um envelope que tinha sido entregue a ela há alguns minutos.

O ruivo pegou a carta vendo o símbolo da vila da folha, sem entender o porquê daquilo. Ele abriu a carta e, pois se a ler. Ele amassou a carta com força.

_Temari arrume tudo, pois vamos partir. – ele se levantou da cadeira seguindo para fora do local.

Temari o seguiu sem entender nada, afinal não era para esperar a Lin voltar antes de partir para qualquer lugar?

_O que houve Gaara?

O ruivo parou e olhou para ela.

_A quinta Hokage me informou que minha filha se encontra em sua vila, então nos iremos buscá-la agora. – ele entrou em seu próprio quarto, a loira o seguiu com um sorriso brincalhão em seu rosto.

_Vem cá esta repentina pressa, é que por acaso nossa querida Hime, a princesa da areia esta na vila da folha, ou seja, onde mora o neto do terceiro Hokage, cujo nome é Konohamaru. E que por curiosidade você não quer que fique perto de sua filha? – ela tinha um enorme sorriso no rosto, deixando certo ruivo de olhos verde muito corado.

Gaara respirou fundo tentando ignorar a vontade de estrangular a sua irmã e depois de correr até a vila da folha e matar o abusado do Konohamaru.

_Pode dizer que sou muito protetor e ciumento, mas amo minha filha acima de tudo e não quero que ela se machuque ou se magoe, quando ela descobrir sobre o Itachi as coisas ficarão muito difíceis. Ter o coração magoado uma vez é insuportável, não quero nem imaginar mais de uma. – ele pegou uma foto em que Lin fazia uma pose e mandava beijo. – Alem do que acho que ela não sabe o quão fatal ela pode ser.

Temari suspirou e saiu do quarto.

_Vou organizar a nossa partida Kazekage.

Gaara olhou para traz a vendo sair.

_Arigatou Tema.

A loira sorriu, fechando a porta.

Konoha – Centro (Agora)

_Como assim? – Lin olhava para o neto do terceiro Hokage surpresa, o que o deixou vermelho de vergonha.

_Lin... Desculpe, mas é a verdade, não estou namorando a Moeg – ele se encolheu mais ao ver olhar de Lin piorar.

Lin e Konohamaru estavam em um beco da cidade, esta estava fula da vida com seu amigo, enquanto este estava pra La de amedrontado. Ambos haviam corrido por muitos lugares até despistarem seus “guarda-costas” como muitos acabaram chamando os ninjas.

Lin estava chateada havia pensado que seu amigo e sua colega, haviam se dado bem e que finalmente haviam se declarado um ao outro, o que claramente não havia acontecido.

_Que desapontamento você me deu agora... – ela suspirou e deixou seu corpo cair de encontro à parede em que estava.

Ela olhou para os lados e bufou irritada.

_Qual o problema desse lugar? É tão difícil assim, olhar para a pessoa que gosta e dizer “Gosta de você”? Não é difícil... No começo da certo medo, mas... Vocês complicam tudo – ela se jogou para o lado.

Konohamaru riu vendo a atitude de sua amiga se levantou e sentou se ao lado dela e a puxou de encontro ao seu corpo.

_Lin... Obrigado por estar aqui, eu senti sua falta... Baka– ele tocou a bochecha dela.

Lin sorriu divertida e tocou na bochecha dele, trazendo seu rosto de encontro ao dela.

_Não fale assim querido ou eu juro que vou colar em você como as suas fãs loucas – ela viu o olhar dele arregalar e, pois a rir histericamente. – Pelos ventos de Suna, Konohamaru você às vezes é tão bobo...

Ele fez bico e se levantou a puxando junto.

_Anda este bobo quer te mostrar um lugar – e correu para fora do local puxando uma risonha Lin.

Certo moreno de olhos vermelhos, olhava para os dois amigos com uma vontade enorme de matá-los, principalmente ao neto do terceiro Hokage, já que este arrastava a garota para todos os lugares.

Dando um pulo Sasuke continuou a persegui-los, seus olhos nunca ficavam longe da ruiva por muito tempo. Não entendia por que sentia tanta vontade de protegê-la, mas sabia que aquela garota não estaria por perto por muito tempo.

Por algum tempo Lin e Konohamaru andaram e se divertiram pela cidade, ambos curtindo a amizade que a um bom tempo haviam sido tirados.

Sasuke, Shikamaru e Naruto estavam em direções diferentes, mas todos de olhos no casal de amigos.

_Olha Konohamaru é um karaokê, vamos La? – sem esperar uma resposta a jovem puxou ele para dentro do estabelecimento.

Os três de vigia pularam na frente do local e olharam para a enorme placa luminosa “Love Dance”

_Vamos entrar logo seus palermas – Os três olharam para trás onde Sai e Kiba haviam acabado de aparecerem.

Shikamaru estreitou os olhos quase que imperceptivelmente aos olhos normais, mas não passou despercebido para um moreno de olhos vermelhos.

_A Hokage nos mandou vir atrás de vocês faz algum tempo, estávamos esperando vocês chegarem aqui faz pouco tempo, estávamos rastreando vocês por ar e terra. – ele apontou um pássaro preto feito de desenho e um cachorro que os seguia da escuridão. – A senhora Hokage esta lá dentro com TenTen, Hinata, Sakura e Ino a e também um casal de senhores, um deles é dono desse lugar a outra esta apenas acompanhando a Tsunade. – Kiba se virou e entrou no estabelecimento.

Nara com uma cara nem tão boa também entrou sendo seguido pelos outros dois. Assim que entraram no estabelecimento seus olhos se arregalaram ao ver o enorme e feio lugar.

