Jily - How I met you escrita por ChrisGranger


Capítulo 8
Lucius Malfoy e Quadribol


Notas iniciais do capítulo

Gente, desculpem mesmo por ter demorado tanto a postar esse capítulo!!!! É que eu me dediquei muito a ele e quis que ficasse perfeito (vocês que vão dizer se ficou hahaha)!!! Espero que vocês gostem e vou tentar postar mais rápido!!!!



Lílian adorara quadribol. Ela se sentara nas arquibancadas e se pôs a observar o grande time da grifinória, que era sem nenhuma dúvida, muito bom. No final do treino (Tiago não aparecera, para o imenso alívio de Lílian), Alice e Frank se aproximaram dela sorridentes.

– Então, Líly? O que achou de quadribol? - perguntou Alice.

– É incrível! - respondeu ela sorridente - A partir de qual ano eu posso jogar?

– Uau! Já está pensando em jogar? - perguntou Frank com as sobrancelhas erguidas - Acho que você gostou!

– De qualquer jeito, você pode jogar a partir do segundo ano, mas você terá aulas de voo com a Madama Hooch esse ano. - disse Alice lhe dando uma piscadela.

– Quadribol é demais! - exclamou Lílian - Se eu jogasse, acho que eu gostaria de lançar a bola nos gols...como Alice! Mas...não sei se eu seria uma boa jogadora de quadribol.

Frank e Alice riram.

– Artilheira… - disse Alice - E você só precisa treinar! Não tem mistério! Logo, você estará jogando conosco…

– Com certeza! - concordou Frank.

– Pena que minha aula de voo só será sexta-feira… - lamentou Lílian.

Os meninos caminharam juntos até a torre da Grifinória, comentando sobre quadribol. Não havia mais muita gente na sala, porém Lílian percebeu que Abbey e Tiago conversavam no mesmo lugar que Lílian os deixara. Os dois a olharam quando ela passou pelo buraco do retrato, mas ela não falou com eles. Ela se despediu de Frank e Alice e subiu para o quarto, não querendo ficar tão perto do Potter, quanto sua amiga queria.

Assim que Lílian chegara ao dormitório, percebera que não era a única ali. Belle estava deitada em sua cama, lendo um livro. Lílian sempre gostou muito de ler encarou a garota sorrindo.

– Que livro você está lendo? - perguntou Lílian, curiosa.

Belle levantou os olhos do livro e sorriu para Lílian. Seus olhos eram azuis cor do céu e seu cabelos escuros e ondulados, davam a impressão da menina ser uma princesa.

– Hogwarts, uma história… - respondeu ela - mas é meio chato, me dá sono. - disse a garota rindo.

Lílian ainda olhava o livro com curiosidade.

– Eu gosto de ler… - disse Lílian refletindo - Mas, nunca li um livro do mundo dos bruxos...nasci trouxa.

– Oh…eu leio livros tanto do mundo bruxo, quanto do mundo trouxa, sou mestiça. - disse Belle - Meu pai é trouxa e minha mãe é bruxa… mas eu não vejo minha mãe há anos.

– Mesmo? - perguntou Lílian sentando-se em sua cama, cada vez mais curiosa em relação à garota.

– É… minha mãe contou ao meu pai que era bruxa pouco antes de eu nascer. Ele não teve problemas em acreditar, ele simplesmente adorou isto, ficava imaginando se eu seria uma bruxa, como mamãe. Mas, quando eu tinha cinco anos, mamãe fugiu de casa… ela deixou os livros e alguns objetos mágicos lá em casa. É tudo que eu tenho dela. - contou a garota tristemente.

– Oh… - foi tudo que Lílian conseguira dizer. Deveria ser horrível, pensava Lília, viver sem um pai ou uma mãe ao seu lado. Lílian estremeceu só de pensar e repentinamente ficou triste, pela garota.

– Mas isto já foi há muito tempo… - disse Belle com um sorriso.

– Sim… - apoiou Lílian - Seu pai deve ser incrível!

– Ele é! Ficou encantado quando eu recebi a carta de Hogwarts.

Lílian e Belle passaram o resto da noite conversando sobre livros que já leram e que gostariam de ler. Lílian emprestara alguns livros para Belle e esta fez o mesmo com Lílian. A menina, para a felicidade de Lílian, não dissera nada sobre a “garota do trem”, ela não parecia sequer se importar com isso. As duas rapidamente se tornaram amigas e Lílian mal conseguia esperar para apresentá-la a Abbey.

***

Para a alegria de Lílian, Abbey e Belle se deram muito bem. Abbey, logo pôs Belle à par de tudo que acontecera na história de Lílian, Severo e Tiago. Abbey não falara o que Tiago e ela conversaram noite anterior, mas Lílian também não estava interessada em saber, ficara tão feliz de conhecer Belle, que se esquecera disso.

A semana passou lentamente, para o desespero de Lílian que estava, mais que nunca, excitada para ter sua primeira aula de voo.

Chad Iaw, seu par nas aulas de Lufa-Lufa, se tornou um grande amigo de Lílian. Esta, ria de seus cabelos encaracolados e fingia que eram molinhas. Ele a fazia rir a aula inteira.

Sing Jell, seu par da Corvinal, era uma pessoa difícil de lidar. A menina ficara fazendo perguntas à Lílian a aula inteira sobre a “garota do trem”, e ela não conseguia trabalhar direito. Mas, pelo menos Sing a ajudava na hora dos trabalhos, apesar de Lílian perceber que a garota não gostara muito dela.

Era quinta-feira, e Lílian teria sua primeira aula com Lucius Malfoy sendo seu par. Ela entrara na sala de Transfiguração, acompanhada com Abbey e Belle e os outros alunos do primeiro ano. Lílian se sentara na mesa da frente, esperando Malfoy. Ela se lembrou de que fora esse garoto que brigara com Tiago Potter.

– Eu não vou me sentar aí. - Lílian ouvira assustada, uma voz ao seu lado. Ela levantou o rosto e se viu diante de Lucius Malfoy, que a encarava com desgosto.

– Mas somos uma dupla… - replicou Lílian calmamente.

– Escuta, se eu pudesse não fazer dupla com uma garota sangue-ruim, eu estaria comemorando, mas infelizmente essa velha me pôs logo com você… - disse Malfoy friamente - eu quis dizer que eu não me sento na frente.

Lílian sentira seu coração apertar, mas manteve o rosto impassível. Como esse garoto teve a audácia de chamá-la de sangue-ruim?

– Então pode ir lá para trás, pois eu vou me sentar aqui. - respondeu ela, virando-se para frente. A professora ainda não havia chegado.

Ela ouvira um resmungo e sentiu seu braço ser puxado repentinamente. O garoto a segurava com força e seu braço estava começando a doer. Ela virou-se para olhá-lo com o rosto vermelho de raiva.

– Me larga! - exclamou ela.

– Eu disse que não me sento na frente… então você, sangue-ruim deveria obedecer, por ser inferior. - disse ele a puxando ainda mais. Seu braço estava cada vez mais dolorido e ela estava pronta para empurrar o menino, quando uma voz a interrompeu.

– Você ainda não aprendeu, não é mesmo Malfoy? - Tiago Potter estava apontando a varinha para o menino loiro, que parecera em choque por um momento - Largue ela agora. - completou o menino apertando cada vez mais a varinha em sua mão.

– Ah… está defendendo a sangue-ruim, Potter? - perguntou Malfoy, rindo de desdém.

Todos estavam em silêncio na sala e observavam Lílian, Tiago e Malfoy. Lílian percebera que Severo estava lá atrás, olhando para o braço de Lílian que parecia cada vez pior. Tiago, fechou os olhos por um instante, tentando manter a calma.

– Do que você a chamou, Malfoy? - perguntou Tiago, trincando os dentes - Peça desculpas à ela... agora.

– Olha só... está apaixonado, Potter? - perguntou Malfoy erguendo as sobrancelhas e rindo - Mas logo por esta aqui? Ela é inferior… uma sangue-ruim.

O que aconteceu em seguida foi muito rápido. Ouviu-se uma coisa caindo no chão...a varinha de Tiago Potter... que partira para cima de Lucius Malfoy, dando um soco em seu rosto. Mas, logo, devido ao soco, Malfoy foi parar no chão, levando Lílian que ele ainda segurava fortemente, com ele.

A sala estava em silêncio total. Todos encaravam Tiago admirados ou assustados. Lílian havia se sujado com um pouco de sangue que escorria do rosto do menino e finalmente se libertou das mãos de Malfoy. Tiago estava em pé, parecendo admirado consigo mesmo. Lílian o encarou por alguns segundos e abaixou o olhar para o chão.

– Obrigada. - disse ela baixinho.

– O que está acontecendo aqui? - perguntou uma professora McGonagall lívida. Todos da sala tomaram um grande susto e exclamaram - Sr. Potter, Srta. Evans? O que os dois estão… - a professora parara de falar ao ver Malfoy no chão.