_Cruzes quem foi o arco-íris que vomitou aqui? – Naruto estava claramente descontente com o lugar e o cheiro também não ajudava muito.

Sasuke olhou em volta e bufou irritado, o lugar era claramente horrível.

_Venham por aqui – Sai olhava tudo em volta com claro desgosto, andar com Ino também não estava ajudando a melhor nada.

Seguindo por um corredor curto entraram em uma grande sala, suas cores eram neutras e o cheiro do lugar era o puro rosa. Três homens idênticos corriam de um lado para o outro, levando e trazendo coisas, Hime estava no meio do enorme lugar com as mãos na cintura e postura de uma líder.

Os jovens tinham um sorriso enorme em seus lábios enquanto corriam, Naruto estranhou no inicio mais vendo como Lin estava achou ate encantador.

Depois de um tempo o lugar estava completamente diferente do resto do local, Tsunade ria gostosamente enquanto um senhor baixinho e gorducho a pagava com um bom dinheiro.

_Oba-chan gostaria que não fizesse isso sempre que encontra um lugar assim.

Quem estava por perto não entendia nada, enquanto Tsunade ria mais ainda e o Shikamaru corava de vergonha. Lin não estava realmente se importando com o que sua oba-chan fazia ela so queria terminar logo e voltar a se divertir.

Konohamaru veio devagar para perto dela sem que a mesma nota se e cutucou sua cintura a fazendo pula para o lado e rir da brincadeira, sua risada atraiu ainda mais a tenção dos homens ao seu redor.

_Kona-kun o que esta fazendo? – ela deixou de lado o que estava fazendo.

Ele somente piscou e se afastou subindo em um local no lugar que lembrava um pequeno palco.

“_Acho que ele notou que você estava meio desanimada... É um garoto tolo mesmo, mas tem bom coração.”

_Você é tão mal Toei – ela sussurrou baixinho pra si própria.

_ Obrigada por isso Lin, eu realmente queria que esses garotos arrumassem este lugar, mas isso nunca acontecia – o homem baixinho e gordinho veio para mais perto junto à Hokage com um incrível bom humor.

_Por nada. – ela sorriu forçadamente e isso não passou despercebido para ninguém ali.

Lin olhou em volta e suspirou sem se dar conta seu corpo, pois a se locomover para fora do local. Na parte central do local onde ficavam as pessoas e o palco central, muitas pessoas riam e se divertiam entre si. Uma pessoa passou perto dela e a empurrou, ela se afastou e andou ate o outro lado.

Por alguma razão Lin começou a se sentir muito para baixo e a imagem de Itachi e Kiba pareciam dançar na sua cabeça. Mas o que mais a incomodava era os olhos vermelhos chorando sangue que a incomodava.

_O que será que esta havendo? – ela não havia notado que tinha chegado no outro lado do local e que se mexia automaticamente, mandando e desmandando em quem trabalhava naquele lugar. Todos estavam surpresos o sorriso dela havia sumido e no lugar o semblante de preocupação era claro.

“Lin venha ate mim...”

“_Não posso Toei”

“Não é por mim, alguém esta chamando você...”

“_Esta bem... eu vou assim que eu os fazer tirar os olhos de mim”

“Eu sei como...”

Lin respirou fundo e seus olhos brilharam forte, seu sorriso apareceu novamente e ela se virou para todos muito animada.

_ Bom. Esta tudo quase pronto agora só falta os últimos detalhes que eu já pedi a todos vocês, certo? – todos confirmaram. – Que bom, eu vou ate o escritório da oba-chan e já volto, vou pegar alguns objetos para usar como purificador. – ela virou se a saiu.

Todos voltaram ao seu dever enquanto finalmente sentiam a calma do lugar voltava ao normal.

Lin foi se afastando calmamente, mas invés de ir à direção em que havia falado foi para onde ficava o local de treino dos ninjas e seguiu em frente ate chegar a uma parte bem fechada da floresta e ver uma linda cachoeira.

Seus olhos brilharam diante da imensa beleza do lugar.

_Você demorou Lin-chan. – ela viu um homem sair de dentro da cachoeira.

Seu longo cabelo preto molhado deixava um rastro de água cair em seu ombro e peito, ele usava apenas uma Box preta.

Lin corou absurdamente, pois o olhar ônix dele a encarava fortemente.

_Lin... Deveria estar acostumada comigo, lembra? – ele saiu da água em direção a ela.

Ela fungou, pois a mão no rosto tentando esconder seu rosto.

_O que houve? – ele estava parado na frente dela.

Lin negou com a cabeça e fungou novamente chorando.

_Lin... Me desculpe, mas eu demorei para voltar e ... – ele se surpreendeu ao sentir seu corpo inclinar para frente e os braços de Lin ao redor de seu pescoço.

_Gomen...

Ele suspirou e se afastou dela, mas so um pouco e depois a abraçou. Lin escondeu seu rosto em seu peito e respirou um pouco do perfume que tanto sentia falta.

_Itachi – kun você voltou...



Notas finais do capítulo

Era para ser um cap muito maior, mas como eu terei que ficar sem escrever por um bom tempo, pq vou me dedicar a uma coisa que é muito importante para a minha mae, achei melhor postar assim mesmo, apesar de estar pequeno demais para o meu gosto. ¬¬
Vou continuar a escrever em off, mas talvez eu so venha a postar mesmo em março do ano que vem u.u (desculpem ).
Feliz natal e ano novo a todos.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Filha Do Kazekage" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.