– Professora...eu posso explicar… - começou Tiago.

– É bom mesmo que se explique Potter! - disse a professora perplexa.

– Eu estava inocentemente conversando com meus amigos, quando de repente escutei Evans e Malfoy discutindo. - começou Tiago, os alunos rindo às costas da professora - Malfoy a chamava de… sangue-ruim - disse Tiago desgostoso - dizendo que... espera, como vocês começaram a discutir? - perguntou o garoto confuso, se virando para Lílian.

Lílian o encarara indignada, mas virou-se para a professora.

– Eu me sentei na mesa da frente professora. - disse Lílian baixinho - e ele disse que não se sentaria lá… disse para mim que eu teria que ir sentar no fundo com ele, pois eu era uma… sangue-ruim e que teria que obedecer, pois de acordo com ele, eu sou inferior. - disse Lílian firmemente.

– Você não é uma sangue-ruim! - exclamou Tiago olhando com raiva para Malfoy, que começara a se levantar cambaleando - Superior...é isso que você acha que é? Há!

– Então, alguém pode me explicar por favor, por que o Sr. Malfoy estava no chão, com sangue no rosto, quando eu entrei na sala? - perguntou a professora impaciente.

– Porque eu o dei o que ele merecia, profesora. - disse Tiago - Depois de Evans e Malfoy discutirem, ele a agarrou pelo braço! Mandando ela ir com ele! Ele começou a xingá-la de a senhora sabe o quê e eu dei um soco no rosto dele! - terminou Tiago orgulhoso.

Os alunos em volta riam de Tiago, a maioria o apoiando. A professora Minerva permanecera em silêncio por alguns segundos, encarando principalmente Lílian.

– Sr. Malfoy vá para a enfermaria para Madame Promfrey dar um jeito nesse ferimento. Mais tarde, o senhor passe aqui, para eu lhe dar sua detenção. 10 pontos serão tirados da Sonserina. - disse a professora, afinal, levando os alunos da Grifinória a comemorarem - E o Sr.Potter, apesar de querer ajudar a Srta. Evans, nada te dá o direito de agredir o Sr. Malfoy desse jeito. 10 pontos serão retirados da Grifinótia. - Tiago encarou a professora indignado e abriu a boca para responder, mas logo, a fechou novamente pensando melhor.

À mando da professora Minerva, os alunos se sentaram em seus lugares com seus pares. Lílian se sentou em seu lugar, novamente e não fez dupla com ninguém. Melhor assim, pensava ela, enquanto imaginava o que fizera para Lucius Malfoy a odiar tanto.

–---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

– Então, ranhoso, como vai? - perguntou Tiago, sentando-se ao lado de Severo, que era sua dupla nas aulas de Grifinória com Sonserina.

Severo o ignorou e encarou a professora, que já explicava o feitiço que eles teriam que fazer.

– Será que você pode me falar o nome do shampoo que você usa para… isso aí que você chama de cabelo? - perguntou ele outra vez.

Snape estava vermelho de raiva, mas não dissera uma palavra sequer.

– Continua magoando a Evans? A vida dela deve ser bem difícil tendo você como um “amigo”, não é? - perguntou Tiago, rindo.

– Cala a boca, Potter! - disse Snape, olhando furioso para Tiago - Não se atreva a falar sobre a Lílian para mim! Você só a fez mal!

– Olha só quem fala! O grande amigo que joga a culpa na cara dela, não é? Incrível como ela ainda fala com você… ranhoso! Se tem alguém que a fez mal aqui, esse alguém é você! - disse Tiago com raiva.

– Você é um convencido Potter! Por que quer arranjar briga com todo mundo? Está louco para chamar atenção ou quer perder mais pontos para sua casa? - perguntou Snape friamente.

– Ahh claro, falou o Sr. Cabelo Alisado… - disse Tiago rindo de desdém.

– Sabe o que você tem Potter? Inveja! Tem inveja, porque sou amigo da Lílian e ela não te suporta! - disse Snape maldosamente.

Tiago e Snape discutiram a aula inteira, Snape sempre levando a pior e arrancando risadas dos grifinórios.

– Nos vemos na próxima aula, ranhoso! - disse Tiago, colocando o pé na frente de Snape, o levando a tropeçar.

– Você não muda mesmo… - disse Lílian encarando Tiago, segurando o braço de Snape e os dois saíram da sala de aula sem olhar para trás.

Sirius riu o provocando.

– Cara, levou a pior… - disse Sirius.

– Cala a boca! - exclamou Tiago, saindo da sala com seus três amigos.

– Foi ruim a aula com o ranhoso? - perguntou Pedro (os amigos o tinham posto a par do que aconteceu entre Lílian, Tiago e Snape).

– Bom, eu o provoquei a aula inteira… e ele disse coisas que ele acha que iriam me afetar! - respondeu Tiago, rindo - Acredita que ele disse que eu tenho inveja da relação entre ele e Evans e que ela gosta muito mais dele do que de mim?

Os amigos ficaram calados, olhando para o chão e não responderam nada.

– Tiago, eu não acho que isso seja, bem… uma mentira… - disse Remus, com cuidado.

– O que você quer dizer? - perguntou Tiago, virando-se para Remus.

– Eu quero dizer que… talvez ela goste sim, mais do Snape do que de você. Veja como ela o trata e veja como bem… ela trata você. - disse Remus.

Tiago passara o resto do dia pensando no que Remus dissera. Porém, no dia seguinte esses pensamentos haviam se varrido de sua mente. Hoje seria a primeira aula de voo, ele mal conseguia esperar para mostrar a todos como ele voava bem.

– Estão animados? - perguntou Tiago, excitado para os amigos no café da manhã.

– Mais que nunca! - respondeu Sirius sorrindo.

– Para que? - perguntaram Remus e Pedro juntos.

Tiago e Sirius encararam os dois indignados.

– Para a melhor aula… - disse Tiago.

– Para a única aula que presta! - respondeu Sirius.

Um olhar de entendimento passou pelos rostos de Pedro e de Remus.

– Deixa eu adivinhar…quadribol? - perguntou Remus, divertido.

– Óbvio! - responderam Tiago e Sirius ao mesmo tempo.

Os meninos riram e assim que terminaram o café, se direcionaram para o campo de quadribol.

Eles olharam para o grande campo abismados e encantados. Arquibancadas em volta do grande campo, estavam dispostas em várias fileiras de cadeiras. Algumas pessoas já se encontravam lá, incluindo Lílian e Snape.

– Agora todas as nossas aulas são com a Sonserina? - perguntou Tiago.

– Não… Tranfiguração, Poções e Voo. - respondeu Sirius.

– Olá Tiago! - Abbey vinha andando em direção à eles.

– Ah não… - sussurrou Tiago para que só os garotos ouvissem - E aí Hastins?

A garota parara em frente aos meninos, sorridente.

– Aposto que você está bastante animado para sua primeira aula de voo, não é? - perguntou a garota animada - Você acha que vai se sair bem?

– Eu nasci sabendo jogar quadribol! É claro que vou me dar bem! - exclamou Tiago, orgulhoso.

– Ah…bem boa sorte, então! - disse Abbey acenando para ele e indo em direção à Lílian.

Sirius, Remus e Pedro deram gargalhadas provocando Tiago.

– “Eu nasci sabendo jogar quadribol” - Sirius disse, fazendo uma péssima imitação de Tiago.

Pedro e Remus riram e Tiago revirou os olhos.

– O que você tanto conversou com a Hastins àquela noite? - perguntou Remus, curioso.

– Ela queria saber de mim…disse à ela que eu gosto de quadribol...perguntei da Evans - disse Tiago, se dirigindo ao vestiário com os amigos.

– Você perguntou da Lílian? - perguntou Remus, assustado.

– É claro! - respondeu Tiago - Mas ela não quis falar muito da Evans...só ficou me perguntando sobre quadribol!

Os meninos, assim que puseram as vestes de quadribol, foram até o meio do campo, onde a turma já estava.

– Então, conversei com o diretor Dumbledore e nós achamos melhor suspender a integração entre as casas no requisito a quadribol. Cada um trabalhará por si só, ou com pessoas que vocês queiram ajudar, quem tiver mais dificuldade. - disse a Madame Hooch, professora de quadribol - Quero que se arrumem numa fileira, eu escolherei os pares que irão trabalhar nesta primeira atividade.

Houve um murmúrio seletivo enquanto a professora apontava para alunos que iriam fazer duplas.

– Por que esse lance de dupla tinha que acontecer esse ano? - murmurou Sirius se dirigindo à Heloisa Rowl, quando seu nome e o da menina foram chamados.

Pedro acabara ficando com Belle, o menino parecia muito satisfeito ao ir em direção à garota. Remus ficara com Abbey e Tiago, para sua alegria, ficara com Lílian.

A menina parecia chateada ao se virar para Tiago. O garoto foi até ela.

– Beleza, Evans? Sorte termos ficado juntos, não é? - perguntou Tiago com um sorrisinho maroto.

– Um grande azar… - disse ela virando-se para a professora.

– A pessoa que tiver mais habilidade, ou pelo menos já tiver voado uma vez antes, irá instruir o seu parceiro. Fiquem alguns momentos no ar, com a ajuda de seu colega e voltem para o chão. Podem começar! - disse a professora.

Tiago virou-se para Lílian com um sorriso maroto.

– Já voou alguma vez antes? - perguntou ele.

A menina negou com a cabeça. Parecia muito nervosa.

– Tudo bem…eu posso ajudar! Suponho que tenha medo e odeie esta aula mais que todas? - perguntou Tiago tentando adivinhar.

– É claro que não! Gosto muito de quadribol e quero aprender! Por isso eu não queria que logo você me ensinasse! - disse Lílian encarando Tiago indignada.

– É mesmo? - perguntou ele surpreso - A maioria das garotas tem medo.

A menina revirou os olhos e olhou para a vassoura confusa. Os alunos já haviam começado a atividade e Lílian não queria ficar parada.

– Tudo bem, segure a vassoura na sua frente e suba, devagar… - começou ele, fazendo uma careta. O que ele acabara de dizer era meio idiota, pensou ele.

Lílian subira devagar, como recomendado por Tiago e ele subira na dele.

– Agora, dê um pouco de impulso e voe só um pouquinho, para não cair. Pode segurar minha mão se quiser! - disse ele esperançoso, estendendo a mão.

Lílian a ignorara e fez o que ele pediu, flutuando à meio metro de distância do chão. Aquela sensação era incrível! Ela fez um pouco de força para voar mais para cima. Tiago a encarava assombrado.

– Cuidado… - dizia ele, sempre que ela subia mais um pouco.

Tiago voava ao lado de Lílian.

– Deixa comigo Potter! - disse Lílian para o garoto, quando ela se desequilibrou um pouco e ele estendeu a mão mais uma vez.

Eles estavam à três metros do chão e Lílian começara a se assustar. E se ela caísse? Iria fazer papel de boba...ela inclinou seu corpo para frente, tentando fazer a vassoura descer, porém ela se desequilibrou e no impulso agarrou o pulso de Tiago. O garoto parecendo assustado, mas feliz a segurou com força e ela voltou à posição.

– Hum…desculpe. - disse ela para Tiago.

Tiago lhe deu um sorrisinho maroto.

Lílian pensara melhor. Ela não queria descer…aquilo era incrível! Ela deu um sorriso e voou. Apesar da garota não saber voar, Lílian se saíra muito bem. Ela não voou muito alto, mas se divertiu com a sensação maravilhosa. Ela deu uma gargalhada e tentou descer devagar para o chão. Tiago estava, mais uma vez, assombrado. A garota havia pegado o jeito rapidamente e não parecia ter tido dificuldade.

De repente um grito cortou o ar. Tiago saíra de seus pensamentos e observou cabelos ruivos descerem com velocidade para o chão. Lílian havia se desequilibrado e estava caindo cada vez mais. Uma mão segurava a vassoura. Os alunos gritaram e a apontavam. Tiago rumou em direção à garota rapidamente, voando com todas as suas forças.

Lílian estava quase atingindo o chão quando Tiago passou por baixo dela, a segurando pela cintura. Lílian parecia assustada e haviam lágrimas em seus olhos. Tiago que não estava olhando para frente, chegara quase a bater na arquibancada, mas no último momento, ele puxara a vassoura para baixo.

Os dois caíram no gramado e rolaram para longe. A queda não foi muito grande mas os alunos correram em direção aos garotos assim como a professora.

– Está…tudo ok? - perguntou Tiago, que estava ao lado de Lílian.

– Sim…obrigada...de novo. - disse ela fazendo uma careta.

– A segunda vez essa semana que você é salva por Tiago Potter! - disse Tiago orgulhoso.

Ela se virou para ele ainda deitada no gramado, indignada.

– Eu não pedi a sua ajuda em nenhuma das duas vezes! - exclamou ela.

– Um obrigado seria suficiente! - disse ele levantando as mãos na defensiva.

Lílian revirou os olhos, e os dois observaram os alunos e a professora que se aproximavam cada vez mais. Os dois tinham parado no lado oposto do campo.



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado gente e por favor deixem reviews!!! Quero saber o que vocês acharam!!! Beijinhos!!